« maio 2008 | Entrada | julho 2008 »

junho 29, 2008

...and now for something completely different:

Nesta Marcha do Orgulho, deram-me um folhetozinho diferente: "Poliamor - reclama o direito a multiplicar a felicidade".

Contaram-me que isto deu grande polémica na Marcha do Porto, supostamente porque se tratava de publictar um modo de vida e não de reivindicar o fim de qualquer descriminação...

Que grandes murcões, hã?

Como sinal de reconhecimento aqui fica ao lado o link para um dos blogs referênciados no folheto:Our Laundry List.

Publicado por [Saboteur] às 08:11 PM | Comentários (8)

junho 28, 2008

Free Kareem

Que as “barbaridades” politico-blogisticas que tornamos publicas no spectrum nunca nos levem à prisão!

Kareem’s writings, mostly in Arabic, have appeared on his blog and on Modern Discussion. He has written about political repression, religious extremism, and discrimination against women. Kareem often expressed ‘secular’ views and called for equality for women in all aspects of Egyptian society. He also denounced violent attacks on Christians in Alexandria.

Publicado por [Shift] às 09:11 PM | Comentários (1)

junho 27, 2008

Experiências francesas de ADN em Cabo Verde

O recurso aos testes ADN no controlo dos fluxos migratórios é um acto vergonhoso, já que consiste, entre outras, na utilização da genética na defesa da “identidade nacional”! O ministro da imigração francês, Brice Hortefeux, foi no passado domingo a Cabo Verde anunciar às autoridades cabo-verdianas que este país seria um dos primeiros onde os testes ADN seriam aplicados aos candidatos ao reagrupamento familiar. Que belo prémio! Enquanto Hortefeux fala em "accord de gestion concertée des flux migratoires" aceite pelos « nossos amigos africanos », as autoridades cabo-verdianas falam em “decisão unilateral da França”.

Publicado por [Shift] às 11:02 AM | Comentários (1)

Muxtape. Barcelona - Madrid.

Desde que li aqui no spectrum que o último disco do Manu Chao era o melhor albúm rock desde o Sandinista dos Clash que tenho o apontamento mental de começar aqui a postar música sem ser através dessas playlists irritantes que apareciam aqui ao lado. Deixo por agora de parte a polémica em relação ao Manu Chao, acho que preferia ouvir o pedro sales a tocar versões de nirvana numa guitarra acústica do que ouvir dois segundos de Manu Chao mas enfim, gostos não se discutem. Faz um calor dos diabos em Barcelona desses que não deixa dormir e portanto aqui apresento a minha primeira compilação.

O tema desta semana será viagens de carro. Música para ouvir quando estiver a voltar para Lisboa atravesando o subcontinente ibérico. Há limitações neste muxtape que uso (check it out, é brutal) portanto não posso por os épicos de noise-motorik-psicadélico que foram feitos para grandes viagens. Hoje a primeira parte: Barcelona - Madrid.

A Música Aqui. As canções descritas abaixo do intervalo.


Em primeiro lugar estão os Flipper com o seu grande exito "Sex Bomb Baby Yeah". Os Flipper são dessa geração do punk hardcore americano dos fins dos 70 inicios dos 80 que na minha opinião fizeram 80% do punk que vale a pena ouvir, mas ao contrário dos Black Flag, dos Minor Threat e dos Dead Kennedys não estavam permeados por esse moralismo voraz e violento que marcava a maioria desses grupos. Os flipper eram mais velhos e bastante mais toxicodepedentes. Esta canção em particular é uma pérola que redescobri há um par de semanas e que me parece perfeita para sair da cidade.

Mas logo a seguir entra alguma melancolia, o que se deixou para trás e tal. Sobre os Sun Dial sei muito pouco, tenho aqui um album sacado e só costumo ouvir esta canção. Calharia bem lá para os lados de zaragoza onde se rodaram muitos westerns spaghettis. Este stonerzinho romanticão caí que nem gingas a todos nós pseudo-nómadas.

Logo a seguir melhor disposição. Esse enormissimo senhor Bonnie "Prince" Billy a fazer uma cover do seu anterior grupo Palace Music. Este "Horses" é de ouvir várias vezes pela viagem.

