« São Brás | Entrada | The American Negro »

janeiro 19, 2009

Junt@ o útil ao @gradável?!?!

Quase 10 anos depois a FCSH volta a ter uma lista @...
Até têm um blogue, meio-cheio de ideias realistas, utópicas e boas intenções (aquela de se proporem remodelar as casas de banho não lembra ao diabo...têm que deixar os Motas fazer alguma coisa, pá!). Muito pouca política. Também parece que a AEFCSH está nas lonas e voltou a ter que recorrer aos avales do director da faculdade... (glória à Paula B. que terá sido a maior responsável pelos poucos anos de contas equilibradas da AE).

Há 10 anos falava-se de propinas, financiamento, acção social e havia, má ou boa, uma visão crítica da faculdade, da sociedade e da primeira na segunda. Havia uma recusa das hierarquias e um discurso em favor de atitudes que socializassem a AE. E havia dinheiro. Hoje há vontade de "promover a imagem da faculdade em instituições exteriores" e andam preocupados em "criar condições para os fumadores (como por exemplo, a colocação de uma coberta)" - quer isto dizer que já não se fumam brocas no espaço da AE!?

Seja como for desejo-lhes melhor sorte que à última lista @...e que a aefcsh volte a ser a associação d@s estudantes.

Imagem 002.jpg

Fogo, estou mesmo velho.

Publicado por [Renegade] às janeiro 19, 2009 10:11 PM

Comentários

10 anos. Bolas, foi assim há tanto tempo?!


"Hoje andámos a distribuir alguns pins a pessoas que aderiam fortemente à nossa campanha" Eles agora até têm pins. Bolas

Publicado por [Anónimo] às janeiro 19, 2009 11:14 PM

Olá, eu faço parte da Lista @. Em primeiro lugar quero deixar bem claro que recusamos hierarquias. Por isso é que em todos os panfletos/cartazes que temos distribuído colocamos as pessoas por departamentos e não por cargos. Tivemos que colocar os cargos no blog, porque estatutariamente temos que os apresentar. Mas eu, como Presidente, não sinto que mando mais (nem pretendo vir a fazê-lo) que o Vogal que estiver ao meu lado.

A história dos fumadores é que durante o Inverno as pessoas são obrigadas a fumar à chuva (devido à Lei do Tabaco). Ora, não custava nada prolongar um pouco uma coberta para os fumadores poderem fumar à vontade. Esta foi uma das maiores preocupações que ouvimos, por incrível que pareça e, portanto, decidimos incluí-la no programa.

Quanto à melhoria das casas-de-banho, acredita que toda a infra-estrutura da faculdade anda ludicruosamente degradada. Chove lá dentro. Algumas casas-de-banho não têm papel, sabonete, portas, ou, nalguns casos, luz.

Claro que defendemos o abaixamento das propinas, mudanças em Bolonha e somos contra o RJIES. Mas temos que ser realistas e, posto isto, há que tentar lutar pelas melhores condições para os alunos com o barro que podermos moldar.

Mas obrigado pelo post. Abraços.

Publicado por [Marlon Francisco] às janeiro 19, 2009 11:22 PM

Ah caralho que é só CPRI. Está bem entregue...

Publicado por [Eládio Clímaco] às janeiro 20, 2009 12:26 AM

É pá, o slogan diz tudo. Desde quando uma lista se define como "útil" e "agradável", não assume hierarquias mas mete complementos de frase "eu, como presidente", fala da importância dos sabonetes e da olaria social e espera ganhar eleições com justiça?!?!?!?!

Publicado por [Joystick] às janeiro 20, 2009 03:21 AM

"abaixamento das propinas"?!? ...e levantamento de princípios?

Publicado por [concertação social é merda] às janeiro 20, 2009 02:22 PM

Quer-me parecer que há cerca de 7 anos uma geração subversiva se foi embora, esvaiu-se sem deixar pontes com os mais novos. as AE's começaram todas a cair para a reacção, morreram espaços e iniciativas e fomos sendo cada vez menos. nos últimos anos tenho vindo a ver a subversão a reconstruir-se

o que aconteceu, malta do spectrum dessa geração de há 7 anos? Vocês foram-se embora? Para o estrangeiro? Projectos pessoais ? Deixaram perder-se toda a reflexão e trabalho feito até lá? Fecharam-se no pequeno mundo de forças/ex-forças subversivas e nem repararam que o "nosso" mundo caía nas mãos da reaça?

Parece-me que as gerações novas, tipo essa da fcsh estão a começar quase do zero.

um exemplo: fiquei a falar durante uns tempos com os miudos do "daedalos" que na terça feira passada se sentaram numa mesa à parte, e estão cheios de boas intenções mas não têm contactos nem formação política. estão a começar do zero.

isto é o que me parece, e um humilde exercício de observação, análise. o que acham ?

Publicado por [Tárique] às janeiro 20, 2009 06:51 PM

Sr Presidente: obrigado por vir ao nosso humilde blog. boa sorte com as casas de banho e com o resto! (embora algo me diga que nada mudará enquanto o sr director não for obrigado a cagar nas casas de banho por imperativo do cargo)

Sr Tárique: nunca tinha pensado que pudesse fazer parte de uma "geração subversiva" mas tá bem. O que +é que queres dizer com o "nosso mnundo"? No que toca especificamente às ae e faculdades, houve ali um pico de esquerdismo nos últimos anos de 90 até 2001 ou isso. Porquê? Não sei, mas terá tido algo a ver com a privatização de custos do ES e co o descontentamento q isso trouxe e porque se agregou uma massa crítica nos partidos, combater essa política muito socialista e participar/organizar a luta social contra ela (sem querer puxar a braza à minha/nossa sardinha e levando isto para algum militantismo/vanguardismo muito real...já sei que os neoautónomos não gostam).

Depois as coisas passam...é a vida. Naõ se pode ser estudante universitário toda a vida. Também não me parece que se tenha feito tanto assim. Sei que o desmantelamento organizado a partir de dentro de uma organização comunista do ensino superior em portugal terá tido algo a ver com esse corte. Mas não sei se será só por aí...

