« Económica e operária | Entrada | 2. Lido num artigo sobre migrações internacionais. Sciences Po, 2007. »

outubro 31, 2009

1.Ouvido num congresso de Educação aos Média em Itália, pela boca de um Belga.

Estou a escrever um artigo que analisa o facto das novelas brasileiras terem apenas sucesso no terceiro mundo...

Publicado por [Shift] às outubro 31, 2009 01:22 PM

Comentários

não sou um cliente das novelas mas a afirmação do belga não prova o que aqui querem que prove.

para já pq só quem nunca esteve no 3º mundo é que dirá que isto - que é muito mauzinho - é 3º mundo.

e pq o facto de terem sucesso aqui prova que o belga parte de uma tese errada

Publicado por [Anónimo] às outubro 31, 2009 03:16 PM

Nao compreendi! uma vez que a sua segunda frase anula a terceira e a terceira a primeira!

Publicado por [shift] às outubro 31, 2009 03:37 PM

essa expressão - 3º mundo - é tão...
foda-se!

Publicado por [Anónimo] às outubro 31, 2009 07:58 PM

É verdade pá, claro que a gente percebe a ideia... ah ah ah... Mas porra, até parece que a televisão nos outros sítios presta para alguma coisa. Não?

Publicado por [Anónimo] às outubro 31, 2009 10:01 PM

também há belgas burros.

Publicado por [vasco] às novembro 1, 2009 07:04 AM

por ordem,
as novelas fazem sucesso aqui
há um belga que diz que novelas só fazem sucesso no terceiro mundo
logo, o spectrum quer sugerir que alguém define portugal como um país do 3º mundo - sem saber do que fala - ou então que o belga não sabe o que diz
ora, como portugal não é país do 3º mundo, embora Às vezes pareça
o belga parte de premissa errada

Publicado por [Anónimo] às novembro 1, 2009 01:51 PM

na inglaterra é só programas culturais...

oh wait

Publicado por [anon] às novembro 1, 2009 08:07 PM

Quem inventou o bigbrother foi um holandês.
Definir o mundo num podium, é partir do principio que uma parte do mundo chegou a um estado de desenvolvimento superior, ao qual os outros devem almejar e entretanto, manter.
Não me parece que Portugal seja muito mais "desenvolvido" (segundo os tradicionais parametros economicistas) do que, por exemplo, o Brasil. Quem é que é o juiz deste jogo? se calhar é por votação telefónica, como o Big Brother.

Publicado por [bruno] às novembro 1, 2009 11:58 PM

Quem inventou o bigbrother foi um holandês.
Definir o mundo num podium, é partir do principio que uma parte do mundo chegou a um estado de desenvolvimento superior, ao qual os outros devem almejar e entretanto, manter.
Não me parece que Portugal seja muito mais "desenvolvido" (segundo os tradicionais parametros economicistas) do que, por exemplo, o Brasil. Quem é que é o juiz deste jogo? se calhar é por votação telefónica, como o Big Brother.

Publicado por [bruno] às novembro 1, 2009 11:58 PM

Quem inventou o bigbrother foi um holandês.
Definir o mundo num podium, é partir do principio que uma parte do mundo chegou a um estado de desenvolvimento superior, ao qual os outros devem almejar e entretanto, manter.
Não me parece que Portugal seja muito mais "desenvolvido" (segundo os tradicionais parametros economicistas) do que, por exemplo, o Brasil. Quem é que é o juiz deste jogo? se calhar é por votação telefónica, como o Big Brother.

Publicado por [Jon de Mol] às novembro 2, 2009 12:00 AM

Quem inventou o bigbrother foi um holandês.
Definir o mundo num podium, é partir do principio que uma parte do mundo chegou a um estado de desenvolvimento superior, ao qual os outros devem almejar e entretanto, manter.
Não me parece que Portugal seja muito mais "desenvolvido" (segundo os tradicionais parametros economicistas) do que, por exemplo, o Brasil. Quem é que é o juiz deste jogo? se calhar é por votação telefónica, como o Big Brother.

Publicado por [Jon de Mol] às novembro 2, 2009 12:01 AM

Isto apenas significa que existe um belga no mundo que não sabe o que seja uma "soap opera".

Publicado por [TVguia] às novembro 2, 2009 01:54 AM

Há belgas burros e outros inteligentes, uns medíocres e outros brilhantes. Um amigo belga (que não é o mesmo do exemplo) acabou de enviar um mail onde afirma: “ça ne me dérange pas d'être un "p'tit belge" ni qualifié comme tel. J'adore le côté surréaliste de mon pays et son mépris pour la vanité. Il y a aussi des choses que je déteste mais bon...J'y vis. »
Como existe de tudo, em todo o lado e em toda a parte, aqui (França), em Portugal e na Belgica, devo dizer, pela minha “moralidade superior”, que o belga que proferiu a frase citada no post tem muito pouca credibilidade a todos os níveis e sobretudo ao nível cientifico. Eu sugiro, o senhor ou a senhora sugere, mas o spectrum não sugere nada. Um dos elementos de interesse deste blog é que não há linhas editorias e ideológicas que balizam o teor de cada post em relação ao grupo de autores.
Isto para dizer, que eu e a(o) senhor(a) partilhamos a mesma ideia sobre o facto que este Belga parte de uma premissa errada. No entanto, não me parece que eu sugiro o que o(a) senhor(a) sugere sobre o que o Spectrum sugere.
A única coisa que eventualmente eu gostaria de sugerir através desta citação é que se fazem estudos baseados em nada ou em falsas premissas.
Ao contrário do que este meu amigo dizia no mail, o belga que cito pecou pela sua extrema vaidade e pretensão eurocêntrica de iluminação intelectual. Passo a explicar acrescentando apenas à frase citada a hipótese que o belga avançou para justificar o seu tema de artigo: “porque as telenovelas brasileiras são caixas abertas de valores abusivamente moralistas e conservadores”.
Agora sim, podemos começar o debate sobre as telenovelas e o seu conteúdo e ainda sobre o conceito de “3°Mundo”... apesar de tb eu não ser consumidora de telenovelas há 7 anos... actualizar-me-ei se me conduzirem a esse debate!

Publicado por [shift] às novembro 2, 2009 12:07 PM

uma vez que a expressão ou o conceito me parece demasiadamente encaixaida em pedantismo intlectual/moralista com preconceitos de pseudo/superioridade, coloco a questão: o que se entende por 3º mundo?
conceito económico
conceito cultural
conceito civilizacional/tecnológico
ou outra merda qualquer

Publicado por [Anónimo] às novembro 2, 2009 12:47 PM

Começar por dizer que eu não utilizo o termo. A utilizar teria que identificar o que é o 1º Mundo e o 2° Mundo, como fui formada aos obstáculos que uma visão etnocêntrica pode causar na análise de um determinado fenómeno macro-sociológico, acontecimento ou outro prefiro primeiro que tudo optar por uma via auto-reflexiva sobre a posição que ocupo em qualquer que seja o meu ponto de vista.
Ou seja, não entendo nada por 3° mundo. E você?

Publicado por [Shift] às novembro 2, 2009 01:53 PM

Apperictaion for this information is over 9000—thank you!

Publicado por [Zyah] às novembro 5, 2011 01:08 PM

Comente




Recordar-me?

(pode usar HTML tags)