« maio 2007 | Entrada | julho 2007 »

junho 27, 2007

Zero em conduta


Zero de Conduta, o novo Blog de Esquerda que anda aí, passou-me finalmente o código html para também nós termos aqui a entrevista do candidato do PSD à Câmara de Lisboa.

Obrigado Sales. Estes exemplos de como alguns políticos (sobretudo da direita, claro, pois está-lhes no código genético que esta coisa do Estado é mesmo para pôr a funcionar bem a polícia e o resto até seria melhor deixar cair ou privatizar) encaram com ligeireza e descontracção o desempenho de cargos públicos, e a sua conduta, deve ser divulgado e amplificado ao máximo.

Publicado por [Saboteur] às 10:23 PM | Comentários (4)

Era uma vez um Regime

"A Assembleia Constituinte afirma a decisão do povo português de defender a independência
nacional, de garantir os direitos fundamentais dos cidadãos, de estabelecer os princípios
basilares da democracia, de assegurar o primado do Estado de Direito democrático e de abrir
caminho para uma sociedade socialista, no respeito da vontade do povo português, tendo em
vista a construção de um país mais livre, mais justo e mais fraterno."
(Preâmbulo da Constituição da República Portuguesa)

Este foi o resultado da negociação do modelo de Regime político que vigoraria em Portugal depois do entendimento entre Cunhal e Soares no 25 de Novembro de 1975. Um Regime de pretensões e sem real capacidade para cumprir os designios que se acordaram mas que nunca se pretendeu perseguir. As negociações resultaram na (inevitável) ironia de ter um preâmbulo socialista para um regime político capitalista. As revisões constitucionais vieram e o preâmbulo foi ficando. Agora chegam o livro branco, a flexigurança e outros direitos modernizados. Tudo como dantes.

Publicado por ["Paco" Menéndez] às 10:01 PM | Comentários (1)

junho 26, 2007

corruptos e oportunistas às molhadas em lisboa

Aqui no spectrum tem-se batido na Helena Roseta e pouco nos outros (e é ver como é a única cabeça de lista na cidade mais modernaça do país). Eu percebo isso, que nas duras contas do duro mercado eleitoral por um voto se ganhe, por um voto se perca, por um voto se remedeie. Também é evidente que boas intenções, bons programas, candidatos competentes e à prova de corrupção (listas Sá Fernandes, Rúben de Carvalho ou Helena Roseta, por exemplo) não chegam para ganhar apostas políticas. Antes pelo contrário, todas estas coisas até podem ser handicaps em ambientes tão nublados por interesses obscuros como a Câmara Municipal de Lisboa. Mas acho que os outros já merecem alguma homenagem. O Fernando Negrão parece que está apostado em sabotar a própria candidatura, não o vão obrigar a trocar são bento pela vereação durante dois anos. Quanto ao Costa (PS), Telmo (CDS) e Carmona (PSD), a luta foi ter com eles.
O melhor humor que se faz para televisão em portugal neste momento é o do Jel no Vai Tudo Abaixo da sic radical. Tenho perfeita consciência que isto nem sequer é dizer muito, dado o panorama. Aqui abaixo só falta o excerto com o Negrão (PSD), por sinal hilariante, mas não tive arte para o colar. Podem ver aqui, por volta dos 6 minutos.

Publicado por [Renegade] às 07:40 PM | Comentários (3)

Oligoropa

O Presidente da República anseia, quase sorrindo, que o futuro tratado constitucional europeu fique conhecido como "Tratado de Lisboa". O Primeiro-Ministro macaqueia a pior demagogia nacionalista ao afirmar que não se deve discutir para não diminuir a capacidade negocial do País.

Para além disso, há uma crença pos-política na Europa. Uma ideia burocrática de uma Europa cupular, baseada em instituições não democráticas. Quem se opõe a estes modelos por convicção de que a democracia não se esgota na teoria política liberal oligárquica é apodado de anti-europeísta e outros epitetos sonantes. Ou temos a Europa do directorio ou não temos nenhuma. Parece que nos querem negar que , na mera lógica das relações internacionais, a ideia de Europa tenha sido pensada e repensada de diferentes modos, de Lenin a Goering. Infelizmente esta Europa consegue parecer-se muito mais com a de Goering.

