março 21, 2006

DIA MUNDIAL DA POESIA

MÚSICA, de Eugénio de Andrade

Os álamos.

Essa música
de matutina cal.

Doces vogais
de sombra e água
num verão de fulvos
lentos animais

Calhandra matinal
na areia
branca de junho.

Acidulada música
de cardos
e navalhas.

Música do fogo
em redor dos lábios.

Desatada
à roda da cintura.

Entre as pernas
junta.

Música
das primeiras chuvas
sobre o feno.

Só aroma,
abelha de água

Repouso e regaço
onde o lume breve
duma romã brilha.

Música, levai-me:

Onde estão as barcas?
Onde são as ilhas?

Publicado por vm em março 21, 2006 11:00 AM
Comentários

Grata pela partilha. Eugénio de Andrade é uma referência na Poesia Portuguesa...

Um abraço e boa semana :)

Afixado por: Poesia Portuguesa em março 21, 2006 04:13 PM