Seguindo com território americano, o Boss no seu melhor albúm Nebraska, gravado em 4 pistas nos quartos de hotel em que foi ficando durante uma qualquer tourneé. Esta canção, state trooper, é-me particularmente cara dentro de todos os clássicos desse albúm, o meu amigo Bruce escreveu-a inspirado numa outra canção chamada Frankie Teardrop dos Suicide. Suicide, para quem não conhece, são das bandas fundadoras tanto da música electrónica como do punk rock e serão concerteza demasiado extremos para ouvidos habituados aos riffs melosos do manu tchau - google it. Se ouver espaço no fim da compilação ponho outra cover do bruce.

Depois Jack Rose com o seu dedilhar de guitarra Appalachiano. Jack Rose, segundo o que me dizem faz um tipo de música caracteristico das Montanhas Appalachianas na costa este dos USA. Imaginem se o Norberto Lobo fosse um camionista americano.

Para algo que soe familiar, e dado que estou com alguns problemas em rippar cd's, uma versão diferente do Heroin do Velvet Underground em que afinal Lou Reed sabia o que fazia. Faz parte da demo que foi encontrada há uns anos numa venda de garagem. Mesmo antes de tomar um café numa estação de serviço manhosa da espanha profunda já sob a alçada infame de Madrid.

Hah. Continuando os drones introduzidos antes aqui os Parson Sound directamente das comunas sessenteiras suecas. Era aqui que queria chegar, ao faltar palavras para descrever este grupo deixo aqui o link da review do albúm.

logo a seguir um regresso a um "Prince" Billy bastante mais intimista. "Another day full of dread". Tristonho sem dúvida, mas são 4 da manha e ainda não chegamos a Madrid.

Dormimos numa gasolineira. Mesmo antes o Boss volta com a cover do suicide que prometi - Dream Baby Dream ao vivo algures na América.

Publicado por [Party Program] às 12:43 AM | Comentários (7)

junho 26, 2008

Isto é que é luta de classes

Fui pela primeira vez na vida chamado a depôr em tribunal.

São 3 os réus, entre os quais a instituição para a qual eu vendo a minha força de trabalho...

Publicado por [Saboteur] às 12:11 PM | Comentários (1)

junho 25, 2008

Latest news : Morta à facada !

Foi em Rio-de-Mouro City que conheci os fantásticos momentos das amizades infantis e da adolescência. No fim do século passado, o prédio onde morava foi alvo de uma mudança radical de população. Os apartamentos ocupados outrora pelas classes médias, são agora habitados pelas classes populares (terminologia “classista” que pode ser discutida). Grosso modo, os sacos de lixo começaram a voar pelas janelas, a música pimba começou a reinar, as discussões familiares tornaram-se públicas, enfim, toda uma panóplia de situações que nenhum sociólogo ousaria referir na Academia. Como “cidadã” sublinho estas situações, sem contudo ignorar, por um lado, de onde vêm estes habitus de classe, e, por outro lado, num sentido mais prático, o ambiente tenso e hipócrita de alguns prédios burgueses!
Na minha família criámos um ritual que consiste na etiquetagem dos diferentes clãs da vizinhança. Metemos, por exemplo, as seguintes etiquetas: “Os Quiquis”, “Os Cuscos”, Os Mongos”, “Os Racistas”, “Os Pequenotes”, “Os Trongas”. O meu clã, deveria ser chamado por sua vez “As Arrogantes (no feminino pois éramos todas mulheres)”. O clã dos Mongas era o alvo das críticas mais acutilantes, alimentadas por toda a arrogância de clivagem de classe existente entre nós e eles. Certo dia uma das minhas gatas arrogantes atirou-se às pernas da mãe Monga, por esta trazer consigo o seu cão Monga histérico. Foi a ocasião para a Monga de fazer uma grande peixeirada contra o clã das Arrogantes. Foi igualmente o início oficial do nosso mau estar habitat. Há cerca de um ano e meio, a mãe Arrogante não conseguiu aguentar o melting pot classista e étnico do prédio e lá teve que se fazer mudanças.
Este prédio já fazia parte do passado do clã das Arrogantes, quando recebemos a seguinte notícia: O pai Monga, com um cancro já avançado, matou a mãe Monga à facada em frente do filho mais novo. Foi este último, com nove anos, que telefonou para a polícia.
Parece-me agora sórdido pensar que pude ter pensamentos tão negativos em relação a esta família. Será esta família um simples produto de um Portugal de Miséria sem perspectivas optimistas de futuro? Não gostaria de entrar em argumentos miserabilistas de certas culturas populares, mas que sentido faz viver 20, 40, 60, 80 anos embriagado em valores estritamente materialistas de sobrevivência básica? Gramsci diria que todo o individuo é um filósofo, artista, uma pessoa de gosto requintado, participando assim numa determinada concepção do mundo. Mas... certas linhas de conduta só me apetece afastar do meu quotidiano... primeiro que se inventem meios de possibilitar a maximização dos recursos intelectuais de toda gente. E num país castrado culturalmente, como Portugal, é uma missão quase impossível! O “quase” é o meu resto de esperança no que diz respeito a um eventual aparecimento dos “tais” “intelectuais orgânicos”, no sentido de se salvar, entre outros, todas as famílias Mongas do inferno obscurantista da actualidade.