Publicado por ["Paco" Menéndez] às 12:32 PM | Comentários (4)

junho 25, 2007

CIA: O que toda a gente sabia

O National Security Archive organizou um arquivo informativo de 693 páginas, a ser publicado em breve, em que se descrevem as sistemáticas violações dos direitos americano e internacional por parte da CIA.

O estudo incide sobre um longo período de abusos de poder (dos anos 50 a meados dos anos 70) em que se organizaram sequestros, tentativas de assassinato(Fidel Castro, Patricio Lumumba), financiamento de estudos sobre alterações de comportamento humano, violação de correspondência, escutas abusivas, buscas ilegais, elaboração de fichas pessoais sobre cerca de 10 000 activistas contra a guerra do Vietname...

Precisaremos de esperar mais 50 anos para saber que ainda é assim?

Publicado por ["Paco" Menéndez] às 02:12 PM | Comentários (7)

junho 24, 2007

Alta política

Tive de ler duas vezes porque à primeira não quis acreditar.

Helena Roseta argumenta que "Neste momento, uma maioria do Partido Socialista significaria uma grande dificuldade de entendimento com a Assembleia Municipal, cuja maioria é do PSD” e portanto propõe “uma convergências das forças políticas, para fazer em conjunto um programa de emergência, e que todos os que queiram fazer isto tenham pelouros, porque o trabalho é para todos e não só para alguns”.

Naturalmente que também eu não quero uma maioria absoluta do PS na Câmara. Mas argumentar que o problema é que depois não se vai conseguir chegar a um entendimento com o PSD na Assembleia Municipal?!!

Quais são então os parceiros privilegiados de Helena Roseta para um entendimento pós-eleitoral (para além do vencedor, PS)? O PSD? Carmona Rodrigues? O PP?

Foi por isso que Roseta recusou logo o entendimento com Sá Fernandes, o homem que derrubou o Governo PSD da Câmara?

Cheira-me que muita gente de esquerda se tem de preparar para receber um balde de àgua gelada pela cabeça abaixo….

Publicado por [Saboteur] às 02:37 AM | Comentários (6)

junho 22, 2007

Para o Joe da Madeira, com amor

«Em 1994, quando tinha 22 anos, o Benfica enfrentava uma situação financeira muito delicada e a minha saída para Itália [a transferência mais cara da época] foi solução para a crise gravíssima do clube. Tivessem homens providenciais aparecido, nesses tempos difíceis e conturbados, a ajudar o Benfica e talvez a minha história profissional fosse diferente. Talvez nunca tivesse necessidade de ter deixado o clube.
Aceito o pedido de desculpas. Se é verdade que no mercado dos negócios, que o sr. José Manuel Berardo parece conhecer tão bem, o meu valor futebolístico pode ter um preço, a minha dignidade não tem»

Rui Costa

Publicado por [Rick Dangerous] às 04:39 PM | Comentários (1)

Aforismo benfiquista

O chinês é bué Dabao
o Berardo é bué da Mao.


http://hotellisboa.blogspot.com/
Para Thakrar et pour cause

Publicado por [Rick Dangerous] às 04:28 PM | Comentários (2)

Feira Laica

Laica.gif

A cooperativa Laica regressa aos jardins da Bedeteca para a reposição de um clássico de verão. Uma verdadeira orgia de comércio cultural justo. Do disco de vinilo em 2ª mão ao último fanzine, do acessório de moda ao original de ilustração, de objectos vintage à serigrafia, quase tudo o que interessa pode ser adquirido na Laica.
O evento cultural mais total de que há memória.

Publicado por [Saboteur] às 11:41 AM | Comentários (2)

junho 21, 2007

Uma boa merda, a TSF...

