« Porque no me callo | Entrada | C´est pas nous qui sommes à la rue, c´est la rue Kétanou »

janeiro 07, 2009

"Não há militares a não ser os invasores"

O massacre está em curso, assistindo-se na comunicação social a tão curiosos como ridículos esforços para distinguir entre vítimas civis e militares. Em Gaza, para que conste, não há militares, a não ser os invasores. Existem restos da polícia autonómica, militantes do Hamas armados e organizados como milícias. O resto é milhão e meio de desempregados, famintos e humilhados. Tal é o inimigo de Israel que lançou alguns morteiros, por exemplo contra a cidade de Asqelon, que em 1948 se chamava Al-Majdal e era uma aldeia árabe cuja população, vítima da limpeza étnica em que assentou a criação do Estado de Israel, se refugiou em Gaza.

Para ler a totalidade deste excelente artigo de José Goulão - o jornalista português que mais sabe sobre a história a política do médio oriente (foi por isso que foi corrido da TSF) - ide ao site do Le Monde diplomatique, edição portuguesa.

Publicado por [Saboteur] às janeiro 7, 2009 11:20 AM

Comentários

Got it! Tahnks a lot again for helping me out!

Publicado por [Lidia] às maio 25, 2011 08:53 PM

Comente




Recordar-me?

(pode usar HTML tags)