Os contactos e a formaçõ política são como tudo, vêm com a prática, não é?
O que é o "daedalus"?

Publicado por [renegade] às janeiro 20, 2009 10:22 PM

"uma geração subversiva se foi embora, esvaiu-se sem deixar pontes com os mais novos. as AE's começaram todas a cair para a reacção"

As AE's caiem sempre para a reacção. as AE's são reacção, fazem tanto sentido actualmente como os sindicatos:-Nenhum. Espaço de recrutação do aparelho, aliás como a totalidade da universidade, espaço de recuo, de compromisso, de título. Já há 10 anos era óbvio para alguns que uma AEs não interessava, os partidos não deixam. Isto de ter de se esperar até aos 30 para vê-los sair dos partidos desmotiva qualquer um que sabe isso lá pelas idades dos 21. A relação académica dos filhos do PREC os do SPECTRUM vinham ainda impregnados de 25 de Abrilismo e leram os livros dos pais, naturalmente porque o SPECTRUM não é uma PLAYSTATION. Pinta-me que a nova geração não passa pelas universidades. Aliás, porque deveria passar? Os mais rápidos saltam sempre essas fases. Não comparecem, prejudica-lhes a formação.

Publicado por [CavaleiroDaCapaEscarlate] às janeiro 20, 2009 10:42 PM

também será preciso algo mais que um discurso primário anti-partidos e anti-sindicatos, não achas?

Publicado por [renegade] às janeiro 20, 2009 10:54 PM

já cá faltava
a culpa é dos partidos.
a culpa é dos sindicatos.
a culpa é das AE`s.
a culpa é uma merda, morre sempre solteira!

da, suposta, geração spectrum
quem é que podia ter um spectrum em casa?
hein?
pela certa que não um operário
pela certa que não um administrativo
quem?

da fcsh, das eleições, do director
é comovente ver como esta lista bebe tão bem o discurso do 7º andar, parabéns ao sá das águas, esta a "moldar" tão bem o "barro" estudantil!

Publicado por [Anónimo] às janeiro 21, 2009 12:48 AM

Renegade: eu sei que me explico mal, mas felizmente pela tua resposta vejo que percebeste o que eu queria dizer. deves saber que apesar de eu mandar umas bocas para esse lado de vez em quando, admiro-vos e admiro-me com o que faziam "no vosso tempo". O que quero dizer com o "nosso mundo" ? A faculdade e o espaço lúdico e de debate a partir de 2001, acho eu.

na Terça Feira, quando fomos jantar, havia uma zona de restaurante com malta à volta dos 30 e depois haviam 4 ou 5 noutra zona , e esses tinham por volta de 20 anos. A rapariga que momentos atrás destruíra com simplicidade e candura o argumento da misoginia do Oliveira estava com eles.
Fiquei um bocado a falar e eles basicamente têm vontade de fazer coisas para "mudar isto" mas não têm âncora nenhuma, não leram os livros dos pais, não conhecem uma geração de combate anterior, etc.
Eles chamaram ao seu "colectivo" daedalus e andam à volta de alguns clichés (passar um filme da palestina no gaia, etc. ). Eles dizem que a faculdade de letras, que era considerada um espaço de esquerda "ontem" andava cheia de nazis e "hoje" tem uma comissão de praxes que faz parte da AE.

Andei na faculdade de 2001 a 2006. Não tive nenhum colega nem conhecido politizado, muito menos subversivo. Vi as coisas piorarem muito, vi a associação de estudantes passar da defesa dos estudantes para a promoção política dos seus membros, invariavelmente de direita. Vi os serviços que tinham décadas da ae ser privatizados e depois dissolvidos.

Parece-me que se tivesse estado na fac 3 anos mais cedo, ou mais tarde, as coisas teriam sido diferentes. Era isso que queria dizer. Nesse "interregno" de 6 anos, em que as propinas quadruplicaram, as "secções de folhas" fecharam em deterimento de lojas de fotocópias, os desportos da ae se foram em deterimento de promoções nos ginásios circundantes, não ficou ponte de formação entre gerações. penso eu de que.

Publicado por [Tárique] às janeiro 21, 2009 12:54 AM

falando em brocas na fac, na minha passou-se de 9 bares onde se vendia cerveja, 1 dos quais tinha shots de bagaço a 30 escudos e bitoque a 250 $ (mais barato do que na cantina social) , e 2 dois dos quais em que se fumava brocas a toda a hora, para: venda de cerveja proibida na fac, fumo só cá fora, e só 7 pastelarias.

Publicado por [tárique] às janeiro 21, 2009 01:04 AM

Epá voçes são uma comédia " a culpa é dos partidos pá", foda-se farto de pequeno burgueses que querem é partir merdas somente.
Geração subversiva???? Foda-se, essa geração que fez na FCSH para além de umas festas???
Depois de 2001 não se passou nada??? Em 2003 em plena luta estudantil onde andavas tarique??? De certeza que não andavas por letras ou iscte ou coimbra ou evora.
Estes meninos deste blog a excepção de um ou outro não passam de peuqenos burguses radicalizados que tal como dizias bem se concentram no seu "mundo". E depois dizem perolas destas "as coisas passam, é a vida".
Foda-se só a vontade de ser investigador, e fumar ganzas e viajar e etc é q não passam.
Farto destes gajos estraem sempre a dar lições de moral, de historia de merda aos outros e na realidade nada afzerem para mudarem a realidade social a não ser fazer umas postas.

Publicado por [Farto] às janeiro 21, 2009 11:04 AM

ó "farto", depois manda lá o teu curriculum, andamos a recrutar colaboradores mais "activos" no sentido de alertar os jovens para os grandes benefícios do activismo tuga

Publicado por [ce] às janeiro 21, 2009 11:32 AM

Farto: eu andei inscrito no IST mas não só ía lá fazer os exames e era muito apolítico na altura, alheado de quaisquer lutas. Em 2003 vivia na Holanda onde comecei a ganhar alguma consciência política.
Nessa altura na AE da minha escola estava, se não me engano, o número 2 deste menino.

