« dezembro 2009 | Entrada | fevereiro 2010 »

janeiro 31, 2010

De quem é que a gente gosta?

Publicado por [Rick Dangerous] às 05:29 PM | Comentários (2)

janeiro 30, 2010

cidadania

Hoje fui um cidadão exemplar duas vezes. Ia nos meus afazeres quando, em momentos diferentes, dois automóveis de prestígio (marca alemã, custo nunca inferior a 25 000 €) se atravessaram imobilizados no meu caminho. Quer dizer, estacionados em cima do passeio, sem espaço para um gajo passar. Não, não me passei. Tive, isso sim, um assomo de cidadania activa. Vai daí, lembrei-me das aulas de introdução ao direito e visualizei, num momento quase beatífico, o art. 336.º do Código Civil: "É lícito o recurso à força com o fim de realizar ou assegurar o próprio direito, quando a acção directa for indispensável, pela impossibilidade de recorrer em tempo útil aos meios coercivos normais, para evitar a inutilização prática desse direito". É por isso que hoje, em Campo de Ourique, um audi e um BMW perderam cada um uma das escovas do limpa pára-brisas. O meu direito foi assegurado? Não, não foi. Mas soube-me mesmo bem.

Dia 20 de Fevereiro, alguns católicos vão desfilar pela Av. da Liberdade com o único objectivo de retirar liberdade e igualdade aos outros, ou seja, impedir que as pessoas que o queiram possam casar-se com outras pessoas do mesmo sexo. Li esta notícia e tive mais uma epifania cidadã. Decidi que lá estarei na Av. da Liberdade, não a desfilar com o fascismo católico, mas a confrontá-lo directamente no passeio, de cartaz na mão. Malta do Spectrum e amigos, alguém quer vir?

Publicado por [Renegade] às 07:35 PM | Comentários (56)

janeiro 26, 2010

ZEP i.e. Zone d'Expression Populaire


NIQUE LA FRANCE (Le clip)
envoyé par zep_zep. - Regardez d'autres vidéos de musique.

Publicado por [Shift] às 07:24 PM | Comentários (6)

janeiro 25, 2010

BE: uma democracia interna alegre

Não é que morra de amores por este partido, que eles lá gostam de chamar movimento, mas, ainda assim, acho relevante esta questão levantada por 60 militantes (que eles lá gostam de chamar aderentes) do BE. O camarada Louçã ainda não disse nada e dificilmente dirá. Apoiar um candidato sem que as estruturas do partido, ou lá o que é, se pronunciem, é, com certeza, para o líder dos bloquistas, um problema táctico e não político que só preocupa os que não têm mais nada para fazer. O texto a exigir uma democracia menos coxa segue abaixo, via Troll Urbano, cujos autores também assinam o referido documento.


À Mesa Nacional
À Comissão Política do Bloco de Esquerda

Camaradas,

Temos tido conhecimento, através da Comunicação Social, de sucessivas declarações de dirigentes do Bloco de Esquerda dando conta da nossa disponibilidade para apoiar Manuel Alegre nas próximas eleições presidenciais, antes e depois de Alegre ter anunciado publicamente a sua candidatura como a que “assegura a maior convergência da Esquerda e que pode derrotar Cavaco Silva”.

Desconhecemos quaisquer consultas efectuadas às estruturas do Bloco, no sentido de Alegre garantir, segundo as decisões da última Convenção Nacional, “a convergência mais ampla possível para a luta política da esquerda”.

Estranhamos que o Bloco de Esquerda possa declarar publicamente o seu apoio a um candidato sem lhe conhecer o programa político, nem os apoios políticos.

Não compreendemos a razão da pressa nem conhecemos a justificação do momento escolhido para, a um ano das presidenciais, o Bloco anunciar o seu apoio à candidatura de Manuel Alegre.

Não entendemos, a um ano das eleições e com todos os cenários políticos em aberto, como pode o Bloco ter a certeza de que não surgirá outra candidatura à Esquerda que preencha os requisitos aprovados em Convenção, que una a Esquerda, que seja oposição a Cavaco Silva e que seja alternativa consequente às políticas de Direita do Governo de Sócrates.

Lisboa, 19 de Janeiro de 2010."

Publicado por [Paradise Café] às 09:24 AM | Comentários (14)

janeiro 24, 2010

A falta de oportunidade de João Manuel Rocha existir

Haiti: maldição ou "oportunidade de reinvenção"? É com esta sugestão que o jornalista do Público, João Manuel Rocha, inicía, na edição de hoje do jornal, uma reflexão sobre a catástrofe. Sugerir que a morte de muitos milhares e o sofrimento de muitos mais é uma oportunidade de qualquer coisa é tão estupido que só mesmo a ideia de vómito me ocorre para ilustrar o que penso sobre "pensamentos" desta estirpe.
Oportunidades no Haiti? sim, de matéria para vender jornais para pagar a figurões da sua espécie...

