« fevereiro 2011 | Entrada | abril 2011 »

março 31, 2011

Sai mais barato


Publicado por [Rick Dangerous] às 03:49 PM | Comentários (6)

março 30, 2011

Acerca do movimento Portugal Uncut

uncut.jpg


"Portugal Uncut é um movimento recém-criado, inspirado no seu homónimo britânico, UK Uncut, o movimento anti-austeridade que surgiu no Reino Unido a 27 de Outubro de 2010, apenas uma semana depois de George Osborne (actual chanceler britânico do tesouro) ter anunciado os cortes mais profundos nos serviços públicos desde 1920. Nesse dia, cerca de 70 pessoas percorreram a Oxford Street, entraram numa das principais lojas da Vodafone e sentaram-se. Estava fechada a loja líder da Vodafone, empresa conhecida pelas suas práticas de evasão fiscal. Até então o movimento UK Uncut apenas existia como #ukuncut, uma hashtag do Twitter que alguém tinha imaginado na noite anterior ao protesto. Enquanto os manifestantes estavam sentados à porta a entoar palavras de ordem e a entregar panfletos aos transeuntes, a hashtag espalhou-se pelo Reino Unido, e as pessoas começaram a pensar repetir a acção. A ideia tornou-se viral. A fúria fervilhante contra os cortes transbordava. Apenas três dias depois, cerca de trinta lojas da Vodafone em todo o país tinham sido encerradas[1].

Hoje, o movimento Uncut vai-se alastrando rapidamente a todo o planeta. Já existe em vários dos Estados Unidos da América, na Irlanda, no Canadá, na Holanda, na Austrália e em França.

O Portugal Uncut pretende desenvolver acções contra os cortes brutais, desnecessários e cegos nos serviços públicos e transferências sociais em todo o país. O corte nos benefícios fiscais, nas prestações sociais, no investimento público e nos salários vai atingir todos os aspectos da nossa vida: desde os cuidados médicos à educação, passando pela habitação, pela protecção ambiental e pelos incentivos ao desporto e às artes.

Quem continua imune aos cortes? Os lucros das maiores empresas, dos contribuintes privados das classes mais altas e a banca. Este modelo está errado. Não funciona e é injusto. A realidade e múltiplos estudos económicos demonstram-no. Apesar disso, é-nos imposto como inevitável. Os cortes em salários que já são demasiado baixos, o corte em benefícios fiscais que resgatam muitas famílias e indivíduos de situações catastróficas, e um complexo sistema mundial — que permite que “criativos de planos fiscais internacionais” canalizem os rendimentos para paraísos fiscais — garantem que somos nós a financiar a economia da crise, enquanto outros lucram com ela e se recusam a contribuir com o mínimo que lhes é exigido: pagando impostos.

Os bancos, através de condições legais vantajosas, conseguem pagar cada vez menos impostos enquanto os seus lucros crescem exponencialmente.

Chegou a hora de lhes mostrar isto: a água que sustenta o barco também o pode derrubar. Junta-te ao Portugal Uncut e vamos obrigar as empresas que fogem aos impostos a pagar.

Portugal Uncut é um movimento horizontal. Tal como nos restantes Uncut, queremos chegar a todos os grupos etários e de todas as origens sociais. Trata-se de um movimento independente e apartidário com o objectivo de desmantelar um sistema que favorece as finanças e não a comunidade. Não temos um modelo de protesto fixo, um discurso formatado, não saímos à rua a horas certas e não precisamos de sair todos ao mesmo tempo. Somos um movimento pacífico, as nossas armas são a imaginação, a informação e o poder que temos quando nos juntamos — na rua, nas redes sociais, por aí.

Explora o nosso site, “gosta” da nossa página no Facebook, segue-nos no Twitter e lembra-te de visitar os grupos Uncut que se formaram e ainda virão a formar-se um pouco por todo o mundo. Procura a tua inspiração nos milhares de pessoas que já se juntaram mundo fora e nas dezenas de protestos que já se fizeram.

Se quiseres organizar um protesto na tua cidade, fá-lo! Lá nos encontraremos!"

Publicado por [POKE] às 10:43 PM | Comentários (7)

Sinal dos tempos...

Este ano não vai haver sessão solene no Parlamento para comemorar a Revolução.

Publicado por [Saboteur] às 02:52 AM | Comentários (1)

março 29, 2011

Provavelmente num Domingo


Anyway, I notice now that you are under pressure to accept a bailout but your politicians are claiming to be determined not to take it. It will, they say, be over their dead bodies. In my experience that means you'll be getting a bailout soon, probably on a Sunday. [...]
The upside of it all is that the price of a game of golf has become very competitive here. Hopefully the same happens down there and we look forward to seeing you then.
Love, Ireland.

Bit of friendly advice, Portugal

Publicado por [Rick Dangerous] às 02:34 PM | Comentários (3)

março 28, 2011

Isto ainda vai piorar antes de melhorar

O PSD endurece o discurso de dia para dia.

Depois de uma conversa tipo campanha eleitoral de Cavaco, dizendo que o novo PEC mostrava insensibilidade social, ultrapassando os limites da austeridade, foram vários os dirigentes do PSD, com Ferreira Leite à cabeça, que ressalvaram que o problema não eram as medidas concretas do PEC mas a credibilidade do Governo face aos mercados para as tomar.

Hoje, em entrevista à Reuters Passos Coelho afirma que "votámos contra o PEC porque ele não vai tão longe quanto devia", avançando logo com a ideia de privatizar 49% da CGD, privatizar a TAP e as empresas de transportes ferroviários e rodoviários, bem como privatizar a companhia de seguros Fidelidade (detida pela CGD).

Num país à rasca como o nosso é impressionante como este discurso não atira imediatamente para o fundo das sondagens o PSD.

