« março 2005 | Entrada | maio 2005 »

abril 29, 2005

"Fumar prejudica gravemente a saúde"

baseado.jpg

"Durante 60 horas, fui submetido a interrogatório, voltado para a parede. Levei um murro nas costas. Gritavam-me e mostravam-me uma folha de papel em branco, dizendo-me que isso significava a minha vida nos próximos cinco anos se não escrevesse nomes - queriam nomes de traficantes e consumidores".

Ivo Ferreira, realizador

Publicado por [Paradise Café] às 06:27 PM | Comentários (3)

abril 28, 2005

Sem cravo na mão a horas erradas

Nos pavilhões grandes das escolas faz-se ginástica, nos páteos principais das prisões dão-se voltas, no metro não se olha nos olhos de ninguém, na rua vêm-se montras e atravessa-se o caminho mais curto entre A e B. Estamos bem disciplinados e ninguém reclama muito de viver numa cidade fantasma, ninguém reclama de viver apenas uma representação daquilo que realmente queria, ninguém reclama de só se poder divertir em espaços comerciais, ninguém reclama que só haja uma produção cultural mediocre feita por elites estéreis e entediantes, ninguém diz nada acerca do que se passa ou deixa de se passar.
E portanto, quase fatalmente, os policias batem, os patrões roubam, os artistas filmam, as meninas das lojas fazem-nos provar calças, os proprietários cobram rendas, os cães ladram. Numa escalada de poderes todos menos tu têm alguma coisa a dizer.
E enquanto isto uma série de instituições onde no máximo és representado por elites, que num andar alto de um prédio espelhado, decidem como vão ser as tuas próximas opiniões e quais vão ser a tuas próximas compras e quanto é que vais precisar de uma merda qualquer que ainda não existe. E num parlamento ou numa câmara de representantes um outro grupo de pessoas decide por ti por quantos miseros euros vais trocar a tua vida num emprego que não suportas, dia após dia e mês após mês, decide quantos direitos terás tu na gestão do teu quotidiano, decide o que poderás ou não fazer com o teu corpo. E nas sedes dos partidos e sindicatos decide-se com ajuda de especialistas em marketing como é que vão explorar a tua insatisfação com toda esta merda que se passa, e como é que hão-de tomar conta de ti quando decideres tomar uma posição na tua universidade, no teu trabalho, no teu bairro

Tomar a cidade. Fazer dela o cenário de todos os excessos, ideias e desejos que se adivinham prestes a rebentar. Tirar o tapete aos gestores da nossa alienação quotidiana e escapar aos percursos de rotina e produção que, como autómatos, percorremos. Deixar de entender as ruas enquanto corredores estéreis entre o as instituições normalizadoras e repressoras e os espaços de consumo, para as transformar num labirinto de mil realidades criadoras de momentos que o poder não consegue nem penetrar nem comprender nem controlar. Experimentar aqui e agora o prazer de circular, derivar, bocejar, tropeçar, levantar, pintar, fumar e mascarar, celebrando os direitos inalienaveis da revolta e da festa. Interromper com a nossa presença a cidade normalizada pelas câmaras de vigilância, pelos painéis publicitários e pela especulação imobiliária. Tomar a cidade e combater o projecto de a transformar num amontoado de ghettos e condominios fechados, separados por sofisticados aparelhos de violência policial. Sair do esquema de requalificação urbana enche os bairros de yuppies de esquerda e de direita que tornam estéreis os espaços que ocupam. Subverter o processo de controlo

A cidade não é dos proprietários nem dos dirigentes trancados em condominios privados, mas de quem a vive, de quem a grafitta, de quem a percorre. Tomar a cidade e percebe-la enquanto campo de confronto: entre ricos e pobres, entre forças repressivas e necessidades
subversivas. Perceber que há um fio condutor comum que liga as lógicas do exercicio do poder que criam ghettos e condominios nas cidades e checkpoints nos cenários de guerra.