Quanto à acusação de "pequeno-burguês", eu, fora roupa e uma bicicleta, quase nenhuma propriedade tenho. E também não estou assim tão "radicalizado", digo eu ...

Publicado por [Tárique] às janeiro 21, 2009 02:58 PM

Farto: eu andei inscrito no IST mas não só ía lá fazer os exames e era muito apolítico na altura, alheado de quaisquer lutas. Em 2003 vivia na Holanda onde comecei a ganhar alguma consciência política.
Nessa altura na AE da minha escola estava, se não me engano, o número 2 deste menino.

Quanto à acusação de "pequeno-burguês", eu, fora roupa e uma bicicleta, quase nenhuma propriedade tenho. E também não estou assim tão "radicalizado", digo eu ...

Publicado por [Tárique] às janeiro 21, 2009 02:58 PM

"também será preciso algo mais que um discurso primário anti-partidos e anti-sindicatos, não achas?"

O menino renegade, devia ter interiorizado que o "discurso anti-partidos e anti-sindicatos" está longe de ser primário. Não achas que é preciso algo mais para classificar um discurso? Vamos lá a ver esses argumentos.

Fica aqui um exemplo: em 96 do século passado entrei eu para o IST (já depois dos básicos, kroputkin, bakunin, outros ins, muita porrada e hospitais, 1 ou 2 fodas) sem nunca ter votado, sem cartão de eleitor, sem me sujeitar a praxes e ainda com muito orgulho posso afirmar que na minha "aula de praxe" o praxante saiu da sala a correr e a chorar e que eu tinha cabelo cortado no barbeiro e usava camisa. Identificados alguns estarolas (ou escarolas) que já nessa altura e em tenra idade tinham sido corridos do PSR e tal, fundou-se a Frente de Libertação do IST (FLIST), instituição pueril e lúdica que não fez nada para os outros (graças a Deus) sem ser umas gracinhas mas muito útil para quem lá andou: Lia-se muito e discutia-se mais. É quando a FLIST começa a crescer a olhos vivos (essas tais novas gerações acharam piada ás gracinhas e aos debates) que os partidos esquerdistas com especial atenção para o PSR e uma coisita chamada bloco de esquerda, decidiram que era tempo da FLIST aproveitando o animo se candidatar ás eleições da AE. Foi uma guerra fodida e liderada (no dark side) por esse robô (agora, aos 30, ausente) Xico Furtado que na altura até ganhou uma promoção para o CC do PSR. Nesse mês final, todos os dias tínhamos louçans para trocar ideias portas para para dar animo e emprestar trocos, etc. Os mais avançados da FLIST a IT Internacional Taoista cagaram logo, os anarquistas social-democratas (alguns antipáticos e alguns spectreiros) gritaram com os de direita (PSR) os de direita fizeram campanha e acabaram com aquilo.
Sr renegade, a merda foi de quem? das criancinhas borguesas ou dos papás partidários?

Publicado por [Anónimo] às janeiro 21, 2009 08:26 PM

Esta malta ainda é mais radical que eu, mas como membro da actual direcção (só até amanhã) e gajo que acha que percebe alguma coisa disto, digo-vos que este tipo de malta nas AE's não interessam para nada. Alias aos Sàáguas e outros que tal, interessam. É que como são do Bloco e com um discurso apelativo para os estudantes não podemos dizer que estão a jogar o jogo das empresas e daqueles que querem privatizar o ES. É que um gajo como o presidente da FAUNL e da AEFCT que é da JS, a gente ainda desmascara ou gajos da JSD, mas estes não, que são de esquerda. A DAE anterior nem foi às reuniões da FAUNL porque sabíamos que era tempo perdido. Praxes, desporto, e o caralho que os foda é o que lhes interessa, defender os estudantes nunca. Os gajos chegaram a falar com a Comunicação Social a dizer que não valia a pena ir a uma manif porque estava desmarcada.
Os estudantes comunistas não têm hipóteses ao pé dos herdeiros do PSR. A estes não os incomoda perder um, dois ou três anos. Na Almirante Reis há dinheiro para crachás, balões, rebuçados, palhaços, andas, malabares, cuspidores de fogo, etc... Têm o apoio e conivência da Direcção da Faculdade (que proíbe debates sobre politica educativa na esplanada mas permitiu a musica da campanha da @ na torre), têm um discurso mais apelativo para camada social da maioria dos estudantes do ES, recusam hierarquias (embora tenham presidente e façam questão de o dizer), são magnânimos: "não sinto que mando mais (nem pretendo vir a fazê-lo) que o Vogal que estiver ao meu lado", são úteis e agradáveis (para o Rendas então que gostava tanto de mim...), defendem, claro, o abaixamento (#$%&) das propinas, mas hoje no debate disseram que eram contra e antes de lhes falarem em propinas nem se lembraram delas, querem melhoramentos em Bolonha, mas no 12 de Novembro gritaram connosco: Propinas e Bolonha é tudo uma vergonha!
É certo que a gente pode ter feito pouco na AE, mas nunca pensamos em pedir dinheiro ao Santander, mas sim em correr de lá com eles. Não andamos a fazer favores ao Director nem ao Reitor, nem ao caralho. E é verdade, não se fumou uma ganza lá dentro enquanto lá estivemos.
Eu sei que os métodos da JCP não são muito admirados pela malta do Spectrum, mas é assim que eu vejo as coisas, se calhar estou errado
Estes gajos estão para "partir a espinha" ao que resta do movimento e luta estudantil. Que se fodam, já estou como os outros: Grécia em todo o lado (mas sem o Soeiro).
PS: Volta Ruptura/FER, estás perdoada

Publicado por [Crixus] às janeiro 21, 2009 09:13 PM

edições antipáticas, spectrum , havia de haver uma histografia do subversivismo ... qualquer dia tento fazer uma recolha disso nas ruínas da net ... pena o indymedia ter desaparecido ...

