« De pequenino se torce o pepino | Entrada | O jogo »

setembro 12, 2009

couves

Não consigo afastar esta impressão de estranheza com a embriaguez eleitoral. Para quê tanto barulho? Sabendo, como sabemos todos, que as opções políticas que envolvem a capacidade do Estado intervir na economia e noutros sectores estão há muitos anos metidas num colete de forças mandado de Bruxelas, não devia tudo o que se dissesse começar com um disclaimer do género "os partidos candidatos à junta de freguesia de S. Bento informam que a concretização das afirmações dos intervenientes depende de autorização superior".

Publicado por [Renegade] às setembro 12, 2009 01:01 PM

Comentários

O "Nascimento da União Europeia" está bonito. Agora, o fatalismo do aperto sufocante da dita é que não pode ser, nunca. É que, por essa lógica, bastaria uma nacionalizaçãozita de nada, uma merda insignificante -tipo da Galp, da EDP, ou da banca comercial-, para termos blindados da NATO a passear na avenida da liberdade para fins bem pouco libertários; e bombardeamentos sistemáticos de caças aliados até recuperarmos o bom-senso, isto é, até privatizarmos a luz, a água, o mar, o sol, as pedras da calçada e o oxigénio. De qualquer das formas, vou já buscar a metralhadora - o velho Courbet inspira.

Publicado por [Fábio Dionísio] às setembro 12, 2009 11:25 PM


Estarão com esta imagem a sugerir que a U.E tem servido para tapar as "nossas" vergonhas? E se estão, que fazer a partir de 2013?, ou de amanhã?!

Publicado por [Artur Serra] às setembro 14, 2009 04:26 AM

O beijinho foi entregue pela J. Outro para ti :)

Publicado por [Venus as a boy] às setembro 23, 2009 03:02 PM

Geez, that's ubnleieavble. Kudos and such.

Publicado por [Julz] às julho 6, 2011 08:14 PM

66vHvx yhargapbeefz

Publicado por [hmxdmllu] às julho 7, 2011 09:35 AM

I found just what I was nedeed, and it was entertaining!

Publicado por [Lexine] às julho 8, 2011 09:32 AM

Comente




Recordar-me?

(pode usar HTML tags)