« abril 2006 | Entrada | junho 2006 »

maio 31, 2006

Os Camaradas

camaradas.jpg

Já me tinham falado da fabulosa “Lista Vermelha” para o sindicato dos professores. Ontem disseram-me que estavam na lista algumas pessoas que eu conheço. Hoje fui ver lá ver o site.

“É uma candidatura unitária, plural e de renovação, com muitos jovens” diz o programa de acção (e dizia o «Avante!»), e eu conheço realmente bem muitos desses jovens e não jovens: Camaradas com quem fiz reuniões infinitas, com quem montei “a Festa”, com quem fiz mil e uma coisas… Outros que conheço menos bem: passavam por mim nos corredores do Centro de Trabalho, nos comícios, na Festa, mas nunca falámos porque estavam organizados noutros sectores. Camaradas, familiares de camaradas, pais, mães, mulheres…

Enfim… Tudo gente de muito valor, digo-o sem ironias de qualquer espécie, que o sectarismo dos dirigentes do PCP colocou na mesma lista, separada dos outros professores, que podem não estar a ser iluminados pelas reflexões e orientações da Comissão Política do Partido, mas que também são, julgo eu, gente válida.

Publicado por [Saboteur] às 08:36 PM | Comentários (32)

maio 30, 2006

Timor

Vocês conseguem perceber alguma coisa do que se está a passar em Timor? Tantos jornalistas lá e não há um que tente ir um pouco mais fundo nas questões…

Sobre a caldeirada que se vive em Timor, creio que tem bastante interesse este Blog. Feito a partir de Timor, fala-nos dos interesses do petróleo timorense; dos Australianos (que não gostam do Governo da Fretilin); dos EUA (aliados dos Australianos), de Ramos Horta (amigo dos americanos e candidato a Secretário-Geral das Nações Unidas); de Xanana e da sua esposa (Australiana que parece estar farta da vida difícil que leva em Timor com o marido); e de Halkatiri (Primeiro-ministro e Secretário-Geral da Fretilin, que venceu recentemente em Congresso do Partido a “ala moderada”, que defende maior aproximação à Austrália e aos EUA.

Publicado por [Saboteur] às 11:47 AM | Comentários (1)

Estratégia de Felgueiras

Diz-nos o Expresso que o trabalho infantil em Felgueiras produz o calçado vendido pela Zara. 40 cêntimos o par de ténis, vendido nas lojas a €40.
Nada como a crise social e o desemprego para atrair o investimento e acrescentar competitividade à nossa economia...

Publicado por [Rick Dangerous] às 01:19 AM | Comentários (1)

Santa Maradona

Quando, na relva do Azteca, viram Maradona saltar como um coelho voador frente ao guarda redes inglês Shilton e, com a mão de Deus, passar-lhe a bola por cima da cabeça, pela mente de muitos argentinos cruzaram-se outras memórias. Quando, pouco depois, o mesmo Diego Deus Maradona, driblou meia Inglatera e diante de Shilton, fintou-o com o corpo, tocando a bola para a sua direita, onde depois, com o seu mágico pé esquedo, chutou para as redes vazias, fazendo aquilo que o seu irmão Turco de sete anos lhe dissera para fazer pouco antes na pampa quando o vira falhar um golo na mesma situação, todos imaginaram como se estariam a sentir as tropas britânicas no vento gelado das Malvinas, nas ruas desertas de Por Stanley, ao ver como um pequeno argentino nascido na mais profunda pobreza, lhes estava a roubar, lá longe, na terra dos sombreros, os festejos do quarto aniversário da reconquista das Falklands.
Conta-se que numa humlde habitação argentina Don Salvatore, o célebre pianista de Colón, das memórias de Osvaldo Soriano, um dos milhões de argentinos sofredores, velho discipulo de Zapata, caiu da cadeira quando viu aquela segunda proeza de Maradona e pediu a todos que não o levantassem até ao dia de se jogar a final.


Planeta Futebol

Publicado por [Rick Dangerous] às 01:05 AM | Comentários (1)

Por favor

Zico teve muitas homenagens, delírios colectivos de 100 mil cabeças no Maracanâ, loucura na Gávea, mas a maior terá sido de um anónimo adepto que era cego e só o ouvira jogar. Mesmo assim ficara seduzido pela beleza do seu futebol, ao ponto de o procurar no fim dos treinos, para lhe pedir: "Por favor, Zico, me conta seu golo!"
Planeta do futebol


Publicado por [Rick Dangerous] às 12:54 AM | Comentários (1)

maio 29, 2006

Estou a dar baile

Eles eram muitos, com bons equipamentos e treinos semanais. Tinham massagista e treinador.
Nós eramos só 11 e nunca tinhamos jogado juntos.
Eles eram a equipa da Vodafone, com directores-executivos, administradores e contabilistas.
Nós eramos melhores e ganhámos 3-1.
Desde Saltillo que o futebol não era assim, como naquele fim de tarde no campo de Pina Manique, a continuação da política por outros meios.