Publicado por [Tárique] às janeiro 22, 2009 12:30 PM

este gajo! lembro-me de vê-lo lá.

mitportugal.org/transportation-masters-students/francisco-furtado.html

Publicado por [Tárique] às janeiro 22, 2009 01:24 PM

o gajo escreve num blogue com mais 3 pessoas acho eu ...

Publicado por [Tárique] às janeiro 22, 2009 01:26 PM

Tarique, deves estar a confundir-me com alguem. Eu não fui jantar na 3ª feira.

Agora fiquei a saber que o spectrum era artigo de luxo inacessível aos filhos de administrativos e operários. Há pessoas com um grande sentido de humor.

Quanto ao resto, só consigo dizer que dores temos todos e temos tendência a achar que as nossas são maiores que as dos outros. Quem quer intervir em estruturas destas deve estar preparado para lidar com coisas que não vai gostar, filhas da putices, expectativas defraudadas etc, para os quais há sempre culpados. Quanto maior a estrutura, maiores as hipóteses de haver merda. Já agora, é muito por isso que me tenho furtado a envolver-me com o que quer que seja. Pouca paciência e pouca crença, mas isso é outra conversa.

Quanto ao camarada crixus, eu diria, sem conhecer o caso concreto, que mal anda a luta dos estudantes se o grande inimigo dos estudantes comunistas do PCP está nos estudantes (alguns deles comunistas) do bloco de esquerda. De facto, a Luisinha Araújo e a brigada do reumático do PCP fizeram um trabalho formidável.

Publicado por [renegade] às janeiro 22, 2009 03:52 PM

Renegade, eu sei que não foste jantar não disse que tinhas ido. A ti e ao saboteur não vos confundo. Os outros não sei quem são mas sei que estavam lá.

O "meu" spectrum custou 8 contos e os jogos custavam 200 escudos em k7 pirata. Ligava-o a uma tv a preto e branco e a um gravador manhoso. Na altura a roupa custava o mesmo e uma bmx roscov custava 10 contos tb. Um café custava 20 escudos acho eu e para jogar matrecos eram 25 escudos.
O salário mínimo eram 32 contos.

ou seja o espectro ou lá o que é custava 1/4 de um salário mínimo. Hoje o salário mínimo é 450 euros portanto o custo é mais ou menos equivalente a comprar um telemóvel de média gama ou à quota de sócio do Benfica (anual).

Publicado por [Tárique] às janeiro 22, 2009 05:46 PM

nem mais, quem sabe de SPECTRUMs do Z80 e do seu criador sinclair, sabe que o SPECTRUM foi exactamente para os operários, para todos. Eu tive um 16k só depois o 48k com monitor próprio e teclado a sério.

Publicado por [Anónimo] às janeiro 22, 2009 06:48 PM

«Esta malta ainda é mais radical que eu, mas como membro da actual direcção (só até amanhã) e gajo que acha que percebe alguma coisa disto, digo-vos que este tipo de malta nas AE's não interessam para nada.»

Tens razão, não interessamos. Não interessamos porque não pretendemos ficar parados como tu, meu caro, ficaste. Não pretendemos apresentar um panfleto em que a única coisa que apresentam como programa (?!) eram motes de luta típicos de um movimento. Crixus (ou será que te posso tratar pelo verdadeiro nome? não, é melhor não), tu, melhor que ninguém, sabes perfeitamente o quão eu sou pró-activo em nome da defesa dos direitos dos alunos. Sou contra bolonha, RJIES, propinas (aliás, eu defendo o fim das mesmas) mas continuo na minha: isto deve ser um discurso típico de um movimento estudantil e não de uma Associação de Estudantes. Ou melhor, OBVIAMENTE, uma AE deve lutar por isto, pois é de todo o interesse dos estudantes ter outros estudantes que se preocupam com os problemas que mais os afectam. No entanto não se deve fazer disto um programa. Não se deve fazer SÓ disto um programa. Ainda para mais quando mentem às pessoas. Tiveram centenas de pessoas na manifestação que a JCP organizou? Sabes tão bem quanto eu que não! Tiveram, no máximo dos máximos, 150 pessoas. Da FCSH foram 20, se tanto e a maioria era do MOCHO (que se tinha acabado de formar). Vocês, enquanto AE, não trouxeram quase nenhum número de pessoas relevantemente significante.

«Os estudantes comunistas não têm hipóteses ao pé dos herdeiros do PSR. A estes não os incomoda perder um, dois ou três anos. Na Almirante Reis há dinheiro para crachás, balões, rebuçados, palhaços, andas, malabares, cuspidores de fogo, etc...». Não, meu querido, não pedi nada ao PSR, ou Bloco, ou UDP, ou Política XXI, ou Ruptura/FER. As minhas convicções políticas ficam dentro do partido e daí não saem. Não faço propagandas políticas (ao contrário da tua amada JCP). A lista @ fez uma propaganda estudantil. Perdoa-nos se estivemos mais preocupados com as infra-estruturas e com a chuva que cai dentro de uma faculdade do que propriamente com as palavras lindíssimas de 'vamos acabar com o RJIES' e, quando confrontados com o que era, DE CONCRETO, o vosso programa, nem souberam responder.

«É certo que a gente pode ter feito pouco na AE, mas nunca pensamos em pedir dinheiro ao Santander, mas sim em correr de lá com eles.» Lê a nota explicativa e os comentários que fui deixando, por favor, antes de te enterrares quão avestruz na areia. Critica aquilo que sabes e não aquilo que o teu partido te diz para criticar, ok?

Por último, da próxima vez não tentes colocar pessoas à baila em debates, nem questões pessoais. Da mesma forma não bebas tanta cerveja durante o debate. Pelos vistos afecta-te o raciocínio e nem te consegues lembrar muito bem do que disse.