As razões são muitas e complexas, mas creio que uma das razões para isso, para não termos no fundo esperança que agora venha aí um governo verdadeiramente de esquerda, tem a ver com o facto de se ter feito durante demasiado tempo uma oposição excessivamente personalizada em Sócrates e em aspectos mais "comportamentais" do que ideológicos.

Falo da licenciatura, do "mentiu aos portugueses", da arrogância, dos planos para controlar a comunicação social e calar a Manuel Moura Guedes, ou das manobras para manipular as estatísticas do emprego e das habilitações dos portugueses...

São linhas de intervenção que até podem ter bastante impacto no momento, bastante interesse para a comunicação social, mas que são demasiado circunstanciais e efémeras, não ajudando a construir uma consciência política sólida nas massas.

Publicado por [Saboteur] às 02:47 PM | Comentários (8)

março 27, 2011

Mala de Cartão

Um gajo já sabe que Lisboa não é Atenas, não é Roma, Bologna ou Milão, que não é Barcelona, Madrid, Paris, Marselha, Londres, Berlim, Nova Iorque ou sequer Gotemburgo, mas porra, já se partiam umas montras aqui também, não? Eu nem sequer peço o motim de proporções bíblicas que estão mesmo a pedir, mas fodasse, é que nem um multibanco aparece estragado. Não basta um gajo ter de emigrar para encontrar trabalho também tem de emigrar para mandar uns calhaus?


Publicado por [Party Program] às 01:31 PM | Comentários (32)

março 24, 2011

Ainda bem que existem gajos como eu para tirar gajos como tu da rua

bofia2.png

Publicado por [Dallas] às 02:53 PM | Comentários (12)

março 23, 2011

I do not wish to alarm you...

O excelso presidente da república, que, aí há uns tempos, interrompeu as suas férias e as de todos nós para, de uma forma muito anunciada e especulada, falar desse assunto tão sério como o estatuto dos Açores, acabou de anunciar a aceitação do pedido de demissão do governo no... site oficial da presidência.

Publicado por [Joystick] às 10:23 PM | Comentários (5)

março 22, 2011

O destino dos amarelos

No dia em que a UGT aprova, em sede de concertação social, a redução do montante da indemnização por despedimento sem justa causa (de 30 para 20 dias por cada ano de trabalho) e um novo sistema de repartição dos seus custos (em que parte é descontado do salário do trabalhador), a sua ex-líder e actual ministra do trabalho Helena André demonstra, materialmente, as repercussões de tais medidas.

Retirado daqui.

Publicado por [Dallas] às 10:58 PM | Comentários (5)

Portugal, que futuro?

Este número da Visão é muito bom. Entre outras coisas tem uma boa peça sobre o livro que contem as futuras bases programáticas do governo de direita.

A reportagem é melhor que o livro, pois o livro, entre as 300 e tal propostas, tem muitas coisas aceitáveis e, sobretudo, todo um discurso que faz escorregar bem o essencial para dentro do rabiosque do povo.

Eu agarrei na reportagem e ainda exprimi mais um pouco, agrupando as medidas por famílias para se melhor perceber do que estamos a falar. (negrito e comentários entre parêntesis rectos são meus)

A - Medidas "arranja-me um emprego"

- Contratar um Ex-top Executive para atrair investimento estrangeiro para Portugal, com uma equipa ao nível de Secretário de Estado

- Escolher embaixadores políticos com perfil de gestão

- Entregar a gestão operacional de tribunais e hospitais a gestores profissionais

- Atribuir prémios e condecorações a investidores externos

- Criar advisory bords com gente das empresas e associações a assessorar o Ministério da Economia

- Profissionalizar a gestão das universidades públicas

- Melhorar a remuneração dos governantes com vista ao recrutamento e retenção dos melhores quadros do sector privado.


B -Medidas para melhorar o sistema politico (eliminando partidos menos representativos)

- Reduzir o numero de deputados do parlamento, ao mesmo tempo que se criam círculos uninominais.

- Executivos Municipais monocolores com todos os pelouros atribuídos ao partido vencedor


C - Medidas para a arranjar dinheiro rapidamente e abrir oportunidades de negócio aos investidores

- Privatizar RTP1 e concessionar RTP2

- Privatizar os aeroportos e TAP

- Vender património da do ministério da Defesa em áreas com potencial imobiliário e turístico

- Privatizar empresas municipais

- Vender seguros da CGD (Fidelidade/Mundial Confiança)

- Acabar com todas as Golden Shares

- Introduzir o cheque-ensino permitindo às pessoas escolherem a escola privada

- Introduzir a gestão privada dos hospitais (através de contratos de gestão ou de privatização de unidades), de modo a permitir melhor concorrência.


D - Medidas para educar o povo

- RTP Memória passa a canal aberto [de preferência programas que nos façam recordar de Lourenço Marques e assim]

- Estimular a literacia económica no ensino básico de modo a que os alunos compreendam a economia e como funciona o sistema capitalista


E - Medidas para tornar as "nossas" empresas mais lucrativas... Competitivas, digo.

- Aumentar o número de estágios durante os cursos. Estudar o conceito de alternância (6 meses numa empresa, 6 meses na Universidade)

- Estado e empresas partilham o salário dos reformados que quiserem continuar a trabalhar. O Estado paga menos reforma e a empresa poupa no salário. O trabalhador recebe o mesmo.

- Criar um programa de benefícios fiscais para empresas que aproveitem pessoas com experiência e mais de 50 anos

- Permitir a redução de salários durante 18 meses em caso de dificuldades financeiras da empresa

- Definir apenas 2 classes de indemnizações por despedimento: menos e mais de 5 "anos de casa".