Publicado por [Shift] às 06:10 PM | Comentários (4)

junho 21, 2008

Orgulho 2008

marcha.jpg
Kudos para o Pedro

"O orgulho LGBT (Lésbico, Gay, Bissexual ou Transgénero) existe por contraponto à vergonha que o preconceito e a discriminação tentam impor-nos. Temos orgulho porque, por entre o insulto, fomos capazes de descobrir a nossa identidade e temos orgulho porque somos capazes de a afirmar contra os armários do silêncio, do medo e da invisibilidade. Porque a rua é o palco de todas as lutas e da celebração da diversidade e da visibilidade dos nossos amores, queremos mostrar que a orientação sexual e a identidade de género não nos diminuem nem nos tornam melhores seres humanos.

E estamos orgulhosamente acompanhad@s por todas as pessoas que se preocupam com os direitos humanos e que lutam contra a discriminação sexista, homofóbica, transfóbica, ou racista e xenófoba, que limitam a nossa democracia.

É que o direito à cidadania plena independentemente da orientação sexual e da identidade de género não é uma “questão fracturante”. “Fracturante” é a discriminação na lei e na sociedade que remete as pessoas LGBT para uma cidadania de segunda."


Publicado por [Renegade] às 11:33 PM | Comentários (5)

exercitar

obrigado braganza mothers

Publicado por [Renegade] às 11:28 PM | Comentários (3)

O Europeu ganha interesse

Eu não gosto de futebol e sobretudo não gosto de ver jogos da selecção portuguesa.

Todo aquele patriotismo junto, mesmo nos meus camaradas mais insuspeitos como o Zé Negris ou o Rick Dangerous, fazem-me nervoso e temer o pior.

Agora, se bem percebi, a selecção turca vai defrontar-se com a Alemã? Num estádio Austríaco ou Suíço? Ui!!

Allez, Turquia, Allez!

Estou pela bandeira vermelha.

Publicado por [Saboteur] às 02:19 PM | Comentários (6)

junho 20, 2008

Dinâmicas de força!

Com frequência ouvimos falar na superioridade social, cultural e ambiental dos valores europeus em relação ao resto do mundo. Quando existe uma operação de desmaquilhagem desses valores e se revela a verdadeira face sem luminosidade, como o que aconteceu com a directiva do retorno, a força moral e material da reciprocidade ganha terreno. Que nos cheguem mais lições do outro lado do Atlantico, mesmo que estas nao sejam “tout à fait” realistas!!!

Publicado por [Shift] às 12:26 PM | Comentários (2)

junho 19, 2008

Blog do dia!

Chamo a atenção para o novo link ( arab democracy) acrescentado na lista multiplayer aqui ao lado. Embora neste blog existam posts escritos em árabe (só nos resta portanto adivinhar o assunto através das imagens), arabdemocracy alberga posts também em inglês. Para quem se interessa pelo Médio Oriente ora aqui está uma boa fonte de informação, escrita por jovens na grande maioria Libaneses, que desmistifica por um lado o “Orientalismo” criado pelo Ocidente e que tenta por outro lado criar bases para um movimento político independente e panarabe. Breve, camaradas de luta a quem dou toda a minha confiança política.

Publicado por [Shift] às 01:07 PM | Comentários (1)

junho 17, 2008

Bab Sebta

FLYER_BABSEBTA_Junho-JulhoNET.jpg

Publicado por [Rick Dangerous] às 07:16 PM | Comentários (1)

junho 16, 2008

O Apartheid Social em Portugal não é só

@s homossexuais serem cidadãos de segunda. É também ver fábricas atrás de fábricas a fechar e ouvir coisas como esta como se fossem o mais normal do mundo (e provavelmente são): "Tenho 50 anos e trabalhava aqui há 35...ganhava 520 € por mês e agora vou para o subsídio de desemprego com 400 e picos..." (trabalhadora da SECLA, nas Caldas da Rainha, que vai fechar - 250 para a rua, na DELPHI são outros 350 até ao Verão).

