junho 30, 2007

MUSICATLANTICO - FESTIVAL AÇORES 2007 - "ORQUESTRA METROPOLITANA DE LISBOA - ANA FERRAZ"

fest atl 4.jpg

Publicado por vm em 02:49 PM | Comentários (0)

PLACA DESCERRADA EM 27 de JUNHO, NA CASA ONDE VIVEU GUILHERMINA SUGGIA, NA RUA DA ALEGRIA 665

placa suggia 27 de junho 040.jpg
Placa em bronze, da autoria da escultora IRENE VILAR, com a apoio do Arq JOAQUIM TEIXEIRA, descerrada no dia do 122º aniversário do nascimento de GUILHERMINA SUGGIA, na casa onde viveu de 27 de Agosto de 1927 a 30 de Julho de 1950 - data em que nela morreu.
Uma acção conjunta da Associação Guilhermina Suggia e da Câmara Municipal do Porto.

Publicado por vm em 12:00 AM | Comentários (0)

junho 29, 2007

O ESTADO DAS NOSSAS COISAS: "AS COISAS DO NOSSO ESTADO"

placa suggia 27 de junho 053.jpg
Palavras para quê? Foi tirada ontem, na Rua Sá da Bandeira, no Porto, perto da Praça D João I

Publicado por vm em 03:35 PM | Comentários (1)

MUSICATLANTICO - FESTIVAL AÇORES 2007 - "MEDIAE VOX ENSEMBLE"

fest atl 5.jpg

Publicado por vm em 12:01 AM | Comentários (0)

Eurico Pereira vence concurso de guitarra em Londres

Lisboa, 28 Jun (Lusa) - O guitarrista português Eurico Pereira venceu a Competição Internacional de Música de Londres 2007, uma iniciativa do Anglo-Czechoslovak Trust que decorreu a 23 e 24 de Junho na capital britânica.

Realizado na Igreja de Santo André, o evento contou com a participação de músicos de mais de 15 países, em sete categorias: cordas, guitarra, canto, piano, metais, madeiras e ensembles.

O primeiro português a vencer este concurso, Eurico Pereira deslocar-se-á em Novembro a Praga, para dar um concerto, no dia 28, no Auditório Martinu do Palácio Lichtenstejn.

Eurico Pereira iniciou os estudos de guitarra aos 9 anos e foi o único aluno a obter nota 20 no exame final do Conservatório de Lisboa, tendo continuado a estudar na Universidade de Évora.

Em 2002, foi lançado um álbum intitulado "4 Compositores Portugueses", com peças executadas pelo músico de obras que lhe foram dedicadas por prestigiados compositores.

O guitarrista foi convidado para frequentar a Academia Real de Música em 2003, com uma bolsa completa, pela direcção das Escolas Reais de Música, tendo-se tornado aluno do mestre da guitarra Michael Lewin.

Participou em vários festivais no estrangeiro e, mais recentemente, fez uma digressão por Portugal, com o patrocínio da Fundação do Oriente.

ANC.
Lusa/fim

Publicado por vm em 12:00 AM | Comentários (0)

junho 28, 2007

DESCERRAMENTO DE PLACA EVOCATIVA NA CASA ONDE VIVEU GUILHERMINA SUGGIA - ONTEM dia 27/06

Suggia 010a.jpg
Na verdade esperava que estivessem mais pessoas na cerimónia. Tive pena. Mas o importante foi feito. Que venham muitas mais coisas importantes. Nada será demais para honrar quem tanto nos honrou.

Publicado por vm em 07:06 PM | Comentários (0)

CINE-TEATRO PARAÍSO -TOMAR- 30 de Junho 18 horas -Apresentação das obras premiadas no II Prémio Lopes-Graça de Composição da cidade de Tomar

lopes graca.jpg
«À memória de Anarda», Pedro Faria Gomes
e
«Duas canções alentejanas», João Camacho
(1º prémio ex-aequo)

completarão o concerto outras obras para coro a cappella, de Fernando Lopes-Graça
Coro de Câmara Lisboa Cantat
dir. Jorge Alves

Publicado por vm em 06:43 PM | Comentários (0)

junho 27, 2007

DESCERRAMENTO DE PLACA NA CASA ONDE GUILHERMINA SUGGIA VIVEU - HOJE ÀS 18,30 na RUA DA ALEGRIA, 665 PORTO

Suggia  placa a.jpg
Este é o molde, em gesso, da placa da autoria da escultora Irene Vilar, que teve o apoio do Arq Joaquim Teixeira, que será descerrada às 18, 30h hoje, na casa da Rua da Alegria 665, onde Suggia viveu de 27 de Agosto de 1927 a 30 de Julho de 1950 (data em que nela morreu)

Publicado por vm em 12:28 AM | Comentários (1)

junho 26, 2007

SINFONIETTA DE LISBOA- SOCIEDADE DE GEOGRAFIA DE LISBOA - 27 de JUNHO - 21,30 h

sin de lisboa.jpg

Publicado por vm em 07:17 PM | Comentários (0)

TRIO MEDITERRAIN DE VOLTA A PORTUGAL- POMBAL(29/06) - LEIRIA (30/06) e COIMBRA (01/07)

Laura Ruiz Ferreres, Clarinete
Bruno Borralhinho, Violoncelo
Kim Barbier, Piano

POMBAL - 29 de Junho (sexta-feira) às 21:30h
Teatro-Cine de Pombal
Obras de Beethoven, Zemlinksy, Côrte-Real e Glinka.

LEIRIA - 30 de Junho (sábado) às 21:30h
25. Festival "Música em Leiria"
Teatro Miguel Franco
Obras de Beethoven, Zemlinksy, Côrte-Real e Glinka.

COIMBRA - 1 de Julho (domingo) às 21:30h
TAGV - Teatro Académico Gil Vicente
Obras de Beethoven, Glinka e Zemlinksy.


--------------------------------------------------------------------------------

Publicado por vm em 05:45 PM | Comentários (0)

MUSICATLANTICO - FESTIVAL AÇORES 2007 - "THE SWINGLE SINGERS"- TEATRO MICAELENSE, 28 de JUNHO - 21,30h

fest atl 3.jpg

Publicado por vm em 10:49 AM | Comentários (0)

RECITAL DE VIOLONCELO E PIANO- CENTRO CULTURAL VILA-FLOR-PEQUENO AUDITÓRIO- GUIMARÃES - 30 de Junho - 22 horas

j a pereira sousa.jpg
Sábado, 30 de Junho – 22h00
Recital de Violoncelo e Piano
José Augusto Pereira de Sousa e violoncelo
Emídio Teixeirapiano
Pequeno Auditório
Preço: € 7,50 / €5,00 c/desconto
José Augusto Pereira de Sousa e Emídio Teixeira, dois exímios intérpretes, apresentam um programa que percorre obras, para piano e violoncelo, de Bach, Beethoven e Brahms. Com um percurso musical notável, José Augusto Pereira de Sousa e Emídio Teixeira apresentam-se regularmente em concertos por todo o país, merecendo destaque o recital, que protagonizaram em conjunto, na homenagem aos 120 anos de nascimento de Guilhermina Suggia.

