« O som do silencio | Entrada | O Fim »

agosto 30, 2006

Salvador ou o caminho dos enganos

Os israelitas queriam uma Comissão de inquérito de Estado. Olmert não quis e, em alternativa, anunciou a criação de duas Comissões internas – uma sobre a acção governativa que levou à guerra contra o Líbano, a indicar pelo próprio governo, e outra militar, para apreciar a acção do Exército. Portanto, Olmert cria uma entidade investigadora da acção de Olmert. Assim, segundo o próprio, perder-se-á menos tempo com o “passado”. Por outro lado, o ministro israelita de Defesa (que tinha outra opinião antes de ser ministro mas deixou de concordar com ela) tentou fazer ver que a guerra teve mais-valias, nomeadamente através da criação de oportunidades para a existência de novos acordos de paz. O resto são danos colaterais, pequenos nadas que puseram fim a uma paz podre em nome de uma paz sã… com uma guerra pelo meio (mero pormenor). E a malta vai nesta cantoria?

...Faz-me lembrar o Salvador. Salvador é um menino de 4 aninhos, com longas melenas sobre os olhos, roupinha de marca, apreciador de cavalos mas, mais ainda, de correrias. Os seus irmãos são iguais, mas adolescentes – um Martim e um Afonso tão adolescentes que até chegam a meter nojo – e dizem ao elo mais fraco em tom nasalado (um “apetite” de sotaque): “Salvador, se o menino correr com muita muita força, passa a parede para o lado de lá!”. E lá foi ele.

Publicado por [Joystick] às agosto 30, 2006 12:57 PM

Comentários

que história, essa do salvador

Publicado por [Anónimo] às agosto 31, 2006 11:37 PM

Grande!

Publicado por [Anónimo] às setembro 1, 2006 12:13 PM

That's 2 clveer by half and 2x2 clever 4 me. Thanks!

Publicado por [Latricia] às maio 26, 2011 08:19 AM

That’s more than senislbe! That’s a great post!

Publicado por [Cherilynn] às maio 26, 2011 06:48 PM

Comente




Recordar-me?

(pode usar HTML tags)