POST CORRIGIDO (EXPLICAÇÕES NOS COMENTÁRIOS)

Publicado por [Paradise Café] às 12:40 PM | Comentários (16)

Recuos

Apesar de se manter a grave crise económica que abalou o capitalismo, surpreendentemente, parece ter ganho novo fôlego (pelo menos em Portugal) o discurso da contenção orçamental e do estímulo à economia à custa de quem trabalha.

Ao mesmo tempo, o Governo negoceia o Orçamento de Estado com a direita e a extrema-direita enquanto a paz social nas ruas é evidente.

Quanto a mim, tudo isto ilustra bem a perda de terreno da esquerda, à esquerda do PS, que ainda há bem pouco tempo comemorava (comemorávamos todos) ter atingindo novamente os cerca de 20% de eleitorado que tinha tido em 82.

Como se tudo isto não bastasse, mais uma humilhação. Humilhação ao ouvir ontem, impotente, a TSF:

Vítor Constâncio, aparece como grande defensor da classe operária, opinando contra os economistas, especialistas e comentadores da nossa praça, deixando algumas dúvidas sobre os jornalistas económicos (dúvidas se aquilo não será só propaganda do PS), dizendo que não, não é necessário reduzir os salários para relançar a economia. Um simples congelamento servirá segundo Constâncio.

Publicado por [Saboteur] às 11:00 AM | Comentários (57)

janeiro 22, 2010

Este amor que é livre livre

Personalize funny videos and birthday eCards at JibJab!

Publicado por [Rick Dangerous] às 06:34 PM | Comentários (11)

Troco Manuel Alegre por Herberto Helder

Stencil - Bairro da Graça Lisboa.JPG

Publicado por [Joystick] às 05:58 PM | Comentários (3)

Fraude no Ionline

Hackers atacaram os servidores do jornal I e encheram uma página de elogios a Manuel Alegre feitos por Jaime Nogueira Pinto. Se do primeiro ainda alguém possa duvidar do seu sentido pátrio, especialmente à direita, à esquerda ninguém duvida do sentido pátrio de Nogueira Pinto. Com amigos destes...

moçambique.jpg

"Como é que se acaba esta aventura africana com uma empresa de segurança em África?

É só em Moçambique e emprega cinco mil pessoas, moçambicanos.

Como é que se termina assim este percurso?

Termina não, que eu faço muitas outras coisas na vida. Em Moçambique, num dado momento, o Carlos Veiga Anjos, que na altura [princípios de 2000] era da administração de Cahora Bassa, queria fazer o outsourcing da segurança. Tínhamos uma equipa de formadores [de segurança] em Luanda e disse-lhe que tinha um tipo óptimo, um ex-oficial dos Comandos, o Rui Castro Pereira, que ia ficar livre. Ele foi para Moçambique estudar o caso e, quando acabou, disse-me que talvez pudéssemos fazer nós próprios qualquer coisa. Eu e um grande amigo meu, o Vitor Ribeiro, que foi presidente da Associação de Comandos e que foi decisivo no 25 de Novembro, decidimos então fazer uma empresa.

Uma empresa de segurança em África não é o mesmo que em Portugal.

Não, mas acaba por ser tudo a mesma coisa. É uma coisa banal porque a segurança pública é má.

Tem de reconhecer que é um exército.

É."

Publicado por [Chuckie Egg] às 04:17 PM | Comentários (0)

Fraude no facebook

Foi com grande transtornação que descobri que a página do FaceBook do Manuel Alegre que sugeri no meu último post, era afinal falsa.

A coisa estava a crescer a bom ritmo, este Manuel já tinha umas centenas de amigos, mas pelos vistos era tudo uma brincadeira de mau gosto do Vitalino Canas com o objectivo de mais tarde vir a utilizar esta ferramenta para colar Alegre (ainda mais) ao Bloco, ou então, uma brincadeira dos Ruptura, para vir a colar o Alegre (ainda mais) ao Governo Sócrates e às suas politicas neo-liberais.

Eu, que o tinha encontrado no chat e tinha recebido amigaveis palavras de solidariedade pelo meu apoio no Spectrum, vejo agora que fui enganado. Tinhamos combinado ir às perdizes no Domingo e tudo!