Publicado por [Renegade] às 08:45 PM | Comentários (1)

Uma Europa apropriada exclusivamente pelos sotaques das elites!

P1000602.gif

A l’occasion d’un débat au Centre Culturel Suisse (Paris), sur le thème « Quand l’Europe normative se tourne vers le monde » avec Zaki Laidi (professeur à l’IEP Paris – Centre d’études européennes) et Manuel Maria Carrilho, j’ai eu la possibilité de constater que la construction européenne se fait à plusieurs échelles. Au-delà des questions de fond, Monsieur Carrilho a ressenti la nécessité de s’excuser de son accent portugais. Puis, il s’est très vite mis à l’aise, car la modératrice du débat a répondu aussi vite à cette excuse de façon très agréable, « Monsieur Carrilho, il faut que vous sachiez que votre accent nous charme à tous ». Le fait d’être moi-même née au Portugal et d’avoir un accent du même style ne m’a pas pour autant épargnée, dans la même Europe que ce Monsieur, les difficultés rencontrées dans l’accès au marché du travail français pour ceux qui n’ont pas l’accent conforme au pays !

E depois não aceitam os "nãos" da populaça!

Publicado por [Shift] às 03:08 PM | Comentários (9)

junho 14, 2008

Tendências do Verão de 2008 #3


Chamar «Viriatos» à selecção nacional de futebol e comemorar o dia da «Raça».
Espero que percam e que o Cristiano Ronaldo chore como o Eusébio, antes do Cavaco cair da cadeira.

Publicado por [Rick Dangerous] às 05:25 PM | Comentários (9)

Tendências do Verão de 2008 # 2


Dizer que o bloqueio dos camionistas foi ilegal, ou que foi um lock-out patronal, e sugerir que a polícia «deveria» ter intervido mais rigorosamente em defesa da ordem pública.
São quase sempre os mesmos que chamam «irregularidades» aos crimes praticados pela administração do BCP/Opus Dei.
E também, evidentemente, aqueles que fingem desconhecer a existência de grandes empresas de transporte ou com frotas de camionagem própria, capazes de gerir com outra margem o problema do preço do combustível e que ficaram à parte do processo, enquanto a televisão nos trazia todos os dias imagens de caras curtidas pelo sol da estrada, a correr riscos evidentes (incluindo de vida) por estarem conscientes de que o seu modo de vida se encontra ameaçado pela especulação em torno do petróleo. Estes são também os que passam a vida a defender o incentivo aos pequenos e médios empresários mas que têm dificuldades em aceitar que estes se organizem à margem das associações patronais do sector.
Os que têm a imaginação suficiente para falar de um lock-out efectuado com recurso a piquetes (não, no Chile de Allende não houve piquetes para organizar a greve de camionistas, bastou fechar às chaves os armarzéns. Tratou-se do uso de um direito de propriedade que o piquete vem, precisamente, limitar), mas que encolhem os ombros, ou se limitam a esboçar tímidos lamentos, de cada vez que uma fábrica deslocaliza a sua produção.
Finalmente, trata-se também dos que acham que a polícia resolve todos os problemas e que a ordem pública é um estado de coisas natural perturbado ocasionalmente por delinquentes. Felizmente para a sua causa, quem decide esse tipo de coisas está um pouco melhor aconselhado e percebeu que a melhor maneira de defender a ordem pública, neste caso, foi precisamente evitar o afrontamento generalizado entre piquetes e polícias.
Enfim, esta tendência de Verão permitiu em todo o caso perceber onde e como é que Sócrates vai «criar» 150 mil postos de trabalho até às eleições. Um bófia em cada esquina e um rock in rio todos os meses poderão salvar o capitalismo em Portugal.

Publicado por [Rick Dangerous] às 05:02 PM | Comentários (7)

Tendências do verão de 2008


Dizer que é incompreensível a afluência de tantas pessoas ao Rock in Rio num cenário de crise económica. São quase sempre pessoas que nunca foram a um festival deste tipo e que parecem ignorar que eles são pagos integralmente pelos patrocinadores.
Quase todos os dias alguém me disse que tinha «arranjado» bilhetes à última hora. Foram distribuídos em abundância convites pelos moradores da zona para evitar protestos e diluir possíveis descontentamentos relacionados com o barulho. Mas tudo serve, nesta altura, para convencer os portugueses de que eles não estão convencidos de que existe uma crise.