CENTRO CULTURAL VILA FLOR-GUIMARÃES

Programa
I
Bach: Sonata em sol M, BWV 1027
Beethoven: Sonata op. 5 Nº 2, sol m
II
Brahms: Sonata op.38, mi m
Maiores de 12

Publicado por vm em 12:17 AM | Comentários (0)

junho 25, 2007

MOREIRA DE SÁ e GUILHERMINA SUGGIA

No Porto, o modelo sociocomunicativo dos concertos públicos estabiliza-se mais cedo do que em Lisboa — o que mereceria investigação sociológica aprofundada. Quem dinamiza todo o processo é Bernardo Valentim Moreira de Sá. Deve-se-lhe a fundação de uma Sociedade de Quartetos em 1874, de uma Sociedade de Música de Câmara em 1883, bem como de um Quarteto (1884) em que ele próprio é primeiro violino e que se mantém activo durante 30 anos, realizando nomeadamente a primeira audição integral portuguesa dos 17 quartetos de Beethoven. Além disso, a partir de 1891, Moreira de Sá funda o Orpheon Portuense (integrando uma orquestra sinfónica e um coro que constituem a base para séries regulares de concertos sinfónicos, corais-sinfónicos e de câmara, em que participam, como solistas, famosos virtuosi estrangeiros) e dirige no Teatro Águia d'Ouro os concertos sinfónicos da Associação Musical de Concertos Populares (desde 1900) e da Associação de Classe Musical dos Professores de Instrumentos de Arco do Porto (desde 1906), onde também dá a conhecer obras importantes do repertório clássico, romântico e moderno (cf. Borba e Lopes-Graça, 1956: II, 259 ss.). Sem esta tradição não se teria revelado, decerto, Guilhermina Suggia, que aos 7 anos já se apresentava em público, aos 12 anos assumia a chefia do naipe de violoncelos da Orquestra Sinfónica do Orpheon Portuense e, no ano seguinte (1898), passava a integrar o Quarteto Moreira de Sá em substituição de Joaquim Casella.
do livro " Pensar é Morrer ou O TEATRO DE SÃO CARLOS na mudança dos sistemas sociocomunicativos desde fins do séc XVIII aos nossos dias" de Mário Vieira de Carvalho

Publicado por vm em 12:46 AM | Comentários (1)

junho 24, 2007

CONCERTOS DIRECTOS- ORQUESTRA JOVEM DO CONSERVATÓRIO NACIONAL- 27/06 às 19h

!cid_4913B6B1-2404-4CA0-A9CA-8413A78731A7@local.jpg
CONCERTOS DIRECTOS
ANTENA 2 | BIBLIOTECA DO CONSERVATӒIO NACIONAL

OJCN
direc磯: Miguel Ivo Cruz

Programa:
Vivaldi
Concerto para duas trompas

J.S.Bach
Concerto para dois violinos

Stravinsky
Apolo e as Musas

Publicado por vm em 03:00 PM | Comentários (0)

"MUSICATLANTICO" - FESTIVAL AÇORES 2007 - de 28 de Junho a 9 de Julho

fest atl 2.jpg

Publicado por vm em 11:30 AM | Comentários (0)

junho 23, 2007

"MUSICATLANTICO" - FESTIVAL AÇORES 2007 - de 28 de Junho A 9 de Julho

fest atl 1.jpg

Publicado por vm em 05:27 PM | Comentários (0)

O ESTADO DAS NOSSAS COISAS: O SALÃO NOBRE DA ESCOLA DE MÚSICA DO CONSERVATÓRIO NACIONAL DE LISBOA (8)

DSCF4126a.jpg
Este é o edifício do Conservatório Nacional de Lisboa, onde está o tal Salão Nobre de uma enorme riqueza a vários níveis, e que corremos o risco de perder.
Periodicamente realizam-se lá diversos recitais em ciclos sob o nome "EM BUSCA DE UM SALÃO PERDIDO". Quando tiver oportunidade não perca. Vá lá e veja o estado em que está. Verá que é bem pior do que aqui parece. Depois não fique quieto. Reclame. Divulgue. Passe palavra. Mande emails, escreva ao 1º Ministro, Ministra da Educação, partidos políticos, deputados. Nada será demais.
Devo dizer que mandei emails ao 1º ministro, ministra da educação, candidatos à Câmara de Lisboa ( em tempo de campanha é sempre mais oportuno, digo eu).

E digo aqui que este blogue tem uma média diária de 800 visitas - ontem teve 1002, por ex - e é visitado por países de todo o mundo. É bom que tenham vergonha. Eu tenho. Gostava que a imagem que sai do nosso país fosse melhor. Mas não pararei de denunciar a falta de interesse que os políticos e os portugueses têm para estas coisas da Cultura.

Publicado por vm em 01:20 AM | Comentários (0)

junho 22, 2007

CÃOCERTO - PRQUENOS VIOLINOS DA METROPOLITANA - AULA MAGNA - 24 de Junho - 16 horas

caocerto
Os Pequenos Violinos da Metropolitana são uma orquestra composta por cerca de 35 crianças, dos 3 aos 14 anos, que fazem música como gente grande. Dedicam anualmente um dos seus concertos a uma instituição. Os professores d’Os Pequenos Violinos consideram fundamental incutir um espírito de solidariedade e de atenção para com o próximo nos seus alunos.

Este ano lectivo, a receita da bilheteira reverterá integralmente para a União Zoófila, que, tem como objectivo principal a defesa, protecção e tratamento de animais domésticos em risco.

Programa:
Polish Dance, de E. Severn
Over the rainbow, de A. Arlem
Estrelinha - Popular


Participação
Todos os alunos dos Pequenos Violinos da Metropolitana
“Permallets”
Actriz Eunice Muñoz


Bilhetes – 10 euros
À venda na Orquestra Metropolitana de Lisboa e na sede da União Zoófila, Rua Padre Carlos dos Santos - S. Domingos Benfica (atrás da Igreja das Furnas), a partir do dia 4 de Junho. Poderão também ser adquiridos na Aula Magna no dia do espectáculo, a partir das 15h


Organização e Informações
Associação Música – Educação e Cultura
Orquestra Metropolitana de Lisboa
Telefones
+351 213 617 325
+351 213 617 320
Fax
+351 213 623 833
Endereço Electrónico
anso@oml.pt

Publicado por vm em 12:00 AM | Comentários (0)

junho 21, 2007

O ESTADO DAS NOSSAS COISAS: O SALÃO NOBRE DA ESCOLA DE MÚSICA DO CONSERVATÓRIO NACIONAL DE LISBOA (7)

DSCF4110a.jpg
Parece que até está em excelentes condições, não parece? Mas não está. ESTÁ MESMO A CAIR. Vá lá. Logo que haja um recital da série "EM BUSCA DE UM SALÃO PERDIDO", vá. Veja com os seus olhos e divulgue.
PRECISAMOS DE SALVAR ESTE SALÃO.

Publicado por vm em 09:00 AM | Comentários (3)

junho 20, 2007

ETERNO RETORNO - LER DEVAGAR - 5ª-feira, 21 de Junho às 21,30H

ETERNO RETORNO - LER DEVAGAR
Fábrica do Braço de Prata
Rua Gonçalo Palha, 26
(entrada pela R. da Fábrica do Material de Guerra, em frente aos correios.
Perto da Rotunda 25 de Abril e do Poço do Bispo)


Quinta-feira – 21 de Junho 21,30 h

TRIO

Ágnes Flanagan, violino
Irma Skenderi, viola
Peter Flanagan, violoncelo

BEETHOVENSerenade, op. 8


Publicado por vm em 10:01 AM | Comentários (9)

DESCERRAMENTO DE PLACA NA CASA ONDE VIVEU GUILHERMINA SUGGIA, de 27 de AGOSTO de 1927 a 30 de JULHO de 1950, NO DIA 27 de Junho - DIA DO 122º ANIVERSÁRIO DO SEU NASCIMENTO

11.jpg
A Associação Guilhermina Suggia e a Câmara Municipal do Porto têm a honra de o convidar a assistir à colocação de uma placa evocativa na casa onde viveu e morreu a Grande Violoncelista – Rua da Alegria, n.º 665, Porto. A placa, da autoria da Escultora Irene Vilar, será descerrada no próximo dia 27 de Junho, às 18.30 horas.

Junho de 2007

Publicado por vm em 12:00 AM | Comentários (2)

junho 19, 2007

O ESTADO DAS NOSSAS COISAS: O SALÃO NOBRE DA ESCOLA DE MÚSICA DO CONSERVATÓRIO NACIONAL DE LISBOA (6)

Garrett a.jpg
Má sorte tem tido o Garrett: há uns tempos foi demolida a casa onde ele viveu e morreu, na Rua Saraiva de Carvalho em Lisboa, para dar lugar a um condomínio de luxo. Dizem. O Teatro das Laranjeiras - onde foi estreada a sua peça "Frei Luis de Sousa" - está no estado miserável que mostrei há dias aqui.
O teatro D Maria II - que Passos Manuel incumbiu Garrett de fazer sem perda de tempo - parece um Teatro de amadores sem amor ao teatro. Não cumpre as funções dum Teatro Nacional. Infelizmente.
O seu retrato aqui mostrado, pintado por Malhoa, se não é cuidado também cai.
E assim vamos andando neste nossa jardim...

