setembro 27, 2004

QUEM FOI, AFINAL, GUILHERMINA SUGGIA?

placa T Politeama.jpg

Sei que não existem nas lojas de discos, em Portugal, gravações de Suggia. Mas nunca perco a oportunidade para falar desta mulher por quem tenho a maior das admirações. Entrei numa pequena discoteca muito reputada dirigi-me à senhora que, de voz muito enfatuada, depois de eu perguntar se tinha alguma gravação de Guilhermina Suggia me respondeu: " Não. Não tenho nada". A empregada que estava na outra ponta do balcão - talvez a 2 metros de distância, chegou-se à senhora da voz enfatuada e perguntou de quem estava eu à procura. Ela respondeu: Guilhermina Suggia. E a empregada perguntou:"Quem era? Cantora?". E a senhora de voz mais enfatuada e com o ar de quem tinha grande conhecimento de quem falava, responde:" Não. Era pianista!".

Este é um dos episódios que tive sobre Guilhermina Suggia. Outros já aqui contei.

Este texto que aqui aparece em fotografia, é um excerto dum livrinho editado pela Câmara Municipal de Lisboa, escrito por Lauro António (pessoa que está muito acima da média dos portugueses, em termos culturais, digo eu.) sobre o Teatro Politeama.
Infelizmente, mesmo sabendo quem foi Guilhermina Suggia, poucas pessoas sabem quão importante ela foi no seu tempo e na sua arte

Publicado por vm em setembro 27, 2004 10:05 AM
Comentários