Publicado por [Marlon Francisco] às janeiro 23, 2009 02:15 AM

O debate continua tão simpático como no meu tempo (foda-se Renagade até eu já posso dizer "meu tempo"), embora eu não tenha CV para sacar nesta matéria. Só posso dizer que não votava num gajo/gaja que diga "pró-activo" e que argumente com as cervejinhas que o outro bebeu. Farto de merdas assépticas estou eu.

Publicado por ["Paco" Menéndez] às janeiro 23, 2009 12:58 PM

Pois é Paco...o meu tempo!!

olha, os gajos ganharam!
Finalmente a lista @ ganhou alguma coisa na FCSH!...

Publicado por [renegade] às janeiro 23, 2009 05:17 PM

Sou só eu que acho ternurenta esta frase do Crixus "Eu sei que os métodos da JCP não são muito admirados pela malta do Spectrum"?
Considerando que aquando da sua fundação o spectrum era exclusivamente composto por ex-militantes do PC (topam o jogo de palavras bué engraçado Spectrum/PC?), ficamos sem saber qual o sentido preciso da afirmação.
Já agora, eu ainda sou estudante da FCSH e glorioso jogador da sua equipa de futebol (diria mesmo pilar fundamental). Algum dos intervenientes no debate de listas que tem vindo a ocorrer nesta caixa de comentários me sabe informar sobre quando começam os treinos?

Publicado por [Rick Dangerous] às janeiro 23, 2009 07:13 PM

Ó Tárique, como é que para jogar matrecos eram 25 escudos, metias duas moedas?

Publicado por [Anónimo] às janeiro 24, 2009 11:54 AM

ó anónimo, não transformes isto num conflito geracional, isto é só política.

Publicado por [ce] às janeiro 24, 2009 02:04 PM

não, punha uma moeda de 25 escudos seu tótó

Publicado por [Tárique] às janeiro 24, 2009 07:58 PM

Marlon Francisco, para alguém de esquerda tens algumas limitações. Essas coisas, a luta por uma escola pública, não deve constar num programa de uma AE? Realmente, fazer casas de banho é que é da competência da AE, e não do Conselho Directivo.

E nunca votaria numa lista que quer cobrar bilhetes de cinema e pedir empréstimos ao Santander. Mas é isto que a lista do BE na FCSH propõe.

(e não me digas que não é a lista do BE da FCSH, é mais que óbvio. e sei como essas coisas funcionam, que o Palmeiras e as suas tintas costumam dar um jeitaço para pintar faixas)

Publicado por [Youri] às janeiro 25, 2009 02:22 PM

agora a sério, ce , não te lembras das moedas de 25 paus? tens a certeza que és do tempo do spectrum?

encontrei o blogue onde escreve o tal rapaz do técnico açoreano, acho eu. é um blogue fixe:

mundoemguerra.blogspot.com/2008/12/em-paris.html

Publicado por [tárique] às janeiro 25, 2009 09:38 PM

claro que me lembro dos sacões de rebuçados que comprava com tal moeda, por isso disse pro tal anónimo não transformar isto num conflito geracional (quando mostrou o escalão etário em que se encontra)

porra pá, um gajo quer ser subtil e a única coisa que recebe é incompreensão...até já estou assim magoado, sensível...quase a chorar mesmo :)

Publicado por [ce] às janeiro 26, 2009 04:52 PM

ah, mas não tenho a certeza de ser do tempo do spectrum, acho que eu era mais da geração em que ainda não se passava muito tempo em casa ao computador, apesar de ter um...life da street yo!

Publicado por [ce] às janeiro 26, 2009 04:57 PM

lá na aldeia, quando haviam moedas de 25 paus, os matrecos eram mais baratos.

Publicado por [load ""] às janeiro 26, 2009 05:36 PM

:) Essa é que é essa

Publicado por [Anónimo] às janeiro 27, 2009 01:27 AM

Youri, não me interpretes mal por favor, nem deturpes aquilo que eu disse. Obviamente uma associação que se diz de esquerda tem de lutar pelo fim do RJIES, pelo fim de Bolonha e pelo fim das Propinas. Mas não deve apresentar somente isto como campanha. Isto a meu ver, claro. E pelos vistos a minha ideia estava correcta: de demagogia está aquele pessoal farto, daí a lista do Crixus ter recebido a menor votação de todas.

Todos os que votaram em mim sabem bem o que defendo ao pertencer a movimentos estudantis. Nunca o menti. Faço disso minha campanha, enquanto membro de vários movimentos. Mas uma AE não se deve preocupar somente com isso. Deve fazer pressão para que se estabeleçam as melhores condições possíveis para que um estudante possa exercer aquilo a que paga: o estudo. E numa faculdade em que chove nas cantinas ou em salas ou até mesmo numa faculdade em que grande parte dos wc's nem luz, papel higiénico e/ou portas têm, creio que existem pragmatismos bem mais importantes.

Quanto à história do Santander, dou-te o mesmo conselho que dei ao Crixus: lê tudo o que está no blog antes de criticares. Claro que não pretendo pedir qualquer empréstimo a um banco, mas se for necessário eu fazê-lo para poder pagar as dívidas à Segurança Social que ainda persistem (e assim poder ter acesso a partes reservadas das contas bancárias que não tenho porque estão na lista negra no Banco de Portugal) não me importo de fazê-lo. É a última opção que quereria tomar, obviamente, mas se me esgotarem todas as outras e realmente tiver que tomá-la nem penso duas vezes. Quero limpar o nome da faculdade das contas bancárias para podermos concorrer a projectos do IPJ que nos fazem bastante falta, por exemplo.

Por último, as minhas convicções políticas ficam no seio do meu partido e daí não saem. Não faço da AE o reflexo do partido ao qual eu pertença. E sim, sou militante de um partido. Tal como é outra pessoa da minha lista. Por incrível que pareça, as outras 13 pessoas não são. Ainda bem que isto é uma lista partidária! Quanto ao facto de ser uma lista do Bloco aqui ficas com uma notinha que te pode ser interessante: 3 das 4 listas que concorriam à AE tinham militantes do BE. A outra era partidária e da JCP.