Publicado por vm em 12:03 AM | Comentários (0)

junho 18, 2007

"HISTÓRIA DE UM SEGREDO" de ÁLVARO MAGALHÃES - PÉ DE VENTO - Biblioteca Municipal Almeida Garrett

clip_image002.jpg

Publicado por vm em 06:47 PM | Comentários (0)

O ESTADO DAS NOSSAS COISAS: O SALÃO NOBRE DA ESCOLA DE MÚSICA DO CONSERVATÓRIO NACIONAL DE LISBOA (5)

DSCF4128 a.jpg
João Domingos Bomtempo pintado por José Malhoa há 126 anos. Repare-se com cuidado nas inúmeras rachas. Se não se acudir a tempo desaparece. Talvez seja esse o desejo de alguns. Se não fosse não deixavam que este Salão tão importante chegasse a este triste estado. Apelo a todos que divulguem esta situação. A música - o tipo de música que aqui se faz - dá poucos votos. Essa é uma das razões de se ter chegado aqui. Seria interessante saber quanto se precisava para que o Conservatório fosse todo restaurado e quanto deu o Estado dos nossos bolsos para um qualquer - o menos caro - estádio dos que foram feitos para o Euro 2004. Seria também interessante saber quando gasta, por exemplo, uma autarquia com um cantor de música ligeira (Pimba ou não) e um músico de música erudita. Posso-vos dizer que numa autarquia deste nosso belo Portugal uma Câmara pagou a um cantor ligeirote para um concerto ao ar livre de entrada livre, 4 700 contos de cachet com todas as despesas pagas ( hotel, comida, transportes e outras mordomias ) para ele, músicos e acompanhantes. Isto foi-me dito por um autarca dessa Câmara (não revelarei nomes nem valerá a pena. Repetem-se).
Fui com 2 músicos- eu apenas como amigo e acompanhante - assistir a um recital organizado por uma outra Câmara e os pagamentos foram feitos na minha frente : 125 contos a cada um. Isso mesmo.
Abençoado país!!!

Publicado por vm em 12:51 AM | Comentários (0)

junho 17, 2007

O ESTADO DAS NOSSAS COISAS: O SALÃO NOBRE DA ESCOLA DE MÚSICA DO CONSERVATÓRIO NACIONAL DE LISBOA (4)

DSC00188 - Salao 3.JPG
Não se sente. Pode cair. E se entrar no Salão, não se esqueça: leve capacete. Se o não fizer pode levar com um bocado do tecto na cabeça. E mesmo que seja uma das partes pintadas por José Malhoa, não compensa.

Publicado por vm em 12:00 AM | Comentários (4)

junho 16, 2007

O ESTADO DAS NOSSAS COISAS: O SALÃO NOBRE DA ESCOLA DE MÚSICA DO CONSERVATÓRIO NACIONAL DE LISBOA (3)

DSC00198a.jpg
Veja como o balcão se quer separar da parede. Se não estivesse escorado, certamente a sua vontade teria sido cumprida.

Publicado por vm em 10:48 AM | Comentários (0)

junho 15, 2007

ORQUESTRA DO ALGARVE - ABERTURA DE VAGAS: VIOLINO, OBOÉ,FLAUTA,CLARINETE

ORQUESTRA DO ALGARVE
Está aberto concurso para os seguintes lugares:
Violino - Chefe de naipe adjunto (2os violinos)
Oboé - solista b
Flauta - solista b
Clarinete - solista a
A seguir poderão encontrar toda a informação referente aos excertos orquestrais requeridos, bem como a data limite de candidatura e a data das respectivas audições.

Filipa Corrêa
(Gabinete de Comunicação/Communication Department)
Orquestra do Algarve
Associação Musical do Algarve
EN 125, Casa das Figuras - Horta das Figuras
8005-518 FARO
Tel.: 289 860 890-6. Fax: 289 860 899
Tlm.: 969 530 005
comunicacao@orquestradoalgarve.com
http://orquestradoalgarve.com

Violino/Violin
Chefe de Naipe Adjunto (2º Violinos): salário bruto € 2000 (Dois mil Euros)
Associate Principal (2nd Violins): Gross monthly salary of € 2000 (Portuguese tax about 20% and the Social Security fee can be free for the first year)


Concerto & excertos orquestrais (Concerto & orchestral excerpts)
1st Round
1º andamento/1st movement con cadenza of a Mozart concerto

W.A. Mozart
Sinfonia Nº 35 (Symphony No. 35)
Allegro com spirito: Página inteira (Whole page) 1st movement
Finale: Até ao fim da página (until the end of page) last movement

Sinfonia Nº 39 (Symphony No. 39)
Finale: Página inteira (whole page) last movement

S. Prokofiev
Sinfonia Clássica (Classical Symphony) 1st movement
Allegro: Do princípio até letra H (From the beginning to letter H)

2nd Round

L. Beethoven
Nona Sinfonia (Ninth Symphony)
De “Lo stesso tempo” 12/8 até ao fim (from “Lo stesso tempo” until the end) 3rd movement

Berlioz
Symphonie Fantastique
Do nº 1 até ao Nº 2 (From No. 1 to No. 2) 1st movement
Do nº 17 até ao Nº 19 (From No. 17 to No. 19)

Schumann
Sinfonia Nº 2 (Symphony No. 2)
Scherzo: Do princípio até ao Trio (From the beginning to the Trio)

J. Brahms
Sinfonia nº 2 (Symphony No. 2) 1st movement
Do princípio da página até letra F (From the beginning of page to letter F)

J. Strauss
Don Juan
Toda a primeira página (The whole first page)

Informações adicionais / Further details:
A Orquestra do Algarve está localizada em Faro, no Sul de Portugal. Tem participado em vários Festivais Internacionais de Música e já gravou cds para a etiqueta NAXOS e MARCO POLO.

The Orquestra do Algarve is located in Faro, on the southern coast of Portugal. It has high international artistic standards, records for NAXOS and MARCO POLO and its activity includes international tours.


Início de Contrato: Novembro de 2007
Job availability: November 2007

Data limite da recepção de candidaturas: 3 de Julho
Closing date for application: 3th July

Local e data das audições: Faro, 10 de Julho de 2007, 11h00
Auditions location & dates: Faro (Portugal), 10th July 2007, 11h00am

Enviar Curriculum Vitae detalhado (gravação e/ou vídeo, se possível) para:
Highly qualified candidates should apply with detailed CV (if possible, also recording) to
Orquestra do Algarve
EN 125, Casa das Figuras – Horta das Figuras
8005-518 Faro, PORTUGAL
e-mail: producao@orquestradoalgarve.com
(Não se aceitam contactos via telefone/No phonecalls accepted)

Para mais informações sobre a actividade da Orquestra do Algarve, visite o nosso site:
Please check our website for more information:
www.orquestradoalgarve.com

Oboé/Oboe
Solista b: salário bruto € 2000 Euros
Soloist b: Gross monthly salary of € 2000 Euros (Portuguese tax about 20% and the Social Security fee can be free for the first year)

Concerto & excertos orquestrais (Concerto & orchestral excerpts)
1st Round
1º andamento/1st movement con cadenza of a Mozart concerto

Rossini
La scala di seta
Andatino e Allegro

Schubert
Sinfonía No. 9
Andante com moto: Do princípio até letra A (From the beginning to letter A)

Mendelssohn
Sinfonia Nº 3 (Symphony No. 3)
1º andamento (1st movement):Andante com moto até (until) Allegro
Letra B até C (Letter B to C)
2º andamento (2nd movement): Da letra A até ao fim (From letter A to the end)

Bizet
Sinfonia em Dó maior (Symphony in C major)
2º andamento (2nd movement): Do nº 7 ao fim (From No. 7 to the end)

Brahms
Concerto para Violino (Violin Concerto)
2º andamento (2nd movement): Solo

Mahler
Sinfonia nº 3 (Symphony No. 3)
2º andamento (2nd movement): Página inteira anexa (Whole page included)

Ravel
Le Tombeau de Couperin
Prélude

Strauss
Don Juan
Do princípio até letra B (From the beginning until B)


Corne inglês (English horn):

Rossini
Guillaume Tell
Solo

Ravel
Concerto

Informações adicionais / Further details:
A Orquestra do Algarve está localizada em Faro, no Sul de Portugal. Tem participado em vários Festivais Internacionais de Música e já gravou cds para a etiqueta NAXOS e MARCO POLO.