A propósito do escândalo relatado aqui e aqui, só queria dizer o seguinte:

Vivi muitos anos na periferia e fazia todas as manhãs a 2ª circular. Estivesse o trânsito que estivesse, a fila que estivesse, fosse uma manhã chuvosa de inverno ou uma manhã calma de Agosto, o programa da TSF de Trânsito dizia sempre a mesma coisa: "transito muito condicionado na 2ª circular no sentido Sacavém-Pinamanique e de Pinamanique até ao Campo-Grande".

Ainda até bem pouco tempo, quando fazia a IC19 8 vezes por dia, pude constatar que a informação "IC19 congestionada em ambos os sentidos", nem sempre correspondia à realidade.

Ora, uma "rádio-jornal" que se dá ao luxo de aldrabar nas notícias do trânsito...

Publicado por [Saboteur] às 03:09 PM | Comentários (1)

junho 20, 2007

O JN é de quem o pariu, não é do Rui Rio!

O site oficial da Câmara Municipal do Porto parece o blogue privado de Rui Rio. Mas agora é que passou todos os limites. A história é tão caricata que o Público dedica-lhe uma notícia hoje (afinal, têm de ser uns para os outros). Tem uma "coisa" (não me lembro de nada melhor para "substanciar" o fenómeno) sobre como um jornalista e director-adjunto do JN participou numa manifestação junto ao Rivoli, partindo do pressuposto que qualquer participação cívica e cidadã de alguém que tenha alguma coisa a ver com o JN (sobretudo se for uma manifestação cívica e cidadã contra uma medida tomada por Rui Rio) é prova derradeira da "ofensiva" do jornal contra o querido líder portuense. Parece-se cada vez mais com o Jardim, que dizia, lamentando, há uns tempos, que "os jornalistas continuam a passear pela Madeira sem que ninguém os castigue".

Se eu fosse o JN colocaria a faixa do República - que era do povo, não era de Moscovo: "ESTE JORNAL NÃO FOI VISADO POR QUALQUER COMISSÃO DE CENSURA". Bem, mas isso era se não fosse...

Publicado por [Joystick] às 06:11 PM | Comentários (2)

junho 19, 2007

Orgulho*

Sob o lema "Igualdade de Direitos: aqui e agora!", vai realizar-se a 8ª Marcha do Orgulho LGBT. Leia aqui o manifesto.

Desta vez o percurso terá início no Príncipe Real, às 16h30 do Sábado 23 de Junho.

* ORGULHO por oposição a vergonha! Precisamos do orgulho, palavra que tanto parece incomodar a homofobia. Orgulho em sermos quem somos, orgulho por experimentarmos a homofobia e por não nos deixarmos submeter a ela, orgulho por oposição à vergonha para a qual a homofobia quer remeter-nos. O orgulho em ser LGBT merece ser celebrado.

Publicado por [Renegade] às 08:03 PM | Comentários (11)

Bom humor e boa disposição

Gonçalo da Câmara Pereira, o monárquico que se tentou candidatar à Presidência da República, apresentou o seu programa para Lisboa.

23 medidas: uma por cada letra do alfabeto.

Se nas primeiras letras ainda estava com alguma sobriedade (E – Emprego), nas últimas já não se aguentava:

V- Vamos trabalhar, trabalhar, trabalhar!

X- XXL é o tamanho que queremos para a nossa cidade

Z- Zé não faz falta

Publicado por [Saboteur] às 11:10 AM | Comentários (4)

Sensibilidade

Roseta pode ter metido a pata na poça ao publicar no site o vídeo das marchas mas, normalmente, ela é uma candidata com enorme sensibilidade para as questões da imagem.

Reparem a diferença de como ela vai vestida para o mercado de Alvalade em comparação como vai vestida para a Feira do Relógio.

Alvalade:

Relógio:

Publicado por [Saboteur] às 03:32 AM | Comentários (5)

junho 17, 2007

Tesourinhos Deprimentes

A campanha de Helena Roseta vai de vento em popa!

Mão amiga fez-me chegar por e-mail estas imagens do fabuloso Arraial de Santo António promovido pela Candidata.

Estão no site dela, em http://www.cidadaosporlisboa.org/index.htm?no=30100000211:062007

Vale a pena ver para compreender melhor porquê que Helena Roseta topou logo que Sá Fernandes não tinha categoria para estar na mesma lista que ela.