Publicado por [Rick Dangerous] às 04:32 PM | Comentários (3)

junho 13, 2008

Em lisboa faz bom tempo, em bruxelas duendes do caralho

fightin-irish-leprechaun.jpg

Publicado por [Chuckie Egg] às 12:33 PM | Comentários (5)

Gorgulho na Selecção

gorgulho.png

Publicado por [Saboteur] às 11:33 AM | Comentários (2)

junho 11, 2008

No país do futebol

up.jpg
Por forma a assinalar convenientemente o Dia da Raça, os gajos lá ganharam mais um. Aos checos. O que deixa um sabor a vingança...
Alguém sabe se aconteceu mais alguma coisa neste ou noutros países durante o dia de hoje? Ouvi falar em filas intermináveis nos postos de abastecimento, mas cheguei a casa no intervalo do jogo e não havia, praticamente, trânsito...

Publicado por [Bomb Jack] às 07:01 PM | Comentários (1)

junho 10, 2008

Abrindo mails que tinham ficado por abrir esta semana...

Descobri este:

Par : Bureau de presse
Mis en ligne : 2 juin

Le Parti communiste français salue le grand artiste et l'homme.

Avec son fameux blouson noir, le smoking féminin, la collection shakespeare ou la saharienne, Yves Saint Laurent aura révolutionné la haute-couture par son attention aux évolutions du monde, son amour des femmes, le dialogue permanent avec les autres arts, la peinture, le cinéma, la littérature, le théâtre. Homme libre, il voulait aussi par la mode ouvrir de nouveaux espaces de liberté. C'est lui,par exemple, qui aura osé le premier offrir le pantalon aux femmes.

Artiste immense, messager du luxe et de la beauté, il était aussi un homme du partage. Le défilé Yves Saint Laurent à la Fête de l'Humanité en 1988, mis en oeuvre avec Pierre Bergé et Michel Boué, témoignait de sa capacité de don. Yves Saint-Laurent ne concevait pas sa place comme celle d'un marchand de vêtements chers pour femmes riches. Le triomphe populaire de cet événement lui a donné raison.

La France, le monde, avec le décès d'Yves Saint-Laurent, perd un créateur qui marquera longtemps l'imaginaire collectif bien au delà des seuls clients du luxe. Le Parti communiste sait qu'avec sa fondation, sa mémoire sera poursuivie mais aussi l'aide aux jeunes créateurs comme il le souhaitait.

Parti communiste français

Paris, le 2 juin 2008.

Publicado por [Saboteur] às 03:28 AM | Comentários (1)

Afinal é pior do que o Sampaio

Publicado por [Saboteur] às 03:02 AM | Comentários (5)

junho 09, 2008

Centenas de camiões parados!!!

camiao.jpg

A subida exponencial do petróleo e dos combustíveis é um fenómeno novo que a esquerda tradicional ainda não conseguiu processar.

O tema é complexo. Tentei num post anterior levantar algumas questões. Hoje, dia em que as empresas de camionagem estão totalmente paradas em todo o país, também:

Paralisações, reuniões com mais de mil “profissionais do sector”, apedrejamentos, agitação social, são coisas que quase por reflexo atraem a simpatia da esquerda e até dos trabalhadores em geral, que estão chateados com o aumento de preços da gasosa.

No entanto reparem que é uma paralisação decidida pelos empresários e não pelos trabalhadores. Aliás (a noticia não faz referência, mas ontem ouvi na TSF), o sindicato levantava as suas dúvidas… As reivindicações são basicamente mais apoios estatais, menos impostos e taxas. Como nos posicionamos face a isto? Entretanto, mais uma vez, os temas das energias alternativas, dos meios de transporte mais racionais, dos novos paradigmas de consumo e produção (nomeadamente de bens alimentares), do fim do petróleo, etc. não são abordados.

Sinto que faz falta uma abordagem séria, aprofundada e crítica – de esquerda – sobre o assunto. Não sou eu que vou fazê-la, nem sei sequer onde encontra-la... Mas cheira-me que nos está a passar qualquer coisa ao lado, no meio desta crise...

camioes.jpg

Publicado por [Saboteur] às 04:52 PM | Comentários (5)

junho 08, 2008

Olha, olha...

Um post que gostava de ter feito no Spectrum...

