« No bom caminho (mostram as sondagens!) | Entrada | Direitos despedaçados »

agosto 21, 2006

Ainda o "Dia D"

São poucos os que têm a lata de criticar a publicação da lista de devedores ao fisco e à segurança social.

Mesmo numa perspectiva neoliberal, é inegável que a transparência nos mercados aumenta a eficiência. Se eu – empresário - vou fornecer uma empresa que nem os impostos paga, terei maiores cautelas… Afinal o modelo de concorrência perfeita só funciona com informação perfeita, e a publicação destas listas nada mais é do que simplesmente pôr a circular informação relevante.

Aliás, quando eu estava a trabalhar num certo grupo financeiro, listas destas e outras era o que não faltavam: Eram distribuídas por mail (pela área comercial) para utilizarmos com alguma parcimónia. Eu reenviava-as para um amigo de faculdade que trabalha na indústria e que sempre muito me agradeceu...

Claro que há sempre uns idiotas de serviço.

José Pedro Costa e Silva (atenção ao "e". Não confundir com o simples José Silva), que é o autor do blog Lóbi do Chá, hoje no Dia D, publica um artigo de opinião extremamente revoltado com o assunto.

Diz ele que “a divulgação dos nomes de quem não paga impostos é inconsequente”, (quando aliás, mais uma vez, a dura realidade mostra o contrário, visto que nem sequer estavam ainda publicadas as listas e já estavam a ser actualizadas com os contribuintes faltosos a chegarem-se à frente), acrescentando com grande acertividade que se deveria era divulgar os nomes dos “governantes que ao longo dos últimos anos arruinaram as contas públicas com uma gestão incompetente ou mesmo corrupção”.

Demagogias à parte, o Zé Pedro também tem razão na lista que exige. Quantos de nós se lembram hoje em dia das vendas ao desbarato que Durão Barroso e Manuela Ferreira Leite fizeram para dar uma imagem de pseudo-controlo de deficit orçamental? Como é que ficou o negócio de venda de direitos sobre a dívida ao multimilionário saudita do CitiBank que se orgulha de nunca comprar nada que não possa vender no mínimo pelo dobro? Sempre se safou?

Publicado por [Saboteur] às agosto 21, 2006 12:14 PM

Comentários

Sim mas concordas que isto se calhar assemelha-se à questão da "lei das quotas" na utilidade instrumental mas sem grandes efeitos estruturais, não é? Mas acho que sim, tudo o que ponha a máfia portuguesa a pagar é bom. A seguir deviam atirar-se à máfia das profissões liberais e faze-los pagar o que qualquer trabalhador por conta de outrem é obrigado a pagar ao Estado.

Publicado por [renegade] às agosto 21, 2006 04:40 PM

Já agora, há alguma informação de dentro sobre a questão Carlos Sousa/Setúbal? Eu acho que já estou a ver o filme todo mas deves saber mais qualquer coisa...Não me lembro do último (ou primeiro) Presidente de Câmara a quem "o Partido" tivesse feito isto, e alguns mereciam-no...

Publicado por [renegade] às agosto 21, 2006 04:45 PM

Claro que a publicação de uma lista não tem efeitos estruturais. É uma medida que não tem de forma nenhuma o alcance do levantamento do sigilo bancário por parte do ministério das finanças quando há suspeitas de fuga ao fisco. Comparado com isso é medida para "inglês ver", sem dúvida.

Mas exactamente por ser tão inócua, é que é divertido e interessante ver estes neoliberais a ficarem todos nervosos. É um sentido muito apurado de vassalagem (ou pertença) a uma determinada classe. Tão apurado que nem percebem o ridículo em que caiem.

Publicado por [Saboteur] às agosto 21, 2006 04:48 PM

Parece que o glorioso aproveitou o relatório do IGAT como pretexto para despachar o homem.

O injusto da coisa é que naturalmente o esquema não foi feito pelo carlos sousa sozinho. O Partido, não olhando a meios para atingir os seus fins (redução dos custos fixos com pessoal), como é hábito, engendrou este esquema com o conluio dos funcionários reformados compulsivamente e com todos os vereadores comunistas (e com o fechar de olhos do PS que é o responsável pela deplorável situação financeira da câmara). Agora é o Carlos Sousa que leva com as culpas todas e não há ninguém que o apoie.

O curioso é que a ortodoxia da DORS não se pode agarrar muito ao relatório do IGAT, que sugere eleições intercalares. Isso não seria nada bom para o PCP. É um jogo de equilíbrio que os camaradas vão ter de fazer...

Publicado por [Anónimo] às agosto 21, 2006 06:41 PM

Eu estava para fazer um comentário a este post, Saboteur, mas confesso que fiquei atordoado com a sua capacidade argumentativa espelhada em “claro que há sempre uns idiotas de serviço” e “José Pedro Costa e Silva (atenção ao "e". Não confundir com o simples José Silva)”. Está muito bom. Muitos parabéns.

Publicado por [JCS] às agosto 22, 2006 02:34 PM

Eu realmente ando pouco polido... Mas é que não consigo ler o Dia D sem desatar a espumar pela boca. São feitios. Enervo-me com coisas do género defesa daqueles que fogem aos impostos e não me importo que gozem com o facto de assinar com 4 nomes. (aliás até penso que estou mesmo a pedi-las). Desculpa lá o idiota.

Publicado por [Saboteur] às agosto 22, 2006 03:31 PM

Comente




Recordar-me?

(pode usar HTML tags)