Aquilo que queremos tomar nesta festa é só uma pequena parte daquilo que nos espera. Tod@s ao Príncipe Real, no dia 24 de Abril, pelas 16.00

Publicado por [Rick Dangerous] às 05:16 PM | Comentários (5)

Fomos tod@s salgueiro maia

Publicado por [Rick Dangerous] às 05:13 PM | Comentários (2)

abril 27, 2005

Poema para o Carrilho

Ia eu descendo a António Augusto Aguiar
(Já viram esta categoria toponímica?)
Quando eis que uma figura anémica
Ou será anímica?
Surge de um placard a brilhar
Com a sua camisola térmica.
Está a trabalhar num projecto,
E eu, que não gosto do dejecto,
vomito-me na esquina com a Avenida de Berna
só de pensar na figura terna
da Bárbara no eleitoral trajecto.
E o Diniz Maria....
Que horror, que família...
Todos juntos em Monsanto
E eu sem estômago para tanto,
Borro-me à esquina com a Avenida Marquês de Tomar.
E começo num tão exaltado pranto
que tive de dois valiums tomar
só de imaginar.
Mas a cólica era de tal barda
Que já na Avenida Miguel Bombarda
Me voltaram a sair os intestinos
por tão malfadados eleitorais destinos.
Sosseguei, pensei eu, na António José de Almeida
Eis senão quando, da monumental peida,
Me sai um frenesim sinfónico
Deixando um transeunto atónito.
"Desculpe, é o Carrilho"
"Pois a mim me pareceu flatulência"
"A diferença não é muita, Sua Excelência"
E segui caminho.

Publicado por [Joystick] às 07:00 PM | Comentários (2)

abril 26, 2005

The Artist Formerly Known as Ratzinger

Voltando a bater na tecla do Papa (salvo seja), deixo algumas sugestões de alcunhas que se vão encontrando por aí:

Rottweiler de Deus (a minha favorita)
Papa Panzer
Papa Ratzi
Rato Zinger
Bento, o Bávaro (esta é uma tentativa do resto da Alemanha de dizer "não temos nada a ver com isso")

Está bem, a lista é pequena, mas podem acrescentar ideias nos comentários.

Publicado por [Rex] às 08:01 PM | Comentários (1)

Nem por isso

Correram todas as espeluncas
em busca de um poço onde afogar
a boémia que traziam no bolso.
Frigideiras picantes e casas de banho
fechadas, pequenos copos
de bagaço chungoso, paredes discretas,
versos de gosto duvidoso e portas secretas
perdas de tempo precioso
projectos de uma nova internacional.
Acordaram cedo
para o desfile e chegaram
atrasados, mas nem por isso se divertiram
nem cravo levaram.
Ouviram os mineiros cantar a morte
e às seis da tarde,
perderam-se, novamente,
no labirinto nebuloso.
Pensavam chegar a algum lado.


Publicado por [Rick Dangerous] às 03:47 AM

de modo algum

"a cidade não se reforma
destrói-se", disse-te entre os
destroços pelos quais passávamos
de elétrico, tu filmavas,
e riste-te da minha ideia,
"nos transportes públicos vêem-te
as ideias mais ridiculas à cabeça".
Era só um plano, de modo algum
uma sequência.
Mas preferi não dizer mais nada.


Publicado por [Rick Dangerous] às 02:21 AM

Descubra as diferenças

papa.jpg

Publicado por [Paradise Café] às 01:54 AM

abril 25, 2005

Quando leio coisas destas...

...pergunto a mim mesmo porque razão poupou tantas balas o movimento dos capitães?

Série especial “Aqui posto de comando do movimento das forças armadas”
Imobiliário - Nunca, como naqueles anos, Caxias foi um local tão chique para se estar.