The Orquestra do Algarve is located in Faro, on the southern coast of Portugal. It has high international artistic standards, records for NAXOS and MARCO POLO and its activity includes international tours.


Início de Contrato: Novembro de 2007
Job availability: November 2007

Data limite da recepção de candidaturas: 3 de Julho
Closing date for application: 3th July

Local e data das audições: Faro, 10 de Julho de 2007, 11h00
Auditions location & dates: Faro (Portugal), 10th July 2007, 11h00am

Enviar Curriculum Vitae detalhado (gravação e/ou vídeo, se possível) para:
Highly qualified candidates should apply with detailed CV (if possible, also recording) to
Orquestra do Algarve
EN 125, Casa das Figuras – Horta das Figuras
8005-518 Faro, PORTUGAL
e-mail: producao@orquestradoalgarve.com
(Não se aceitam contactos via telefone/No phonecalls accepted)

Para mais informações sobre a actividade da Orquestra do Algarve, visite o nosso site:
Please check our website for more information:
www.orquestradoalgarve.com


Clarinete/Clarinet
Solista a e Clarinete Baixo: salário bruto € 2.250,00 (dois mil duzentos e cinquenta euros)
Soloist a and Bass clarinet: Gross monthly salary of € 2.250,00 Euros (Portuguese tax about 20% and the Social Security fee can be free for the first year)

Concerto & excertos orquestrais (Concerto & orchestral excerpts)
1st Round
1º andamento/1st movement con cadenza of a Mozart concerto

W.A. Mozart
Concerto para clarinete (Clarinet concerto)
Clarinete de Si bemol (in B flat)

L. Beethoven
Sinfonia Nº 6 (Symphony No. 6)
17 últimos compassos do 1º andamento (Last 17 bars of 1st movement)
2º andamento (2nd movement): Solo

F. Mendelssohn
Scherzo

F. Mendelssohn
Sinfonia Nº 3 (Symphony No. 3)
2º andamento (2nd movement): 2 excertos (2 excerpts)

Smetana
A Noiva vendida (The Bartered Bride)
1º clarinete (1st clarinet)

Rimsky-Korsakov
Caprice Espagnol
Alborada

2nd Round
Clarinete em Lá (in A)

F. Schubert
Sinfonia Nº 8
Andante com moto (Solo)

Dvorak
Sinfonia Nº 9 (Symphony No. 9)
4º andamento (4th movement) Solo

S. Prokofiev
Pedro e o Lobo (Peter and the Wolf)

D. Shostakovich
Sinfonia Nº 9 (Symphony No. 9)
Scherzo: 16 compassos (16 bars)


Clarinete Baixo em Si bemol (Bass clarinet in B flat)

Ravel
Daphins et Chioé
6 compassos antes da Nº 157 até ao fim (6 bars before No. 157 until the end)

J. Strauss
Till Eulenspiegel
Do Nº 31 ao 32 e do Nº 35 ao 38 (From No. 31 to 32 and from No. 35 to 38)

Schoenberg
Sinfonia de Câmara Nº 1 (Chamber Symphony No. 1)

Informações adicionais / Further details:
A Orquestra do Algarve está localizada em Faro, no Sul de Portugal. Tem participado em vários Festivais Internacionais de Música e já gravou cds para a etiqueta NAXOS e MARCO POLO.

The Orquestra do Algarve is located in Faro, on the southern coast of Portugal. It has high international artistic standards, records for NAXOS and MARCO POLO and its activity includes international tours.


Início de Contrato: Novembro de 2007
Job availability: November 2007

Data limite da recepção de candidaturas: 3 de Julho
Closing date for application: 3th July

Local e data das audições: Faro, 10 de Julho de 2007, 11h00
Auditions location & dates: Faro (Portugal), 10th July 2007, 11h00am

Enviar Curriculum Vitae detalhado (gravação e/ou vídeo, se possível) para:
Highly qualified candidates should apply with detailed CV (if possible, also recording) to
Orquestra do Algarve
EN 125, Casa das Figuras – Horta das Figuras
8005-518 Faro, PORTUGAL
e-mail: producao@orquestradoalgarve.com
(Não se aceitam contactos via telefone/No phonecalls accepted)

Para mais informações sobre a actividade da Orquestra do Algarve, visite o nosso site:
Please check our website for more information:
www.orquestradoalgarve.com

Flauta/Flute
Solista b: salário bruto € 2000 Euros (dois mil Euros)
Soloist b: Gross monthly salary of € 2000 Euros (Portuguese tax about 20% and the Social Security fee can be free for the first year)

Concerto & excertos orquestrais (Concerto & orchestral excerpts)
1st Round
1º andamento/1st movement con cadenza of a Mozart concerto

Beethoven
Leonora No. 3
Do Tempo I depois da letra D até à letra G (From Tempo I after letter D until letter G)

Sinfonia Nº3, Op. 55, Eroica (Symphony No.3, Op.55, Eroica)
4º Andamento (4th movement): Finale - Solo

Mendelssohn
Scherzo
De 2 compassos antes da letra O até ao fim (From 2 bars before letter O to the end)

Brahms
Sinfonia No. 4 (Symphony No. 4)
De 8 compassos antes do 3/2 até ao fim (From 8 bars before the 3/2 until the end)

2nd Round
Dvorak
Sinfonia No. 8 (Symphony No. 8)
4º andamento (4th movement): Da letra C até F (From letter C to F)

J.S. Bach
Matthaus Passion - Arie: Aus Liebe will mein Heiland Sterben
Compassos 1-13

Ravel
Daphnis et Chloé
Do nº 176 até ao 2º compasso de 179 (From No. 176 to the 2nd bar of 179)

Flautim (Piccolo):

Rossini
La gazza ladra
De 18 compassos depois da letra D até E (From 18 bars after D to E)

Tchaikovsky
Sinfonia No. 4 (Symphony No. 4)
Scherzo: Da letra E até ao fim (From letter E to the end)

Ravel
Concerto para (for) piano em Sol (in G)
Do princípio até ao n.º 2 (From the beginning to No. 2)

Informações adicionais / Further details:
A Orquestra do Algarve está localizada em Faro, no Sul de Portugal. Tem participado em vários Festivais Internacionais de Música e já gravou cds para a etiqueta NAXOS e MARCO POLO.

The Orquestra do Algarve is located in Faro, on the southern coast of Portugal. It has high international artistic standards, records for NAXOS and MARCO POLO and its activity includes international tours.


Início de Contrato: Novembro de 2007
Job availability: November 2007

Data limite da recepção de candidaturas: 3 de Julho
Closing date for application: 3th July

Local e data das audições: Faro, 10 de Julho de 2007, 11h00
Auditions location & dates: Faro (Portugal), 10th July 2007, 11h00am

Enviar Curriculum Vitae detalhado (gravação e/ou vídeo, se possível) para:
Highly qualified candidates should apply with detailed CV (if possible, also recording) to
Orquestra do Algarve
EN 125, Casa das Figuras – Horta das Figuras
8005-518 Faro, PORTUGAL
e-mail: producao@orquestradoalgarve.com
(Não se aceitam contactos via telefone/No phonecalls accepted)

Para mais informações sobre a actividade da Orquestra do Algarve, visite o nosso site:
Please check our website for more information:
www.orquestradoalgarve.com



Publicado por vm em 12:40 PM | Comentários (6)

O ESTADO DAS NOSSAS COISAS: O SALÃO NOBRE DA ESCOLA DE MÚSICA DO CONSERVATÓRIO NACIONAL DE LISBOA (2)

DSC00191a.jpg
São mesmo buracos. Bocados do tecto que vai caindo. Não falta muito que caiam as pinturas de Malhoa, se não se acudir a tempo.