Publicado por [Saboteur] às 03:21 PM | Comentários (8)

I colonize you, you colonize me

Colonial.jpg

Publicado por [Rex] às 04:01 AM | Comentários (2)

janeiro 21, 2010

Cagando para o segredo de justiça

Publicado por [Rick Dangerous] às 07:01 PM | Comentários (4)

Entre vómito e o Super Mário.

aqui e aqui falei do debate sobre a identidade nacional que tem decorrido em França.
Ao mesmo ritmo desses debates organizados pelo Ministério da Imigração e Etc têm-se desmultiplicado acções directas e discretas, verdadeiras contribuições ao debate, cujo objectivo é mostrar o ridículo da coisa!
Aqui ficam dois exemplos engraçados (em francês). O primeiro vídeo mostra uma acção das Panteras Rosas: o debate identitário tornou-se um espaço propício para um vómito nacional. Chamo a atenção para as últimas declarações do Sr Ministro Besson no vídeo: “Eles têm sempre razão... é o fascismo de esquerda”. O segundo vídeo mostra uma acção feita pelos gatos fedorentos daqui: Action discrète. Chamo a atenção para as últimas declarações do Sr que estava a moderar o debate: “Obrigado por esta excelente demonstraçao de Democracia”.


Identité nationale : la nausée. Eric Besson interpellé.
envoyé par Les_Pantheres_roses. - L'actualité du moment en vidéo.

Action Discrète : Hommage à Mario
envoyé par Gameblog. - Plus de jeux vidéo !

Publicado por [Shift] às 02:12 PM | Comentários (3)

janeiro 20, 2010

O tabu é bom para as audiências...

O Renato Teixeira do 5 dias e de outros sítios, entre outros mimos, solicita-me que eu dê a minha opinião sobre a candidatura de Manuel Alegre à Presidência da República.

Eu, como militante disciplinado que sou, estou só à espera da orientação de voto do meu partido, que será tomada, com toda a certeza, depois de um aprofundado debate democrático. Até lá é assunto tabú.

Entretanto, como sou um democrata - daqueles que não saca logo da soqueira quando ouve alguma opinião com que não concorda, como há infelizmente tantos - aceitei o pedido de amizade que gentilmente o pré-candidato me fez através do FaceBook.


Publicado por [Saboteur] às 03:40 PM | Comentários (32)

janeiro 19, 2010

Apresentados os projectos vencedores na votação do Orçamento Participativo de 2010

Foram ontem revelados os projectos vencedores no Orçamento Participativo de Lisboa.

Alguns camaradas resmungam que é tudo uma operação de propaganda de António Costa. Têm intuitivamente razão: O Orçamento Participativo é um bom instrumento para ganhar votos. Precisamente porque o Orçamento Participativo é uma boa ideia.

Porém, para a oposição de esquerda em Lisboa, ignorar o OP ou fazer críticas trapalhonas que depois ninguém acompanha, é a pior das estratégias. A tarefa deveria ser precisamente a contrária: promover e valorizar o OP. Dinamizar o debate e a participação, acompanhar, nomeadamente com os movimentos sociais informais que se mobilizaram para o OP, todo o processo e propor melhoramentos concretos indo à luta por eles.

Publicado por [Saboteur] às 10:50 PM | Comentários (11)

Não podem estar os dois correctos

É curioso que enquanto figuras do Socratismo - Vital Moreira, José Lello, Correia de Campos e agora José Vitorino - atacam Manuel Alegre, dizendo que ele está demasiado colado ao BE, alguma esquerda, acusa-o de estar demasiado colado a Sócrates e ao Governo, chegando mesmo os mais afoitos a dizer que a cara de um é o focinho do outro.

Parece-me que ou o Vitorino ou o Renato estão a analisar mal a situação política. Não podem estar os dois certos.

Publicado por [Saboteur] às 10:17 AM | Comentários (11)

janeiro 18, 2010

Socialismo... Australian-style

Lenin.jpg

Passei hoje por este bar, ali mesmo ao lado da Ópera de Sydney. O bar chama-se Lenin e serve vodka. O letreiro está numa janela perpendicular à rua (com pouco visibilidade) e escondido atrás de sofás. É um socialismo muito tímido, o desta malta.

Publicado por [Rex] às 08:15 AM | Comentários (5)

janeiro 17, 2010

Presidenciáveis à Esquerda (3)

Publicado por [Rick Dangerous] às 06:05 PM | Comentários (2)

Presidenciáveis à Esquerda (2)

Publicado por [Rick Dangerous] às 06:01 PM | Comentários (1)

Presidenciáveis à Esquerda (1)

Publicado por [Rick Dangerous] às 05:47 PM | Comentários (4)

janeiro 16, 2010

Hoje, às 15h30

A ATTAC Portugal abre o debate público em Portugal sobre a medida e os indicadores de desenvolvimento e qualidade de vida.

attac_peq.jpg

Desenvolvido no contexto da Grande Depressão dos anos 30 e da II Guerra Mundial, acompanhando a ascensão da macroeconomia keynesiana, o PIB tornou-se um dos mais conhecidos indicadores económicos. O seu elevado grau de disponibilidade e de comparabilidade, entre países e ao longo do tempo, transformaram o PIB na medida privilegiada do sucesso das economias e das sociedades, em termos do discurso académico, mas também ao nível do debate político e da atenção mediática.