(já agora, o Palmeiras está em recuperação e seria um pouco complicado pintar o que quer que fosse lá dentro. além disso, ráfia é fácil de arranjar e tintas ainda mais, especialmente quando o pai de uma das pessoas da nossa lista trabalha na Cin, empresa de tintas e vernizes.)

Publicado por [Marlon Francisco] às janeiro 27, 2009 01:29 AM

Como sabes não estive lá, não sou da FCSH e falo apenas do que li no vosso blogue (do qual soube através do Spectrum, a bem ou a mal). Hoje ainda, obtive ainda umas parcas informações no metro quando encontrei uma rapariga da vossa lista.

Claro que não deve apresentar isso como lista, existem coisas específicas em cada faculdade que têm de constar em cada AE. Há cultura, desporto, reuniões com o Conselho Directivo, falar com os colegas, etc. Não é só RJIES e Bolonha, naturalmente.

Mas já agora, as pessoas que votaram em ti? Ou na Lista @? Agora fiquei confuso, existe ou não hierarquia? Claro que votando na @ votaram também em ti, mas dizeres isso assim soa-me estranho.

E já que me recomendas, no trono do teu paternalismo, ler o vosso blogue lá fui re-ler. E apresentam três ideias para acabar com a vossa dívida (vossa, não tua - lá estás tu): 1. pedir um subsídio ao IPJ, nada mais natural; 2. pedir uma doação à Direcção da FCSH, normal mas improvável que se concretize; 3. empréstimo ao Santander-Totta! E eu cá acho isso estranho, AEs a pedirem dinheiro a bancos. E é logo o Santander, porque não a CGD ou o Montepio?

Pior acho que venhas com a conversa que as tuas convicções políticas ficam no seio do teu partido. Eu, pessoalmente, nunca faria isso: faria a mesma política numa AE do que num partido, atendendo às suas naturais diferenças. Mas é política, e supostamente cada um deveria só ter uma.

E pouco me interessa a justificação da JCP, esses também são outros interessantes pela sua falta de acção e pelo cortar de pernas geral. Mas o BE tem um estilo próprio, e lá está, a @ é BE nem que seja nisso. E por acaso, tem 3 militantes do BE (eu conheço-vos, sei que não são 2).

(têm a sede no Rato para fazer fotocópias, os recursos do BE nunca faltaram para estas coisas)

Publicado por [Youri] às janeiro 27, 2009 03:42 AM

mea culpa, ce, nao percebi que a pergunta da moeda era do anónimo pareceu-me que era tua dislexia visual sei lá .

Publicado por [tárique] às janeiro 27, 2009 11:59 AM

Disse 'votaram em mim' porque sou eu a escrever o comentário e estava a incorporar a lista. Talvez não tenha sido perceptível o que quis transmitir com o pronome pessoal 'eu', mas acho que dá para perceber: se sou eu a escrever é natural que me refira à minha pessoa. Se calhar não o deveria ter feito. Minha culpa, então.

Ainda hoje estivemos a ter discussões sobre isso e já estamos a contactar a CML, por exemplo, para dar apoio a alguns núcleos que lá temos e onde existem concursos. O recurso ao Santander seria a última coisa a recorrer. Recorreríamos ao Santander porque ele tem um acordo com a faculdade, fornecendo dinheiro e estando a revitalizar infra-estruturas. Não concordo com o estado a que isto chegou em que seja preciso que um banco o faça, mas a verdade é que está a ser feito. E se (e volto a frisar: E SE), em última opção, tivessemos que pedir um empréstimo para pagar ordenados que a AE tem em atraso, recorreríamos ao Santander porque, provavelmente, ele nos daria concessões melhores. Bom, talvez fosse até o único a dar-nos concessões uma vez que estamos na lista negra do Banco de Portugal e nem podemos pedir empréstimos a quem quer que seja.

Farias a mesma política numa AE que num partido? Bom, isso são opções. Primeiro que tudo eu não sou a AE, uma vez que esta é constituída por mais 14 pessoas e logo tenho que respeitar as convicções políticas das outras 14. Em segundo lugar, posso-me afirmar como uma pessoa de esquerda e posso dizer que a AE é toda inteiramente composta por pessoas de esquerda, mas não te posso dizer que é do BE, do PCP ou da ala liberal do PS (ainda será de esquerda este?). E seria ridículo afirmar tal.

Por último, sim, somos 3, mas uma das raparigas é militante por ser. Não tem qualquer tipo de intervenção dentro do partido e acho que só o é mais para apoiar. Por isso é que só me refiro a duas pessoas. Novamente volto a repetir, todas as outras listas têm pessoas militantes do BE com intervenção no partido.

E só para terminar: então mas o problema não eram as faixas e as tintas que 'usurpávamos' no Palmeiras? Agora já são os cartazes e panfletos? E é no Rato? Mas por que raio associas toda a nossa campanha ao BE? Não pedi nada ao BE, se é isso que te interessa, porque gosto de afastar as águas. Por isso é que usei o plafond que tinha sido decidido em Comissão Eleitoral, o pessoal que estava mais activo na campanha imprimiu ainda alguns panfletos em casa e recorri, sim, a um gajo que trabalha num centro de cópias que apenas nos cobrou a preço de custa alguma coisa que precisávamos (como por exemplo os cartazes). Pára, por favor, de colocar o BE nisto. O pobre coitado continuou lá na vida dele e eu na minha. Uma coisa não tem absolutamente nada a ver com a outra.

Pressuponho, agora, que vais, com certeza, pegar em mais algum argumento para atirares à cara que recorremos ao BE. Força nisso. Estou de consciência absolutamente tranquila, bem como está toda a lista. Nunca recorremos a nada de lá, nem nunca o pretendemos fazer.