Publicado por [Saboteur] às 03:36 PM | Comentários (8)

junho 06, 2008

I heard it trough the grapevine


A Câmara Municipal de Lisboa e os seus vereadores marco perestrello e josé sá fernandes acharam por bem alugar a Praça das Flores, durante 17 dias, a uma marca de automóveis, a Skoda. Durante estes 17 dias, a Skoda realizará várias festas nocturnas de lançamento internacional de um seu novo modelo automóvel, ocupando ininterruptamente a praça. As pessoas - transeuntes, população do bairro, turistas - não poderão ter acesso à praça entre as 17h e a 01h, período durante o qual decorre a festa privada da Skoda. Uma parte de estrada está vedada e o jardim está todo ele vedado, com gradeamento disfarçado de arbustos. Existem uns seguranças privados à 'porta' (?!?) do jardim e muita polícia. Existiram já confrontos entre a polícias e os habitantes, com dois destes a serem levados para a esquadra. As festas sucessivas fazem barulho sucessivo, noite após noite. O comércio local (excepto os restaurantes e cafés mais finos que estão instalados na praça e que estão abertos apenas para os convidados-skoda) está a ser prejudicado, segundo os próprios. MAS, mais importante, há um sentimento de revolta pela privatização do espaço público que está em curso (ou, como dizia um vizinho, 'quem tem o pilim é quem manda aqui nos joaquim').

Os moradores e os comerciantes, entre a revolta e o conformismo, estão a pensar organizar algumas coisas de que darei conta assim que tiver mais informação.

Entretanto, peço-vos que divulguem esta situação.

Publicado por [Rick Dangerous] às 06:49 PM | Comentários (20)

junho 05, 2008

Perguntinha inocente

Alguém sabe se o camarada Manuel Alegre foi à manif da CGTP?

Publicado por [Bomb Jack] às 06:38 PM | Comentários (4)

Eu vou

arraialmouraria.jpg

O dedinho de Joystick?

Publicado por [Rick Dangerous] às 03:49 PM | Comentários (2)

Amanhã também vou...

... Arranjaram-me bilhetes, de modo que vou ao melhor concerto de um festival que tem um cartaz bastante desinteressante.

Vou ouvir Buraka com Deise Tigrona. Fusão de Kuduro progressivo com Funk da Favela. Promete.

Publicado por [Saboteur] às 11:48 AM | Comentários (1)

junho 03, 2008

Fuuuuuuusão

Fusion2008.jpg
Saboteur, relaxa com a gasosa pá, repara neste aqui, tem mesmo o teu nome, 4 dias de boicote sério à civilização. (sobre o decrescimento do consumo só escrevo depois de 2 garrafas mas posso fazer o jantar) marca as férias, abraço.

Publicado por [Chuckie Egg] às 10:05 AM | Comentários (2)

junho 02, 2008

O boicote

eunaovou.jpg

Começou ontem e prolonga-se até amanhã a grande “iniciativa de luta” que tanto tem entusiasmado alguns dos meus amigos e camaradas e enchido de spam a minha caixa de correio: O boicote às gasolineiras por causa do aumento de preços.

A mim parece-me que tudo isto está um bocado deslocado do mais importante.

Só se fala ou do problema da cartelização das empresas petrolíferas ou dos impostos sobre o combustível que está muito elevado.

E o fomento das energias renováveis? E a necessária diminuição do consumo?

Claro que a privatização da Galp foi mais um golpe sujo dos nossos governantes, mas o que mais me interessa agora, por exemplo, é que no outro dia João Seixas afirmou que 15% do PIB nacional era gasto na utilização de transporte próprio. É um número brutal!

Para milhões de portugueses está totalmente fora de questão a utilização, como norma, dos transportes públicos ou percorrer distâncias a pé que vão para além dos 500 metros.

Outros tantos necessitam de carros de alta cilindrada para se sentirem verdadeiramente felizes e realizados e nem o medo dos companheiros do ‘car-jacking’ lhes faz pensar duas vezes.

A relação da sociedade ocidental com os combustíveis (e não só: com a água potável, por exemplo... com o consumo em geral!) tem de mudar radicalmente. A esmagadora maioria das pessoas parece não ter entendido isso, logo, se os preços sobem, é porque “andamos a ser gamados” e há que fazer boicotes, marchas lentas e votar em quem promete maiores descidas de impostos.

Publicado por [Saboteur] às 11:35 PM | Comentários (4)

Já nasceram!

planta08-f1.JPG

Espero que sejam meninas...

Publicado por [Saboteur] às 11:01 PM | Comentários (5)