- Baixar a Taxa Social Única

- Reduzir os pagamentos por trabalho ao fim-de-semana e feriados

- Privilegiar na adjudicação de obras públicas empresas com vocação exportadora

- Conceder benefícios fiscais a grandes empresas que tenham à sua volta uma "nuvem" de PME

- Diminuir significativamente ou abolir o IRC

- Acabar com os pagamentos por conta

- Reduzir os prazos de pagamento do Estado para 30 dias

- Baixar os impostos sobre lucros

- Bonificar as fusões para permitir às empresas terem ganhos de escala

- Aceitar fusões que resultem numa quota de mercado acima dos 50%


F- Medidas que estimulem o empreendedorismo e premeiem quem "sabe" ganhar muito dinheiro

- Introdução de taxas únicas de imposto

- Conceder benefícios fiscais a grandes fortunas que queiram fixar-se em Portugal

- Atribuir incentivos aos PPR

- Aceitar deduções em sede de IRS em gastos com empregadas [e mordomos não?, pergunto eu...]


G - Medidas para não perder de vista a big picture::

- Concentrar a actividade no Estado cada vez mais no papel de Regulador/Pagador. Em relação ao papel de prestador, concentrar-se no que os privados não fazem.

- Investir nas Parcerias Publico-Privadas como as cidades judiciárias (que não implicam encargos adicionais para o Estado) [Só implicam encargos já previstos]


Publicado por [Saboteur] às 04:02 PM | Comentários (7)

março 21, 2011

Ups, fiz merda outra vez.

ruitavares.JPG

Há pessoas que só merecem um Tomahawk nos cornos.

(Ainda se lembram o que eu disse na altura das eleições europeias?)

Publicado por [POKE] às 01:20 AM | Comentários (11)

março 19, 2011

Os terroristas de Valentina e Moura

PVH-1315.jpg

"O facto de os 42 detidos pertencerem a nove nacionalidades «originou insuficiência indiciária relativamente ao crime de desobediência» e «além disso a manifestação foi pacífica», alega o Ministério Público no seu despacho"

Sobre anarquistas e outros contos de terror, carregar aqui.

Publicado por [Dallas] às 09:28 PM | Comentários (3)

março 17, 2011

Hoje: Todxs contra o (desastre do ) nuclear


japan_nuclear_AP11031302819_620x350.jpg

Estão a ser convocadas, em toda a Península Ibérica, concentrações anti-nuclear e de solidariedade com o povo japonês, afectado pelos desastres das centrais nucleares. Não só queremos acabar com a energia nuclear, como queremos a transição para um modelo energético mais sustentável!

Em Lisboa, queremos fazer uma concentração silenciosa em frente à Embaixada do Japão, para manifestar a solidariedade com o povo japonês. De seguida, descemos um pouco a Avenida da Liberdade e vamos até à Embaixada de Espanha exigir o encerramento de todas as centrais nucleares da Península Ibérica!

Lisboa: 5ª feira, 17/03/2011, 18h00

Embaixada Japão (Av. Liberdade, 245) - 18h00
Embaixada Espanha (R. Salitre, 1) - 19h00

Mapa: http://bit.ly/e08BqC

Evento de Lisboa no Facebook: https://www.facebook.com/event.php?eid=206788072665374

Lista de iniciativas na Península Ibérica: http://www.ecologistasenaccion.org/article20037.html

Chernobil, Fukushima:
NÃO À ENERGIA NUCLEAR EM TODO O MUNDO!
 
A tragédia do Japão despertou a solidariedade de todo o mundo pela perda de milhares de vidas humanas e de vastas regiões e cidades daquele país devido ao terramoto de grau 9 e ao posterior tsunami que arrasou com partes significativas do território japonês. As redes, organizações e pessoas abaixo assinadas querem exprimir em primeiro lugar as suas mais profundas condolências ao povo japonês e dar a conhecer a sua dor partilhada e solidariedade pela emergência humanitária provocada por este desastre.
 
Ao mesmo tempo é altamente preocupante o impacto que o desastre natural causou na central nuclear de Fukushima, provocando explosões, o que levou a uma situação de grave risco por causa da libertação de material radioactivo, situação que pode piorar se os elementos do núcleo desta instalação se fusionam por sobreaquecimento. Também estão em perigo outras duas instalações nucleares em situação de risco em Onagawa e Tokai. O governo japonês viu-se obrigado a apagar pelo menos 11 centrais nucleares com o objectivo de prevenir mais desastres, o que deixou mais de 6 milhões de pessoas sem abastecimento de electricidade. 200.000 pessoas já foram evacuadas para prevenir uma possível exposição aos efeitos nocivos de um acidente nuclear e já se estão a tomar medidas de saúde pública com a população exposta.
 
Esta trágica situação alerta-nos UMA VEZ MAIS sobre o enorme perigo que significam as instalações nucleares para a sobrevivência e segurança do planeta e recordam-nos a resistência de activistas japoneses que há 40 anos se negaram à construção destas instalações. Hoje o mundo está a mudar, não só pelos riscos de desastres naturais mas também pelos riscos a que estamos sujeitos pelos impactos da mudança climática que produziu grandes inundações, deslizamentos e alterações severas na habitabilidade do planeta, como as derrocadas no Rio de Janeiro que há pouco tempo ameaçaram centrais nucleares instaladas na zona que tiveram de ser paradas até que a situação se estabilize. Esta vulnerabilidade global deve ser considerada adicionalmente, mas sobretudo devemos ser conscientes de que a tecnologia e o dinheiro não salvarão vidas uma vez que as tragédias se produzem.
 
A crise climática e a necessidade de energia deram lugar a que sobretudo as grandes corporações e os países desenvolvidos falem da energia nuclear como energia alternativa limpa e sustentável. Os próprios projectos do Banco Mundial sobre energia consideram-na como uma importante possibilidade assim como as grandes hidroeléctricas. Cada vez se torna mais claro que estas são falsas soluções que só aumentam o perigo e a vulnerabilidade da humanidade face às mudanças globais.
 
