novembro 04, 2004

Diário de Che Guevara - "The Motorcycle Diaries"

Uma conversa entre dois amigos, sobre uma viagem de dois amigos nos anos 50: Ernesto Guevara e Alberto Granado!


—Bom dia! Gostaste do filme?

—Deixou-me a pensar...

—Eu gostei muito de metade do filme e, mas da outra metade não tanto...a parte documental estava a ficar demasiado politica e a inicial faziam-no mais enfezado do que era (mais inofensivo).

—Se calhar. Realmente não sei muito sobre a vida do senhor.
O que sei sempre me deu a ideia de ser uma pessoa mais revolucionária, mas nunca em excesso!
Para mim o filme foi outra coisa que não a história do Che Guevara
Foi a história de um Ernesto qualquer que foi viajar, com um amigo, para conhecer novas culturas, pessoas, sítios, modos de pensar!
E isso é que me fez pensar, não a história mesmo da vida do Guevara...

—Acho que a segunda metade do filme começa com o Ernesto espertalhão (aquela o parte onde ele se Lembra de ir para o jornal) o que é um contra-senso com o Ernesto tímido do princípio do filme!
E nessa altura a namorada ainda não o tinha deixado.

—Mas uma viagem deste género muda as pessoas!!!
Volto a frisar que não sei muito da vida dele!
Mas eu acredito que alguém que faça uma viagem daquele género não se mantem igual do princípio ao fim...

— Sim, mas há uma mudança antes de episódios que podem provocar mudança...
A personagem muda de sensibilidade de um momento para o outro...sem explicação.
Quase como se fossem duas pessoas não muito diferentes, mas apenas o suficiente.
O final é que já é mais politizado...
O rapaz, se repares é muito mais enfezadinho (o actor) do que o Che original...
Vê-se pelas fotos...
O actor dá-lhe um ar mais frágil, mais "simpathetic" ...do que ele era na realidade...
Gostei foi daquela cena em que o Alberto Granado foi para mesa de jogos "medir a masculinidade", i.e. dinheiro Lembras-te?
E ganhou!
O “Bastard”!

— Já te disse, que não vi o filme com os mesmos olhos de quem vê um documentário sobre Che Guevara!
Para mim foram dois amigos dar uma volta de 10.000 km, pela América do Sul... sem meios financeiros numa mota caquéctica chamada "La Poderosa"!
Duas pessoas que foram curtir e lutar por qualquer coisa!
Algo para o qual muitos de nós, não temos coragem!
Que dizemos que queremos fazer mas, na verdade, se tivéssemos a hipótese, recusávamo-nos!
É pelo espírito, pela ânsia de chegarem a algum lado, pelo objectivo!
Pelas coisas que se vêem no caminho, não só tristezas, também muitas alegrias!
Não estou a comparar com a personagem de Guevara combatente, comunista, revolucionário...
Não tenho dúvidas que uma pessoa quando começa uma viagem, tem uma postura diferente daquela que terá quando acaba...
Quantos anos foram??? 1ano?
Isso muda uma pessoa, especialmente quando tens 23 anos...
Há coisas que não mexeram muito comigo, como a cena dos leprosos, d'ele a nadar até eles... Mexeu mais a atitude antes... tirarem as luvas quando todos as usavam...
É mesma atitude que temos de ter com as pessoas que têm sida!
E quantos de nós, se soubéssemos que fulano era seropositivo, não fugíamos ou afastávamo-nos???
Mas o que ficou cravado e me fez estar completamente grudada foi a VIAGEM!!!
Já fiz algumas! E é sempre pouco!
E da forma como eles viajaram!
Vale mil vezes uma viagem de avião ou de carro com hotel...
Vive-se tudo com mais intensidade!
É isso!
Falta INTENSIDADE na nossa vida citadina, rotineira e igual!!!

— Ficou-te mais o idealismo!
Mas é difícil separar a história dos dois amigos, da História!
A viagem sem meios financeiros?
Sim a viagem é feita sem grandes meios...mas não se pode dizer que eles não tivesse apoio...quando chegam a Valparaíso, recebem dinheiro de casa!!
Mas...
Será sempre diferente...de ter viagens confortáveis...como as que temos!!!!
A atitude deles no hospital de leprosos: É típica rebeldia da juventude e de recém-licenciados que querem mudar o mundo...
Não é inédito!
Acontece na altura em que todos querem mudar tudo o que acham que está mal...
Mas... e este é o grande MAS... meio filme é o que tu relatas...a outra metade é a formação do Che revolucionário!!!
Pela visão que tu tens concordo, subcrevo, admiro nessa parte do filme!
A parte de documentário é a típica do "Foi assassinado pela CIA na Colômbia" (propaganda que o tornou um mito)...e "Não foi morto em combate pela tropas colombianas com treino da CIA" (verdade histórica)!

— Não dá...
Tu estás a ver de uma forma... e do teu ponto de vista não posso acompanhar-te.
Para mim foi outra coisa...
O que eles escreveram no fim do filme, apaguei-o!
Ficou o que me motiva nas minhas coisas do dia a dia...
E sim, eu acho que temos sempre de tentar mudar qualquer coisa no mundo
E se um seropositivo (usando o exemplo)s e sente menos diferente só porque lhe dou um abraço, então eu quero dar-lhe um abraço!
Quero sentir que isso não muda o mundo, mas muda aquela pessoa naquele momento!

— Eu acho que até dá!
Porque até concordo com o que TU interpretas e retiras do filme...
Mas também discordamos da visão subjacente, que EU retiro!
Eu gostei do filme! E de qualquer modo compreendo o que dizes!
Concordemos em discordar pelo menos nessa parte!!!
Além de que era muito mais chato estarmos sempre a concordar!!!!

Um obrigado à minha amiga!
M. Lima

Link para o site do Filme:
The Motorcycle Diaries

Publicado por emigas em novembro 4, 2004 08:37 PM
Comentários