junho 30, 2004

Fartei-me...

Fartei-me da minha vida.
Decidi acabar com ela!

Matei-a! Atirei-a do precipício.
E pouco restou da queda!

Nasço agora dos pedaços.
Nasço apenas, não renasço!
Vivo
Vibro,
Vibro pelo viver
E não pelo Existir!

Já não sobrevivo,
Mas vivo!
Gosto de rir, de sorrir,
De fazer soar gargalhadas,
Dizer parvoíces!

Gosto de ser um gajo porreiro
E sabedor, quiçá despachado,
Mais audaz, de certeza mais corajoso.

A vida que tinha mudou!
Eu mudei.
E ainda bem!

Sinto-me...bem,
Sinto existir
Vivo!

Não é esse o objectivo?

Bebo e Sorrio,
Meto conversa,
Não evito a critica,
Nem o elogio!
Oiço tanto quanto falo,
Pergunto agora sem medo!

Aceito a adversidade
como uma benesse.
Sem relutância?
Nem pensar...

Quanto teria eu mudado
se gostasse de perder!
Mas agora preciso saber perder
Tanto quanto saber ganhar!

M. Lima


“ Há coisas que nunca mudam. Mas há outras que mudam!”
Matrix Revolutions

Publicado por emigas em junho 30, 2004 01:38 AM
Comentários