Está-se a propor a energia nuclear como uma fonte de energia alternativa e "limpa" nas negociações de mudança climática, mas está demonstrado que pode ficar fora de controlo tanto técnico como humano e afectar milhões de pessoas e em particular as próximas gerações pelo seu potencial efeito nocivo sobre a vida. Os Fóruns Multilaterais como o Processo Rio+20, o processo da Convenção do Clima, os fóruns relacionados com energia alternativa e outros devem considerar muito seriamente o uso da energia nuclear pela sua perigosidade.
 
Pedimos também aos governos que escutem as vozes da sociedade civil de todo o mundo que manifestou a sua oposição às falsas soluções, que escutem os seus povos.
 
Exigimos que os governos se concentrem em garantir a sobrevivência, o direito à habitabilidade, o direito à saúde e à soberania alimentar de milhões de pessoas no mundo, em vez de debilitar as condições no planeta cumprindo mandatos do capital.
 
Exigimos e reclamamos em todo o mundo que se proceda ao desmantelamento das centrais nucleares, que se procurem verdadeiras soluções para os povos e que no caminho se apliquem todas as precauções para evitar danos que tenhamos que lamentar. Chernobil, Fukushima são alertas que devem obrigar os governos a deixar de insistir em continuar a promover estes projectos. A energia nuclear para abastecimento de energia e ainda mais com fins bélicos deve parar.
 
Os negócios não nos interessam, o que nos interessa é a vida e a segurança da população, e não aumentar a sua vulnerabilidade.
 
CHERNOBIL E FUKUSHIMA SÃO SUFICIENTES!
NÃO À ENERGIA NUCLEAR!
 
REDES - AMIGOS DE LA TIERRA - Uruguay
 FUNDACION SOLON - Bolivia
 ECOLOGISTAS EN ACCION - España
 BLUE PLANET PROJECT - Canadá
 TWN (La RED DEL TERCER MUNDO) -
 FoEM FRIENDS OF THE EARTH - Malaysia
 CONSUMERS ASSOCIATION OF PENANG, Malasia
 PLATAFORMA BOLIVIANA DE ACCION SOBRE EL CAMBIO CLIMATICO
 COLECTIVO VIENTOSUR - Chile
 HIJOS DEL MONTE, FRENTE NACIONAL CAMPESINO - Argentina
 FOCO - Foro Ciudadano de Participación por la Justicia y los Derechos Humanos - Argentina
 FEDAEPS - Ecuador
 MOCICC (Movimiento Ciudadano Frente al Cambio Climático) - Perú
 COMDA (Coalición de Organizaciones Mexicanas por el Derecho al Agua)
 FOCUS ON THE GLOBAL SOUTH
 ALIANZA SOCIAL CONTINENTAL
 SUSTAINABLE ENERGY AND ECONOMY NETWORK (SEEN) - USA
 IPS (Institute for Policy Studies) - USA
 FUNDACION ECOSUR -Patagonia Chile
 FUNDACION TERRAM - Chile
 ASAMBLEA CIUDADANA POR LA VIDA de Chilecito, La Rioja -Argentina
 Coordinadora por la defensa del agua y la vida. Provincia de El Loa
 Asociación Colectivo Poder y Desarrollo Local - Guatemala
 Asociación Vidas Verdes - Perú
 GREENPEACE - México
 GREENPEACE - Argentina
 JUBILEO SUR
 ACCION ECOLOGICA
 OILWATCH - SUDAMERICA
 OTROS MUNDOS A.C. - Amig@s de la Tierra México
 Irene León, Socióloga - Ecuador
 Alicia Tarrio - Argentina

Publicado por [Paradise Café] às 02:41 PM | Comentários (3)

março 16, 2011

IVA reduzido para o golfe

A redução do IVA para a prática do Golfe é daquelas medidas marcadamente e descaradamente de classe.

O Governo, neste novo ciclo político de PECs, parece querer competir com o PSD para ver quem é que está mais à direita.

Esta é uma medida que interessa essencialmente à grande industria hoteleira, que possui explorações com campos de Golfe e que vai passar a pagar menos impostos.

Dizem-nos que é para promover o turismo... Mas é preciso nunca ter saído da aldeia onde nasceu o Ministro das Finanças para pensar que há um risco real de muitas famílias de turistas alemães, que vêm a Portugal jogar golfe e apanhar sol, mudarem o seu destino de férias porque o campo deixou de ser 85 Euros (2 Greens Fees + Buggie para 2 pessoas em Albufeira) para ser 98,63 Euros.

Tudo o que se tem escrito sobre o tema pelos próprios operadores de turismo é dizer que se tem de apostar em qualidade e não em preço... Para Albufeira, por exemplo, e para todo o Algarve, talvez fosse melhor começar a pensar em menos construção nova e na demolição de alguma existente.

Mas esta também é uma lição para a esquerda:: O discurso generalista contra o aumento dos impostos ou mesmo contra o aumento do IVA, é um discurso que se pode virar contra o povo.

De facto, o IVA, sendo um imposto sobre o consumo, costuma ser apontado como um imposto injusto. Mas, não obstante a justiça fiscal se fazer essencialmente pelos impostos directos e sobre o património, há consumos e consumos.

Uma taxa de IVA agravada (30%?) para consumos de luxo ou que não sejam ambientalmente sustentáveis - com o Golfe à cabeça dessa lista por todas as razões - deveria ser uma componente de qualquer politica fiscal de esquerda.

Publicado por [Saboteur] às 05:54 PM | Comentários (15)

Nate Dogg, Dog Blunt, Snake. One love.

