janeiro 28, 2004

A Arte da (Des)Ilusão

O dia a dia é pesado pelas diversas circunstâncias que o pautam!
Desde a desagrabilidade de certas palavras até à incompreensão de situações.

Já agora, a ausência de verdade! Talvez a mais grave de todas a faltas!
A “Vox Populi” acredita que a verdade é algo que existe, imutável e perene.

No entanto ela é a penas um resultado dos acontecimentos e da visão que temos sobre eles.!

Assim, a máxima de que “A verdade é Absoluta”, é falsa!

Por outro lado, não existir uma crença na absolutidade da verdade, mina a essência do Ser Humano, pois este em teoria, procura a verdade, ou verdades que definem a sua existência.

Por vezes tomamos a incontestabilidade da verdade, como uma certeza de ser verdade. (Deus existe, uma vez que não podemos provar que não existe). Por outro lado, essa mesma incontestabilidade permite contestar verdades (mas também não posso provar que exista).

Assim chegamos ao nosso dia-a-dia, em que vence, que conta a melhor história, independentemente de ser verdade.

Porventura a verdade de um acontecimento pode magoar alguém ou destruir a nossa fé.
Aí, não teremos outro remédio senão inverter a verdade, convertê-la na sua adorada inimiga: a mentira.

Há quem o faça para fins outros, que não os mais nobres.
Há quem o faça por não conhecer outra verdade!

Por fim, há quem o faça para magoar, destruir, aniquilar.

Nessas alturas, existem vários caminhos que se podem seguir:
- Lutar com as mesmas armas,;
- Lutar com a verdade;
- Ou Ignorar.

Cada um dessas escolhas, em ordem de crescente dificuldade, também determina a força de carácter que detemos.

É medida da nossa própria existência!
Do nosso ser!
Do que somos, mas também do ”que” os outros são (não quem).

Publicado por emigas em janeiro 28, 2004 09:33 PM
Comentários