« Eu é que sou o Presidente da Junta... | Entrada | Tesourinhos deprimentes #1 O outro movimento operário »

setembro 08, 2009

Um debate pouco clarificador

O debate Louçã Vs Sócrates não foi muito clarificador, pois não? Estava à espera do melhor debate deste ciclo e afinal soube-me a pouco...

Ilistrando: Uma das situações mais irritantes foi a da auto-estrada que terá sido adjudicada por 500 Milhões de Euros à Mota-Engil e que depois a Mota-Engil aumentou o preço para o dobro.

Sócrates disse que Louçã estava equivocado e Louçã disse que nada disso. Insistiu até ao fim que 500 milhões de euros era muito dinheiro para dar à Mota-Engil do Dr. Jorge Coelho. Não se saíu dali durante um bom bocado de tempo. Parecia aqueles jogos de futebol em que se está a queimar tempo.

Isto assim não é nada. Um contrato de uma auto-estrada não é matéria de opinião. Ou é assim ou é assado. Algum dos dois não tem razão.

Espero que esta história não fique em àguas de bacalhau e se esclareça afinal o que se passou.

Judite de Sousa, para não variar, esteve fraquinha, fraquinha.

Publicado por [Saboteur] às setembro 8, 2009 09:37 PM

Comentários

Bem pode não ter sido pa ti, mas olha que pó geral do eleitorado até foi, o Sócrates até foi esperto agitando o papão do fim dos benefícios fiscais pá classe média.

Cabe ao BE ser inteligente e explicar basicamente, que para grandes males grandes remédios e não ter pudor em assumi-lo!

Publicado por [Francisco] às setembro 8, 2009 10:51 PM

não vi.
acho que a judite de sousa prepara as entrevistas no cabeleireiro, a ler a Maria ou a Nova Gente.

Publicado por [renegade] às setembro 8, 2009 10:58 PM

entrevistas ou debates, vai dar ao mesmo

Publicado por [renegade] às setembro 8, 2009 10:59 PM

Eh pá!
Por favor, Saboteur, pára de escrever posts da banhada!!!! que seca...

Ricky, party: voltem!

Ganda tótó... e ainda por cima sempre com a tanga das bikes...

Publicado por [outro tótó] às setembro 8, 2009 11:18 PM

do ponto de vista do eleitorado habitualmente PS e que votaria BE este debate foi muito mau para o Louçã

Publicado por [anon] às setembro 8, 2009 11:20 PM

Na televisão hoje de manhã garantiram que era tanga do Louçã.

Publicado por [Tárique] às setembro 9, 2009 10:06 AM

Concordo com o anon e com o Francisco.

Eu acho que a proposta dos benefícios fiscais não é facilmente defensável mas é justa. Nomeadamente em articulação com outras medidas do programa que defendem maiores financiamentos e aoios por parte do estado à educação, reforma e saúde.

Louçã teve no entanto uma dupla dificuldade: Não só a proposta não é simples, como não é popular, porque envolve uma subida de impostos para a classe média. Acho que era necessário ir à luta e assumir sem pudor que se vai aumentar impostos. Para grandes males, grandes remédios como diz o Francisco.

O caso do PPR é o mais paradigmático. Por fazer uma aplicação de 2000 euros no final do ano, recebo de "prémio" 400 euros. A mim não me tem custado pôr esses 2000 euros de parte durante 30 anos. O BES fica com capital para investir e o Estado recebe menos 400 euros de receita. Isto é justo?

Publicado por [Saboteur] às setembro 9, 2009 12:44 PM

este debate soube-me a merda!

Publicado por [Anónimo] às setembro 9, 2009 03:45 PM

Tu pões o dinheiro no BES, pá? Não tens vergonha? Os juros que recebes vêm de que guerra?

Quanto às medidas, é óbvio. Tão óbvio que o eurodeputado Vital Moreira - deve ser de um partido radical - diz mais ou menos o mesmo.

Publicado por [Helena Romão] às setembro 9, 2009 05:21 PM

Pior que os juros que recebo, são as comissões que pago!

Um dos projectos que tenho agora para este periodo que vou ficar desempregado é ver se consigo mudar tudo, conta, empréstimo, etc, para o Montepio Geral...

Publicado por [Saboteur] às setembro 9, 2009 06:17 PM

Action reqruies knowledge, and now I can act!

Publicado por [Karess] às agosto 19, 2011 02:01 AM

Comente




Recordar-me?

(pode usar HTML tags)