maio 30, 2005

Maturidade, Parte 2

O meu Primeiro Amor:

O meu primeiro amor, não foi o primeiro amor, mas foi certamente o maior...
E de certo modo, foi o primeiro!

Foi o primeiro que consciencializei como sendo amor, verdadeiro amor...

Mas por imaturidade minha, incompreensão dela, não teve sucesso! Para não falar de outras coisa pelo caminho.

Amo-a ainda, como a melhor amiga que tenho, mas não a posso amar como mulher embora como, verdadeiramente todos os homens negam, mesmo as amigas desejamos!

Um homem que negue isso mente com quantos dentes tem!
O homem é um ser eminentemente polígamo! Logo, uma relação monogâmica só se mantêm por outras razões...

Mas o desejo não desaparece...

Porque se isso que se nega, se não for verdade...Então porque é que há tanta traição em relacionamentos monogâmicos?

Eu nunca trai ninguém, nem em pensamento nem de facto, porque considerei que trair a pessoa com a qual se está, era trair-me a mim próprio!

E por isso tantas vezes me repugnou o que pessoas próximas de mim faziam, e julgava-as como se Deus fosse!

Mas não sou Deus, nem me posso arrogar a julgar os outros...Mas posso ajuizar sobre as suas condutas, como um amigo! E tentar conduzi-los ao caminho que seja o melhor para eles, escolhido por eles.

Eu não tive tanta sorte, e acabei por ser trocado por um passado desse meu amor...se bem que, a rapidez com que isso aconteceu não possa ser ignorada, nem esquecida, não fui incorrectamente tratado...mas muito magoado.

Tudo falhou na relação por que estando em momentos diferentes da nossa existência, em estádios diferentes, de maturação nunca estávamos dispostos o suficiente, para crescer juntos.

E assim terminou um amor, ou melhor uma relação!

Publicado por emigas em maio 30, 2005 01:21 AM
Comentários