« Pirates of the Mediterranean | Entrada | A questão da produtividade ao vivo e em directo »

setembro 11, 2007

Homo Securitarius

Há uns dias, uma amiga falava com um familiar que é taxista sobre a videovigilância nos táxis. Ele até se mostrava aberto ao facto de haver uma resistência por parte de uma comissão qualquer cujo nome não sabia que invocava os princípios de defesa da privacidade e essas coisas assim que não sabia muito bem clarificar, ainda assim, acaba com esta frase: "A única coisa que eu não percebo é que as pessoas já se deixaram filmar nos supermercados, nos multibancos, no metro, no autocarro, etc. qual é o problema dos táxis?"

surveilance-camera.jpgd3.jpg

Todo este debate em torno da invasão de privacidade em nome da segurança só veio depois de grande parte do espaço público (do privado nem se fala) estar, há muito tempo até, completamente coberto de câmaras para nossa própria protecção. E isso nunca foi legitimado. Assim como esta pretensa comissão de protecção de dados nunca será grande garantia. Proteger a constituição? Proteger os meus dados?
O DN fez uma notícia sobre a facilidade que têm hoje os aspirantes a detectives porque a tecnologia disponível na net permite escutar telefones por um preço acessível, qual descoberta profunda do jornalismo de investigação. Enquanto isso, discute-se este novo impedimento de publicar as escutas telefónicas dos processos judiciais. Aqueles que deviam ser a garantia de justiça. Mas nós não precisamos de saber, basta-nos acreditar. A vergonha não mora aqui e a liberdade afunila. Culpa da tecnologia? Do desenvolvimento?

ds.jpgft.jpg

"Diluée dans un vaste dispositif de concertation et d’action, la justice met finalement à la disposition de l’administration les pouvoirs de violation des libertés. (…) Derrière cette décadence sécuritaire - qui, à partir de la justice, se diffuse dans tous les champs de l’État - emmerge un projet politique qui passe par une limitation de plus en plus accrue des libertés publiques et individuelles, afin de maintenir une domination de l’élite sur le plus grand nombre. Cette politique se durcit et s’accélère du fait de la dégradation inéluctable des conditions de vie d’une masse humaine de plus en plus importante.

Au « tous ensemble » des altermondialistes répond le lugubre « attentifs ensemble » de vigipirate."

Publicado por [Chuckie Egg] às setembro 11, 2007 11:48 PM

Comentários

oi gostei muito do seu tabralho gostaria de umas dicas vou abri uma loja de presentes estou pensando em fazer a decorae7e3o com tudo reciclado me ajuda com as preteleiras e balcf5es bjs

Publicado por [Tur] às março 25, 2012 06:51 AM

Comente




Recordar-me?

(pode usar HTML tags)