Publicado por [Chuckie Egg] às 10:30 AM | Comentários (0)

Nem mais. Vão-se habituando.

rasca.jpg

O povo saiu à rua e já não volta para casa - isto agora não pára - vão-se habituando

O povo saiu à rua e já não volta para casa - isto agora não pára. Todos à manif da CGTP no próximo sáb, 19. Todos/as a todas as oportunidades d protesto. Vamos protestar, tanto quanto re-imaginar e mudar a vida, em Portugal e globalmente, estamos a precisar de novas revoluções e elas já aí estão. Saibamos leva-las a bom termo, e tenhamos a mente aberta para tudo o que é novo e aí vem ou teremos de criar. No sábado, vi o povo auto-organizado na rua, e os partidos e até sindicatos - a quem ninguém nega a devida importância mas que de alguma forma têm monopolizado, respectivamente, a política e as lutas laborais - em estado de choque perante um movimento que não controlam e de que ainda não entenderam a natureza. Movimentos sociais vivos e independentes - vão-se habituando. Movimentos que abrem o espaço para expressão daquilo que a esquerda sempre desprezou como "micro-causas", mas que na verdade multiplicam as nossas forças, vão-se habituando. Quadros políticos excelentes que organizam protestos de meio milhão sem nunca terem passado por um partido? Activistas políticos à esquerda que não se revêm nem reproduzem os sectarismos históricos? Vão-se habituando, ou sejam ultrapassados. A política é nossa, não é de ninguém. Saibamos não voltar a abrir mão dela.

por Sérgio Vitorino @ facebook

Publicado por [POKE] às 01:41 AM | Comentários (5)

março 15, 2011

"Desprendimento e determinação"

Neste novo ciclo político, como Paulo Portas já lhe chamou, Cavaco tem-se posicionado mais à direita que nunca. As palavras do Presidente têm peso e ficam, como grãos na engrenagem...



«Importa que os jovens deste tempo se empenhem em missões e causas essenciais ao futuro do país com a mesma coragem, o mesmo desprendimento e a mesma determinação com que os jovens de há 50 anos assumiram a sua participação na guerra do Ultramar»

Publicado por [Saboteur] às 09:58 PM | Comentários (4)

Buala: África das periferias de Lisboa

tertulia-buala2.jpg


Publicado por [Chuckie Egg] às 04:41 PM | Comentários (1)

Para os camaradas que tinham duvidas da justa orientação da manifestação de dia 12...

...e não lhes chegou o apelo do camarada secretário-geral Jerónimo de Sousa para nela particparem, aqui fica a sua prova inequívoca.
Espera, ou estaria a camarada a querer dizer à juventude sem uma orinetação definida, que saudades...


estaline.jpg
José Estaline 58 anos de saudade

Publicado por [Paradise Café] às 12:40 PM | Comentários (6)

RDA69 - Programação de Março

rda03filter2.jpg

Publicado por [Chuckie Egg] às 10:39 AM | Comentários (0)

março 13, 2011

O trabalho nos centros comerciais

trabalhocentroscomerciais_110310035531.jpg

Lançamento do livro "O trabalho nos centros comerciais", de Sofia Alexandre Cruz. Dia 18 de Março, pelas 18.30, na Livraria Leitura Books & Living (Shopping Cidade do Porto).

Publicado por [Dallas] às 12:10 PM | Comentários (1)

março 12, 2011

Dá-lhe Falâncio!

Depois desta manifestação, quem é que tem coragem de dizer que «vocês nem percebem quando estão a ser gozados» , quando se fala dos Homens da Luta?

Publicado por [Saboteur] às 07:11 PM | Comentários (18)

E por falar em músicas da nossa Geração....

Publicado por [Saboteur] às 01:56 PM | Comentários (1)

março 11, 2011

Olha lá esta ideia...

Com a apresentação do novo PEC (IV) por parte do Governo, acho que se devia aproveitar o contexto das duas acções de luta nacionais marcadas (uma para amanhã, outra para dia 19), para, após o discurso guerreiro de direita do Presidente da República, apresentar uma Moção de Censura ao Governo.

Reunia-se este fim de semana um eventual órgão máximo do partido, tomava-se o pulso à coisa e logo se via como se avançava... mas acho que era uma excelente oportunidade para denunciar o mais que aí vem.

Até lá, leiam nos Ladrões de Bicicletas toda a análise sobre o PEC IV. Mais à frente e mais sério que qualquer jornal.

Publicado por [Saboteur] às 05:31 PM | Comentários (3)

I don't believe in anything

violence.jpg

Publicado por [Rick Dangerous] às 04:37 PM | Comentários (1)

A disputa da rua: porque vou amanhã à manifestação “Geração à Rasca”

pancho.jpg

Algumas pessoas criaram um evento no facebook para protestar contra a precariedade e o actual estado de coisas. Facto. Em poucos dias milhares aderiram virtualmente à coisa e passadas umas semanas já são dezenas de milhar. Facto.

O comunicado não propõe soluções e apela indirectamente a que elas passem pelo conflito que se desencadeie na rua. Esse apelo foi ouvido pelos mais diversos sectores nascendo assim uma bolha que pode ser aproveitada por quem quiser, bolha essa que ultrapassa claramente os objectivos dos organizadores.

A extrema-direita e alguma direita, à excepção do PS, estão a tentar pegar nisto. Assumiram o conflito e querem ganhá-lo. O próprio Cavaco, que é um dos maiores agentes do estado de coisas, apelou, indirectamente à manifestação.
Então o que nos resta com um comunicado provavelmente demasiado lato e uma direita a semi-organizar-se para lá estar?

Como refiro, a bolha está criada, mas do outro lado, anticapitalistas, associações lgbt`s e de emigrantes, precários organizados e muitos, muitos não organizados, creio que bastante novos, que vêem neste sistema um problema, estarão também lá para disputar esse espaço. Eu também, para que, se na rua se criar um espaço, ele seja de conflito, no sentido de criar rupturas no discurso dominante, que seja de ocupação de um espaço, não para fazer cair este ou aquele governo, mas para dar passos no sentido de, na rua, insisto, dar início à construção de uma táctica.

praça.jpg

Por causa de um comunicado que não é o de cada um de nós, nem poderia ser, não podemos em nome de um qualquer purismo, deixar a rua para um inimigo cujo único objectivo é reorganizar-se. A rua será tanto mais nossa quanto mais de nós lá estivermos a exigir não qualquer reforma, mas o fim de todo este sistema.

