outubro 19, 2003

Continuar

Outra Poesia, desta feita mais antiga!

Uma batalha.
Um teste de vontades, dir-se-ia!
O teste de uma vontade, digo-o!
Uma batalha entre o infinitamente grande
E o não tão infinitamente pequeno!
Um teste de vontade,
de ter vontade
de escalar uma montanha,
que causa a morte de quem ousa,
e mata quem foge!
Em teimosia lancei-me,
De pé, bem seguro!
Subi,
Por cada passo, caia!
Por cada queda continuava.
Teimosamente lutei,
Ferindo-a nas minhas investidas.
E em cada rugido de dor,
Sofria a pena do meu crime!
Passo a passo,
Ouvindo o vento corrente,
Sentindo o frio de morte continuei a subir.
Cheguei perto do que me lançara.
Mas ela perdera!
Não morrera,
Nem faço tenções!
Não posso, desisto
Enquanto mais perto não puder ficar!
E continuarei, senão nesta, talvez noutra!

M. Lima

Publicado por emigas em outubro 19, 2003 04:25 AM
Comentários