Publicado por [Rick Dangerous] às 11:50 PM | Comentários (4)

Natureza Morta

Convidei uns amigos, em fase de aproximação política à esquerda, para virem ver um documentário sobre a ditadura.

Estou a falar do “Natureza Morta” de Susana Sousa Dias, que tinha, aliás, tudo para ser um excelente documentário: Imagens sobre um período obscuro da nossa história, montadas, para explicar o SalAZARismo com as suas próprias imagens. Tudo feito por uma pessoa que aparentemente já tem provas dadas na área do cinema documental sobre o Estado Novo.

Enfim… Ainda bem que eles não puderam vir: Mais do que um documentário, foi um exercício estético inconsequente e repetitivo. Era como se estivéssemos sentados numa sala a ver o “vídeo-jaing” de um set de música de dança electrónica, mas em vez de música de dança, era música concreta-exprimentalista, género portões a fechar, o barulho do vento, pequenos ruídos, etc, etc.

Bem, eu até gostei, mas compreendo que fui apanhado num daqueles estado de espírito muito especial, de total relaxamento de final de semana… vi um bocado, passei pelas brasas, vi o resto e fui para casa ler no terraço.


Publicado por [Saboteur] às 04:42 PM | Comentários (3)

A camarada que infiltramos na criadagem está a fazer um bom trabalho...

João Pereira Coutinho, esta semana não escreve no Expresso a sua habitual coluna reaccionária “por motivo de doença”.

Publicado por [Saboteur] às 04:01 PM | Comentários (4)

maio 26, 2006

Arrastão

banner_arrastao.jpg
Daniel Oliveira, um dos mais célebres (e polémicos) «barnabés», regressa à blogosfera em nome próprio e numa viagem solitária. Arrastão é o nome do blog e a produção é já intensa.
Nós por cá, saudamos o regresso (eu, pelo menos). Entrada directa para os links da malta.

Publicado por [Bomb Jack] às 01:45 PM | Comentários (4)

Fim de viagem

girassol.jpg
Isabel de Castro, deputada pelo Partido Ecologista «Os Verdes» entre 1991 e 2004, anunciou ontem a sua decisão de se desvicular do partido, após um ano de suspensão da actividade partidária.
Espera-se, a qualquer momento, a reacção dos restantes três militantes que se reunirão em «convenção» durante o fim-de-semana que se aproxima.

Publicado por [Bomb Jack] às 01:39 PM | Comentários (2)

Assembleia Geral da ATTAC amanhã

Attac.jpg

A ATTAC é uma associação política original, que se debruça particularmente sobre os temas “sérios” e obscuros da Economia e das Finanças.

A esquerda, normalmente, deixa esses assuntos “cinzentos” para a direita. Por isso, no momento da verdade, quando se trata de combater a recessão, reduzir o emprego, equilibrar as contas públicas… naturalmente, as pessoas votam em quem aparentemente lida melhor com “essas coisas da economia e dos dinheiros”: A Manuela Ferreira Leite, o Cavaco, o Bagão, os senhores do compromisso Portugal…

Acho que foi esse o grande trunfo da ATTAC em todo o mundo: fazer uma reflexão séria, (analítica e prepositiva) e alternativa, sobre as questões da Economia nacional e global; entrando no combate de ideias, num terreno onde os economistas neoclássicos estavam muito bem instalados, calmamente, a gravar em pedra, para a posteridade, as suas certezas matemáticas sobre a soluções para os problemas do mundo.

Em Portugal foi diferente: Orçamentos, Segurança Social, Serviços Públicos, Crescimento e Desenvolvimento Económico, a própria taxa Tobin, não foram assuntos que interessassem os nossos activistas… Mas como se costuma dizer que aqui tudo acontece com 20 anos de atraso, há que ter esperança.