[Rodrigo Moita de Deus]

Publicado por [Rick Dangerous] às 02:25 PM | Comentários (2)

abril 23, 2005

Apelo por Oreste e pela amnistia aos exilados políticos italianos

Conheci Oreste Scalzone em Paris há uns dois anos através de um grupo de amigos italianos que frequentava um seminário sobre os anos de chumbo na Itália dos anos 70 na Universidade de Paris-VIII. Foi por aí que tomei contacto com o drama dos refugiados políticos italianos em França, hoje ameaçados de extradição para a Itália onde já foram julgados e condenados por uma justiça de excepção, por verdadeiros tribunais políticos. Oreste é um deles. Para quem se lembre, a prisão de Paolo Persichetti em Paris em Agosto de 2002, com a qual o Governo francês quebrou a promessa de não-extradição, foi um dos acontecimentos mais mediáticos relacionados com esta questão. Para mim, Oreste continua a ser o homem da concertina tocando e cantando connosco Addio Lugano Bella num pátio escurecido em Belleville, com o brilho apaixonado nos olhos e a nostalgia sofrida na voz rouca. Deixo-vos com um texto em castelhano que explica um pouco o homem e a sua luta no momento:

"Oreste Scalzone, uno de los militantes que en 1973 dieron vida a la galaxia de la Autonomia Operaia en Italia y a eventos como el Convenio sobre la represión de Bolonia, en el año 1977 y posteriormente a revistas del movimiento como Metropoli. Scalzone vive en París desde 1982, junto a otro centenar de italian@s, condenad@s por los tribunales del Estado de emergencia de su país por actividades de «subversión del orden constitucional», realizadas al calor de los movimientos sociales de los años setenta. Oreste Scalzone fue detenido el 7 de abril del 79, en una operación a nivel nacional contra l@s militantes más significad@s de Autonomia Operaia. Huyó al extranjero en 1981 y en 1982 llegó a París, donde le fue concedido un asilo informal, de facto. Junto a otros refugiados, ha participado en una asociación por la amnistía y contra las extradiciones, intentando llevar a la práctica una concepción que ve en el ámbito jurídico político el lugar del conflicto. Como se sabe, son 225 las personas que continúan encarceladas en Italia por actividades realizadas durante los «años de plomo», y l@s exiliad@s en distintos países son aproximadamente 190. A diferencia de Toni Negri, que decidió volver a Italia y entregarse a la justicia para luchar desde la cárcel por una solución política a esta situación, Scalzone ha preferido mantenerse en la clandestinidad."

Os exilados envolvidos na luta pela amnistia não reconhecem a sua condição em França como clandestina mas como uma situação de exílio político mantido pela prática do Estado francês ao longo de quase duas décadas.
Dito isto, resta dizer que Oreste entrou em greve de fome para exigir a amnistia de todos os refugiados políticos italianos e para exigir o levantamento do muro de silêncio mediático sobre a perseguição mantida pelos Estados Francês e Italiano. Surge agora uma petição, descrita abaixo, retomando as exigências de Oreste e pedindo-lhe que suspenda a greve de fome, que pode bem levá-lo à morte dada a sua fraca compleição física (e está neste momento com 43 Kg) e problemas de saúde.

Enviem um e-mail com o vosso nome e apelido para:

adminoresteblog@gmail.com


Outros contactos:
E-mail : oreste@altern.org , + pepinus@voila.fr
(envoyer aux deux/
inviare ai due)
http://orestescalzone.over-blog.com/
http://orestescalzonefrance.over-blog.com//

A. Italiano

APPELLO PER ORESTE !!!


Iniziativa di appoggio alla battaglia di Oreste per
l'amnistia e
richiesta esplicita perchè sospenda lo sciopero della
fame e non metta
ulteriormente in pericolo il suo già difficile stato
di salute.

Quest'appello parte su richiesta di amici e compagni,
preoccupati
dalla determinazione di Oreste di proseguire ad
oltranza lo sciopero della
fame.

Vi preghiamo di inviare le vostre mail di adesione a

adminoresteblog@gmail.com


Diffonderemo la lista dei signatari di cui saranno
pubblicati
esclusivamente nomi e cognomi , chi volesse far
figurare anche il proprio
indirizzo lo segnali espressamente .
*************

APPELLO IN ITALIANO
AMNISTIA ITALIA

Noi firmanti appoggiamo l'iniziativa di sciopero
della fame
intrapresa da Oreste Scalzone con i seguenti
obbiettivi:

