setembro 22, 2004

The Bourne Supremacy

E se um dia te tirassem tudo o que mais amas!

Jason Bourne foi um agente muito especial da CIA.


Autenticamente tornado uma máquina de matar, um dia avaria-se e redescobre a sua humanidade.
O custo desta descoberta é a perda da sua memória!

Perseguido e sozinho, Jason Bourne (Matt Damon) procura a chave do mistério de quem é e de quem o persegue.
Luta pela sua sobrevivência e conhece Marie (Franka Potente) nesta sua viagem.

Apaixona-se por ela, e a partir de determinado momento passa a ter mais um objectivo para além de sobreviver: Viver!

Num resumo de meia dúzia de linhas, está a história do filme The Bourne Identity, baseado num livro de Robert Ludlum com o mesmo nome.

Se primeiro filme era impressionante, uma espécie de James Bond, com mais história, sem gadgets, sem impossíveis, apenas ingenuidade, inteligência, habilidade, este segundo não lhe fica atrás.

The Bourne Supremacy
começa dois anos depois do fim da história do primeiro filme.

Jason descobriu que era um assassino de um projecto ultra-secreto da CIA (Treadstone).
Nesse projecto, os agentes eram condicionados e para todos os efeitos era-lhes feita uma lavagem ao cérebro, sendo treinados para serem armas perfeitas.

Com esse projecto encerrado, Jason pensa estar em segurança. maso assassinato de um agente da CIA em Berlim, provas incriminadoras que apontam para ele e uma trágica morte, fazem com que ele tenha de regressar, para vingar e corrigir males passados, descobrindo a própria essência das memórias desconexas com que vive.

Perseguições diabólicas, lutas estonteantes, inteligência e argúcia em dose cavalar fazem deste um excelente filme de “Spooks” (espiões).

Recomendo vivamente!
E fico à espera do terceiro.

Entretanto, os livros devem ser de uma riqueza tal, que também não se deixar de ler!

M. Lima


Publicado por emigas em setembro 22, 2004 12:06 AM
Comentários