Publicado por [Saboteur] às 01:23 AM | Comentários (16)

junho 16, 2007

Una Notte con Karl Marx

"A memória mais viva que guardo desses anos é a de uma breve viagem a Roma, duplamente marxiana. A televisão italiana convidara-me a participar num programa comemorativo do centenário do grande homem, que recebera por título Uma Noite com Karl Marx.

A sessão foi autenticamente surrealista, ainda que infelizmente eu nunca tenha chegado a ver o programa, o que me fez perder, entre outras coisas, a interpretação da Internacional pela célebre cantora lírica de Vanguarda (sic), Cathy Berberian. No interior de um enorme estúdio da RAI (a televisão italiana), fora construído um cenário sofisticado que tinha por centro uma gigantesca cabeça de Karl Marx em papel machê, com a parte superior amovível. Do alto dessa cabeça, cuja tampa se levantava, um actor muito conhecido, que fazia as vezes de apresentador, extraía de vez em quando grandes rectângulos de papel que diziam LUTA DE CLASSES, DIALÉCTICA e assim por diante. Do cenário fazia também parte qualquer coisa como uma dacha tchekhoviana, em cuja varanda corrida me sentaram na companhia de Lucio Colletti, brilhante professor ex-comunista, em diálogo com o qual me competia expor A TEORIA DO VALOR-TRABALHO, sem exceder os cinco minutos, no momento em que essa rubrica saísse da cabeça de Marx. Lucio Coletti viria, mais tarde, a apoiar Silvia Berlusconi, mas, nessa noite de 1983, nem ele próprio ainda o sabia ou poderia sequer imaginá-lo."

E. J. Hobsbawm, Tempos interessantes. Uma vida no século XX


Publicado por [Renegade] às 04:46 PM | Comentários (4)

junho 14, 2007

what you see you might not get

So listen up 'cause you can't say nothin'

You'll shut me down with a push of your button?
But yo i'm out and i'm gone
I'll tell you now i keep it on and on


'cause what you see you might not get
And we can bet so don't you get souped yet
You're scheming on a thing that's a mirage
I'm trying to tell you now it's sabotage

Publicado por [Rick Dangerous] às 11:15 PM | Comentários (3)

Partido Socialista (ML)

"Pela primeira vez o país associará os resultados não apenas à performance dos alunos, mas também ao trabalho das escolas e dos professores, para o melhor e para o pior", disse a ministra a propósito dos exames nacionais do 9.º ano, no final de uma reunião de balanço do primeiro ano do Plano da Matemática, a 11 de Maio.
Poucos dias depois, a APM reagia em comunicado, criticando a "ausência de sentido pedagógico" e a "leitura muito simplista e redutora do que é esse trabalho e a educação."
"No dia em que a notícia saiu no PÚBLICO, recebemos um telefonema do director-geral de Inovação e Desenvolvimento Curricular a dizer que deveríamos sair da comissão", conta Rita Bastos, presidente da APM.
"Houve uma tentativa para que o ministério formalizasse esse convite por escrito, o que não aconteceu. A 30 de Maio, numa reunião da comissão de acompanhamento em que estive presente, o dr. Luís Capucha reiterou a posição de que, no entender dele, as críticas implicavam a saída da APM. Disse que, como fazíamos parte da comissão, não podíamos manifestar críticas publicamente. Nesse dia abandonámos a comissão."
Rui Nunes, assessor de imprensa do Ministério da Educação, diz que o entendimento foi o de que, com o comunicado divulgado, a APM se "auto-excluiu" do processo, escusando-se a dar mais explicações.

Público

Publicado por [Rick Dangerous] às 10:50 PM | Comentários (2)

Vodka v.s. Sarkozy

Sarkozy após a reunião com Putin na cimeira do G8

Publicado por [Chuckie Egg] às 08:25 PM | Comentários (5)

Cumpriu!

"Depois de entrar na Câmara nada ficará como dantes. Os Lisboetas vão ficar a saber o que lá se passa." Disse José Sá Fernandes na última campanha eleitoral.