€ Un'iniziativa popolare per l'immediato
ristabilimento delle forme
di "attenuazione" nell'esecuzione della pena,
previste dalla legge
penitenziaria detta "riforma-Gozzini", oggi di
fatto svuotata e
congelata .
€ Il lancio e la partecipazione
all'organizzazione di una
campagna per indire un referendum abrogativo della
legge speciale del 92
che richiede il quorum dei 2/3, ovvero la "maggioranza
qualificata",
in materia di amnistia e indulto.
€ Una campagna per promuovere una "legge di
iniziativa
popolare" che riproponga il progetto d'indulto del
'97.
-Ci inpegnamo a sostenere e promuovere queste
iniziative, pur nella
diversità d'intenti e posizioni, assumendo
collettivamente l'azione di
Oreste Scalzone ed invitandolo al tempo stesso a
sospendere
immediatamente lo sciopero della fame, prima che il
suo stato di salute sia
irrimediabilmente compromesso.
-Confermiamo il nostro sostegno constatando l'eco nel
movimento al suo
appello che, accompagnato dalla messa in gioco del
proprio corpo, è a
presente già ripreso e sarà seguito da azioni di
solidarità
individuali e comuni, personali e militanti.
-Pensiamo inoltre che per i suoi compagni e compagne
ancora detenuti
o minacciati di estradizione e per le loro famiglie
sia più utile che
egli si mantenga in salute e libertà .

-Coscienti delle oggettive difficoltà nel propagare
questo appello
nei media, nel sottoscriverlo ci impegnamo a
riprodurre il medesimo
copiandolo firmandolo e pubblicandolo sulle pagine di
tutti i siti
alternativi con il testo Amistia Italia
Firme,segnalandone i contenuti nei
forum della stampa, nelle liste di discussione,
inviando per mail il
testo e l'indirizzo di questa pagina a chiunque possa
sostenere
l'iniziativa.
****************************

B. APPEL EN FRANCAIS :
-------------------
Quelles que soient les divergences et les différences
de nos idées
politiques et européennes, face aux pouvoirs aveugles
et sourds en Italie
comme en France concernant le solde des années de
plomb, nous sommes
solidaires pour appuyer la grève de la faim de
l'italien Oreste Scalzone
dont les objectifs sont les suivants :

-- Appel à l'initiative populaire individuelle,
associative,
syndicaliste, confédérale, pour demander le
rétablissement immédiat des
formes d'"atténuation" de l'exécution de peine,
prévues par la loi
pénitenciaire italienne dite "réforme- gozzini",
aujourd'hui évidée et
figée.

-- Appel d'une campagne pour un référendum italien en
matière
d'amnistie et d'indulto (remise de peine), abrogatif
de la loi spéciale de
1992 (qui se satisfait du quorum des deux tiers ou
bien de la "majorité
qualifiée", au lieu de l'ancienne unanimité).

-- Lancement d'une campagne pour une "loi d'initiative
populaire"
réhabilitant le projet d'indulto (remise de peine) de
1997 qui avait été
abandonné.

Pour notre part, nous appelons à soutenir et à
promouvoir ces
initiatives pour le respect des libertés civiles et
dans un semblable respect
de la diversité de nos buts et de nos positions. Nous
savons les
attentes des réfugiés menacés d'extradition ici et
nous savons les
conditions là-bas de leurs camarades prisonniers, au
terme des mêmes procès
sous des accusations et des peines infligées par les
lois d'exception,
qui perdurent au-delà de leur propre temps.

Nous confirmons notre soutien à Oreste Scalzone,
constatant dès à
présent que l'appel par son propre corps est
maintenant entendu et sera
suivi de toutes sortes d'actions solidaires
individuelles et communes,
qu'elles soient citoyennes, personnelles, ou
militantes, et de
l'écho de son mouvement ; par là, nous l'invitons à
suspendre sans délai la
grève de la faim, la sachant parvenue au point que son
état de santé peut
annoncer des séquelles gravissimes, ou irréversibles.

Nous ne pensons pas davantage utile qu'il aille se
faire emprisonner
solidairement, avec ses camarades detenus ou menacés
d'extradition. Au
contraire, nous pensons vital pour eux qu'il reste vif
lui-même et
libre d'agir, afin de les aider à sortir de la
situation désastreuse et
tragique où avec leurs familles ils se trouvent.

