« Well, if you say so... | Entrada | Melhorar a mobilidade? »

julho 12, 2010

Tribunal anula troca dos terrenos do Parque Mayer e da Feira Popular

Img079.jpg

O Tribunal Administrativo e Fiscal de Lisboa decretou a nulidade da permuta dos terrenos do Parque Mayer com os da antiga Feira Popular de Lisboa, assim como a hasta pública da parcela remanescente deste espaço, deferindo a pretensão de José Sá Fernandes, vereador da Câmara de Lisboa.

Publicado por [Saboteur] às julho 12, 2010 11:33 PM

Comentários

Não foi o Sá Fernandes. Foram os eleitos da CDU (os únicos a votar contra a negociata, onde os do BE se abstiveram) que colocaram a coisa nos tribunais.

Publicado por [Anónimo] às julho 13, 2010 12:00 AM

agora já podemos dormir descansados

Publicado por [Anónimo] às julho 13, 2010 01:13 AM

Querido Saboteur,
esqueceste-te de por o resto da notícia...

"O caso remonta ao início de 2005, quando a Assembleia Municipal de Lisboa aprovou por maioria, à excepção da CDU, a permuta dos terrenos do Parque Mayer, da Bragaparques, por parte dos terrenos camarários no espaço da antiga Feira Popular, em Entrecampos. "

:D

Publicado por [Daniela Pamplona] às julho 13, 2010 11:08 AM

ULTRAKILLLLLLLLLLLLLLLL!

MEGA PWN!

Daniela, vamos fazer amor?

Publicado por [anon] às julho 13, 2010 11:23 AM

então o fuhrer dos bloquinhos reformistas já anda em negociatas de imobiliárias....já não se pode confiar em ninguém...sobe sobe balão sobe

saudações (mas sem braço estendido nem punho em riste)

Publicado por [capelarder] às julho 13, 2010 01:14 PM

Em 2005 o BE nem sequer tinha vereador na Câmara, e só representantes na Assembleia.

Sá Fernandes apresentou no tribunal em nome de um grupo de cidadãos, um processo para impugnar a permuta, e na altura ainda nem sequer era vereador.

E ainda há toda a historia á volta do Presidente da Assembleia á época , Antonio Modesto Navarro, que terá recebido uma carta de Santana com dados sobre esta permuta, que nunca deu conhecimento á Assembleia.

A CDU que se apresenta em todo este negócio como a única força que foi sempre coerente, afinal talvez não seja mesmo assim...ou pelo menos deveria clarificar a actuação do sr António Modesto Navarro.....

Publicado por [anonimo] às julho 13, 2010 01:23 PM

Só se pode ser coerente se for uma força?
O Sá Fernandes apresentou um processo e não era ainda vereador. Há algum problema nisso? Parece-me que ele é que é o coerente.

Publicado por [Anónimo] às julho 13, 2010 01:34 PM

Sá Fernandes lutou contra uma negociata que ele achava errada, como cidadão e ainda em 2005, pôs um processo em Tribunal.

Afinal parece que nem a CDU contestou com argumentos sólidos o negócio, pois o único processo que avançou em tribunal, foi o de Sá Fernandes.

O resto faz parte da cassete da CDU, repetem sempre a mesma história, só que ninguem entende os argumentos, propunham a expropriação do Parque Mayer?

Com que verbas pagariam essa expropriação?

Porque não intervieram no Parque Mayer, e o deixaram degradar, durante os anos que estiveram a dirigir a Camara em aliança com o PS?

Será que tinham tambem negócios não totalmente justificados, com a BragaParques como o parque da Praça da Figueira....

Quem eram os vereadores da CDU na época e onde estão hoje.....

Isto das alianças entre construtores e vereadores nas Camaras tem muito que se lhe diga....

Publicado por [anonimo] às julho 13, 2010 01:38 PM

Querida Daniela e caro Anónimo:

Eu não me esqueci da notícia. Só linkei o lead... E o lead diz o fundamental.