Disse e cumpriu!

Hoje soubemos pelo 24 Horas, que Sá Fernandes também cumpriu "quase 4 meses" de prisão preventiva quando tinha 18 anos por um roubo que afinal não tinha cometido.

Há quem esteja delirante de alegria a pensar que a reputação de Sá Fernandes ficou abalada com esta notícia. Não compreendo porquê. Mesmo sem ter culpa, Sá Fernandes cumpriu ...quase 4 meses no Linhó.

Lisboa precisa de um Vereador assim.

Publicado por [Saboteur] às 05:28 PM | Comentários (6)

Ideia para um Reality Show

nal_9.jpg

Ao ouvir o Fórum TSF sobre a localização da OTA, fico espantado com a quantidade de gente variada que tem tanta opinião e informação sobre o assunto.

O que acho é que se deviam fazer duas ou três equipas – cada uma defendia uma determinada localização – e fechavam-se essas pessoas numa casa , a trocar argumentos, em grupo ou separados, a analisar estudos, etc, etc..

Podia haver também algumas deslocações aos terrenos em causa e uma ou outra prova mais competitiva.

Podiam pôr-se lá as beldades vencedoras de "A Bela e o Mestre", para dar algum picante... tipo a rapariga da OTA, vai para a cama com o gajo da equipa de Rio Frio... Será amor ou uma jogada baixa?

Claro que numa equipa devia estar o Mário Lino e também deveria ser assegurada a paricipação do “Conde” Castelo Branco e de Carmona Rodrigues.

No final, claro, apurava-se a localização vencedora.

Cada número de telefone aceitaria 5 votos, por exemplo. As chamadas eram de valor acrescentado e as receitas retribuíam a favor da Cruz Veremelha.

Que tal?

Publicado por [Saboteur] às 02:54 AM | Comentários (7)

junho 11, 2007

Noutras Paragens…. Québec Livre ?

Ainda na adaptação ao sotaque dos francófonos em Montréal ouvi o seguinte numa festa : “prefiro um Canadá de esquerda a um Québec de direita”... falava-se na independência do Québec. Pessoalmente preciso estar mais três meses aqui para compreender o alcance desta frase! Ideias?

Publicado por [Shift] às 06:30 PM | Comentários (3)

O melhor e o pior do concerto de ontem

Que grande concerto! Beastie Boys arrasaram, sobretudo por causa do fabuloso Mix Master Mike.

O que correu mal foi à entrada: A polícia ficou com a Super Silver Haze que a Joystick trazia guardada com tanto carinho.

Ao entrar no recinto, já sem a erva, dezenas de pontos de venda de Cerveja, inclusive vendedores ambulantes, para toda a gente se embebedar à vontade.

“Sagres refresca os teus sentidos” dizia a publicidade em letras gigantes por toda a parte…

Em ocasiões como estas, fica claro o quão estúpido é o proibicionismo.


Publicado por [Saboteur] às 05:50 PM | Comentários (2)

junho 10, 2007

Manuel João Vieira

Vieira, aliás, Lello Minsk, não esteve bem ontem há noite.

Demasiado bêbado, só com mais um elemento em palco (não era para ser um quarteto?), aborreceu as centenas de pessoas que se tinham deslocado ao Maxime para ouvir "Kid Kechup" e os "Campolide Crú Uinited" a pôr música.

No entanto, esteve bem politicamente...

Explicou porque era da Comissão de Honrra de António Costa: "Sou amigo dele. Já o conheço desde os 10 anos de idade e portanto não podia recusar... Para além disso sou sócio da imobiliária dele".

Mais tarde, mandou-se para a alta teoria política: "Lisboa é uma realidade complexa; o Bloco de Esquerda é uma realidade complexa; o PS é uma realidade complexa... e por isso mesmo acho que deve haver uma coligação de esquerda em Lisboa, após as eleições"

Finalmente, acabou a noite com um elogio a Sá Fernandes: "Um homem de causas que faz muita falta a Lisboa. Quando o Maxime esteve fechado, fui ter com ele e ele ajudou-me. Deu-me conselhos muito importantes sobre o que fazer"

Publicado por [Saboteur] às 06:42 PM | Comentários (2)

Dedicado aos DJ's de ontem, a propósito do concerto de hoje

Vénia especial a Kid Ketchup que foi injustiçado e oprimido pelos Srs. da PSP. Um abraço de solidariedade e apoio total.