Conscients de l'environnement difficile pour propager
cet appel dans
les medias, pourtant nous appelons à transmettre cette
pétition aux
journaux, aux radios, aux télévisions, et dans leurs
forums sur Internet,
par le recours de nos moyens respectifs et tous ceux
de nos
correspondants.

Enfin, nous appelons à informer cet appel à signatures
et ses liens
dans tous les sites, à mettre des titres actifs
"Signer Amnistie Italie",
ainsi qu'à le signaler dans les forums et les medias
alternatifs, et
par email via les mailing listes et les listes de
discussions.
----------------------------------------------------------------------------------------

***Nous vous prions d'envoyer( seuls le nom et prenom
figureront dans
la liste des signataires sauf demande esplicite de
l'envoyeur d'ajouter
son addresse elettronique) vos mail d'adhésion à:
adminoresteblog@gmail.com


*************
Contact
E-mail : oreste@altern.org , + pepinus@voila.fr
(envoyer aux deux/
inviare ai due)
http://orestescalzone.over-blog.com/
http://orestescalzonefrance.over-blog.com//

Publicado por [Renegade] às 10:02 PM

Poema pouco original do medo

O medo vai ter tudo
pernas
ambulâncias
e o luxo blindado
de alguns automóveis
Vai ter olhos onde ninguém o veja
mãozinhas cautelosas
enredos quase inocentes
ouvidos não só nas paredes
mas também no chão
no teto
no murmúrio dos esgotos
e talvez até (cautela!)
ouvidos nos teus ouvidos

O medo vai ter tudo
fantasmas na ópera
sessões contínuas de espiritismo
milagres
cortejos
frases corajosas
meninas exemplares
seguras casas de penhor
maliciosas casas de passe
conferências várias
congressos muitos
ótimos empregos
poemas originais
e poemas como este
projetos altamente porcos

heróis
(o medo vai ter heróis!)
costureiras reais e irreais
operários
(assim assim)
escriturários
(muitos)
intelectuais
(o que se sabe)
a tua voz talvez
talvez a minha
com a certeza a deles

Vai ter capitais
países
suspeitas como toda a gente
muitíssimos amigos
beijos
namorados esverdeados
amantes silenciosos
ardentes
e angustiados

Ah o medo vai ter tudo
tudo
(Penso no que o medo vai ter
e tenho medo
que é justamente
o que o medo quer)

O medo vai ter tudo
quase tudo
e cada um por seu caminho
havemos todos de chegar
quase todos
a ratos

Alexandre O'Neill


Publicado por [Rick Dangerous] às 07:22 PM

Esquerda em crise

25abril_sempre.jpg

Há um ano, a direita no governo, mostrava todo o seu vigor ao passar à ofensiva numa questão até aí quase sagrada: A revolução de 25 de 1974.

Um ano mais tarde, após estrondosas derrotas eleitorais da direita, seria de esperar uma resposta à altura da esquerda, num país em que o governo e o Presidente da República se dizem Socialistas... Num país em que a esmagadora maioria do Parlamento se diz de esquerda...

No entanto, a 2 dias de um aniversário da Revolução, como estamos na batalha ideológica?

Na TSF Paulo Portas discurssou durante 1h15, enquanto em suas casas, os dirigentes do PCP e do BE, continuaram a pensar se elegeriam mais vereadores coligados ou não coligados com o PS.

Publicado por [Saboteur] às 02:14 PM | Comentários (2)

abril 22, 2005

Francisca

Então a cegonha já chegou e nós a fazer de conta?!
Apesar de outras dores e de este post já vir atrasado quero dizer
Yupiiii, vivam os pais e mães, vivam os filhos, viva toda a gente!
Agora que a parte mais fácil já está, penso poder, em nome dos restantes contribuintes do blog, parabenizar os progenitores Paradise Café e Operation Wolf e desejar-lhes os maiores sucessos na educação da rebenta seguindo a melhor tradição espectriana.

PS: Não me esqueci das fraldas.

Publicado por [Renegade] às 05:53 PM | Comentários (2)

abril 21, 2005

Insónia

Pode ser a necessidade incontrolável de sofrer com aqueles de quem gostamos.