Amanhã haverá alguma revolução? Provavelmente não. Como a vamos construindo? Na rua e com quem lá está, não saindo no final com o cravo na mão a horas certas como muitos de nós têm feito em tantas outras manifes aqui e ali. A coisa pode falhar? Pode. Se lhes queremos dar a rua de bandeja? Não.

Amanhã estes e outros anticapitalistas encontram-se em frente ao São Jorge, às 15h. Apareçam: vamos disputá-la e ganhá-la!

Publicado por [Paradise Café] às 01:22 PM | Comentários (8)

março 10, 2011

Comunicado da ATTAC Portugal sobre a manif de dia 12

(texto completo aqui)

Não há uma geração com direitos e outra sem direitos. Essa é a narrativa conveniente da direita dos interesses que quer liquidar os direitos de todos e de todas as gerações, em nome de uma competitividade desumana e da invasão de toda a vida humana pelos sacrossantos mercados e pelo lucro a qualquer preço.

A precariedade atinge todos os trabalhadores, com e sem formação académica, de todas as profissões e estratos sociais e não discrimina gerações. Atinge os mais velhos que, tendo perdido o emprego, não conseguem voltar a encontrar estabilidade no mercado de trabalho, e atinge todas as gerações com menos de 45 anos, que nunca tiveram um emprego estável. Atinge os seus pais, que na reforma deixam de poder contar com a ajuda dos filhos, miseravelmente pagos. Atinge as crianças, que vivem em famílias onde o dia começa com emprego, mas nunca se sabe como acaba. Atinge todos os que têm contrato permanente, porque também sofrem a pressão para a desvalorização dos salários e do seu trabalho.

Atinge ainda todos os que estão nos quadros dos seus locais de trabalho, uma vez que os seus postos de trabalho seriam muito mais baratos se preenchidos por um precário ou estagiário. Esses trabalhadores tornam-se também precários, uma vez que o primeiro pretexto — uma recusa de fazer horas extraordinárias, uma doença, um erro apenas — será a oportunidade para tentar despedi-los, substituindo-os.

As próprias empresas teriam a ganhar com trabalhadores empenhados e conhecedores da empresa e do seu meio e interessados no seu desenvolvimento e sucesso; trabalhadores cuja preocupação maior não é o futuro no fim do estágio ou como sobreviver com quinhentos euros ou menos. A qualidade dos serviços piora drasticamente com a rotatividade permanente de precários e estagiários. As empresas tornam-se precárias, vítimas de uma irracionalidade financeira de muito curto prazo para distribuição de lucros aos accionistas.

Diz-se também que, com a desculpa da crise, não há emprego. Mas se quase todos lá vamos arranjando uns meios-tempos aqui ou ali, coisas temporárias, estágios, recibos verdes e quejandos, há trabalho. Mas o que este sistema predador orientado exclusivamente para o lucro não quer é trabalho valorizado e com direitos, ou seja, empregos! O que não há é respeito pelo trabalho.

Assim, PRECÁRIOS SOMOS TODOS!

No dia 12 de Março, VAMOS EXIGIR RESPEITO PELO NOSSO DIREITO AO FUTURO E TRABALHO COM DIREITOS! Vamos dizer que EXIGIMOS RESPEITO pelo trabalho que já fazemos!

Publicado por [Saboteur] às 09:58 PM | Comentários (2)

A expressão "idiotas úteis" parece-me cada vez mais aplicável (e coerente)


´Voltando a recuperar uma ideia já por si transmitida ao longo do primeiro mandato que "os jovens não podem ver o seu futuro adiado" devido às opções erradas que são tomadas no presente, Cavaco Silva frisou a importância do "exemplo" que deve ser dado de uma "cultura de mérito", porque as nomeações para a administração não deve ser pautada pela "filiação partidária" ou "simpatias políticas". Numa parte particularmente forte do seu discurso, Cavaco disse ser fundamental "um novo modo de fazer política" que atraia os jovens.
Cavaco defende necessidade de sobressalto cívico

Alexandre Sousa Carvalho, um dos organizadores do protesto da "Geração à Rasca" convocado para o próximo sábado ouviu "com agrado" o discurso presidencial. As palavras de Cavaco, diz o jovem licenciado em Relações Internacionais são "um apelo" mas que é coerente com "aquilo que o próprio Presidente da República tem vindo a fazer desde o seu primeiro mandato". Ou seja, o apelo de Cavaco a uma participação da sociedade civil na vida política nacional não é novidade mas, dado o actual contexto, é "com agrado que vemos que as pessoas - de esquerda ou de direita- se identificam com os motivos do nosso protesto".
Discurso agrada a organizadores do protesto da geração rasca

Publicado por [Rick Dangerous] às 03:48 PM | Comentários (15)

Camarada Cavaco ou do que as palavras valem

cavaco.jpg

Nas vésperas da primeira manifestação convocada fora da lógica directiva dos partidos e sindicatos em muitos anos, o camarada presidente, na sua sua (re)investidura, resolveu pedir à juventude um sobressalto cívico. Repare-se: a quatro dias do referido protesto que poucos acertaram como começou a ainda menos saberão como irá terminar.
Sem medos, como tantos têm, não recuou na mobilização em nome de uma qualquer estabilidade política. Contamos com o camarada Cavaco e ele sabe que conta connosco.
Se Manuel Alegre tivesse ganho com certeza teria feito um discurso mais à direita que este, ou se dissesse alguma coisa parecida seria o orgulho e a prova que afinal havia diferenças, provando assim que Alegre não era igual a Cavaco... Depois deste discurso do camarada presidente, que também salientou que há limites para a austeridade, quem defendeu o voto no Alegre pela esquerda, devia vir a publico, num acto de contrição lamentar não ter votado Cavaco.

Bom, as palavras valem o que valem, e essencialmente valem para ganhar votos, e quem defendeu votar Alegre usou maioritariamente como argumento as suas palavras, por isso podem-se mobilizar para nova campanha: referendar o limite de mandatos do presidente e fazer uma grande campanha para a sua terceira eleição em nome da insurreição cavaquista.

