« Para quando, a homenagem que este homem merece? | Entrada | De fazer inveja ao marocas »

maio 03, 2005

A justiça não é adiável

Sampaio não convocará referendo sobre despenalização do aborto para o início deste verão. A justificação para mais esta medida - que a par das que tem vindo a tomar o colocará por certo fora até do rodapé da história da esquerda portuguesa - é aparentemente democrática e até cidadã.
Ora vejamos: Sampaio rejeita a convocação do referendo em nome da instituição referendo. Diz que muito aprecia esta figura e que tem medo que saia mais uma vez desprestigiada devido à forte abstenção que acredita vir a acontecer devido ao sol, praia e férias.
Para sermos sinceros o argumento é respeitável. Mas há outras questões que têm de pesar mais que a instituição referendo e a sua credibilidade. Algumas dessas questões são sem dúvida alguma a liberdade e a justiça.
Pôr na balança a figura do referendo e a liberdade da mulher decidir sobre o seu corpo é muito baixo para um homem com as suas competências e com seu sentido sempre alerta para dar conselhos aos vários sectores da sociedade.

Socrates vais certamente fazer a triste figura do hipócrita - a que já costumamos a estar habituados - e dirá, qual Pilatos, que esta é uma responsabilidade do PR, e que seja hoje ou amanhã o que lhe interessa é resolver o problema, defraudando assim o seu eleitorado.

O PCP quer ganhar na secretaria (leia-se parlamento) o que não conseguiu ganhar junto dos eleitores. O BE sei lá eu...

Nesta altura a única luta possível é contra Sampaio, o seu único aliado objectivo nesta questão é o PP, portanto que mais base política/partidária precisa o movimento social para abanar novamente a sério Belém nos próximos dias?


manif sampaio.bmp

Publicado por [Paradise Café] às maio 3, 2005 02:15 PM

Comentários

Vamos a isso.

Publicado por [Guedes] às maio 3, 2005 02:55 PM