No entanto, há muito que foram sendo notadas as limitações do PIB, quer como medida da produção e do crescimento económico, quer, sobretudo, como indicador de qualidade de vida ou de bem-estar. A discussão sobre as insuficiências do PIB e a necessidade de o substituir ou complementar com outros indicadores tem ganho crescente relevância, tendo merecido a atenção de organizações como a ONU, a União Europeia ou a OCDE – particular destaque merece, neste contexto, a iniciativa do Governo Francês que conduziu à elaboração de um relatório sobre o tema, recentemente publicado, coordenado pelos conhecidos economistas Joseph Stiglitz e Amartya Sen. Neste âmbito, as propostas têm convergido na necessidade de incluir as dimensões da sustentabilidade social e ambiental dos processos económicos, reflectindo a crescente saliência destas questões no debate público.

A discussão sobre o PIB constitui uma oportunidade para reflectir sobre os objectivos que as nossas sociedades, mais ou menos ‘desenvolvidas’, podem e devem prosseguir, bem como sobre os valores que estão subjacentes às escolhas com que nos deparamos. Este é um debate que não pode ficar confinado à dimensão técnica dos ‘especialistas’. A participação alargada da sociedade na definição dos padrões de orientação e avaliação dos caminhos por onde passará o nosso futuro colectivo é, desde logo, uma elementar exigência democrática.

Publicado por [Saboteur] às 10:51 AM | Comentários (4)

janeiro 15, 2010

Última Hora - Exclusivo Spectrum

flopes.jpg
Várias personalidades anteriormente agraciadas com a Grã-Cruz da Ordem de Cristo (que, de acordo com a Lusa, este ano será entregue a Santana Lopes) estão, neste preciso momento, a caminho do Palácio de Belém, onde irão devolver a distinção.

Publicado por [Bomb Jack] às 03:22 PM | Comentários (6)

janeiro 14, 2010

Epá… Terça fui ao teatro e…

...Para ver a peça “A mon âge, je me cache encore pour fumer” chegámos relativamente cedo ao local (cujo início da peça estava programado para as 20h30).
Eu e uma amiga, instalámo-nos bem numa das filas da frente e já confortáveis falámos de temas diversos, enquanto esperávamos o início do espectáculo. A espera, embora agradável e sob as luzes românticas de uma sala de teatro é interrompida por um senhor de aparência “doce” que elevando a voz anuncia que a peça estava atrasada por razões técnicas, pedindo ao mesmo tempo a nossa compreensão e mais dez minutos de espera. O reembolso do bilhete estava ao nosso dispor. Eram 21h. Verificaram-se poucas baixas no público.
Às 21h20, o mesmo senhor reaparece em cena e diz-nos que o problema ainda não tinha sido resolvido, duas ou três vozes no meio do público exaltaram-se... uma delas, com um sotaque bastante parisiense e à boa maneira francesa ataca: “Pourriez-vous nous dire quel genre de problème?”. Uma senhora segreda à orelha do senhor de aparência “doce”, levando este a decidir partilhar connosco, de maneira desastrada, o verdadeiro motivo do atraso: “Como vocês são inteligentes posso partilhar... uma das actrizes ainda está a caminho depois de ter tido um acidente que a conduziu ao hospital.” Ahhhhh... ouviu-se o público em uníssono. As baixas no seio do público foram agora maciças!
Com a minha amiga comentámos que esta era a terceira vez que nos acontecia tal coisa na Maison des Metallos (Instituição cultural da Câmara de Paris) que se situa aqui mesmo ao lado de casa. A última vez tinha sido a anulação de um espectáculo de marionetas de sombras turcas, em razão de uma hospitalização urgente do artista. Comentámos assim, em modo místico, que este Estabelecimento tinha sido alvo de um bruxedooooo da parte da classe capitalista. A “Casa dos metalurgistas” foi inaugurada em 1937. Ela tornar-se-á rapidamente um dos lugares fortes do sindicalismo francês. Onde foram travadas grandes lutas sociais e onde foi organizada por exemplo a solidariedade com a Espanha Republicana. A CGT viu-se obrigada a vender esta sede histórica nos anos 90, e após uma longa luta associativa e de um conjunto de pessoas do bairro contra a especulação Imobiliária a cidade de Paris tornou-se proprietária do lugar em 2001.
Às 21h45 o senhor de aparência « doce » reaparece e diz-nos com um ar desgastado (sem dúvida por ter carregado a responsabilidade do atraso de 1h15 face a 300 pessoas): “a peça vai começar, por favor não se esqueçam de desligar os telemóveis”.
Estamos num Hamam (Banho Turco) na Argélia, uma mulher fuma um cigarro, a única maneira que encontra para “distender os nervos” quando uma outra mulher grávida, apavorada e em lágrimas, introduz-se no local para lhe pedir asilo. O seu irmão, emigrante em França e tendo-se tornado integrista, de volta ao país, procurava matar esta mulher pela suposta desonra feita à família. A história desenvolve-se em torno das conversas entre 9 mulheres presentes no Hamam. Conversas sobre o corpo, opressão masculina, religião, desejos de vida e de sensualidade. Ainda que mergulhadas em várias divergências, a peça acaba com um momento de solidariedade e de união feminina.
Saímos do teatro à mesma hora que o grande sismo atingiu o Haiti. Eu e a minha amiga não ficámos completamente convencidas com o argumentário feminista da criação, nomeadamente pelo facto da peça ter evoluido no denegrimento da imagem do homem árabe e muçulmano. Talvez, se tivesse visto a peça em Argel o espectáculo ter-me-ido caído de maneira diferente. Em Paris, França, país que tem sido alvo de uma islamofobia arrebatadora, um argumentário como este pode deitar mais achas à fogueira.
Acabei de saber agora pela rádio que não foram achas mas petróleo que foi aspergido à actriz acidentada, felizmente sem sucesso para os atacantes uma vez que o fogo não pegou. O incidente decorreu no mesmo bairro da “Maison des Métallos”. A actriz em questão, é não só a actriz grávida fugitiva da peça, mas também a autora do texto na realidade. Tudo leva a crer que este ataque foi premeditado pelos meus vizinhos integristas muçulmanos que não gostaram muito do argumentário feminista desenvolvido por esta autora argelina, imigrada em França há alguns anitos ! Oups, afinal a pertinência é sempre relativa?

