junho 25, 2005

QUESTIONÁRIO

O convite do desNORTE, deixou-me completamente desNORTEado.
Chegado a casa depois dum concerto só tive tempo de pôr o despertador para as 6 horas.

1 - Tamanho total dos arquivos de música no meu computador
Não imagino sequer. Sou um bocado avesso ao controlo dessas coisas. Vou usando e andando. Quase tudo o que faço no computador está relacionado com a música, directa ou indirectamente. Andava a fazer uma base de dados da minha discografia. Comecei pelo violoncelo por uma questão de gosto. Quando cheguei quase às 6.000 entradas e sem saber porquê, o disco rígido estoirou e pedi tudo o que tinha nele. Foi a 2 lados para ser recuperado. Não conseguiram. Fiquei sem vontade de me meter noutra.

2 - Último disco que comprei
3:
TATJANA VASSILIEVA(ACCORD 476719-1) obras para violoncelo solo de Kodaly, Ysaye, Tcherepnin e Cassado;

NATALYA SHAKOVSKAYA (Miro Galerie CQ 0067-2 031) concerto para violoncelo e orquestra de Dvorak

PIOTR ANDERSZEWSKI (Virgin Classics 5477302) obras para piano de Karol Szimanovski.


3 - Canção que estou a escutar agora
A pergunta pressupõe que eu tenha que estar sempre a escutar uma canção.Tenho pavor à música a metro que tenho que ouvir nas estações do metro, enquanto espero nas chamadas telefónicas, etc, etc. Cada vez gosto mais de silêncio.

Música:oiço dentro o que vejo fora
Vejo dentro o que oiço fora,
Sou uma arquitectura de sons instantâneos
Sobre um espaço que se desintegra.
A música inventa o silêncio,
A arquitectura inventa o espaço
Fábricas de ar.
O silêncio é o espaço da música:
Um espaço sem dimensão:
Não há silêncio salvo na mente.
O silêncio é uma ideia,
A ideia fixa da música.
A música não é uma ideia:
É movimento, sons caminhando sobre o silêncio
Silêncio é música
Música não é silêncio.
(Octávio Paz)

4 - Cinco canções que ouço frequentemente ou que têm algum significado para mim
As 4 últimas canções de Richard Strauss e a Canção de Rusalka à lua, da “RUSALKA” de Dvorak

5 - Lanço o testemunho a outros três bloggers
Cá vão eles:
TONALATONAL do Sérgio de Azevedo
ABRUPTO de José Pacheco Pereira e
A NOVA MÚSICA ANTIGA de Manuel Morais

Publicado por vm em junho 25, 2005 05:36 PM
Comentários

Parabéns, meu caro Virgílio Marques!
Gostei da sobriedade e do equilíbrio destas respostas discretas.
Nota-se que a paixão pelo som do violoncelo sempre o acompanha; e parece-me até que já está a contagiar-me ... sobretudo quando admiro a vivacidade com que a nossa Guilhermina Suggia sabia fazer cantar aquele magestoso instrumento.

Ana Maria

Afixado por: Ana Maria Costa em junho 27, 2005 11:18 AM