Publicado por vm em 12:00 AM | Comentários (2)

junho 14, 2007

CONCERTO DO 10º ANIVERSÁRIO DO CORO DE CÂMARA DA UNIVERSIDADE DE LISBOA- 16 de JUNHO - IGREJA DE S. ROQUE - 21, 30 h

Com a participação da Orquestra Sinfonietta de Lisboa,
do organista David Cranmer e Solistas

16 Junho | Igreja de S. Roque | 21h30 |
Entrada Livre

O Coro de Câmara da Universidade de Lisboa celebra este ano o seu décimo aniversário. Para comemorar esta efeméride, o Coro de Câmara da Universidade de Lisboa realizará, com a Orquestra Sinfonietta de Lisboa, um concerto na Igreja de São Roque, Sábado, dia 16 de Junho, pelas 21h30, com o seguinte programa: Magnificat (Bach) e Díptico Mariano, obra especialmente composta para a ocasião por Eurico Carrapatoso. Participarão no concerto o organista David Cranmer e os solistas Sandra Medeiros, Joana Nascimento, Marco Alves dos Santos e Armando Possante. A Direcção é dos maestros José Robert e Vasco Pearce de Azevedo.

Este agrupamento é responsável pela estreia mundial de várias obras, entre as quais, a Missa Brevis em memória de Aristides de Sousa Mendes, de Sérgio Azevedo, e por inúmeras estreias nacionais. Tem-se apresentado na Aula Magna da Reitoria da Universidade de Lisboa, no Pequeno Auditório do CCB, no Grande Auditório da Culturgest, no Europarque, e noutros palcos de referência.

1ª Parte

Díptico Mariano (estreia absoluta), Eurico Carrapatoso

Coro de Câmara da Universidade de Lisboa

David Cranmer, órgão

Direcção: Maestro José Robert

2ª Parte

Magnificat, J. S. Bach
Coro de Câmara da Universidade de Lisboa
Orquestra Sinfonietta de LisboaDavid Cranmer, órgão

Sandra Medeiros, soprano
Joana Nascimento, contralto
Marco Alves dos Santos, tenor
Armando Possante, baixo


Direcção: Maestro Vasco Pearce de Azevedo


Igreja de S. Roque
Largo Trindade Coelho, Lisboa
Acessos
Autocarros da CARRIS: 58 e 100
Elevador da Glória
Estação de Metro “Baixa-Chiado”, saída para o Largo do Chiado


Mais informações
João Robert, tlm.: +351 934 581 195
Patrícia Sá, tlm.: +351 969 146 273


Publicado por vm em 07:56 PM | Comentários (0)

O ESTADO DAS NOSSAS COISAS: O SALÃO NOBRE DA ESCOLA DE MÚSICA DO CONSERVATÓRIO NACIONAL DE LISBOA (1)

balcao salao.jpg
GUILHERMINA SUGGIA tocou pela primeira vez em Lisboa, aqui neste salão, em 25 de Março de 1901 (faria 16 anos no dia 27 de Junho desse ano), integrando o Quarteto Moreira de Sá.
Este salão é umas das maravilhas que temos. Corre o risco de se perder para sempre. É preciso que não permitamos que isso aconteça.Tem provavelmente a melhor acústica de todas as salas de Lisboa, onde se pode fazer música de câmara. Os seus tectos foram pintados por José Malhoa em 1881.Desde as primeiras décadas do século passado que não tem quaisquer obras de beneficiação. As paredes estão todas rachadas. O tecto também. Estas barras metálicas que se encontram do lado direito na vertical não estavam no projecto inicial: são escoras que evitam que o balcão, que não pode há muitos anos ser utilizado, caia. Há buracos no tecto. Há cadeiras que não podem servir para que alguém se sente nelas. Isto é um exemplo vergonhoso da falta de cuidado que temos com aquilo que é nosso. Há anos que se reclamam obras a fim de se evitar a destruição deste SALÃO que faz parte do ESCOLA DE MÚSICA DO CONSERVATÓRIO NACIONAL DE LISBOA mas os responsáveis teimam em fazer ouvidos de mouco, como é hábito nestas coisas de Música, Teatro e coisas afins. Todos somos responsáveis pelo zelo e defesa dos nossos bens e valores. Ficarmos indiferentes perante a atrocidade de vermos destruir o nosso património é sermos coniventes com aqueles que aceitaram ser responsáveis pela sua defesa e manutenção.
Dado o péssimo estado do Salão e o valor que entendemos que ele tem, iremos mostrar várias fotografias que darão uma ideia, muito beneficiada - digamos -, do mau estado dele. Se não lhe acudirmos a tempo não valerá a pena lamentações depois dele cair.
Certamente que nem o senhor Primeiro Ministro, nem a senhora Ministra da Educação (que tutela o Conservatório), nem os 12 candidatos a Presidente da Câmara de Lisboa, lêem este blogue - terão certamente coisas mais importants que fazer e em que ocupar o seu precioso tempo - mas sabem decerto o estado em que ele está. Salvem-no. Não permitem que daqui a uns anos no seu lugar apareça, talvez, um condomínio de luxo (o exemplo está ao lado) nem um centro comercial.
Evitemos a derrocada do Salão Nobre do Conservatório. Tenhamos consciência, civismo e vergonha!

Publicado por vm em 12:09 AM | Comentários (3)

junho 13, 2007

CONCERTOS DE MÚSICA na " LER DEVAGAR" - CICLO OUVIR DEVAGAR- SOLISTAS DA ORQUESTRA METROPOLITANA

A livraria Ler Devagar vai iniciar um ciclo de música clássica com os solistas da Orquestra Metropolitana de Lisboa. Este ciclo terá inicio no mês de Junho, com dois concertos.
A entrada é livre.

PROGRAMA

sex 15 Jun 21h30

QUARTETO
Janete Santos, flauta
Adrian Florescu, violino
Gerardo Gramajo, violoncelo
Ana Cláudia Serrão, violoncelo

W. A MOZART :
– Quarteto em Sol maior, KV 285a.
– Quarteto em Ré maior, Kv 285
– Quarteto em Dó maior Kv 285b


qui 21 Jun 21h30

TRIO
Ágnes Flanagan, violino
Irma Skenderi, viola
Peter Flanagan, violoncelo

BEETHOVEN – Serenade, op. 8

Publicado por vm em 06:43 PM | Comentários (0)

CASA-MUSEU TEIXEIRA LOPES - ESCULPINDO A MÚSICA. 6ª-feira, 15/Junho/2007

Casa museu T Lopes.jpg

Publicado por vm em 03:16 AM | Comentários (0)

junho 12, 2007

CURSO DE DIRECÇÃO CORAL E CANTO - 25 de JULHO a 4 de AGOSTO - ESPOSENDE

c art esposende

Publicado por vm em 12:00 AM | Comentários (3)

junho 11, 2007

O ESTADO DAS NOSSAS COISAS: METRO- ESTAÇÃO DE COLÉGIO MILITAR/LUZ- LISBOA - PORTUGAL

o estado das nossas coisas 058a.jpg
Estamos em Portugal. Pois claro!
Os azulejos de Manuel Cargaleiro que revestem a estação do metro de "Colégio Militar/Luz" começaram a cair. E bem à maneira portuguesa corremos a reparar o mal. Não caissem todos eles. Ai Portugal, Portugal!

Publicado por vm em 12:12 AM | Comentários (0)

junho 10, 2007

ESTÁTUA DE GUILHERMINA SUGGIA DA AUTORIA DA ESCULTORA IRENE VILAR

guilhermina suggia- i vilar a.jpg
ESta estátua foi oferecida à Cidade do Porto pela Fundação Engº António de Almeida..
Hoje está num sítio fora dos olhares daqueles que têm todo o direito de a admirar.
É urgente pensar na sua mudança. É preciso que se estude e se encontre um sítio mais digno. Quem sabe junto à Casa da Música!

Fotografia cedida gentilmente pelo blogue FELIZMENTE HÁ LUAR

Publicado por vm em 02:32 AM | Comentários (1)

junho 09, 2007

MARIA JOÃO PIRES VENCE PRÉMIO EDUARDO LOURENÇO 2007

m joao pires.jpg
A pianista Maria João Pires é a vencedora da terceira edição do Prémio Eduardo Lourenço, no valor de 10 mil euros, atribuído pelo Centro de Estudos Ibéricos (CEI), sedeado na Guarda.
A decisão foi anunciada esta sexta-feira por António Avelãs Nunes, vice-reitor da Universidade de Coimbra, no final de uma reunião do júri realizada na Câmara Municipal da Guarda.