(e sim, eu sei que hoje encontraste alguém. já não me lembro é quem. penso que foi a ana candeias mas nem tenho bem a certeza)

Publicado por [Marlon Francisco] às janeiro 27, 2009 07:30 PM

Quanto à história do '@' ser automaticamente BE, acho isso puramente ridículo. Primeiro que tudo foi um dos gajos da nossa lista que se lembrou do símbolo e que, só por acaso (WOW!) nem é do BE. Nem pretendo sê-lo, com a aversão que tem.

Segundo, o caracter '@' tem muitas razões para ter sido implementado. A primeira e óbvia é que é sonante. Além disso, tem ainda a possibilidade de se conseguirem fazer trocadilhos interessantes (como substituir os 'A's por '@'s). Em terceiro lugar, esse mesmo rapaz, já tinha feito uma AE no secundário com essa letra e tinha alguma propaganda que poderia ser usada (que por acaso chegámos a nem usar porque não tínhamos nem tempo nem dinheiro para a fazer).

Esclarecido?

Publicado por [Marlon Francisco] às janeiro 27, 2009 07:36 PM

Normalmente não costumo alimentar diálogos nos blogs, mas já que comecei e a conversa tá animada… Assumo a minha derrota por KO quando foi jogada a cartada da bejeca e o facto da JCP andar a fazer propaganda política (bem me quis parecer que algo andava mal com a JCP) ao contrário do BE. Ainda assim gostava de registar, pelo menos já valeu a pena a participação na caixa de comentários do Spectrum, que a AE vai lutar pelo fim do RJIES, pelo fim de Bolonha e pelo fim das Propinas. De facto no programa da @ não tinha visto nada que referisse isto, e pensei que fossem só pelo “abaixamento” das propinas. É que, se o Sócrates não se afogar no pântano de Alcochete, é quase certo que a AR vai aprovar uma nova lei de financiamento do ES. E não são os deputados do PCP mais os do BE que vão impedir que essa lei seja pior que a actual. Uns camaradas do KKE estiveram cá há um ano e contaram a experiencia grega, em que não foi nem o KKE nem o Bloco lá do bairro que impediram a introdução das propinas, mas a acção dos estudantes. Talvez se a malta se deixasse de discussões parolas nos blogs e fizesse alguma coisa fosse melhor. Mas quero lá saber, as minhas já estão pagas. Além disso o que está a dar é a malta (que é de esquerda) deitar abaixo a manif de 12/nov, daqui a pouco só estiveram duas pessoas e um pombo, mais os leões da AR, que vão a todas. Só gostava de saber noticias da tal manif que a malta do Bloco ia fazer dai a dias com 2000 pessoas, sendo que já nem valia a pena fazer aquela.
Quanto à demagogia, acho que houve listas que deram rebuçados à malta e fizeram largada de balões na torre, mas devido às cervejinhas, já não me lembro qual foi. Agora, o facto é que a nossa campanha não foi demagógica por duas razões. A primeira é que só com muito boa vontade se pode dizer que a Lista L tenha feito qualquer tipo de campanha. Segundo, se fez teve efeito de repulsão de votos, como publicar as nossas fotos num cartaz. Também gostei de aprender que a condição para uma lista não ser partidária é ter malta do BE, e que se tiver malta da JCP já é partidária. Confesso que sempre fui mau com equações.
Fora de cinismos e ironias, acho que é indiscutível que a Lista @ era a melhor das quatro, e tem condições para fazer um óptimo mandato. Só a limpeza do espaço que fizeram reduziu o risco de se contrair tuberculose drasticamente. Têm óptimas ideias, outras nem tanto, criaram um “elan” à volta deles que não se via há algum tempo na fcsh, é malta com vontade e gosto em participar na AE, têm preparação e liderança. Vão ser a melhor AE desde que começou o declínio daquilo. E isso é importante.

Publicado por [Crixus] às janeiro 27, 2009 10:31 PM

Chiça, como competir com tanto discurso político bem elaborado é que não sei. Só sei que quando nas AEs se fala assim fico arrepiado.

Se o vosso objectivo é utilizar um empréstimo bancário como ultimom recurso, principalmente para pagar salários (parece a conversa do meu ex-patrão antes de abandonar a empresa), deviam ter sido explícitos. E desculpa lá, mas a mim não me aconselhas a re-ler textos para ficar na mesma. De facto, está lá preto no branco que é uma das hipóteses em consideração. Não explicitam se é, ou não, um ultimo recurso. E para uma lista que é de malta de Esquerda, se não é do BE, é bastante suspeito. Eu não faria parte de uma lista assim, e até sou de Esquerda.

Mas claro que cada um deve fazer a sua política, a sua forma e a sua ideia se manterão a mesma, quer num partido, quer numa AE, quer na rua, quer em qualquer lado. Isso não entra em confronto com o facto de respeitares as ideias dos outros, como é óbvio. Mas a AE não és só tu, portanto não deve existir esse problema...

Se não utilizam os recursos do BE, os meus parabéns. Serão dos poucos que criaram coisas 'independentes' que não o fizeram. Ainda assim, o tom é completamente bloquista. E temos que concordar que a @, além de ser estupidamente sexista quanto utilizada para substituir o "o" ou o "a" em várias palavras (até porque significa "at", ou seja, "em"), é uma marca no BE e nos seus satélites.

Quanto ao camarada Crixus, nem sei do que raio ele fala. Mas pronto, tudo bem. Pelo que percebi esteve lá, na AE, e correu mal. Esperemos que lá não regresse e acorde com a coisa. Como espero que te aconteça, ó Marlon.

Publicado por [Youri] às janeiro 28, 2009 03:35 AM

Ó Youri, isso ou é dor de cotovelo ou é cinismo militante. E esse discurso anti-partidos vale muitos amigos na extrema-direita.

Força Marlon, tiveste o meu voto.

Publicado por [Pedro] às janeiro 29, 2009 06:19 PM

1. "Em primeiro lugar quero deixar bem claro que recusamos hierarquias."
"Todos os que votaram em mim..."