É certo e sabido que o PCP foi o único Partido a votar contra na Assembleia Municipal e que o BE meteu a pata toda na poça, num daqueles erros políticos que acontecem por falta de preparação técnica-politica (faltava boa assessoria ;)) e não por qualquer proximidade às negociatas da Bragaparques, do PS e do PSD, como é evidente.

Agora, daí a querer apagar da história o papel do Sá Fernandes, quando ele, inclusivamente, foi alvo de uma tentativa de suborno para deixar cair este processo, quando ele, inclusivamente, foi o primeiro vereador eleito a denunciar uma tentativa de suborno por parte de um construtor civil, querer apagar da história o Sá Fernandes, como o PCP tentou fazer nas eleições autárquicas de 2007, em que o JSF foi cabeça de lista do Bloco, como se apenas o PCP tivesse contestado o negócio contra todos os outros... isso é que não cabe na cabeça de ninguém minimamente sério.

Aliás, sobre este processo, estou particularmente à vontade: Interrompi as minha férias para ir testemunhar, passei um dia inteiro na sala de espera do tribunal (com os assessores do Domingos Névoa a vigiarem-me de soslaio), tive de voltar no dia seguinte e só depois do almoço é que consegui depôr.

Quem esteve lá sempre foi o Sá Fernandes. Não foi o Chaparro...

De qualquer forma, acredito que os depoimentos de Modesto Navarro e os documentos editados pelo PCP a explicar em detalhe a negociata, ajudaram muito a desmascarar este negócio que entretanto já custou milhões aos contribuintes...

Os comentário irónico do 2º anónimo, se bem compreendo, vai na linha de que isto não adianta nada e que "eles são todos iguais"...

Pois... parece que, mais uma vez, a realidade, teimosamente, demonstrou que não.

Publicado por [Saboteur] às julho 13, 2010 06:38 PM

Querido Saboteur,
parece que estamos de acordo :)
(ou pelo menos na mesma direccao)
Ja agora, tendo em conta que o processo foi posto pelo Sa Fernandes, que raio haveria de la fazer o Chaparro?

Só para bater mais um bocadinho no ceguinho (às vezes os ceguinhos tb merecem), é óbvio que o Bloco viu a negociata e que sabia o que se estava a passar. Os documentos eram públicos, e as discussões na A.M.L. mostraram bem as coisas.


Publicado por [Daniela Pamplona] às julho 14, 2010 05:07 PM

Claro que não ia lá fazer nada! Foi uma forma ilustrada de dizer, precisamente, que se tratava da acção do Sá Fernandes (um pouco em resposta ao 1º anónimo). Não leves a mal ;)

Publicado por [Saboteur] às julho 14, 2010 06:53 PM

http://www.youtube.com/user/SIPDORLPCP#p/u/34/KUVtMnts-g0

O BE a aprovar o negócio.

Publicado por [pedro] às julho 15, 2010 12:46 PM

Precisamente, este videozinho lançado pelo PCP em plena campanha eleitoral de 2007 sobre como o BE tinha votado o negócio há alguns anos atrás, quando nem sequer tinha vereadores eleitos, nem estrutura ou experiência autárquica que lhes impedisse de cometer este tipo de erros, com o pormenor de escrever por baixo, "Carlos Marques, assessor do Vereador Sá Fernandes", é um bom exemplo de como uma força política está mais interessada em ganhar uns votozinhos do que em esclarecer o povo

Publicado por [saboteur] às julho 16, 2010 01:55 PM

AFAICT you've covreed all the bases with this answer!

Publicado por [Leatrix] às julho 7, 2011 01:54 AM

Begun, the great inetnret education has.

Publicado por [Alyn] às julho 9, 2011 04:22 AM

Your article was excellent and eurdite.

Publicado por [Roberta] às julho 9, 2011 05:18 PM

Comente




Recordar-me?

(pode usar HTML tags)