Publicado por [Saboteur] às 12:27 PM | Comentários (1)

junho 08, 2007

"O Rick faz falta"

sa+fernandes.bmp

Publicado por [Rick Dangerous] às 08:46 PM | Comentários (1)

Vamos supor que os jornalistas têm 4 neurónios

Há uns dias a candidatura de José Sá Fernandes queixava-se que apresentou um plano económico-financeiro para a cidade de Lisboa e que não houve jornalista que pusesse lá os butes.

"Como é que vamos chamar a atenção da comunicação social para a campanha?" Interrogou-se o candidato...

O truque está no título deste post. Candidato de microfone na mão, nas "partidas" da portela, a perguntar às pessoas se preferiam apanhar o avião ali ou na Ota.

Foi um sucesso! Televisões, jornais e rádios (excepto TSF que não quer ter nada a ver com o Bloco ou com o Sá Fernandes). Alguns jornalistas comentam mesmo que foi a melhor iniciativa de campanha de todos os partidos, até agora.

zereporter2

Publicado por [Saboteur] às 01:25 PM | Comentários (5)

junho 07, 2007

Festa Rija

sa+fernandes.bmp

António Barreto e Maria Filomena Mónica vão dançar ao som da música que Rick Dangerous irá passar.

Isto e muito mais, no acontecimento mais alto das Festas de Lisboa.

Publicado por [Saboteur] às 04:25 PM | Comentários (4)

junho 06, 2007

Jesus se cá estivesse, seria do CDS

A obtenção de um lucro de 943 262 mil euros ocorreu no ano em que o CDS-PP contabilizou, segundo a Entidade das Contas e Financiamentos Políticos (ECFP), em Dezembro de 2004, como “proveito do partido cerca de um milhão de euros em donativos recebidos em plena campanha eleitoral para as legislativas [de 2005]”, um “valor avultado” que causou então “estranheza” à ECFP e está a ser investigado pela Polícia Judiciária no âmbito do processo ‘Portucale’. in Correio da manhã

Publicado por [Rick Dangerous] às 08:31 PM | Comentários (2)

Um partido do regime

"Sem «causas» que ultrapassem a banalidade e o objectivo principal de reforçar o «aparelho», o bloco é hoje um partido como outro. Um partido do regime, convencional e pobre e, como de costume, com um chefe perpétuo e um grupinho que protesta contra a «falta de democracia interna»."
Vasco Pulido Valente, Público, 03/06/2007

Publicado por [Rick Dangerous] às 08:09 PM | Comentários (5)

Da greve 3.0

Queixam-se de que os serviços mínimos fixados foram excessivos e puseram em causa o direito à greve. E foram e puseram. Assim sendo, porque não foram desrespeitados?
No Porto o Metro parou durante a manhã porque haviam sido levados a cabo actos de sabotagem em pontos cirúrgicos da linha, por alguém que conhecia bem o funcionamento técnico do sistema.
A legalidade não é cumprida pelo patronato ao nível das relações de trabalho. Inúmeras empresas são buracos negros do direito laboral. Mas os sindicatos tremem de medo face à possibilidade de incorrer em legalidades. Porque será? Bom, não digam a ninguém, mas os sindicatos hoje em dia não sobreviveriam sem os fundos públicos que lhes são atribuídos. Com raríssimas excepções, nenhum poderia funcionar apenas com os fundos provenientes da quotização sindical. E como os sindicatos também são locais de trabalho, os seus trabalhadores, a começar pelos que integram o executivo da CGTP e a acabar nos dirigentes sindicais das telecomunicações afectos ao Bloco (que abraçaram o Berardo e o Granadeiro à entrada da assembleia de accionistas da PT), pensam antes de mais nada na defesa dos seus próprios postos de trabalho.
O sindicalismo é, hoje em dia e um pouco por toda a parte, um prolongamento do Estado, uma variante de repartição pública, uma carreira ou até um bom negócio. O que ele não é e não parece estar em vias de ser, é um instrumento de luta dos trabalhadores.
E como os trabalhadores não deixaram de existir ou de ter motivos para lutar, mister é que encontrem e criem novos instrumentos de luta, de comunicação, de solidariedade e de contra-poder. Que trabalhem para a sua própria emancipação.