Publicado por [Saboteur] às 11:31 AM | Comentários (3)

maio 25, 2006

O rapaz com poderes magnéticos quando dança

Hoje é a última oportunidade para assistirem a "Rust", um espectáculo de marionetas de manipulação à vista e teatro de objectos, no Maria Matos, integrado no FIMFA Lx6 - Festival Internacional de Marionetas e Formas Animadas.

Dois jovens punks trabalham numa fábrica de conservas de um pastor evangélico demoníaco. Um dos jovens tem um poder magnético estranho, torce metais quando começa a dançar música punk, é um freak, e isso pode dar cabo da linha de montagem. É salvo por um submarino onde é transmitido um conhecido programa de rádio pirata de dois irmãos siameses (duas cabeças, dois braços, três pernas), cuja missão é estragar a vida ao pastor que havia fugido do circo onde os dois DJs siameses trabalhavam, levando todo o dinheiro. Nem todos se salvam e os jovens libertam-se depois de fazerem explodir a fábrica.

Publicado por [Joystick] às 11:33 AM | Comentários (2)

maio 23, 2006

Do comunismo e dos seus benefícios

kgb.jpg
Está a chegar a pílula milagrosa!

Publicado por [Bomb Jack] às 01:14 PM | Comentários (4)

maio 22, 2006

Há grandes negócios

O Assessoria de Comunicação do Rock in Rio é uma máquina bem lubrificada e eficaz. Investimento directo em publicidade ao festival não é praticamente necessário. Folheio os jornais de fim-de-semana e são artigos e entrevistas, aos vários membros da família Medina, sobre o festival.

A pedra de toque é sempre o chamado “Marketing Social”. Por exemplo: O (ou a?) jornalista "B.W." (será só uma agência de comunicação?), no Público de ontem, informa que a edição de 2004 do Festival contribuiu com 660 mil euros para “instituições sociais”.

Para terem uma ideia do negócio, o vereador da CML responsável pela área financeira – Fontão de Cravalho – informou, há cerca de duas semanas, que a CML transferiu em 2004 cerca de 2 milhões e meio de euros para o Rock in Rio e que nesta edição só transferirá 1 Milhão.

Publicado por [Saboteur] às 04:15 PM | Comentários (6)

Criar uma duas tres centrais nucleares

O nuclear esta de volta. Comecou a insinuar-se ha coisa de ano e meio/dois anos quando uma ave rara que da pelo nome de Patrick Monteiro de Barros apareceu numa entrevista que pretendia causar furor a anunciar que tinha proposto ao governo de portugal a construcao de uma central. A coisa era so facilidades: energia barata, sem riscos e sem custos para o contribuinte (aqui pensava-se mais no investimento estatal do que na factura do consumidor). A independencia energetica aparecia como piscar de olho aos apostolos do nacionalismo desenvolvimentista. Um empresario portugues a trabalhar para o pais como ja nao se via desde que um certo senhor Mello e outros que tais decidiram bazar para o Brasil. Uma especie de ovo de colombo da era pos-petroleo.

Entretanto o clamor foi crescendo. O preco do petroleo foi subindo. Sucedem-se entrevistas, artigos de opiniao, debates, conferencias (aqui peco desculpa mas nao vou meter links. Sugiro uma pesquisa no google que da bons resultados). O DN ate ja faz campanha por um referendo quando titula "Nuclear em Portugal deve ser objecto de referendo" - as aspas sao minhas. O denominador comum do discurso que se quer impor como (e ja e) dominante nos mass media passa por isto: "Ah, o nuclear e tal, nao sou contra nem a favor mas apesar de algumas reservas acho que e uma boa solucao para a (suposta) crise energetica e para tirar portugal da crise. Todos os paises desenvolvidos, mais seguranca etc...". O lobby economico e politico do nuclear ja ocupou o espaco mediatico e pode comecar a marcar a agenda politica num futuro que parece cada vez mais proximo.

Em face da (suposta) crise mundial do petroleo as elites do poder economico e politico comecam a forjar uma resposta ao arrepio dos acordos de Kioto. No Reino-Unido Blair ja comecou a atirar barro a parede no sentido de uma revisao pro-nuclear do programa energetico britanico.