Publicado por [Shift] às 03:54 PM | Comentários (5)

janeiro 13, 2010

A menina limão é uma mosca do costume

amor.jpg


Esta notícia
, que me foi trazida pelas moscas do costume, faz com que todas as notícias sobre a paranóia securitária nos aeroportos (tipo isto) que tenho lido pareçam uma brincadeira de meninos. Afinal, de que é que interessa acedermos a ser completamente revistados e ainda observados num scanner se esta malta põe explosivos de propósito só para fazer uns testes e gozarem uns com os outros naquela do O meu aeroporto é mais seguro que o teu.

Já a foto, que não tem nada a ver com isto, foi roubada à menina limão que tem um bom blog e um granda par da frases. a saber, " Ó mãe, também queria ter uma pilinha. Assim, em vez de ter um blog «bonito», já podia ter um blog «bom». " e ainda " If life gives you lemons, fuck It, shoot heroin", sendo que esta última é a única coisa neste post que não tem link porque ela deve estar cheia de trabalho ou coisa assim.

Publicado por [Chuckie Egg] às 08:52 PM | Comentários (5)

Notas para a redefinição da cultura

Publicado por [Rick Dangerous] às 04:07 PM | Comentários (1)

The ultimate comedy show

sarah_palin_bikini.jpg

Fox News contrata Sarah Palin como comentadora.

Publicado por [Bounty Bob] às 03:31 PM | Comentários (3)

Com este tempo só apetece é estar no sofá a ver TV

Hoje, na TVI24, às 23h, o economista João Rodrigues, que escreve nos Ladrões de Bicicletas, vai estar no programa do Peres Metelo, com Braga de Macedo.

Apesar de ser um canal de cabo, não está nada mal. O consenso em torno de temas que não deviam ter nada de consensual como a "crise orçamental", a contenção salarial, o aumento das exportações e a necessidade de reduzir impostos para dinamizar a economia, já mete nojo.

Teve de ser um dos melhores economistas do país para conseguir iludir a apertada segurança ideológica do status quo e entrar na fortaleza do pensamento único.

Publicado por [Saboteur] às 03:22 PM | Comentários (0)

janeiro 12, 2010

America is in danger

Glenn Beck avisa a nação americana acerca de um livro que dentro de nada estará em todas as livrarias portuguesas.

Publicado por [Party Program] às 12:04 PM | Comentários (5)

janeiro 10, 2010

Crescimento e Capitalismo

attacPIB.jpg

O tema do colóquio organizado pela ATTAC – “Há mais vida para além do PIB” – pode ser “agarrado” de diversas maneiras, todas elas interessantes.

Desde logo, numa perspectiva mais técnica: É o PIB um bom indicador de desenvolvimento económico? Ou pelo menos do “Produto” de um país?

Classicamente o PIB é a soma do consumo privado e do Estado, acrescido de investimentos e exportações, deduzido de importações (PIB = C + G + I + Exp –Imp). Logo, se decidíssemos construir mais 10 estádios de futebol para preparar o Mundial de 2018, o PIB iria crescer. Mas se conseguíssemos ter escolas públicas com capacidade para produzir as suas próprias refeições para as crianças que lá estudam, o PIB cairía.