Publicado por [Rick Dangerous] às 04:19 PM | Comentários (4)

Da greve 2.0

Para ilustrar o que abaixo se afirmou não é necessário recuar à Lisnave, à Cabos d'Ávila, à Marinha Grande ou ao Vale do Ave. As recentes deslocalizações de fábricas por multinacionais que receberam dinheiros públicos para se instalar em Portugal foram mais um exemplo da condenação dos trabalhadores à resignação.
Na Guarda, a Delphi vai enviar 500 trabalhadores para o desemprego. O que diz o Sindicato? Em primeiro lugar, que é irreversível. E depois, então, acautelados os trabalhadores para actos irreflectidos, o choradinho do costume. É uma calamidade, é um drama social, é necessário encontrar alternativas, o governo não pode fechar os olhos.
Em Cádiz, a Delphi anunciou há alguns meses as mesmas intenções. Os sindicatos dizem mais ou menos a mesma coisa. Os trabalhadores é que não vão nisso. E como são um bando de irresponsáveis que gostam de partir coisas e andar à porrada, não é que começaram a queimar pneus na auto-estrada?
O que nos leva ao exercício lógico: será a legalidade e o culto da "responsabilidade" um bom terreno estrategico para os trabalhadores lutarem?
Na Guarda encolhe-se os ombros perante a inevitabilidade, em Cádiz encolhe-se o espaço de manobra da burocracia sindical.

Publicado por [Rick Dangerous] às 03:56 PM | Comentários (1)

Da greve 1.0

Diz que houve na semana passada uma greve geral. Há quem lamente que não tenha corrido tão bem como se gostaria. Há quem diga que o seu fracasso deveria levar os sindicalistas a reflectir mais seriamente acerca "das novas realidades do mundo do trabalho". Há quem se interrogue acerca das razões de semelhante insucesso.
Procuram-se culpados e encontram-se os suspeitos do costume. Terá sido o sector mais estalinista a forçar a greve. Foi mal preparada. Era prematura. Os sindicatos estão alheados da realidade. Mais do mesmo. Sempre do mesmo.
Este novo episódio da telenovela «de derrota em derrota» não se basta a si mesmo. Sem tudo o resto, que o precede e envolve, a jusante e a montante, esta greve permanecerá opaca e revelará apenas uma imagem superficial dos problemas que coloca.
Começando pelo mais evidente, a reestruturação da economia mundial nos últimos 30 anos e a passagem ao pós-fordismo veio alterar a composição da força de trabalho na Europa e nos EUA, tornando impossível a organização dos trabalhadores nos moldes anteriores. Como todas as reestruturações, teve como objectivo relançar a produtividade do trabalho e aumentar as taxas de lucro estagnadas pela crise, relançando um novo ciclo de acumulação. Foi uma reestruturação feita contra os trabalhadores e contra as suas formas de luta e resistência, que reforçou o poder patronal dentro das empresas. Mas foi também uma reestruturação à escala de toda a sociedade, baseada no reforço do conjunto de dispositivos de controlo social, disciplinamento, produção simbólica, fluxos de informação e de pessoas. Dentro desta perspectiva, lendo o conjunto das relações sociais à luz do antagonismo entre capital e trabalho, o desmantelamento do estado de bem estar foi parte de um amplo processo de desvalorização da força de trabalho, de redução salarial e de controlo sobre o mercado de trabalho.
Estes últimos 30 anos foram também uma longa estrada pejada de lutas contra esta reestruturação. Lutas de intensidade, dinâmicas e resultados diferentes. Escusado será dizer que em Portugal todas embateram contra o muro da legalidade, do interesse geral, da inevitabilidade, da razoabilidade, do defensismo, da resignação.
E aqui, onde a culpa não pode morrer solteira, há que atribuir as responsabilidades, por inteiro, a quem dirigiu essas lutas e contribuiu para a sua derrota.
Quem não quis aceitar que seriam lutas exemplares, cujo resultado teria um efeito sobre todas as outras que se lhe seguiriam, quem não quis fazer em torno delas campanhas amplas de solidariedade, quem preferiu conduzi-las isoladamente e propôr aos trabalhadores que trabalhassem sem receber para assegurar a viabilidade económica de empresas e a manutenção de postos de trabalho, quem encarou o Estado (ou seja, o governo do dia) como uma parte exterior aos conflitos e um àrbitro acima dos interesses em disputa - quem, em suma, conduziu a classe trabalhadora portuguesa para o beco sem saída da defesa das conquistas de Abril, à espera da criação de condições objectivas para uma aliança de esquerda - convocou para dia 30 de Maio uma greve geral. Recebeu a resposta que conhecemos.