Dia 12 lá estarei, para, entre outras coisas, tentar, fora do joguete institucional, dizer bem alto que o problema não está em Cavaco e a solução em Alegre ou na social-democracia bloquista, mas no fim de qualquer tipo de repressão e exploração levada a cabo (também) por agentes deste calibre.
Revolución

Publicado por [Paradise Café] às 11:02 AM | Comentários (11)

março 09, 2011

12 de Marzo siempre!

12marzopreto.jpg

Salvar ou abrir em nova janela para ver imagem em grande.

Publicado por [Party Program] às 05:52 PM | Comentários (11)

concentração hoje às 18h camões em solidariedade com imigrantes na Grécia em greve de fome

Esta é uma convocatória de ultima hora pela urgência da situação. Neste sábado passado a os imigrates em protesto, decidiram entrar em greve de Água!

“Nós somos homens e mulheres imigrantes e refugiados que estão por toda a Grécia. Nós viemos para escapar da pobreza, desemprego, guerras e regimes ditatoriais. As empresas multinacionais e os seus servos políticos deixaram-nos sem escolha, com a nossa vida repetidamente em risco e colocando-nos às portas de saída da Europa.
O Ocidente que explora os nossos países enquanto beneficia de condições de vida melhores, é igualmente a nossa única hipótese para viver-mos de forma digna e para viver-mos como seres humanos.
Embora entrando de forma legal e ilegal, nós viemos para a Grécia e trabalhamos para nos sustentarmos a nós e as nossas famílias. Nós vivemos sem dignidade, nas sombras da ilegalidade. Empregadores e Agências Estatais beneficiam injustamente do nosso trabalho como escravos. Vivemos com o suor do nosso rosto e com o doce sonho de que um dia vamos ter os mesmos direitos que os nossos colegas e trabalhadores gregos.
Nós imploramos pela legalização de todos os homens e mulheres imigrantes, nós imploramos pelos mesmos direitos políticos, sociais e deveres que os nossos colegas e trabalhadores gregos.
Nós não temos outra forma de fazer as nossas vozes ouvirem-se a fim de alertar os restantes para a consciência dos nossos direitos. Desde 25 de Janeiro de 2011, trezentos (300) de nós estão em greve de fome em Atenas e Salónica. Nós arriscamos as nossas vidas, pois de qualquer forma, não temos qualquer dignidade nas nossas condições de vida. Nós preferimos aqui do que permitir que os nossos filhos sofram o que nós sofremos.”
Com esta iniciativa, nós expressamos a nossa solidariedade para com a justa luta destes 300 trabalhadores imigrantes que há 44 dias fazem greve de fome e pedem resposta imediata aos seus apelos.

Mais Info em:
http://www.liberdade365.com/2011-03-09/solidaridade-as-300-immigrantes-em-greve-da-fome-em-grecia-0
http://pt.indymedia.org/conteudo/agenda/3866

recebido no mail há minutos.

Publicado por [Paradise Café] às 02:56 PM | Comentários (0)

B.I.G. Fat Shit - 21/05/1972 – 09/03/1997

Publicado por [Chuckie Egg] às 01:52 PM | Comentários (1)

Fat shit

Publicado por [Chuckie Egg] às 09:36 AM | Comentários (0)

Para o Paulo

O momento mais querido da sua Quarta-Feira.

Publicado por [Party Program] às 08:22 AM | Comentários (7)

março 08, 2011

Fuck Kropotkin

Enquanto os blogues de esquerda dedicam horas a discutir esse excelso forum de discussão e celebração do cinema que são os Oscares, alguns companheiros americanos utilizam a vanguarda dos meios digitais para num dos mais brutais e honestos exercícios de ética DIY nos apresentarem uma curta de carga retórica e dramática nunca vista desde o ido "La Maman et La Putain" Aqui em exclusivo no Spectrum o filme que traduz o espírito dos tempos lá para os lados dos anjos.

ANARCO-AUTONOMIA PÓS-ESQUERDISTA: O FILME. (2010)

Sinopse: Um anarco-autónomo esquerdista conversa com um seu amigo anarco-autónomo pós-esquerdista. Surgem divergências dramáticas de opinião.

Publicado por [Party Program] às 09:43 PM | Comentários (8)

E um grande bem-haja para todas

Publicado por [Rick Dangerous] às 06:39 PM | Comentários (0)

Homens da luta deixam Berlim à beira de um ataque de nervos

Publicado por [Rick Dangerous] às 06:14 PM | Comentários (2)

março 06, 2011

A Luta europeiza-se

Publicado por [Striker] às 05:01 PM | Comentários (9)

março 05, 2011

Ordem de soltura

papa-smurf.jpg

"Era só para avisar que estão autorizados a ir à manif da geração à rasca"

Publicado por [POKE] às 03:15 AM | Comentários (2)

março 04, 2011

"DIÁRIOS SECRETOS DE VALENTINA" Hoje---Lar​go da Severa-Mou​raria- 21h--Apres​entação de fanzine,se​guido de festa contra a repressão

"Os diários secretos de Valentina", apresentação por Jornadas AntiCapitalistas

pin.jpg

No dia 4 de Março, as Jornadas AntiCapitalistas prestam homenagem a Valentina, revelando ao mundo os seus diários secretos: «Querido diário, eu, Valentina, aqui descrevo sem pudores os meus mais selvagens sonhos. Tudo começou quando o Agente Silva me convidou para um café no Califa para discutir comigo a ameaça da extrema-esquerda à segurança nacional. A tarde era chuvosa e húmida mas ainda assim quente. Mal cheguei e vi o Agente Silva a beber um abatanado senti um golpe forte no peito...".
Aparece na da Barbuda (Largo da Severa, ao Martim Moniz), para o lançamento da fanzine "Diários Secretos de Valentina". Uma história de devaneio, traição é ódio….