Perante isto o que e que a esquerda politica vai fazer em Portugal? E o que vao fazer os cidadaos comprometidos com o anti-nuclear?
Ao que sei nada. Estava aqui a lembrar-me do desastre de Chernobil e da posicao do PCP na altura, em mais um daqueles exercicios de contorcionismo entre a opcao pelo anti-nuclear em Portugal, pelo apoio a via sovietica de construcao do socialismo e pela critica `a critica dos paises capitalistas ao programa nuclear sovietico (uma historia deja vu na historia dos partidos comunistas ocidentais, muito ao estilo movimento pela paz nos anos 50-60). Agora e tudo mais facil, ja nao ha Uniao Sovietica. O Bloco de Esquerda pode exercitar um bocadinho da reivindicada heranca nova-esquerda e novos movimentos sociais que tanto gosta de apregoar. Os "ambientalistas" podem tentar finalmente ganhar algum espaco politico na sociedade. Os movimentistas podem abracar uma causa transversal, e e' de admitir que a opiniao maioritaria e hegemonica na sociedade ainda seja a da recusa do nuclear. Seria interessante ver a posicao do PS. Os sindicatos devem exprimir-se sobre opcoes de sociedade.

Apesar da iniciativa estar neste momento no outro lado, parece que a causa do anti-nuclear e da luta por um modelo energetico diferente tem bastantes trunfos para avancar. E este parece ser um bom terreno de experiencia para a capacidade de ultrapassar divisionismos e coutadas politicas.

Publicado por [Renegade] às 03:59 PM | Comentários (12)

Festa da Diversidade

diversidade2.jpg

Dois anos depois do célebre parecer negativo da PSP sobre a realização da Festa da Diversidade no Martim Moniz (por causa da “criminalidade na zona associada à toxicodependência, prostituição e às comunidades imigrantes, em particular os de tez escura”) e um ano após a vergonhosa manifestação fascista e racista (feita com a protecção da mesma PSP), as Associações de imigrantes e anti-racistas voltam ao Martim Moniz para a 6ª FESTA DA DIVERSIDADE.

Vai ser nos dias 16, 17 e 18 de Junho. Coloquem na vossa agenda e apareçam. Não há muitas formas de travar um importante combate político apenas a beber copos e a apanhar sol.

PS: Disseram-me agora mesmo que a Câmara Municipal de Lisboa estava a complicar a logistica do festival no que diz respeito a coisas simples como a utilização do Símbolo da CML nos cartazes, a recolha do lixo etc.. “Ainda não temos o despacho favorável da Direcção do Departamento tal… Depois entraremos em contacto consigo.” é o que se diz na Câmara quando não há vontade (política) de fazer andar as coisas.

Publicado por [Saboteur] às 02:53 PM | Comentários (1)

maio 21, 2006

Patridiotismo

Imaginem o que não seria os alemães fazerem uma bandeira humana gigante da Alemanha…. Conhecem algum sueco? Acham que passa pela cabeça de alguém, naquele país, perder um sábado de sol para andar a fazer bandeiras gigantes da Suécia? Mesmo na nacionalista e monárquica Great Britan, o exibir ostensivo da bandeira é associado à extrema-direita e à violência do holiganismo.

Só mesmo em países muito especiais e medíocres como nosso, é que fazer uma bandeira nacional humana, pode entusiasmar tanta gente.

Lá batemos mais um recorde mundial: «A maior, a mais chauvinista e mais sexista bandeira humana, feita com o apoio de entidades públicas (como a CML), para promover a imagem de um Banco privado, que teve 208 milhões de euros de lucros num contexto económico de recessão, e que paga – através de engenheiras fiscais habilidosas e favores do Estado – uma taxa de impostos menor do que a esmagadora maioria do sector privado do país.»

É realmente um excelente recorde, do qual se devem orgulhar as milhares de cretinas que foram hoje ao estádio nacional.


Publicado por [Saboteur] às 12:48 AM | Comentários (5)

maio 20, 2006

Portugal, a vanguarda do Vaticano, parafraseando Renegade

Ontem o Público, a propósito do Congresso do PSD, trazia uma reportagem que coleccionava vaticínios de investigadores de ciência política sobre como fazer oposição num registo de pensamento único, de consensualidade entre PS e PSD nas políticas públicas económicas, sociais. A moral e os costumes seriam, assim, os temas que permitiriam forçar o PS a intervir sobre uma agenda "de esquerda", permitindo uma diferenciação "metafísica" entre Partidos cheios de afinidades nos outros campos.

Pois bem, neste registo, então, o PSD soma pontos quando ganha a batalha da legislação da procriação medicamente assistida, ao conseguir que o PS vedasse o acesso ao tratamento da infertilidade a "mulheres sós".

A unidade gregária "familiar" venceu a batalha, em prejuízo da liberdade do indivíduo (mulher), como, até aqui, o feto tem ganho as batalhas sobre o direito à escolha da mulher em relação ao seu próprio corpo.

