janeiro 27, 2004

anjo perdido

um dia, conheci um anjo que não podia voar
um anjo delicado e puro que eu decidi amar
uma borboleta do céu que me deixou sozinho
com uma dor no peito que não consigo apagar
já derramei por ti um rio de lágrimas
mas continuo sem saber onde estás
vagueio por este mundo com a tua sombra ao meu lado
com a esperança que um dia a venhas buscar
um dia, conheci um anjo que não podia voar
um anjo com asas de chumbo que eu deixei escapar....

Publicado por Tomas Tapilula em 12:30 PM | Comentários (1) | TrackBack

janeiro 15, 2004

proposta ao futuro sogro

caro futuro sogro,
venho aqui através desta carta anónima fazer-lhe uma proposta irrecusável... tenho observado distante o seu sofrimento por ser pai de uma filha aleijada do cérebro... eu sei que a sua vida não é fácil... ainda hoje deve gritar em silencio no seu quarto de 25 metros quadrados: "maldita queca no banco traseiro do renault 5"... por isso, eu como bom samaritano vou tirar da sua vida esse fardo demasiado pesado para os seus ombros ósseos... sim, percebeu bem... eu, Tomas Tapilula, chulo professional reconhecido no mundo mundial e arredores quero pedir que me empreste a sua filha para que realize a profissão mais antiga do mundo... eu sei que você é um pai honesto, trabalhador e cansado mas não deixa de ser pai... portanto tem a habitual preocupação pelo bem estar da sua desnaturada filha conhecida como Oink Oink... mas eu sou um profissional neste duro ramo da venda da rata alheia... eu posso assegura-lhe que a Tomas Tapilula e filhas da má vida Lda oferece boas condições de vida as suas associadas... temos quarto individuais mobilados com mesinha de cabeceira para guardar os preservativos NUKU (marca da casa fabricados pelo mestre Iroku Saikaro) e as revistas pornográficas caso o cliente tenha dificuldade em atingir o orgasmo com a dita cuja xoxa... o quarto dispõe também de uma cama de agua vibratória para simular as ondas do mar e comprovamos que era o ambiente ideal para acompanhar o cheiro à bacalhau morto que emana das entre-pernas da sua Oink Oink... caso o cliente ou a apêndice da sua filha sintam náuseas marítimas, disponibilizamos ao lado da cama um saco de plástico para esvaziar o conteúdo estomacal... como nota queria acrescentar que o estabelecimento não se responsabiliza pelos actos dos clientes caso estes queiram pôr o saco na cabeça da sua filha para lhe saltar à cueca... o Tomas Tapilula e filhas da má vida Lda também realiza inspecções periódicas às brilhas das suas empregadas para aumentar a qualidade dos nossos serviços... no entanto, como a área vulval da sua filha foi considerada área de perigo pelos maiores profissionais do meio da chulice devido ao desaparecimento de muitas pirocas nesse triângulo das bermudas, apelamos ao seu bom senso, caro futuro sogro, e exigimos que faça uma contribuição económica generosa para a compra de uma fato radioactivo para realizar os mencionados exames rotineiros... no entanto, a minha empresa encarrega-se de adquirir os acessórios necessários para que o resultado da "maldita queca no banco traseiro do renault5" realize a sua actividade... acessórios como cueca fio dental a frente e atras, suti-mamas sonoro (inclui o tema "si cariño, mas fuerte") e uma mala preta para que a sua filha realize movimentos circulares quando se encontra a fazer trabalho outdoor (na esquina para os leigos)... a minha empresa também compromete-se a alimentar a sua filha com bebidas energéticas à base de espermatozoïdes da melhor colheita do ano de 99... por todas essas razões, venho aqui publicamente pedir não a mão da sua filha para casamento mas sim o aluguer da sua rata para fins comerciais...

com os meus melhores pesâmes, Tomas Tapilula
(presidente fundador da Tomas Tapilula e filhas da má vida Lda)

Publicado por Tomas Tapilula em 12:14 PM | Comentários (9) | TrackBack

janeiro 12, 2004

bate levemente...

tenho de pedir um novo coração.. parece que este deixou de funcionar ha já muito tempo.. acho que secou de tanto esperar por ti... mas ainda o oiço bater.. parece um relógio avariado... tic tac tic toc... e se não o vieres arranjar, um dia vai parar...

Publicado por Tomas Tapilula em 10:17 AM | Comentários (5) | TrackBack