« Para a Fernanda Câncio | Entrada | Zé Negris sempre a facturar »

setembro 15, 2009

Se tinha que desaparecer um Patrick bem podia ter sido o cabrão do sueco com quem eu vivia.

Patrick amou e provou que a fugacidade da presença fisica dos amantes é por vezes inversamente proporcional à sua presença lânguida que se estende para sempre na nossa memória. Dirty Dancing só veio provar que no fundo somos todos apenas don juans de aldeamento turistico em busca de uma última dança apoteótica, temorosos ante os inevitáveis invernos.

"ela é como o bento".

"foi a curte da minha vida"

Publicado por [Party Program] às setembro 15, 2009 11:07 AM

Comentários

Como diria o outro... é um post um nadinha "panisguinha"....

Publicado por [Anónimo] às setembro 15, 2009 10:46 PM

Well macaadmia nuts, how about that.

Publicado por [Tuesday] às julho 6, 2011 11:27 PM

Kewl you sholud come up with that. Excellent!

Publicado por [Velvet] às julho 9, 2011 12:41 AM

Comente




Recordar-me?

(pode usar HTML tags)