Em ambos os caso, nega-se, para além de direitos e liberdades individuais, a tal zona superestrutural e filosófica, acesso a cuidados médicos credenciados, o direito à saúde.

Bento fica satisfeito de ver Portugal na vanguarda do Vaticano, com a ajuda preciosa da bancada do PS. A todos os deputados e, sobretudo, deputadas do PS desejamos uma boa estada post mortem no paraíso celestial de deus, o prato de lentilhas muito católico pelo qual venderam direitos inalienáveis. Aleluia!

Publicado por [Joystick] às 12:26 PM | Comentários (4)

maio 19, 2006

Hotel Lisboa

Os sócio-chatos têm um blog

Publicado por [Rick Dangerous] às 02:59 PM | Comentários (1)

As bases teóricas

Um Camarada sugeriu-me que passasse pela página da JCP para ver os documentos do 8º Congresso.

Fui lá ver. Nada de surpreendente. Nenhuma novidade…

Mas encontrei uma magnífica pérola da loucura infanto-esquerdista: «O Proletário»

«O Proletário» é a publicação da Organização dos Jovens Trabalhadores da JCP. Vai no nº3 e tem artigos com t+itulos sugestivos como “Rumo ao 8º Congresso”; “Sindicalismo de Classe”; “Livro de Cabeceira”

Aqui fica um copy / paste da secção “Glossário” (só 3 definições por número, pois os camaradas redactores sabem que a classe operária chega a casa já muito cansada para leituras):

PROLETÁRIO
A origem do termo proletário vem de "prole" (filhos). Com a revolução industrial surge uma classe que não tem mais do que os recursos que provêm do seu trabalho e da sua prole (o proletário não é detentor de meios de produção: fábricas, máquinas, terras). No final do séc. XVIII, a exploração era ainda mais acentuada e o número de filhos (única "posse" do proletário) era importante para a sobrevivência da família.

MAIS-VALIA
Diferença entre o valor criado pelo proletário durante o processo de produção e o valor da sua força de trabalho.

VALOR DA FORÇA DE TRABALHO
Valor dos meios de subsistência necessários à conservação do seu possuidor.

Publicado por [Saboteur] às 01:58 AM | Comentários (5)

maio 18, 2006

Foda-se, isto parece um diário de bordo!

O Filme

Hoje passa "Fast Film", de Virgil Widrich, na Monstra. Faz parte da selecção que João Garção Borges fez para a sessão "Best of Onda Curta" (o programa televisivo da 2:). É um filme fantástico, uma animação com recortes (e frames) de filmes e ícones do cinema de Hollywood - actores, cavalos do faroeste, um grande comboio a vapor...

A Exposição

Ai, Bernardino, Bernardino...

Publicado por [Joystick] às 09:15 PM | Comentários (4)

Somos um país de gente criativa...

logo_cow_parade.gif
Vai daí, há um mano que se lembra, atira-se a uma das vacas da Cow Parade e leva-a para local incerto. Resta saber se vai pedir resgate ou se a vende a algum matadouro ilegal!

Publicado por [Bomb Jack] às 03:41 PM | Comentários (4)

There's a new «kid» in town

bombjack.gif

Publicado por [Bomb Jack] às 12:00 PM | Comentários (5)

maio 17, 2006

Mais um filminho daqueles, as metáforas de Marcelo e estar "em casal"

Mais um filminho daqueles (para começarmos com beleza)

Restrospectiva de Piotr Dumala. Faz animação em placa de gesso, criando ambientes soturnos e melancólicos, com uma técnica que ele próprio criou. Regina Pessoa gostou e usou a mesma técnica em "A Noite". Mais uma sessão da Monstra no Fórum Lisboa.

As metáforas de Marcelo (sempre com recurso a discurso directo, modo de eloquência Tuga)

Sobre Manuel Maria Carrilho
«Quando éramos miúdos, e jogávamos futebol, uns sabiam perder, outros não sabiam. Os que não sabiam perder diziam: "O árbitro roubou, a baliza era assim, a bola era redonda (...)».
Sobre o Diniz Maria, filho do supramencionado
«Uma coisa é mostrar a família... Eu, aliás, fui dos mais cuidadosos a comentar essa matéria. Porque na América é tradição fazer isso. Outra coisa é um bebé, que não pode ter uma palavra a dizer, e alguém dizer ao bebé: "O paizinho vai ser isso, não vai?" E o bebé, o que é que pode dizer? Sabe que o papá é papá, diz "Papá". Agora, se o papá vai ser presidente da câmara, isso ele não pode adivinhar».

