maio 30, 2005

Pele

Pele, a tua pele
Deleite aos meus olhos
Branca, translúcida
que quase vejo a tua alma!

Pele, a tua pele
Deleite aos meus olhos
Branca, translúcida
que quase vejo a tua alma!

Toco-lhe tanto, por medo de esquecer
A suavidade de toque insistente
Que meus dedos rugosos já não sentem

Pele, fantasma,
Que me envolve,
Me aquece o coração
Que excita os sentidos
que traz êxtase de sentir
tua pele, que falta me faz.

Sinto a falta do seu toque,
da minha pele na tua.
Que saudades tenho do sabor,
salgado amargo, doce.
Que tempera o meu ser...

Tudo pela tua pele!

M. Lima

Publicado por emigas em maio 30, 2005 07:55 PM
Comentários