O prémio, que tem o nome do ensaísta Eduardo Lourenço - mentor e presidente honorário do CEI - destina-se a distinguir personalidades ou instituições de língua portuguesa ou espanhola «que tenham sido protagonistas de uma intervenção relevante e inovadora no âmbito da cooperação e no domínio das identidades, das culturas e das comunidades ibéricas».

António Avelãs Nunes anunciou que o júri atribuiu a distinção a Maria João Pires, por unanimidade, «pela personalidade de humanista que a pianista tem sabido imprimir à sua obra», contribuindo para «a difusão da cultura musical».

Considerou a pianista como uma «grande personalidade da cultura ibérica e mundial», e referiu que Maria João Pires teve «a preocupação em inserir nesta zona raiana uma das apostas fortes da vida dela», referindo-se ao Centro para o Estudo das Artes de Belgais (Castelo Branco), projecto fundado pela pianista.

«Uma das meninas dos olhos dela é a obra que tem desenvolvido a partir de Belgais, que enquadra todas as populações raianas, aproximando todos os povos», disse à Agência Lusa.

«É uma grande personalidade da cultura mundial que tem tido particular preocupação de desenvolvimento no âmbito da cultura ibérica, com grandes concertos em todo o espaço ibérico e preocupações educativas a que tem dado grande atenção», frisou o vice-reitor.

Assinalou que o CEI «sente-se honrado» com a candidatura vencedora que foi apresentada pela Universidade de Coimbra.

Nascida a 23 de Julho de 1944, em Lisboa, Maria João Pires deu o seu primeiro recital aos cinco anos, mas o seu talento só foi reconhecido internacionalmente em 1970, quando venceu o Concurso Internacional do Bicentenário de Beethoven, em Bruxelas.

Interpretando obras de Bach, Beethoven, Schumann, Schubert, Mozart, Brahms e Chopin viajou por todo o mundo, tornando-se uma presença regular em salas de concerto da Europa, Canadá, Japão, Israel e nos Estados Unidos.

Em 1989 recebeu o Prémio Pessoa e, em 1999, fundou o Centro para o Estudo das Artes, em Belgais.

Além dos reitores das Universidades de Coimbra e Salamanca, integraram o júri José Manuel Mendes (presidente da Associação Portuguesa de Escritores), Teresa Patrício Gouveia (Fundação Calouste Gulbenkian), José Luís Puerto (poeta e tradutor de Miguel Torga) e António Colinas (vencedor do Prémio Nacional de Poesia de Espanha).

A sessão solene de entrega do prémio hoje atribuído terá lugar a 6 de Julho, na Guarda.

As duas anteriores edições do prémio Eduardo Lourenço contemplaram Maria Helena da Rocha Pereira, catedrática jubilada da Universidade de Coimbra na área da Cultura Greco-Latina e o jornalista espanhol Agustín Remesal, antigo correspondente da TVE em Lisboa.

O CEI é uma associação transfronteiriça sem fins lucrativos que nasceu de uma ideia do ensaísta Eduardo Lourenço lançada na sessão comemorativa do 8º Centenário do Foral da Guarda em 1999.

Foi criado em 2000 pela Câmara Municipal da Guarda e pelas Universidades de Coimbra e de Salamanca (Espanha), integrando mais tarde o Instituto Politécnico da Guarda.

Diário Digital / Lusa






Publicado por vm em 10:59 AM | Comentários (1)

HOMENAGEM EM MADRID A EUGÉNIO DE ANDRADE

eug and.bmp
A relação de Eugénio de Andrade com a Espanha e a poesia espanhola é o tema da homenagem ao poeta que se realiza domingo e segunda-feira no Ateneo de Madrid, anunciou hoje, no Porto, fonte da Fundação Eugénio de Andrade

Na sessão inaugural, presidida pelo embaixador de Portugal em Espanha, José de Moraes Cabral, usarão da palavra o secretário do Ateneo, Alejandro Sanz, o poeta e tradutor Jesus Munárriz, o presidente da Fundação Eugénio de Andrade, Arnaldo Saraiva, e o presidente do BPI, Artur Santos Silva, empresa que patrocina a iniciativa.

Na homenagem, que assinala o segundo ano da morte do poeta nascido no Fundão mas que viveu quase toda sua vida no Porto, participam críticos e tradutores da sua obra.

Está ainda previsto um recital de poemas a cargo de Elisabet Gelabert e de Jorge Silva Melo.

O programa prevê ainda a projecção de um documentário sobre a vida e obra de Eugénio de Andrade e uma exposição biobibliográfica.

Lusa/SOL

Publicado por vm em 12:00 AM | Comentários (0)

junho 08, 2007

O ESTADO DAS NOSSAS COISAS: PALÁCIO DA RIBEIRA GRANDE - RUA DA JUNQUEIRA

o estado das nossas coisas 002a.jpg
Rua da Junqueira, 62 a 78
Lisboa, Alcântara
Em Vias de Classificação (com Despacho de Abertura)
Desp. de 28-06-1991

Profundamente alterado no século XX para albergar a Escola Secundária Rainha D. Amélia, o Palácio da Ribeira Grande foi construído nos primeiros anos do século XVIII pelos marqueses de Nisa.
Apesar das modificações por que passou, são ainda muitos os elementos originais do antigo palácio, como a fachada monumental de dois pisos, ordenada a partir do portão central, os jardins (parcialmente conservados) e a capela de Nossa Senhora do Carmo, com a sua fachada principal tripartida, nave praticamente quadrada e retábulo-mor da autoria de Máximo Paulino dos Reis.
No palácio Ribeira habitou e morreu o dramaturgo D. João da Câmara.

Publicado por vm em 12:15 AM | Comentários (45)

junho 07, 2007

JOÃO PEDRO OLIVEIRA LAUREADO COM o 1º PRÉMIO NO "34.e CONCOURS DE BOURGES

CD_MusicaPortuguesa.jpg
O Trio Mediterrain tem o prazer de anunciar que o compositor português João Pedro Oliveira acaba de ser laureado com o 1º Prémio no "34e Concours Internationaux de Musique et d’Art Sonore Electroacoustiques de Bourges" na categoria de música instrumental e electrónica. A obra que mereceu esta distinção foi "BEYOND" (Clarinete, Violoncelo, Piano e Electrónica), uma obra encomendada pelo Trio Mediterrain ao compositor em 2006 e que o grupo incluíu no CD "Música Contemporânea Portuguesa", um trabalho publicado igualmente em 2006 pelo selo discográfico austríaco "CCR".

João Pedro Oliveira é um dos compositores portugueses mais prestigiados e reconhecidos no
estrangeiro e este prémio confirma mais uma vez a qualidade do trabalho deste jovem
compositor, especialmente pelo facto de este ser um dos concursos mais importantes do
mundo no que diz respeito à música electrónica erudita.


Mais informações sobre o compositor:
"http://www.mic.pt/ingl/presentation.html?/cimcp/dispatcher?where=0&what=2&show=0&pessoa_id=133";

Mais informações sobre o concurso:
"www.imeb.net"

Mais informações sobre o Trio Mediterrain

Publicado por vm em 12:00 AM | Comentários (0)

junho 06, 2007

OLIVER GLEDHILL - LONDON GUILHERMINA SUGGIA GIFT

gledhilo.jpg
Oliver Gledhill was born in 1966, a descendent of the famous Spivakowsky family of musicians. His distinguished academic education was marked by a Scholarship to University College School, and reading Classics at Gonville and Caius College, Cambridge. He is now a member of MENSA.
A Scholar at the Guildhall School of Music, he won the Guildhall's Concerto Prize, the Suggia Gift twice, and First Prize in the 1989 ISTEL/Redditch Music Society Young Musicians Awards Strings Competition.
He studied with William Pleeth, Edmund Kurtz, André Navarra, Paul Tortelier and Janos Starker.
He has given highly acclaimed performances at the Wigmore Hall, Purcell Room (in the Kirckman Concert Society Series), St. Johns, Smith Square, Fairfield Halls, Croydon and, in January 1997, in the Conway Hall Series where he gave a recital with the pianist Boris Berezovsky.
Festival appearances in England include Norfolk and Norwich, Cambridge and Devizes, in Italy he has appeared at the Festival Pontino and in the Czech Republic at the Humana Festival.
In April 1997 he gave three recitals in Mallorca.
He broadcasts regularly on Classic FM, and has recorded his first CD Cello Serenade for Rhinosaurus Records.