Estar "em casal"

Pois bem, imaginem que sou infértil. Imaginem que sou solteira. Imaginem que quero fazer um tratamento de infertilidade. Não posso. Como com a interrupção voluntária da gravidez, faço as malas, arranjo um salário mínimo (neste caso devem ser vários salários mínimos!) e vou a Espanha. Se não puder arranjar o dinheiro e o tempo, nem soluções de vão de escada me safam - nunca serei mãe. A razão? A razão é: «Uma mulher só que quer ter um filho não tem um projecto de família» (Carlos Miranda, PSD, dixit). O PS concordou.


Publicado por [Joystick] às 11:05 PM | Comentários (5)

MONSTRA


Estreou ontem, no Maria Matos, a Monstra - 5º Festival de Animação de Lisboa. As fotos são da curta de animação de Zbigniew Rybczinski que, quando fez este filme, chamado "Tango" e oscarizado pela Academia, estava 40 anos à frente do seu tempo, o quer quer dizer que, nos tempos que correm, continua adiantado uma vintena de anos.

A mostra continua no Fórum Lisboa.

Publicado por [Joystick] às 04:32 PM | Comentários (1)

maio 15, 2006

Freud explica este "amor" pela cidade

A linha de raciocínio do Presidente da Câmara de Lisboa:

O Estado vai vender património a privados. Grandes edifícios e terrenos no centro da cidade.

Face ao risco dos investidores privados procurarem maximizar os seus benefícios urbanizando em grande escala, quer acima, quer abaixo do solo, Carmona responde: "Estaremos cá para fazer face a essas tentações. Não podemos matar a galinha dos ovos de oiro que é a nossa cidade"


Publicado por [Saboteur] às 12:42 PM | Comentários (2)

maio 12, 2006

Esquerda II

soares.jpgsampaio.jpg
guterres3.jpg

Publicado por [Renegade] às 11:35 PM | Comentários (5)

Direita II



Publicado por [Renegade] às 11:16 PM | Comentários (1)

Direita I

Publicado por [Renegade] às 10:37 PM | Comentários (2)

Esquerda

Publicado por [Renegade] às 10:17 PM | Comentários (0)

É a Economia, estúpido!

No Expresso desta semana, Niclau Santos faz um artigozinho engraçado intitulado "Conspiração contra o sr. Silva", em que explica ao sr. silva (uma espécie de Zé Povinho), que "enquanto ele dorme, alguém lhe está a tramar a vida" (textual).

"A culpa recente é destes três" - Diz ele numa caixa em destaque.

O Movimento de Emancipação do Delta do Níger, que combate o Governo da Nigéria; o Presidente do Irão ("Provocador, tenta afirmar o peso regional do Irão e unir o povo à volta de um desígnio nacional" (textual, novamente)); e por último - claro - Evo Morales, que decidiu nacionalizar os recursos naturais do país.

Políticas à parte - o Expresso está cada vez mais à direita, isso todos sabemos - é incrível como é que uma suposta referência do jornalismo económico em Portugal, faz um artigo de fundo sobre a subida do preço do petróleo, sem falar uma única vez da questão simples que é a procura de petróleo não parar de crescer, e a oferta , até pela própria natureza do bem, ser sempre cada vez menor.

Publicado por [Saboteur] às 01:16 AM | Comentários (3)

maio 10, 2006

Gorgulho português

Os chatos do costume voltaram para teorizar sobre a decadência. É impressionante verificar como a fina camada de pessoas com opinião e com poder para a impingir aos outros em Portugal se dedica militantemente a meter toda a gente que poderá eventualmente reconhecer-se na categoria de "português" (seja isso o que for) num qualquer limbo de infelicidade permanente, de carpideirismo psico-somático, de culpabilização colectiva.

Agora a propósito de um estudo de uma denominada TSN Portugal que veio dizer que "a maioria dos portugueses não se interessa pelo país, declara-se infeliz e é pessimista quanto ao futuro.". A sério!? De facto às vezes há coisas surpreendentes.

Recessão económica. Aumento ininterrupto do desemprego. Quebra generalizada de poder de compra. Alto endividamento dos particulares. Aumento das desigualdades sociais. Ausência de perspectivas para superação da situação a curto, médio ou longo prazo, tanto no lado do poder político como do lado dos outros poderes. Ausência de mobilização e consciência colectiva para reivindicar outro estado de coisas. Ah, claro, a Bolsa e os lucros da elite milionária e remediada em grande!