Por outro lado, claro, há a perspectiva da justiça social. A Rússia tem um PIB gigantesco, nomeadamente devido aos crescentes preços do Petróleo e Gás natural, que fazem as delicias de Abramovich e dos adeptos do Chelsea

Depois, claro, há a perspectiva ambientalista. Só mesmo a direita mais tacanha, que argumenta com o “estes ambientalistas querem congelar a economia”, e alguns velhos comunistas que dizem “preocupações ambientalistas são para a burguesia, o que interessa é o emprego”, é que fecham os olhos ao que é hoje cada vez mais evidente: vivemos numa época de catástrofes ambientais, extinção de espécies, esgotamento de combustíveis, rareamento de água potável, patologias causadas por factores ambientais…

Gostava, no entanto, que o colóquio da ATTAC abrisse um debate sobre se é realmente importante ter como objectivo o “crescimento”.

O crescimento contínuo da produção, dos mercados, do lucro, são a pedra de toque do capitalismo. Para crescer de forma permanente há que buscar constantemente aumentos de produtividade, ser ultra-competitivo, “responder cada vez melhor às necessidades que o consumidor nem sabe que tem”, como dizia um Director de Marketing de uma empresa onde trabalhei, saber vender e saber vender-se…

Para além disso, o aumento da competitividade está quase sempre relacionado com maior precariedade, desemprego, salários baixos e pressão psicológica (que como sabemos, pode mesmo, nos casos mais graves e dramáticos, provocar falta de desejo sexual)

Creio, no entanto, como disse alguém, que não só é necessário dividir melhor o bolo como sobretudo mudar a receita. Questionar a sociedade de consumo, pensar se a qualidade de vida está directamente ligada ao rendimento, se não há objectivos mais importantes para a nossa sociedade atingir do que aumentar a produção de riqueza.

A estagnação ou mesmo o decrescimento do PIB em Portugal, neste momento, por exemplo, equivaleria a uma estagnação do progresso? Atente-se novamente na equação do PIB a cima e pense-se se não há margem para baixar certos consumos, certos gastos do Estado, certos investimentos, certas exportações e viver ainda melhor, com mais tempo, com menos poluição, mais saúde e mais igualdade e justiça social…

Publicado por [Saboteur] às 04:13 PM | Comentários (4)

«À conquista da América»

A capa da Revista Única do Expresso é a actriz Daniela Ruah (nunca ouvi falar), que segundo a capa da revista vai “à conquista da América”.

Lá dentro percebo o destaque. A actriz (“que protagonizou várias novelas da TVI”), está a aparecer na série americana NCIS Los Angeles – Investigação criminal, no papel de “agente especial Kensi Blye”.

O título da entrevista é “Quero um Óscar, nem que seja aos 50!” e que bem lançada está na sua “conquista da América":

«Mais do que religiosa, sou tradicionalista. Identifico-me com a religião judaica, as famílias da parte da minha mãe e do meu pai praticam o judaísmo. O povo judeu tem uma História enorme. Com H grande. Se eu tiver que desempenhar um papel que esteja ligado ao Holocausto, apesar de não ter passado por isso, sinto-o na pele.»

«Israel tem praias lindas, uma vida nocturna giríssima e as pessoas são simpáticas. Têm picos por fora, mas são muito doces por dentro. É um ambiente completamente relaxado. E, ao mesmo tempo, os soldados passeiam as suas armas na rua. Faz parte do quotidiano»

«Gostava tanto que houvesse paz. Mas também percebo porque é que Israel ataca com tanta força. O país tem o direito de defender a sua população quando se esgotam as vias do diálogo. Entristece-me profundamente não ver como se possa dialogar com uma formação radical e terrorista como o Hamas, que tem como único objectivo aniquilar Israel. E se conseguirem não vão ficar por aí. Eles têm intenção de ocupar o mundo» (negritos meus)

Resta saber em que papel Daniela se sente bem no tal filme sobre o Holocausto…

Publicado por [Saboteur] às 02:23 PM | Comentários (7)

janeiro 09, 2010

Mensagem de ano novo

Sai merda

Publicado por [Rex] às 11:53 PM | Comentários (2)

Frente Popular para a Libertação da Palestina ao rubro!


70 000 mil terroristas (segundo a União Europeia e os Estados Unidos) festejaram o 42° aniversário da FPLP, dia 11 de Dezembro de 2009, em Gaza. No 40° aniversário eram 15 000.

3.jpg

1610x.jpg

15564_197968439876_585354876_3077690_3178504_n.jpg

Publicado por [Shift] às 05:56 PM | Comentários (2)

Ainda atrasados - cinco anos mais tarde – duas cartas postais

A Operation Wolf, em Janeiro 2005 (já lá vão, portanto, cinco anitos), meteu aqui na casa (Spectrum) dois posts ainda hoje bastante actuais. Esperando que a Operation Wolf volte a escrever por estas paisagens, deixo-vos aqui as duas cartas postais que ela nos deixou outrora!

