« Bolaño e outros jogos de plataformas | Entrada | Chicotada psicológica »

outubro 01, 2009

Quiz: Quem são hoje os novos mencheviques?

O que Marx mais combateu em toda a sua vida foram as ilusões da democracia pequeno burguesa e do democratismo burguês. O que ele mais ironizou foram as frases ocas sobre a liberdade e a igualdade (…). Tudo isto foi posto a nu em todos os seus trabalhos económicos. Podemos dizer que todo O Capital de Marx se empenha em esclarecer esta verdade, que as forças fundamentais da sociedade capitalista são e só podem ser a burguesia e o proletariado (…). Mas quando as coisas chegam à verdadeira luta, à luta decisiva pelo poder entre o proletariado e a burguesia, constatamos que os nossos mencheviques e os nossos socialistas-revolucionários, assim como os chefes dos velhos partidos socialistas do mundo inteiro, esqueceram esta verdade e se puseram a repetir de forma puramente mecânica as frases filistinas sobre a democracia geral.

LENINE, Relatório ao VIII Congresso do Partido Comunista da Rússia, 1919.

Publicado por [Paradise Café] às outubro 1, 2009 11:55 AM

Comentários

Ah, que bela surpresa: regressou e em força!

Um abraço!

Publicado por [s] às outubro 1, 2009 05:51 PM

Ah, que bela surpresa: regressou e em força!

Um abraço!

Publicado por [são] às outubro 1, 2009 05:53 PM

os 2 de cima ainda vão a tempo

http://www.youtube.com/watch?v=dZkVycBwqC0

Publicado por [rui faustino] às outubro 1, 2009 06:27 PM

Oi Paradise pq é q n te juntas ao PCTP MRPP, agora q as coisas vão voltar a aquecer, a Burguesia bem vai novamente precisar dos mesmos serviços que essa 5ª Coluna lhes prestou durante o PREC.

Publicado por [Francisco] às outubro 1, 2009 08:30 PM

Xico, as palavras do camarada Lénine incomodam-te, mas como não o assumes, disparas contra o mensageiro. Olha, eu como reles contra-revolucionário que sou junto-me ao PC e cito Marx, no 18 de Brumário, sobre a natureza da social-democracia:

---

"O caráter peculiar da social-democracia resume-se no fato de exigir instituições democrático-republicanas como meio não de acabar com dois extremos, capital e trabalho assalariado, mas de enfraquecer seu antagonismo e transformá-lo em harmonia. Por mais diferentes que sejam as medidas propostas para alcançar esse objetivo, por mais que sejam enfeitadas com concepções mais ou menos revolucionárias, o conteúdo permanece o mesmo. Esse conteúdo é a transformação da sociedade por um processo democrático, porém uma transformação dentro dos limites da pequena burguesia." -- Vejam lá como a nova esquerda, afinal, é velha de séculos?

Publicado por [Sadik] às outubro 2, 2009 04:18 AM

Sadik, o problema é que a nova esquerda sendo na realidade velha à seculos,as seitas também o são. O pc e o bloco são reformistas, não há duvidas quanto a isso, ams a alternativa a eles é estar aonde? Na marginalidade?

cumps

Publicado por [Badar] às outubro 2, 2009 10:21 AM

Francisco, é evidente que a cara do Garcia Pereira também lá podia estar. O que é aqui posto em causa pelo Lenin, ou pelo Marx na citação apresentada pelo Sadik, é o reformismo das forças que, falando em nome dos trabalhadores, como se alguma legitimidade tivessem para isso, fazem o jogo parlamentar e sindical, numa perspectiva puramente reivindicativa, onde a discussão sobre o poder é permanentemente posta de lado em nome da prioridade dada a cada batalha pontual. Mas mais do que isso, aqui também se levanta o véu sobre o carácter colaboracionista destas forças, que ao entrarem no jogo sem uma real perspectiva de transformação social radical, acabando por dar a sua mão à credibilização do actual sistema.
Caro Francisco, a discussão podia tornar-se interessante se desse lado fossem dados argumentos, mas percebo os receios de te dares a esse trabalho tal seria a monstruosidade da tarefa em mãos. Mas se conseguires mostrar em que é que a tua militância partidária se insere nas discussões e práticas da revolução, avança.

Publicado por [paradise café] às outubro 2, 2009 10:57 AM

Paradise,mesmo concordando contigo na caracterização do bloco e do pc como partidos reformistas, a militancia partidaria da-te conta da realidade social. A alternativa de não se militar ou de se militar em grupos de amigos seja em blogues ou em revistas é que não me parece alternativa. Declamar sem pratica, não leva a nada e a marginalização também não.

Publicado por [Badar] às outubro 2, 2009 11:48 AM

Caro Badar,
Pelo seu comentário, ficamos a saber que, na sua opinião, a intervenção política só é eficaz e efectiva se feita dentro do quadro partidário. Com todo o respeito, que visão mais obtusa...

Publicado por [BB] às outubro 2, 2009 12:30 PM

Sinceramente, a nível de manipulação só vejo diferenças temporais entre Marx, Lenin, Stalin, MRPP-75,BE-09.

