« (ou não-pago) | Entrada | This is La Radiolina in a pirate satellite »

setembro 15, 2007

Brave new world

O artigo do Pacheco Pereira no Púbico de hoje, a propósito da novela McCann, é um colosso.

«(...) os factos pouco interessam, tudo é do domínio da ficção e, por cruel que seja dizê-lo, tudo é um enorme teatro, a gigantesca encenação do Pathos, rei e senhor do espaço público nas nossas sociedades de massas.
O que nós estamos a ver é um filme (e a seu tempo haverá um filme), um espectáculo, em que personagens "não procuram o autor" como no teatro moderno (que exactamente por essa perplexidade nunca será popular), mas onde cada personagem é um ícone, transporta consigo uma face trágica, que "fala" com a cidade, e a que a esta responde com um coro. Sim, é puro teatro grego clássico, por cruel que seja dizê-lo assim insisto, aquele que Sólon queria proibir porque institucionalizaria a confusão entre a verdade e a mentira.»

Brutal! Se alguém tivesse que apresentar a um ET a merda de vida em que vivemos, poderia perfeitamente utilizar esta citação.

Publicado por [Manic Miner] às setembro 15, 2007 01:56 PM

Comentários

Concordo. O Pacheco quando dá nas afetaminas saiem-lhe umas cenas boas.

Publicado por [Anónimo] às setembro 16, 2007 07:01 PM

Vá lá, acertou uma...

Publicado por [Golfinho] às setembro 17, 2007 12:00 AM

Got it! Thnkas a lot again for helping me out!

Publicado por [Matee] às maio 26, 2011 03:56 AM

Comente




Recordar-me?

(pode usar HTML tags)