Uma relacionada com uma das campanha da ILGA, sobre a qual Operation Wolf dizia: “estes cartazes mais uns anúncios na rádio e na televisão andam por aí para nos lembrar que há tanta gente que não pode simplesmente passear pela rua de mão dada com o seu amor, nem ousar um gesto de afecto sem medir primeiro o espaço onde se encontra”, cujos comentários foram bastantes reveladores do desespero da situação, o Rex dizia: “Acho que ainda faltam uns anos, mas é certamente o caminho que tem de ser percorrido.”; o Pedro Vieira: “cá na terra a populaça liga mais ao picaresco do boato sócrates-infante do que ao menu que o primeiro nos vai servir a partir de 20 de fevereiro. preocupa-me mais a indigestão do menu do que o sexo do conjuge. livra!” e o Renegade: “Bela campanha. Só é pena que no meio das outras desapareça um bocado. Eu ainda não vi nem ouvi nada disto por aí.”
Hoje Portugal deu um passo importante, mas também eu acho que ainda faltam uns anos...

Por outro lado, Operation Wolf presenteou-nos, ainda que atrasada, com esta carta postal natalícia. Que... estupidamente continua a chegar atrasada.

MerryChristmas.gif

Publicado por [Shift] às 12:01 AM | Comentários (1)

janeiro 08, 2010

A reacção não é um "tigre de papel"

Ouvi hoje da manhã partes de um Fórum TSF especial que alternava as intervenções dos ouvintes com as dos deputados na AR, na sessão que aprovou os casamentos entre pessoas do mesmo sexo.

A direita esteve com bastante gás, a escorrer demagogia, ora a chorar lágrimas de crocodilo pela participação cívica e pelo referendo, ora a chorar lágrimas de crocodilo pelos desempregados, dizendo, na linha do Cavaco, que a prioridade do país tinha de ser a crise e o desemprego.

A esquerda, por seu turno, continua com dificuldade em fazer oposição ao Socratismo e travar ao mesmo tempo a luta contra a direita pura e dura. O sound-bite que a TSF repetia nos separadores do Fórum, era o Pureza a dizer “Esta proposta pode ser lida como um recado aos casais homossexuais: divorciem-se se querem adoptar”.

É realmente inadmissível (e inconstitucional) que se vede o direito à adopção por parte de casais homossexuais. Mas o combate de ideias contra as forças mais reaccionárias da sociedade portuguesa (CDS, PSD, Cavaco, Igreja, etc.) não pode ser descurado desta maneira.

Publicado por [Saboteur] às 10:35 PM | Comentários (2)

Colóquio da ATTAC Portugal

Olha lá quem é que vai fazer um colóquio com o conhecido Cerial Killer!

A ver se desta vez não o desconvidam à ultima da hora...

Publicado por [Saboteur] às 03:30 AM | Comentários (6)

janeiro 07, 2010

All this world is like this town called Elvas


Cheguei através do Daniel a uma lista de manchetes de jornal. Uma delas chamou-me particularmente a atenção pela sua ressonância camiliana: “Sexo na cadeia entre mulher e homicida de marido leva guardas a tribunal” Que alinhamento dos astros terá permitido semelhante acontecimento? Fui ver, que é como quem diz, googlei. Eis o resultado:

"A prática de sexo na cadeia de Elvas entre uma mulher e um homem que havia morto o seu marido vai ser de novo o tema maior das alegações finais do processo, em que dois guardas prisionais são acusados de corrupção.
Segundo a acusação, os dois guardas prisionais facilitaram a entrada de uma mulher naquele estabelecimento prisional para manter relações sexuais com o referido recluso que cumpria uma pena de prisão de 17 anos por ter morto o seu marido.
A mulher terá entrado naquele estabelecimento prisional durante a madrugada, sendo conduzida por um dos guardas à sala de visitas, onde manteve um alegado encontro de cariz sexual com o detido.
Dias antes, a mulher teria passado um cheque ao recluso, o qual tê-lo-á entregue, posteriormente, no valor de 500 euros (cem contos, à data do caso), a um dos guardas, presumivelmente para facilitar o encontro.
Os dois guardas já haviam sido condenados por corrupção a um e dois anos de prisão, com pena suspensa, mas o Tribunal da Relação de Évora ordenou a repetição do julgamento que tem segunda-feira a última sessão antes da leitura do acórdão final.
Segunda-feira, realizam-se as alegações finais deste caso que remonta a Agosto de 1999, ocasião em que, segundo o Ministério Público, a mulher terá ido ao estabelecimento prisional de Elvas para ter relações sexuais com um condenado pela morte do seu marido e com quem teria uma relação íntima já antiga.
Os dois guardas prisionais do Estabelecimento Prisional de Elvas, que se encontram suspensos das suas funções, estão indiciados pelos crimes de corrupção passiva para acto ilícito, suborno, denúncia caluniosa, coacção grave e abuso de poder.
O julgamento teve início em Janeiro e foram ouvidos no rol de testemunhas cerca de uma dezena de guardas prisionais e três reclusos.
Os guardas prisionais, que trabalham ou já exerceram funções no estabelecimento prisional de Elvas, atestaram ao colectivo de juízes nunca terem testemunhado comportamentos suspeitos por parte dos companheiros de trabalho."