Talvez seja melhor pensares antes de escrever, nem que seja por um minuto. E não venhas dizer que é semântica, tentar fazer os outros passarpor parvo não fica bem a ninguém, quanto mais ao Exmo. Senhor Presidente da AEFCSH.

2. "...esta é constituída por mais 14 pessoas..."

Sempre julguei, talvez erroneamente, que a AE tivesse mais orgãos para além da direcção mas como não fazem parte da lista não contam, não é? Dizer que a AE é composta por ti e mais 14 pessoas é algo grave, nem digo o facto de relegares os outros órgãos para segundo plano mas o facto de te esqueceres que AE significa de facto Associação de ESTUDANTES e quem manda são de facto os estudantes e não tu e os teus 14 anões.

3. Gostava que explicasses a cena de pancadaria que sucedeu dentro do espaço da AE entre membros da Direcção, tu e uma rapariga. Certamente é algo sobre o qual os estudantes da faculdade gostariam de ficar esclarecidos.

SIDA, a infectar a cena.

Publicado por [SIDA] às janeiro 29, 2009 11:53 PM

1 - Já respondi, nem pretendo fazê-lo novamente.

2 - Quando me referi à AE, referia-me à DAE. Percebeste perfeitamente ao que eu me estava a referir, portanto, se faz favor, não deturpes o que eu disse. Não tenho a mínima paciência para tal.

3 - O que se passou lá naquele dia diz apenas respeito à minha pessoa e à rapariga com quem passou. Não me vou aprofundar muito no que aconteceu, mas sim, pretendo dar uma explicação breve. A rapariga em questão, que é da lista e da actual DAE, recebeu uma informação muito má via telefone, nomeadamente a morte de um familiar que lhe era querido. Ela entrou em estado de choque, como é natural nestas casos (eu já presenciei o caso de uma rapariga que após ter morrido o pai da mesma começou a fazer limpezas em casa que só terminaram após 72 horas seguidas) e reagiu de uma forma violenta. Inicialmente ainda a tentei acalmar, mas depois ela realmente teve um acesso de fúria. E nessa altura ela foi lá para fora e estivemos a acalmá-la. Por enquanto demos-lhe um tempo de descanso e ela nem está em Lisboa.

É muito triste que venhas pedir essa explicação aqui publicamente e, pior, que eu ta tenha que dar. Se querias saber isso, dirigias-te ao pé de mim ou a qualquer outra pessoa que estava lá naquele dia e perguntavas. Ninguém se importaria de responder e não precisas de fazer disso um estandarte para 'nos infectares'.

Publicado por [Marlon Francisco] às janeiro 30, 2009 03:08 AM

Crixus, fico contente por mesmo assim nos apoiares, acredita.

Quando eu disse que a lista não era partidária é pelo simples facto de que o conteúdo da lista (e isso pode-se ler bem pelo programa que apresentámos) não tinha nada de partidário. Ok, talvez como o que o Youri diz no '@', mas como já o referi nem teve nada a ver com o ser do BE, do PCP, do MRPP, do Partido Monárquico ou do PNR. Foi simplesmente uma campanha de marketing publicitário em última análise.

Youri, numa das respostas que demos a um comentário que fizeram (exactamente a criticar-nos por recorrermos ao Santander) respondemos sim, dizendo que seria o último recurso recorrer a um banco privado. Mas enfim, nunca me importei de repetir as coisas desde que ache que isso traga proveito a uma discussão (como trouxe neste caso).

Publicado por [Marlon Francisco] às janeiro 30, 2009 03:15 AM

isto da AE da fcsh é muita giro.
podiamos sentar-nos aqui todos a falar dos gloriosos velhos tempos, estranho toda a gente se lembrar da velha lista @, mas ainda ninguem ter trazido o sales para a conversa.
isso é que era povo, emoção, aquilo era fado, futebol e foda.
marlon pá, boa sorte, perdi anos da minha vida nesse buraco infecto a que chamam aefcsh, trust me, não vale a pena.
seja como for, depois de 3 anos de inexistência da ae, passando pela "experiência PS" e pelas mãos no minimo incompetentes da jcp, pode ser que consigam fazer alguma coisa, nem que seja pagar as dividas...
trata bem a olga, senão essa merda fecha por falta de dinheiro. e um conselho do caraças, o mota é o teu melhor amigo, dá-te bem com ele, ele resolve tudo, conhece tudo e todos, desenrasca qualquer situação.
crixus, a diferença entra a jcp e qq outra gente na ae é simples, mais nenhuma organização funciona nos moldes da jcp, logo, há sempre espaço para o pensamento individual (nota que não disse critico), o caso dos ultimos anos de letras da clássica devia ser elucidativo, se o que vos leva a estar na ae é participar na manifestação que a DCES marcou, então esqueçam, o tempo das ae's sindicato acabou, as ae's são prestadoras de serviços, morreram como entidades de representação politica no dia em que o cavaco assinou a lei que lhes dá subsidios. a recusa desta realidade pela JCP contribuiu em grande parte para o fim de todo e qualquer movimento estudantil, que, deixemo-nos de merdas, não existe de todo neste país.
a discussão sobre o empréstimo é ridicula, se n houver empréstimo n se limpam as dividas, sem limpar as dividas n há subsidios do ipj, sem subsidio do ipj n há AE. n é possível reverter a evolução, as ae's precisam de dinheiro como o corpo precisa de oxigénio, qualquer DAE que tente "ir limpando a divida" ao mesmo tempo que faz luta politica, está condenada.

por ultimo, o rick dangerous é um péssimo jogador, marlon, dá instruções ao treinador (espero que já n paguem nada a essas aves raras que são os teinadores das equipas da ae)para o correr!

Publicado por [ovelha] às fevereiro 2, 2009 11:09 AM

And I thought I was the sensible one. Thanks for setting me satirght.

Publicado por [Lenna] às maio 26, 2011 10:20 AM

Comente




Recordar-me?

(pode usar HTML tags)