« Sei lá | Entrada | E por falar em Europa »

maio 04, 2005

Democracia Hardcore

No domingo (dia 8 de Maio) celebra-se o aniversário da capitulação da Alemanha Nazi.

O NPD (Nationaldemokratische Partei Deutschland, Partido Nacional-Democrata da Alemanha) vai assinalar a data com uma marcha entre a Alexanderplatz e as Portas de Brandenburgo (percorrendo assim a principal e histórica avenida de Berlim, a Unter den Linden). O tema da coisa é "60 anos da mentira da libertação. Fora com o culto da culpa!" Gente de bem, portanto.

A democracia é uma coisa que aqui se leva a sério e, portanto, até os neo-nazis têm direito a fazer as manifestações que quiserem. Esses e os outros.

Estão já organizadas cinco contra-manifestações. A que é organizada pelos principais partidos de esquerda começa no Berliner Ensemble (o teatro do Brecht) e vai acabar na mesma Alexanderplatz. Os grandes partidos não alinharam em contra-manifestações, mas promovem o "Dia da Democracia" à volta das Portas. A ideia é sempre a mesma e muito simples: bloquear a passagem à marcha nazi.

As contra-manifestações são inteiramente apoiadas pelo senado do estado de Berlim. Não há melhor maneira de combater o fascismo do que com boas doses de democracia para cima deles.

Eu já combinei com o Bertolt às 10 da manhã.

Programa das comemorações em Lisboa

No âmbito das comemorações do 60° aniversário do final da Segunda Guerra Mundial o Goethe-Institut e o Instituto Franco-Português convidam, conjuntamente com a Embaixada da Áustria, a Fundação Friedrich Ebert e o Instituto Cervantes, para uma sessão de leituras e um colóquio internacional subordinados ao tema O ódio do Outro Sessão de Leituras

Segunda-feira, 9 de Maio às 18h15

Marcel Beyer (Alemanha)
Apesar de não ter vivenciado a II Guerra Mundial, Marcel Beyer partilha no seu romance Espiões (Ambar) as memórias deste conflito de forma tocante.

Adolfo García Ortega (Espanha)
O escritor e editor Adolfo García Ortega apresentou recentemente um novo romance O comprador de aniversários (Temas e Debates) que relata a vida não vivida de Hurbinek, menino judeu que morre no campo de concentração de Auschwitz aos três anos.

Robert Wilson (Reino Unido/Portugal)
Robert Wilson, vencedor do Prémio Golden Daggar, escreveu com o seu livro O Último Acto em Lisboa (Gradiva) um romance envolvente que decorre em Portugal durante a II Guerra Mundial e no qual se cruzam os caminhos de refugiados e de agentes secretos dos diferentes países beligerantes.

Moderação: Kurt Scharf (Goethe-Institut Lissabon)

Colóquio
(tradução simultânea: Alemão, Francês e Português)

Terça-feira, 10 de Maio

10.00 Abertura

10.15 Tema 1: Como surgiu a ideologia da demonização e a fantasia do extermínio?

Participantes: António Louçã (historiador, Lisboa)
Reyes Mate Rupérez (Instituto de Filosofia, Madrid)
Michael Wildt (Universidade de Hanôver)

Moderação: Reinhard Naumann (Fundação Friedrich Ebert, Lisboa)

11.15 - 11.30 Coffee Break

11.30 - 12.30 Continuação do tema 1

12.30 - 14.00 Intervalo para almoço

14.00 - 15.30 Tema 2: Como é que a ideologia se apoderou das massas e se tornou violência materializada?

Participantes: Siegfried Beer (Universidade de Graz)
Fernando Rosas (Universidade Nova de Lisboa)
Reyes Mate Rupérez (Instituto de Filosofia, Madrid)
Josette Anger-Weller (co-autora de Les Territoires perdus de la Repúblique)

Moderação: José Pedro Castanheira (Expresso)

15.30 - 16.00 Coffee Break

16.00 - 17.30 Tema 3: A perspectiva das Vítimas

Participantes: Patrik von zur Mühlen (historiador, Alemanha)
Fritz Teppich (testemunha da época, Berlim)
Miguel Vale de Almeida (ISCTE)
Vítor Marques (União Romani)

Moderação: Alan Stoleroff (ISCTE)

17.30 - 18.00 Coffee Break

18.00 - 19.30 Encerramento do colóquio:
Como se consegue ultrapassar o ódio?

Participantes: Moshe Zimmermann (Universidade Hebraica de Jerusalém)
Basil Kerski (Revista: Dialog, Berlim)
Elke Gryglewski (Aktion Sühnezeichen/Friedensdienst e Haus der Wannseekonferenz, Berlim)
André Tolentino (Fundação Calouste Gulbenkian)

Moderação: Edgar Galindo (Universidade Lusófona)


Sessão de Lançamento
Quarta-feira, 18 de Maio às 18.30 horas

Lançamento do livro na presença do autor Portugal visto pelos Nazis:
Documentos 1939-1945
Selecção e organização de António Louçã Organização: Goethe-Institut Lissabon e Fim de Século - Edições

Para mais informações consulte o site www.goethe.de

Publicado por [Rex] às maio 4, 2005 05:59 PM

Comentários

Bela foto. Chama-lhes uns nomes em alemão por mim (eu não sei alemão).

Publicado por [renegade] às maio 4, 2005 11:04 PM

Eu não percebi onde decorrerão as actividades. Podes explicitar?

Publicado por [Tiago] às maio 4, 2005 11:13 PM

O que me enoja é ver a polícia acarregar nas contra-manifestações, enquanto os nazis entoam loas ao porco do hitler.

Publicado por [HMémnon] às maio 4, 2005 11:56 PM

Tiago, acho que terão lugar no Goethe Institut em Lisboa, no Campo Mártires da Pátria.

Publicado por [Rex] às maio 5, 2005 12:03 AM