A clique política que governa o país há 30 anos com a ajuda mais recente dos reconstituídos grupos económicos e dos burocratas de Bruxelas não sabia que a abertura dos mercados internacionais e o alargamento da União Europeia obrigavam a repensar as coisas. Chegados a 2006 parece que ninguém andava por cá quando se andou a negociar na Organização Mundial de Comércio e na União Europeia o naufrágio da economia portuguesa tal como foi existindo nos últimos 50 anos. Temos Guterres no Alto Comissariado para os Refugiados, temos Barroso na presidência da Comissão, temos Cavaco como Presidente da República. Só não temos quem dê a cara por esta piolhice em que nos meteram.

Temos a TSN Portugal para nos fazer companhia no infortúnio enquanto arranja publicidade à borla. E os chatos do costume.

Publicado por [Renegade] às 06:49 PM | Comentários (4)

maio 09, 2006

O PCP

Não, não se trata de mais uma entrada a bater no ceguinho...ou se calhar até é. Quero partilhar uma surpresa ao consultar a sigla do Partido Comunista Português nas imagens do Google. Foi o que se segue. Por alguma razão não consigo deixar de pensar que este PCP é muito parecido com o outro. Ou vice-versa.

"Phencyclidine, more commonly referred to as PCP, was produced legally as an anesthesia for surgical operations in the early 1950's. However, due to extreme and frightening adverse side affects, further human use was discontinued. PCP is a powerful drug even in small quantities. It can affect the user as an anesthetic, a stimulant and a halucinogen all at the same time, making it one of the most unpredictable and dangerous illicit drugs. Because of the multiple effects of PCP on an individual, a user who is normally silent and withdrawn on the drug may suddenly become extremely aggressive and violent. PCP has emerged as a widely used street drug found in a variety of different forms including powder, tablets and liquid. Depending on the form in which it is found, PCP can be taken orally, smoked, injected snorted or inhaled. Most often PCP is found on the street as either a white powder or as a liquid sprayed on parsley flakes or on marijuana (referred to as "lacing"). The parsley or marijuana is then smoked by the user. It is characteristically stored in plastic baggies or in small film cans.

PCP is a man-made hallucinogen even more dangerous than LSD. It is the most destructive drug known and affects every neurotransmitter in the brain. It is most often used as a powder with either marijuana or tobacco.

PCP combines the worst effects of cocaine, cannabis, alcohol and LSD and produces hallucinations, confusion, sedation, agitation and madness. Suicides, self-mutilations, and horrible murders have been committed under the influence of PCP. Permanent impairment of brain function is possible with PCP use.

PCP is sometimes considered an hallucinogen because it has some of the same effects. However, it does not fit easily into any one drug category. Because PCP is made under non-quality controlled circumstances and is associated with extremely bizarre and aggressive acts, it is considered the most unpredictable drug. It is frequently sprinkled onto marijuana to intensify the effect. This is referred to as "killer weed."

Publicado por [Renegade] às 01:59 PM | Comentários (3)

maio 06, 2006

Imagined Socialism

"Dying for ones country, which usually one does not choose, assumes a moral grandeur which dying for the Labour Party, the American Medical Association, or perhaps even Amnesty International can not rival, for these are all bodies one can join or leave at easy will. Dying for the revolution also draws its grandeur from the degree to which it is felt to be something fundamentally pure. (If people imagined the proletariat merely as a group in hot pursuit of refrigerators, holidays, or power, how far would they, including members of the proletariat, be willing to die for it?). Ironically enough, it may be that to the extent that Marxist interpretations of history are felt (rather than intellected) as representations of ineluctable necessity, they also acquire an aura of purity and disinterestedness."

Benedito (Bento?) Anderson [Papa dos estudos do nacionalismo, reputado marxista], Imagined Communities

Publicado por [Renegade] às 06:05 PM | Comentários (3)

maio 04, 2006

Camarate em todo o lado

Mais de 600 polícias, incluindo o Grupo de Operações Especiais, o Corpo de Intervenção da PSP e a PJ fizeram uma rusga no Bairro da Torre com o nome «Operação Torre de controlo».
"Da «mega operação» de combate ao tráfico de armas, envolvendo 600 elementos da PSP, acompanhados de autoridades judiciárias, resultou a busca a 138 habitações e a apreensão de 19 armas de fogo. O Comando Metropolitano de Lisboa especificou que foram apreendidas: 13 caçadeiras, três carabinas, uma pistola de 9 milímetros e duas pistolas de calibre 6.35, além de 500 munições, 22 carregadores de 9 milímetros e dois silenciadores. Dez pessoas foram detidas. " in Portugal Diário

As 138 habitações são basicamente todas as barracas do bairro. Ninguém pôde sair nem entrar no bairro durante toda a manhã. Pessoas impedidas de ir trabalhar ou estudar.
Várias portas foram arrombadas, casas destruídas com o pretexto de fazer buscas.