Publicado por vm em 01:18 AM | Comentários (0)

junho 05, 2007

JACINTO LUCAS PIRES NA FEIRA DO LIVRO - 6 de Junho - 18 horas

JacintoLucasPires2.jpg
STAND 122/126
LIVROS COTOVIA

Publicado por vm em 10:09 AM | Comentários (0)

ESCULPINDO A MÚSICA -GUILHERMINA SUGGIA- Encontros com a ARTE - CASA-MUSEU TEIXEIRA LOPES - 15 de Junho - 21,30h

Esculpindo a musica com.jpg

Publicado por vm em 12:00 AM | Comentários (0)

junho 04, 2007

O ESTADO DAS NOSSAS COISAS: "O TEATRO TÁLIA" (TEATRO DAS LARANJEIRAS)

fotos teatro talia 1.jpg
EDIFÍCIO CLASSIFICADO DE INTERESSE PÚBLICO DESDE 1974 (Dec nº 735/74 DG 297 dd 21/12/1974

A par do palácio, que ficou memorável na história elegante dos meados do século XIX, ergue-se, num dos lados do grande pátio quadrilátero, o famoso Teatro, que data de 1820. Rudimentar na sua primeira fase, foi reedificado e iluminado a gás em 1842, o que constituiu uma grande inovação para a época e na capital.

Aqui se estreou «Frei Luís de Sousa» de Almeida Garrett e subiram à cena 18 óperas entre 1834 e 1853. Óperas dos mais afamados compositores, tais como os maestros Jordani, António de Coppola e Ângelo Frondoni, que vieram para Lisboa quando Farrobo era empresário do Teatro S. Carlos. Do último, que foi professor no Conservatório, chegou até nós o hino da «Maria da Fonte», que várias contrariedades lhe causou.

A morte da rainha D.Maria II, que frequentava com regularidade a casa do conde, veio interromper, por algum tempo, a vida social e artística do Palácio.

Em 1856 ainda foi reaberto o Teatro, com ópera italiana e comédias em português e francês. No entanto, a 9 de Setembro de 1862, um incêndio casual, motivado por descuido de uns operários, consumiu totalmente este pequeno templo de arte. A sua reconstrução já não se fez, pois a fortuna do conde de Farrobo começava a dissipar-se.

Exterior

Guarnece-lhe a fachada principal um elegante e espaçoso peristilo sustentado por quatro colunas de mármore branco, de ordem toscana. Prolongam-se os plintos por quatro pedestais, que avançam do peristilo e sobre os quais descansam outras tantas esfinges, figuras fabulosas com rostos e bustos de mulheres e corpos de leões, deitados e apoiados sobre as patas.

À frente, e em plano inferior, um estreito canteiro corre a toda a largura do perístilo, para o qual, à direita, quatro degraus dão acesso, enquanto a esquerda se nivela com o pátio. Remata o frontão triangular de tímpano liso, a estátua de Érato, musa que preside à poesia lírica, esbelta e bem modelada, lira segura na mão esquerda e apoiada na coxa do mesmo lado. Sobre os acrotérios situam-se duas urnas delicadamente esculpidas. Sob o tímpano ostentou em tempos a frase latina: «Hic mores hominum castigantur» («Aqui serão castigados os costumes dos homens»); expressão alusiva ao teatro satírico, de que já não apresenta qualquer vestígio.

Interior

O Teatro das Laranjeiras comportava 560 espectadores, possuía luxuosos camarins e um opulento salão de baile, de paredes revestidas com valiosos espelhos de Veneza.

Nestes reflectiam-se as luzes de numerosos e ricos lustres, que produziam efeitos deslumbrantes.


CONDE DE FARROBO (1801-1869)
Joaquim Pedro Quintela, 2º Barão de Quintela e 1º Conde de Farrobo, nasceu em Lisboa, no palácio de sua família, na Rua do Alecrim, a 11 de Dezembro de 1801, onde veio a falecer, a 24 de Setembro de 1869. Seus ascendentes eram das nobres e ilustres famílias dos Pereiras e dos Rebelos, fidalgos de linhagem. Seus pais foram o 1º Barão de Quintela e D. Maria Joaquina Xavier de Saldanha.

Era um entusiasta da monarquia constitucional e da causa de D.Maria II que muito lhe deveu, principalmente em auxílio monetário. A proclamação do regime absolutista em 1828 deu-lhe um grande desgosto.


HISTÓRIA DO PALÁCIO DAS LARANJEIRAS

O palácio Farrobo, mais conhecido por palácio das Laranjeiras, está edificado na Quinta com o mesmo nome, onde se instalou, em 1905, o Jardim Zoológico. É uma construção seiscentista, restaurada e embelezada na primeira metade do século XIX.
Denominada inicialmente Quinta de Santo António, pertencia no final do século XVII a Manuel da Silva Colaço, passando para a posse de Luís Garcia Bívar, em 1760 e, posteriormente, para Fransisco Azevedo Coutinho. Foi a este último que a adquiriu o Desembargador Luís Rebelo Quintela em 1779, por 24 contos, herdando-a em 1802, seu sobrinho Joaquim Pedro Quintela, feito 1º Barão de Quintela, quatro anos mais tarde. Porém, a edificação do palácio, em substituição das decrépitas casas existentes até então, esteve a cargo do Padre Bartolomeu Quintela, tio do 1º Barão. Deste modo, o palácio e quinta foram reconstruídos segundo a traça do Congregado do Oratório. Contudo, foi o 2º Barão de Quintela, 1º conde de Farrobo -o qual muito novo entrara na posse da enorme fortuna de seu pai e na administração do morgado de Farrobo- quem promoveu, no palácio das Laranjeiras, os melhoramentos e embelezamentos que pelo fausto e bom gosto, deram brado em Lisboa, durante a primeira metade do século XIX.

Já no último quartel do século XIX o palácio, cujo brilho iluminara a época e deslumbrara os contemporâneos, foi a leilão. A morte poupou, no entanto a Farrobo aquela afronta. Adquiriu-a então, em 1874, um fidalgo espanhol, duque de Abrantes e Liñares, que o mandou novamente restaurar. Mas a 11 de Abril de 1877 foi comprado pelo comendador José Pereira Soares, que adquiriu também as Quintas contíguas das Águas Boas e dos Barbacenas.

Em 1903, foi a vez do conde de Burnay comprar o conjunto das quintas e do palácio cedendo, em 1905, os jardins da primitiva Quinta das Laranjeiras e Águas Boas ao Jardim Zoológico que, até então, ocupava um local no Parque da Palhavã.

Os restantes espaços ficaram na posse da sua família até 1940, ano em que, para efeito de partilhas se procedeu à venda dos mesmos, tendo o palácio das Laranjeiras sido adquirido pelo Ministério das Colónias, para aí instalar o museu da Marinha. Desde então vários ministérios tiveram sede nas Laranjeiras sendo que, desde Abril de 2002, com a tomada de posse do XV Governo Constitucional, se instalou o Ministério da Ciência e do Ensino Superior, actualmente Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (XVII Governo Constitucional).

ESTÉTICA DO PALÁCIO

Exteriores

Fachada Nascente

A fachada principal, virada a Nascente, cai sobre a Estrada das Laranjeiras e é constituída por um corpo único, com duas portas de serviço e quatro janelas no andar inferior. No andar superior distribuem-se onze janelas de varanda, sendo a do centro mais larga e guarnecida superiormente. Na sequência desta fachada, para Norte, abre-se o grande portal em ferro do antigo pátio nobre, emoldurado por pilastras coroadas de vasos decorativos, ao centro de uma cortina gradeada por varões.

Fachada Poente

A fachada poente, que cai sobre os jardins, é constituída por três corpos simétricos, mas de desigual alinhamento, o que lhe dá um aspecto curioso e decorativo.