Publicado por [Rick Dangerous] às 03:12 PM | Comentários (2)

Combate de titãs

ArménioCarlos.jpg

Lendo os jornais, confirmo aquilo que me têm dito: O abandono de Carvalho da Silva está para breve.

Para o substituir, fala-se sempre de dois nomes: Arménio Carlos, da USL e de Mário Nogueira, do Sindicato dos Professores do Centro e agora, corporizando mais uma grande vitória da Soeiro, Secretário-Geral da Fenprof.

Está tudo em aberto e, apesar do PCP ser um Partido bastante diferente dos outros, luta política é luta política.

Esta notícia aqui em baixo do DN - em que alguém se esforçou por passar ao jornalista a informação alucinada de que Mário Nogueira tem pontes com a ala renovadora - tem de ser enquadrada nessa mesma luta política:

Entre os favoritos, como o DN já noticiou, incluem-se Mário Nogueira, um sindicalista de Coimbra que se tem distinguido recentemente como dirigente da poderosa Fenprof, e Arménio Carlos, coordenador da União de Sindicatos de Lisboa. O primeiro mantém pontes com a ala renovadora do partido, embora sem perder a confiança política da direcção encabeçada por Jerónimo de Sousa. O segundo é considerado um dos expoentes da "linha dura" da CGTP.

Publicado por [Saboteur] às 02:24 AM | Comentários (2)

A estreia de Nogueira

470mario-nogueira.jpg


"Entre o grupo de dirigentes que se sentaram ao lado de Carvalho da Silva, na conferência de imprensa, estava Mário Nogueira, o novo líder da Fenprof, e que desde hoje passa a fazer parte da Comissão Executiva da CGTP.

Mário Nogueira é dado como sendo um dos favoritos a ter o apoio dos comunistas, largamente maioritários na direcção da CGTP, para suceder a Carvalho da Silva, no congresso que decorrerá no início de 2008."

Publicado por [Saboteur] às 02:07 AM | Comentários (1)

junho 03, 2007

O melhor e o pior da Convenção do Bloco

O melhor foi o discurso do Louça: Para além de entusiasmar a Convenção e surpreender os Delegados com os vídeos do Marques da Silva e do Sócrates, Louça falou com veemência de temas e propostas que, apesar de tudo, são pouco comuns para esquerda: Nacionalização do sector energético e denúncia do comportamento das elites que mandam no país… não o Sócrates, mas as “dinastias” económico-financeiras.

Mais ofensiva é o que faz falta.

Foi pena não ter referido nada sobre as questões ambientais, que são hoje absolutamente centrais na crítica ao capitalismo

O pior foram os apupos ao Partido da Refundação Comunista Italiano.

Há uma quantidade substancial de militantes do bloco, que aparentemente percebem tanto da situação política italiana, que, não só têm a dar muitas lições aos comunistas italianos, como se acham no direito de dar uns públicos “puxões de orelhas” a um partido que foi convidado à sua Convenção.

Publicado por [Saboteur] às 06:41 PM | Comentários (4)