«Espero que a acção de hoje se enquadre num conjunto sistemático e regular de machadadas para conseguirmos debelar a raiz de um fenómeno que nos preocupa», disse hoje José Magalhães à margem de uma Conferência sobre Segurança Interna que decorre em Lisboa.

600 bófias para prender 10 gajos e apanhar 19 armas de fogo, que provavelmente foram vendidas por bófias.

Alguém de esquerda exigiria informações acerca desta «machadada». Alguém de esquerda interrogar-se-ia acerca de como poderiam os investigadores policiais ser incapazes de determinar com maior precisão quem são os traficantes de armas no interior de um bairro, do qual são tão claramente uma pequena minoria?
Alguém de esquerda protestaria contra os métodos utilizados e o estado de sítio imposto. Terão os direitos civis sido respeitados? Foram as buscas cobertas por um mandado? Que juiz autorizou o cerco de um bairro inteiro?
Alguém de esquerda exigiria que alguém do governo prestasse contas. Afinal de contas, chegando às 7h00, a bófia apanhou no bairro o pessoal que trabalha ou que estuda, quando todos sabemos que quem vende armas de fogo não trabalha nem estuda e pode dar-se ao luxo de acordar tarde.

Alguém de esquerda, alguém democrático, alguém civilizado, faria as perguntas que se impõem.
A mim só me ocorre pensar que a bófia só se sente à vontade para fazer de Camarate a Cisjordânia porque há demasiadas pessoas de esquerda, democráticas e civilizadas e demasiado poucas pessoas dispostas a responder em vez de perguntar. Responder à machadada, bem entendido...

Publicado por [Rick Dangerous] às 11:06 PM | Comentários (9)

Vamos andar por aí...

Também nós nos inclinamos perante a épica destas lutas de classe, o heroísmo dos proletários que “tomavam o céu de assalto”. Mas hoje o céu está vizinho, o trabalho, o absurdo esforço oferecido diariamente ao patrão, construiu uma massa imponente de trabalho morto da qual nos propomos apropriar. Não tememos crises nem violência: não é do desespero, mas do desejo, do gozo e da riqueza que retiramos as razões do nosso ódio aos patrões e da inflexibilidade da nossa luta! A unidade da classe, a destruição do trabalho assalariado, a luta política de apropriação, isto é, o comunismo enquanto programa mínimo, são estas as necessidades políticas – e a tendência em acto – que resultam da composição de classe no interior da qual nos colocamos.
Antonio Negri, Partido operário contra o trabalho, Edições Antipáticas, Outono de 2006


Acabou o ex-novo blog das edições antipáticas.

Publicado por [Rick Dangerous] às 10:09 PM | Comentários (2)

Legalize

No outro dia um colega meu disse triste: “dantes fumávamos à escondida dos pais. Hoje é à escondida dos filhos”.

Contra o preconceito, amanhã há uma concentração às 23 horas (e não às onze da manhã como pensava o totó do Rick quando viu o meu SMS), no largo do Camões.

Publicado por [Saboteur] às 08:14 PM | Comentários (5)

Último dia de trabalho

Tinha grandes projectos para o meu último dia de trabalho.

As minhas fantasias passavam sempre por esplanadas, copos, drogas, e umas quantos ajustes de contas no Work-flow de pedidos de cotação.

Afinal de contas tive 2 visitas a agentes; uma reunião com um cliente e às 22 ainda estava a escrever no work-flow “solicito que dada a importância do cliente seja autorizada, a título excepcional, a extensão das coberturas para a Síria” (porquê que têm de ir pintores portugueses para a Síria?).

Das onze à meia-noite e meia foi só para encontrar e deitar fora toda a documentação comprometedora. Não fosse haver alguma auditoria… (Estou a falar de pequenos truques para contornar a tarifa e conseguir seguros um pouco mais baratos. Nada de grandes falcatruas. A pressão dos objectivos assim obriga a toda a rede comercial.)

Publicado por [Saboteur] às 04:07 PM | Comentários (3)