O corpo central é guarnecido de terraço com balaustrada. Deste avança, entre corpos laterais com três portas-janelas cada um, um novo corpo central em três faces, em que em cada uma se rasgam, novamente, portas-janelas, mas estas guarnecidas e rematadas em arco e que correspondem ao Salão Nobre.
Jardins

Os jardins foram reconstruídos entre 1942-48 ao gosto francês. Estão destacados do Jardim Zoológico, antiga Quinta das Laranjeiras, por uma decorativa teia de balaustrada.
Quinta

Na Quinta das Laranjeiras, a que corresponde hoje o Jardim Zoológico, eleva-se, na alameda principal, um obelisco em mármore, com legendas latinas, que atestam uma visita régia à propriedade do conde de Farrobo.
Interiores

No palácio Farrobo trabalharam artistas importantes como Cinatti e Hilbradt, arquitectos e decoradores de renome, assim como António Manuel da Fonseca, professor de pintura, João Paulo da Silva e Félix Salla, ornamentistas de estuque.

A partir de 1944 o interior do palácio começou a ser restaurado, com as obras orientadas pela Direcção-Geral dos Edifícios e Monumentos Nacionais e custeado pelo Ministério das Colónias.

Das várias salas e dependências merecem destaque:

Átrio

O átrio, cujo acesso se faz pela porta principal, com tecto de estuque em relevos, envolvendo uma pintura central, em oval, de significado alegórico, e com silhares de azulejos de grinalda.

A escadaria, à esquerda do átrio, abrindo de um arco de volta abatida, com dois lanços pobres, terminando numa Galeria guarnecida de cortina, cuja cobertura tem no centro, em tela a óleo, restaurada no final do século passado, uma alegoria representando «O Amor e Psiché».

Salas

Quase todas as salas apresentam pinturas a óleo no tecto, nas paredes e nas sancas, algumas delas de António Manuel da Fonseca e outras de pintores estrangeiros. Predominam também os estuques de relevo ao gosto italiano.

Sala de Jantar

A antiga sala de jantar apresenta uma pintura alegórica no tecto, representando a «Abundância e a Flora».

Sala de Baile

Esta sala está decorada nas paredes com cinco grandes pinturas de paisagens e quatro medalhões nos ângulos de sanca, alegóricos às artes, dança, música, teatro, entre outras.

Salão

O grande salão, com tecto de maceira elevado, revestido de ornamentos de estuque, tem doze medalhões que circundam a sanca e, no centro do tecto, uma grande pintura alegórica.

As outras salas ou câmaras apresentam aproximadamente as mesmas características, ou sejam, estuques em relevo e pinturas centrais nos tectos, sempre de sentido alegórico, tais como a «Mulher dormindo embalada pelo amor» e o «Enlevamento do Amor», esta no antigo quarto do conde de Farrobo.

Em várias dependências do pavimento inferior encontram-se alguns milhares de azulejos setecentistas.

Ministério da ciência e do ensino superior

Publicado por vm em 12:00 AM | Comentários (3)

junho 03, 2007

TEATRO DA CORNUCÓPIA - "A GAIVOTA" de ANTON TCHEKOV ATÉ 24 de JUNHO

a gaivota.jpg

Publicado por vm em 12:00 AM | Comentários (0)

junho 02, 2007

OLGA PRATS UM PIANO SINGULAR - Conversas com SÉRGIO AZEVEDO - LANÇAMENTO 5 de Junho - 18,30h - PALÁCIO DA INDEPENDÊNCIA

Lancamento 5-6-2007.jpg

Publicado por vm em 12:00 AM | Comentários (0)

junho 01, 2007

CASA DA MÚSICA - SALA SUGGIA - 01 de Junho

casa musica a.jpg

Publicado por vm em 08:29 AM | Comentários (0)

OPERA. --Le chanteur franco-portugais Jorge Chaminé est à Bayonne et à Bordeaux pour deux concerts à la mémoire d'Aristides de Sousa Mendes, le « Juste de Bordeaux et de la Côte basque

J chamine.jpg
Le baryton et le consul
:Christophe Lucet

« Aristides de Sousa Mendes m'habite depuis longtemps : il incarne cette action nécessaire que chacun peut mener en suivant sa conscience pour finir par se trouver soi-même. » Jorge Chaminé n'était pas né quand mourut dans l'oubli total l'ancien consul général du Portugal à Bordeaux, auquel des dizaines de milliers de juifs, de Tsiganes et de réprouvés de tous les pays doivent d'avoir échappé à la botte nazie en juin 1940.
Mais ce chanteur aujourd'hui célèbre n'en finit pas de méditer sur l'héroïsme d'un compatriote qui, au mépris de sa carrière, fut capable de braver les ordres du dictateur Salazar et d'accomplir, en quelques jours brûlants, la plus grande action individuelle de sauvetage de la Seconde Guerre mondiale. « Je le vois distribuant les visas à tour de bras, je pense à sa femme cuisant de la soupe pour tous ceux qui passaient au consulat, à ses 13 enfants tombés dans la misère, à sa dépouille mortelle enveloppée d'une simple robe de bure franciscaine. »


Chanter un jour en mémoire de ce « Juste parmi les Justes » était un rêve pour Jorge Chaminé. Collégien en 1970, il y songeait quand, militant de 14 ans, il fut arrêté par la police du vieux dictateur dont le régime vacillait. Enfant de la révolution des oeillets, déjà chanteur, acteur et violoncelliste, le garçon y pense encore quand il part, en 1978, conquérir Paris, dans le bus qui conduit en France les travailleurs immigrés de son Porto natal.

En huit langues. Mais ce n'est qu'en 2005, à l'Unesco, que Chaminé, devenu entre-temps un des barytons d'opéra les plus en vue de la scène internationale et l'époux de la pianiste française Marie-Françoise Bucquet, a rendu le tribut tant désiré à Sousa Mendes. Deux concerts au cours desquels cet artiste polyglotte à la voix puissante et suave, disciple de Lola Rodriguez de Aragon, Hans Hotter et Teresa Berganza, a réuni les musiques du monde en un bouquet de huit langues.
Des racines portugaises à la musique arabo-andalouse, des chants juifs séfarades à la musique tsigane, l'artiste avait dédié à Sousa Mendes un échantillon de cette « Arche de Noé » que l'héroïque consul avait improvisée en juin 1940 au bord de la Garonne. « Parmi tous ceux qu'il a sauvés figuraient des musiciens peu connus comme Korngold, et cela me touche infiniment », lâche Chaminé, qui consacre beaucoup d'énergie à promouvoir de jeunes musiciens et à animer des « master classes » que fréquentent des centaines de futurs artistes.
Artiste citoyen, maniant à la charnière des cultures l'universel langage de la musique, ce coeur généreux s'est porté aux avant-postes de la cause de la paix. Réunir des musiciens israéliens et palestiniens, et défendre le patrimoine musical moyen-oriental est un des engagements de cet « ambassadeur de bonne volonté » de l'organisation Music in The Middle East. Et l'Unesco lui a déjà décerné la médaille des droits de l'homme, en hommage aux concerts donnés et actions caritatives menées des favelas de Rio et de Bogota aux hôpitaux de Rangoun au profit de l'enfance abandonnée et souffrante.

Don de soi. C'est ce chanteur accompli musicalement et humainement que les Aquitains vont découvrir ou retrouver à Bayonne et Bordeaux. Avec deux guitaristes (Benoît Maurel et l'Espagnol Daniel Diaz), un bandonéoniste (Olivier Manoury) et un percussionniste (l'Argentin Javier Estrella), il a conçu « une invitation au voyage du Tage au Jourdain, du Guadalquivir au Rio de la Plata ». Aussi convaincant quand il fredonne le tango, les mélodies brésiliennes de Vinicius de Moraes (1) ou les fados de son pays que le grand répertoire classique, Jorge Chaminé est au sommet de son art.
Mais cette excellence n'a de sens pour lui « que si le public la partage ». Et le chanteur ne cache pas son inquiétude devant la tendance de certains artistes à oublier le service de la musique : « On donne moins. » Et c'est bien là que l'exemple d'Aristides de Sousa Mendes resurgit comme exigence du don de soi.
(1) Le label Alma Latina a publié en 2005 « Jorge Chaminé chante Vinicius » (volume 1).


Publicado por vm em 12:09 AM | Comentários (0)