Publicado por [Renegade] às 03:19 AM

abril 20, 2005

Caiu de podre

santana.bmp

Marques Mendes ditou o seu fim: não concorre a Lisboa. Carmona é o senhor que se segue.

Publicado por [Paradise Café] às 10:34 PM

Como é evidente

Na banca o esquerdismo nunca teve - e não se nos afigura que venha a ter - qualquer influência junto dos trabalhadores bancários. No entanto, tem prestado, sempre que tem oportunidade, o seu serviço às forças de direita. [...]
Como é evidente, não incluímos na designação de esquerdistas o grupelho de choque neo-nazi do MRPP. Estes já foram desde há muito identificados pelos bancários como a escória e o subproduto da direita dentro da banca.

1º Assembleia da organização dos trabalhadores bancários de lisboa e do PCP, 18-06-1977

Publicado por [Rick Dangerous] às 08:42 PM

Sugestões

0707.jpg

Dispenso a pedra tumular mas
se fizerem questão de me dar uma
gostaria que nela escrito fosse:
ele deu sugestões, nós
aceità-mo-las.
Uma tal inscrição
a todos honraria.

Bertolt Brecht


Publicado por [Rick Dangerous] às 07:47 PM | Comentários (1)

Hasta la Vista Baby!

Silvio Berlusconi.jpg

Silvio Berlusconi vai apresentar hoje a sua demissão, avançou à agência italiana Ansa o líder dos senadores da coligação Forza Italia, Renato Schifani.

Publicado por [Paradise Café] às 12:48 PM | Comentários (2)

Hoje ficámos tod@s mais tristes

black.jpg

Publicado por [Paradise Café] às 12:38 PM | Comentários (2)

E outro na Nova Zelândia?

Publicado por [Rick Dangerous] às 04:28 AM | Comentários (1)

Vocês já repararam que...

No mapa do geoloc aqui à direita, há um pontinho vermelho na islândia?!!?

bjork.jpg

Publicado por [Rick Dangerous] às 04:13 AM | Comentários (1)

SMS 18 Abril 2005

Fui andar e passei ai mas ñ kisemos tirar-vos do bem bom!ja lhe pedi pa rezar p ti pa passares dia 13.Kando kiseres ver-m, diz!pa aproveitar tempo perdido!jocas

Renegade teve dificuldades de monta na interpretação mas chegou lá. Entre o bem bom e o rezar p ti pa passares parece abrir-se um abismo de inconsequência, talvez até de contradição. Sugere actividades pecaminosas da parte de consciências moral e teologicamente sãs. Repare-se que @ autor/a pede a outro que reze por terceiro, indicando claramente não estar em condições de o fazer. A apoiar esta linha interpretaiva aparece aquela clara referência a traição de cama, talvez até de encornadura com amig@ próxim@, i.e., aproveitar tempo perdido!? E só há uma maneira de realmente aproveitar o tempo perdido, não é?

Não é preciso mais que um sms transviado para perceber os abismos morais da modernidade. Volta Ratzinger, estás perdoado.

Publicado por [Renegade] às 12:49 AM

SMS 11 Fevereiro 2005

Tàs sem sono minha coisinha doce? eu tb ainda tou a ver tv..se tivesses aki tavas sentada no meu colo a receber mts miminhos kridos e xeios de ternura*

Renegade quis saber quem lhe falava tão inequivocamente ao coração, embora suspeitoso de um pequeno deslizar de um dedo polegar.

Por acaso dei pelo erro:-)...trokei os numeros..pesso desculpa..sou o [...]..

Publicado por [Renegade] às 12:38 AM

abril 19, 2005

Um homem com um sonho

Circula que Pio 12.2 não deixavam escolher.

Publicado por [Rex] às 11:28 PM | Comentários (3)

Temos Papa!

Publicado por [Saboteur] às 09:04 PM | Comentários (2)

Pior que João Paulo II impossível? Quem disse?

Joseph Ratzinger.gif

O que mais se podia temer aconteceu: Joseph Ratzinger foi hoje, pelas 17h30, eleito papa: o homem mais conservador da igreja torna-se agora o mais poderoso.