- Marx trabalhava para a Maçonaria (Loja de londres) apoiado pelos Rocthild
- Lenin, era agente da Maçonaria, da loja Suiça "Art et Travail", pago igualmente pelos Rotchild
- Stalin, da variamte maçónica Rosa Cruz, e pago por banqueiros afectos aos Rotchild
- MRPP, apoiado pela CIA, criada pela loja Maçónica Skull&Bones. Rockefeller adorou o Maoismo.
- O Louçã, não há provas, mas a maneira Soarista como se declarou "Socialista, Laico e Republicano", e a ligação à IV Internacional (financiada pela Financial International por Jacob Schiff, um agente da Casa de Rothschild), e as amizades ao Maçon Emidio Santana cheira mesmo a avental.

Resumindo, os Sacanas dos Banqueiros e Capitalistões (Rocthcild, Rockefelelr's, etc...) criaram as organizações Comunismo Autoritário (O Libertário tb, através dos Maçons Proudhom, Bakunin ou Kropotkin)antes dos proletários se auto-organizarem, coisa na altura inveitavel mais tarde ou mais cedo.
Desde então, das mais variadas formas nos tentam iludir... Jogam de todos os lados, para ganhar sempre.

Publicado por [Nihda] às outubro 2, 2009 01:12 PM

Ou seja, Quinta Coluna são eles todos.

Publicado por [N] às outubro 2, 2009 01:15 PM

BB,a intervenção politica pode ser feita de varias formas, embora uma revolição que eu saiba tem que ser feita com o mehlor instrumento que conheço,ou seja, um partido revolucionario.
Se tu descobriste a polvora e conheces outra forma, força e compartilha comigo essa ideia. Pois eu sou muito obtuso, porque olho para a historia e não vejo outro instrumento tão eficaz do que um partido.

Publicado por [Badar] às outubro 2, 2009 01:42 PM

"agora q as coisas vão voltar a aquecer"... lool, se for o maricas do costa o capitão, ui ui ! ca medo !

Publicado por [Quente] às outubro 2, 2009 03:30 PM

Eficaz para que ?????????????
ONDE ou QUANDO houve na história uma revolução concreta ???????????????

Publicado por [Nihda] às outubro 2, 2009 03:37 PM

Nihda,
houve muitas revoluções ao longo da historia, é só procurares, mas a unica que tomou o poder foi a Revolução Russa. Posteriormente degenerou, mas foi a unica em que o proletariado tomou o poder, e porque foi possivel essa tomada de poder?
Para além de outros factores,porque havia um partido revolucionario...

Publicado por [Anónimo] às outubro 2, 2009 03:49 PM

Badar,
A acção política assente na organização partidária serve a uma intervenção política que se quer mediada. Pressupõe e fomenta uma pretensa especialização da política e dos seus intervenientes, remetendo a um papel secundário todos aqueles que não se integram em partidos ou não se movem na sua esfera. Nessa medida, apesar de reconhecer o papel histórico que alguns partidos tiveram na promoção de lutas sociais e políticas travadas no passado, creio que a sua utilidade hoje em dia está bastante limitada. Mais do que isso, os partidos desempenham actualmente um papel que contribui para a cristalização das lutas sociais, para o definhamento dessas mesmas lutas.
Não constituirá propriamente uma revolução, mas o que aconteceu na Argentina em 2001 foi, sem dúvida, um momento de rebelião, no qual a intervenção dos partidos não só não foi preponderante como, em alguns casos, até foi rejeitada. Da mesma forma, os acontecimentos gregos no final de 2008 tiveram também lugar à margem dos partidos e sob a sua censura.
Quanto à pergunta de um milhão, não tenho resposta, mas estou convencido de que andará mais perto de um movimento de massas, de base, sem mediação, do que de uma intervenção a partir do quadro partidário.

Publicado por [BB] às outubro 2, 2009 05:43 PM

Anónimo
Essa das muitas revoluções ao longo da história... enfim, se tivesses a falar de costumes... até lá ia... agora sociais... desconheço...

Na Revolução Russa que eu saiba o proletariado, nunca tomou o poder... quem o tomou foram os agentes Lenin, Trotsky entre outros. Tudo maçons de alto rank, de grandes lojas, pagos por Banqueiros capitalistas.
O proletariado incontrolado (Kronstadt, Ukrania Makhnovitchina) foram esmagados, diga-se aniquilados.

Que Revolução (das tuas) não degenerou ?

Publicado por [Nihda] às outubro 2, 2009 06:11 PM

ó Nihda, larga lá o novo livro do Dan Brown

Publicado por [anon] às outubro 2, 2009 11:44 PM

Of the panoply of website I've pored over this has the most vaercity.

Publicado por [Verle] às novembro 5, 2011 10:40 AM

Slam dnkuin like Shaquille O'Neal, if he wrote informative articles.

Publicado por [Kris] às novembro 7, 2011 04:40 AM

Comente




Recordar-me?

(pode usar HTML tags)