Publicado por [Paradise Café] às 01:11 PM | Comentários (1)

Manifestação Anticapitalista - Sábado 15h00 - Príncipe Real

jornadas anticapitalistas3.jpg

Publicado por [Chuckie Egg] às 10:11 AM | Comentários (5)

março 03, 2011

Ti Zé tira o pé

Publicado por [Rick Dangerous] às 05:59 PM | Comentários (5)

Hoje no Nimas - Black Panthers - All power to the people

postal-ciclo-site.jpg

Na sessão de inauguração do ciclo contaremos com a presença de uma comitiva de Panteras Negras, disponível para falar sobre a sua experiência: EMORY DOUGLAS, Ministro da Cultura dos Panteras Negras; ROBERT KING, Pantera Negra, preso político na prisão de Angola – EUA ao longo de 27 anos em regime de solitária e BILLY X JENNINGS, Pantera Negra, historiador e responsável oficial do legado dos Panteras.


PROGRAMA

Quinta, dia 3 de Março, às 21.30
Sessão de abertura do ciclo com a presença dos convidados Robert King, Billy X Jennings e Emory Douglas
In the Land of the Free de Vadim Jean
Black Panthers – Huey! de Agnès Varda

O resto do programa e sinopses dos filmes aqui

Publicado por [Chuckie Egg] às 02:12 PM | Comentários (4)

março 02, 2011

Doom

Publicado por [Rick Dangerous] às 04:36 PM | Comentários (1)

A vida de Paulo


Paulo nasceu entre o ano 5 e 10 da era cristã, em Tarso, capital da Cilícia, na Ásia Menor, cidade aberta às influências culturais e às trocas comerciais entre o Oriente e o Ocidente. Descende de uma família de judeus da diáspora, pertencente à tribo de Benjamim, que observava rigorosamente a religião dos seus pais, sem recusar os contactos com a vida e a cultura do Império Romano.
Os pais deram-lhe o nome de Saul (nome do primeiro rei dos judeus) e o apelido Paulo. O nome Saul passou para Saulo porque assim era este nome em grego. Mais tarde, a partir da sua primeira viagem missionária no mundo greco-romano, Paulo usa exclusivamente o sobrenome latino Paulus.
Recebeu a sua primeira educação religiosa em Tarso tendo por base o Pentateuco e a lei de Moisés. A partir do ano 25 d.C. vai para Jerusalém onde frequenta as aulas de Gamaliel, mestre de grande prestígio, aprofundando com ele o conhecimento do Pentateuco escrito e oral.
Aprende a falar e a escrever aramaico, hebraico, grego e latim. Pode falar publicamente em grego ao tribuno romano, em hebraico à multidão em Jerusalém (Act 21,37.40) e catequizar hebreus, gregos e romanos.
Paulo é chamado “o Apóstolo” por ter sido o maior anunciador do cristianismo depois de Cristo. Entre as grandes figuras do cristianismo nascente, a seguir a Cristo, Paulo é de facto a personalidade mais importante que conhecemos. É uma das pessoas mais interessantes e modernas de toda a literatura grega, e a sua Carta aos Coríntios é das obras mais significativas da humanidade.
Escreveu 13 cartas às igrejas por ele fundadas: cartas grandes: duas aos tessalonicenses; duas aos coríntios; aos gálatas; aos romanos. Da prisão: aos filipenses; bilhete a Filémon; aos colossenses; aos efésios. Pastorais: duas a Timóteo e uma a Tito.
Quando estava preso em Cesareia, Pau-lo apela para César e o governador Festo envia-o para Roma, aonde chegou na Primavera do ano 61. Viveu dois anos em Roma em prisão domiciliária. Sofreu o martírio no ano 67, no final do reinado de Nero, na Via Ostiense, a 5 quilómetros dos muros de Roma.

Publicado por [Rick Dangerous] às 03:16 PM | Comentários (8)

março 01, 2011

Wisconsin: 2 semanas de ocupação do capitólio

Publicado por [Saboteur] às 10:06 PM | Comentários (0)

Angola é nossa!

Conforme eu já tinha avisado parece que a coisa está a começar em Angola.

(Via 5dias)

Publicado por [POKE] às 01:16 PM | Comentários (3)

A separação

"Nossos concidadãos tinham-se adaptado, como se costuma dizer, porque não havia outro modo de proceder. Tinham ainda, naturalmente, a atitude da desgraça e do sofrimento, mas já não os sentiam. De resto, o Dr. Rieux, por exemplo, achava que essa era justamente a desgraça e que o hábito do desespero é pior que o próprio desespero. Antes, os separados não eram realmente infelizes, pois havia no seu sofrimento uma luz que acabava de se extinguir. Agora, eram vistos pelas esquinas, nos cafés ou em casa dos amigos, plácidos e distraídos, e com um ar tão entediado que, graças a eles, toda a cidade parecia uma sala de espera. Os que tinham uma profissão, executavam-na ao ritmo da própria peste, meticulosamente e sem brilho. Todos eram modestos. Pela primeira vez, os separados não tinham repugnância em falar dos ausentes, em usar a linguagem de todos, em examinar sua separação sob o mesmo enfoque que as estatísticas da epidemia. Enquanto, até então, tinham subtraído ferozmente seu sofrimento à desgraça colectiva, aceitavam agora a confusão. Sem memórias e sem esperança, instalavam-se no presente. Na verdade, tudo se tornava presente para eles. A peste, é preciso que se diga, tirara a todos o poder do amor e até mesmo da amizade. Porque o amor exige um pouco de futuro e para nós só havia instantes."

Albert Camus, A Peste, 1972

Publicado por [Chuckie Egg] às 01:05 PM | Comentários (1)

Poesia de rua #61 - Quero

cerejeiras.jpg

Publicado por [Chuckie Egg] às 11:49 AM | Comentários (0)