« Recurso do processo dos detidos no despejo da es.col.a da Fontinha | Entrada | Mouraria »

junho 07, 2012

Movimento Sem Emprego - Manifestação dia 30

mse.jpg

Pelo direito ao trabalho e por políticas de pleno emprego!

Cavaco Silva disse, há pouco tempo, que 10.000 euros por mês não lhe chegavam para as despesas. Miguel Relvas e Passos Coelho já afirmaram em público que os jovens só terão melhoria na sua vida se emigrarem, e in...sultaram os que ainda não o fizeram dizendo que «não querem sair da sua zona de conforto». Agora, Passos Coelho diz que «o desemprego é uma oportunidade para mudar de vida» e que não se deve «estigmatizar» um despedimento.

É notório o desrespeito dos membros do Governo, dos deputados da maioria, e do Presidente da República, em relação aos trabalhadores desempregados. Desrespeito que já vem de longe entre os partidos que nos governam: não esquecemos que José Sócrates assinou um memorando com a troika onde está escrito, preto no branco, que é preciso reduzir de 24 para 18 meses o tempo do subsídio de desemprego porque «a actual duração do subsídio não estimula a procura de trabalho»!

Os desempregados não são calaceiros. São as vítimas da política de PS, PSD e CDS, de há muitos anos, de destruição da economia nacional, destruição da protecção laboral, venda ao desbarato de empresas públicas, permissividade total aos negócios mais mirabolantes no sector privado - com o seu cortejo de falências, deslocalizações, despedimentos colectivos, «lay-offs» -, ausência absoluta de um modelo económico que não assente em trabalho barato e sem qualificações. Se há desemprego não é por culpa da falta de empreendedorismo, de proactividade, de dinâmica e espírito de iniciativa dos desempregados: é porque há a decisão política de não investir na economia. A decisão política de não qualificar os trabalhadores. A decisão política de não negociar em favor de Portugal junto da UE. A decisão política de prejudicar os trabalhadores e beneficiar o capital.

Porque rejeitam todas estas decisões políticas, e sobretudo porque sentem vivo repúdio por quem lhes destruiu o emprego e ainda os culpa por isso, os desempregados vão sair à rua em todo o país, convidando a juntar-se-lhes todos os partidos políticos, todos os sindicatos, todas as associações, todos os movimentos sociais, todos os colectivos, e todos aqueles que rejeitem esta política de insulto a quem não trabalha por decisão política dos partidos ao serviço do capital.

O desemprego não é uma oportunidade: o desemprego é uma catástrofe nacional, cujos culpados não são os desempregados, nem os imigrantes, nem as conjunturas, nem as inevitabilidades: os culpados são os partidos cujas políticas criaram, maciçamente, o desemprego, e que têm ainda a suprema desfaçatez de atirarem a culpa para o agredido por eles!

Publicado por [POKE] às junho 7, 2012 03:50 AM

Comentários

Se ainda fosse pela abolição do trabalho

Publicado por [Anónimo] às junho 7, 2012 04:42 PM

fica em casa, bacano. Acho que será a atitude mais purista e consequentemente revolucionária que vais conseguir tomar.

Publicado por [Anónimo] às junho 8, 2012 06:45 PM

Este movimento nao é controldado pelo Ruptura?

Publicado por [Anónimo] às junho 9, 2012 09:09 PM

Se é controlado por quem quer que seja é porque os outros não lhe fazem frente e se deixam controlar.

Publicado por [POKE] às junho 10, 2012 12:03 AM

em casa não, vou para a praia, tou-me a cagar tanto para o trabalho como para as atitudes puristas e consequentemente revolucionarias... conseguir tomar ? quero é conseguir tomar uns belos banhos... voces, capitalistas e comunistas que se entendam

Publicado por [Anónimo] às junho 10, 2012 06:19 PM

Comente




Recordar-me?

(pode usar HTML tags)