Publicado por [Rick Dangerous] às 03:13 PM | Comentários (1)

janeiro 06, 2010

Faltam 10 dias

Tendo sido interrompida a 2ª fase do Orçaento Participativo de Lisboa, para correcção de algumas falhas denunciadas por munícipes que tinham feito propostas, que depois não constavam no conjunto de "propostas elegíveis" sem justificação, o OP de Lisboa está aí novamente.

Temos até dia 15 deste mês para decidir em que projecto ou projectos deverão ser investidos os 5 Milhões de euros que estão aí à disponibilidade deste importante instrumento de democracia directa.

Como já tinha dito noutro post, só passar os olhos pelas propostas feitas pelos munícipes é um regalo. Pode ser que, a partir daqui, algumas forças políticas sejam capazes de fazer um programa com mais ideias para próximos actos eleitorais na cidade.

Publicado por [Saboteur] às 10:47 AM | Comentários (0)

janeiro 05, 2010

Sugestão de pintada ou a palavra final no debate sobre a violência revolucionária

a01_17270959.jpg

A revolução não é uma maçã que cai quando está madura. Tem de se fazê-la cair.
Ernesto “Che” Guevara

Publicado por [Bounty Bob] às 07:14 PM | Comentários (3)

Não me arrependo de nada


"R: Oiça irmão, vou-lhe dizer uma coisa: 90% das coisas pelas quais fui o responsável executivo, nunca são mencionadas.
P: Porquê?
R: Terão as suas razões. Todos saberão no momento certo. Quando eu publicar as minhas memórias. Ainda é cedo. Escrevi-as em Novembro de 1992, em Haman, e fiz duas cópias dactiilografadas que enviei a duas pessoas que não se conhecem. Ainda não chegou o momento. Não me vou agora armar em sapo, que é como chamamos aos chibos na Venezuela. Há chefes de Estado implicado, até em França.
P: Acusam-no de ter trabalhado mais tarde como um vulgar mercenário, sobretudo na Roménia, com Ceausescu.
R: Eu tinha carinho e respeito por Ceausescu. Era um pouco iluminado, um tipo da montanha, que vinha de uma família muito pobre. Grande patriota, muito solitário. Recebeu-nos de uma maneira muito calorosa."

Carlos,«o Chacal», deu uma entrevista por telefone ao El País.

Publicado por [Rick Dangerous] às 01:17 AM | Comentários (11)

janeiro 04, 2010

Carlos Vidal, Ricardo Noronha, Zé Neves, Daniel Oliveira, Noddy

Aqui no spectrum deixámos-nos dormir e o 5dias roubou-nos a especificidade politica e o estilo estrilhoso. O que aqui sempre foi levado meio a brincar lá é uma guerra pegada.

Fica aqui um video do noddy para o pessoal que pelo menos cá veio não sair de mãos a abanar.

Publicado por [Party Program] às 09:22 PM | Comentários (12)

janeiro 03, 2010

O edifício da PIDE

Quando estive em Budapeste, visitei o museu da ocupação nazi e soviética. Era um museu muito sensorial e inter-activo, que comunicava bem com as crianças e com os turistas, de que aliás estava cheio.

O museu ocupa parte do edifício da antiga polícia política e isso é uma das coisas mais impressionantes: estar no mesmo edifício, visitar os mesmos calabouços onde tanta gente, há tão pouco tempo, foi presa e mal tratada, muitas das vezes por apenas ter ideias políticas diferentes das do governo.

pide.jpg

Cá em Portugal, o edifício da PIDE foi reconvertido em prédio de habitação de luxo.

Depois de uma longa luta, o promotor imobiliário lá teve de aceitar a colocação da placa que lembra que no próprio dia 25 de Abril, os polícias que trabalhavam naquele edifício decidiram dar uma lição à populaça e abrir fogo sobre as pessoas indefesas, matando 4 cidadãos e ferindo mais uns tantos.

Acontece que a placa foi posta mas não foi posta: O chico-espertismo do promotor imobiliário, colocou-a, não onde sempre esteve nos últimos 30 anos, mas a um cantinho, ao nível da caixa de electricidade.

Para todos os que decidiram ir morar para um edifício onde há bem pouco tempo se torturavam e matavam pessoas, desejo-vos um 2010 cheio de noites mal dormidas, pintadas nas paredes de vossas casas e coisas do género.


Publicado por [Saboteur] às 05:17 PM | Comentários (9)