« Elson Sanches | Entrada | Circular - Acção de Quinta-feira »

janeiro 05, 2009

Guerra

palestina miudo.jpg
O delírio apoderou-se definitivamente do partido sionista português.
Perguntam, "o que é o Hamas?", sem perguntar, quem favoreceu e apoiou o Hamas nos anos 80 para enfraquecer a OLP e dividir a resistência palestiniana.
Dizem que «Israel é a única democracia do Médio Oriente» sem mencionar que Israel não aceitou os resultados das eleições palestinianas e continuamente deseja escolher os seus próprios interlocutores para negociar.
Ferreira Fernandes dá mostras da sua inigualável consciência histórica: "E sobre a intervenção dos tanques israelitas julgo-a pela eficácia que venha a ter. Se ela acabar com a flagelação (70 rockets e mísseis diários sobre cidades de Israel), irei considerá-la, à ofensiva israelita, uma boa acção. Se ela acabar de vez com o Hamas, o gangue, hei-de considerá-la uma excelente acção." Sobre a eficácia não é preciso alongarmo-nos muito, todos os dias nos entra em casa através da televisão. Acabar com um grupo de guerrilheiros com uma intervenção militar parece ser o objectivo louvável do Estado de Israel. Não sei se é preciso relembrar todas as guerras em que um exército convencional tentou acabar com uma guerrilha. Algumas duram há mais de cem anos e não parecem prestes a acabar. Mas não é preciso ir tão longe. Basta recuar dois anos (tal parece ser o fôlego intelectual de Ferreira Fernandes) e relembrar que um mês de bombardeamentos e milhares de soldados não foram suficientes para derrotar o Hezbollah no Líbano e o Hamas em Gaza. Se formos um pouco mais ambiciosos, poderemos recordar que, em 2001, o exército israelita entrou na Cisjordânia para capturar Arafat e «decapitar a liderança terrorista palestiniana» da altura, com os resultados que se conhecem.

A palma para o racismo mais declarado vai direitinha para o suspeito do costume, Pacheco Pereira, um pouco mais ambicioso do que os «falcões» israelitas (decididamente aquela gente anda a dormir) : "exigir da comunidade internacional a reposição da legalidade no território, desarmando o Hamas, entregando o controlo de Gaza ao governo legítimo da Autoridade Palestiniana, apoiando os esforços dos moderados palestinianos para um entendimento com Israel, mas sendo intransigente com a situação de segurança de Israel." Para Pacheco Pereira, a segurança de Israel é o único ponto em que deve existir intransigência, a única legalidade que deve ser reposta. Dir-se-ia até que erguer um muro de cadáveres palestinianos em redor de Gaza não será um preço demasiado elevado para a concretização desse objectivo. Os «moderados palestinianos» não serão fáceis de encontrar. Parece que estão todos presos em prisões de segurança máxima ou ainda a ser instruídos pela Mossad.

Não há nada a fazer neste debate nem nenhum argumento a avançar, porque há muito que os dados estão lançados. Estes peixes nadam com tranquilidade nas águas turbulentas do «choque de civilizações» e não há maneira de os convencer que estão a falar da morte de pessoas iguais a nós, com o mesmo direito fundamental a viver e existir em paz, empurradas para uma situação de máximo desespero e que irão lutar até ao fim e por todos os meios necessários pela sua sobrevivência. O seu racismo há muito decidiu que os habitantes do médio oriente são todos dispensáveis e sacrificáveis porque potencialmente terroristas, eventualmente terroritas, inequivocamente terroristas ou, simplesmente, vizinhos, ex-colegas, filhos, sobrinhos, conhecidos, não-suficientemente-distanciados de terroristas. A palavra já foi de tal modo banalizada que nada significa a não ser um sinónimo de bárbaro ameaçador, mal absoluto, inimigo a abater sem piedade, a torturar sem remorsos, a humilhar sem hesitações. Que tipo de clarividência se pode esperar da parte de quem apoiou a invasão do Iraque e, tantos anos depois, ainda encontra fôlego para nos chamar idiotas porque não conseguimos descortinar os seus «aspectos positivos»? Nós «relativizamos e legitimamos» a violência palestiniana, ao passo que eles se limitam a pôr no devido contexto a morte de um milhão de iraquianos.

Não há, em todos os argumentos avançados para justificar o bombardeamento e invasao de Gaza - como não houve em todos os bombardeamentos e invasões anteriores - o mais ténue desejo de que se concretize naquela zona uma solução de paz. Nem isso seria desejável para quem já evidenciou, mais do que uma vez e em sintonia absoluta com os think-thank neo-conservadores que mandaram em Washington nos últimos anos, que nada menos do que o completo redesenhar do mapa da região será suficiente para «acabar com a ameaça terrorista». A paz que eles desejam é uma outra palavra para guerra infinita em condições radicalmente desiguais e desproporcionais. Essa guerra que lhes permite abater milhares de «outros» por cada um dos «nossos», com a certeza reconfortante de que haverá sempre baixas que garantam a continuação desta dança macabra.
bashir.jpg

Publicado por [Rick Dangerous] às janeiro 5, 2009 04:21 PM

Comentários

Bom post,

Aqui o ricky é como a bolsa, as vezes sobe normalmente desce, ninguém passa sem ele e está sempre a funcionar. Este foi bom.

É um argumento comum não sei se já foi aqui discutido, mas a resposta do " O seu racismo há muito decidiu que os habitantes do médio oriente são todos dispensáveis e sacrificáveis porque potencialmente terroristas, eventualmente terroristas, inequivocamente terroristas ou, simplesmente, vizinhos, ex-colegas, filhos, sobrinhos, conhecidos, não-suficientemente-distanciados de terroristas." encontra-se psicologicamente enraizada no facto de serem o povo eleito, e naturalmente se eles são os eleitos os outros não são. Estas injecções de puro EGO que dão aos judeus desde pequeninos é bastante positiva para a cultura e a arte mas o resultado é social-nazi. Olhem os nazis e a cultura.

Publicado por [CavaleiroDaCapaEscarlate] às janeiro 5, 2009 07:06 PM

Excelente, meu caro. Parabéns!

Publicado por [Golfinho] às janeiro 5, 2009 07:33 PM

excelente msm

tenebroso, esse post

Publicado por [marini] às janeiro 6, 2009 12:14 AM

Obrigado pelo post!
Abraço!

Publicado por [P] às janeiro 6, 2009 01:44 AM

Obrigado pelo post!
Abraço!

Publicado por [P] às janeiro 6, 2009 01:44 AM

Todos os posts serão poucos até acabar com esta merda!

Solidariedade com o Povo da Palestina!

Publicado por [hb] às janeiro 6, 2009 09:47 PM

super-post

Publicado por [GR] às janeiro 10, 2009 06:37 PM

AKAIK you've got the aswner in one!

Publicado por [Biana] às maio 26, 2011 03:31 AM

Comente




Recordar-me?

(pode usar HTML tags)