Gays, prostitutas, comunistas, abortistas, preservativistas e outros istas também decentes: agora é dar ou levar. Vamos para a Guerra!

Publicado por [Paradise Café] às 05:53 PM | Comentários (5)

abril 18, 2005

Polissemias

Pode ser
1. "Esta's feito, oh bife!",
com a possivel variante:
2. "Esta's feito, o' bife!"
ou ainda
3. "Esta's feito ao bife!"

Pergunta 1> Quem\o que e' que esta' feito?
P 2> Que significa estar feito?
P 3> Quem\o que e' o bife?
P 4> Em que situacao se deve utilizar qualquer uma das tres expressoes?
P 5> As tres expressoes sao redutiveis a uma passe-partout?
P 6> Quem foi o sacana que inventou a dita?
P 7> Sera' uma expressao xeno'foba?
P 8> Sera' que um vegetariano pode dizer isto?
P 9> Sera' uma ameaca a um vegetariano?
P 10> Sera' que um pacifista john lennoniano pode ameacar alguem com um bife?
P 11> Sera' possivel escrever com alguma dignidade num teclado Apple?

Publicado por [Renegade] às 10:37 PM | Comentários (1)

abril 17, 2005

Um sentir comunista

Gostei de ler isto no ElPais (alguns excertos de uma cro'nica):

(...) Entonces, Modesto ya sabia que ellos eran comunistas: comunistas su madre desde la adolescencia, comunista su padre desde la guerra, comunista su abuelo hasta que lo fusilaron en las tapias del cementerio del Este, comunista su abuela, para quien era peligroso llevar luto por e'l. Eran comunistas, y por eso e'l nunca sabia quanta gente iba a comer en su casa cada dia; ni para quie'n eran los bizcochos, las rosquillas que las mujeres hacian al volver de trabajar; ni a quie'n podia encontrarse durmiendo en su cama a media tarde. Porque eran comunistas, y ser comunista era eso, dar y darse, ayudar, compartir, arriesgarse. E'sa era, al menos, la vida de Modesto.

Si hubieran sido cato'licos, piensa ahora, los habrian beatificado. Si hubieran sido anarquistas, caerian muy simpa'ticos. Si hubieran sido fascistas, nadie tendria el mal gusto de recordar su pasado. Si hubieran sido socialistas, habrian sido admirables. Pero eran comunistas, y fueron, y eran, y son, y siguen siendo, y siempre sera'n culpables. Que' curiosa es la vida, piensa Modesto, y piensa en la suya, y en la de quienes una vez llevaron la misma camisa, la misma boina, el mismo uniforme que los asesinos de su abuelo, y ahora son ma's inocentes, ma's comprensibles, menos peligrosos que los cada'veres de sus victimas. Que' curioso el destino, piensa Modesto, y piensa en su vida, y en la de tantos otros, asesinados, presos, exiliados, arruinados, avasallados por la historia, condenados a llevar sobre la cicatriz eternamente abierta de su memoria el peso de unos crimenes que nunca cometieron. Que' curioso pais e'ste, piensa Modesto, donde el saldo de una vida entera vale menos que un instante de arrepentimiento, y la etiqueta patrio'tica que sirve hasta para identificar las naranjas, nunca se usa para distinguir a un luchador patriota de un tirano extranjero.(...)

E'l tenia esperanzas, llevaba mucho anos esperando a que alguie'n contara la otra parte que e'l puede contar, la u'nica que vivio', la u'nica que conoce. Dar y darse, ayudar, compartir, arriesgarse, y entrar y salir, y volver a entrar y volver a salir, y pasarse la vida entrando y saliendo de la ca'rcel. Pero ve la televiso'n, lee los perio'dicos, mira lo escaparates de las librerias, y aprende, a su edad, que e'sa es la parte de la historia que, por lo visto, no le interesa contar a nadie.

Modesto piensa en su vida, en la vida de los comunistas espanoles, que nunca tuvieron ma's poder que el de rendirse, y nunca lo hicieron. Sabe que en otros paises las cosas fueron de otra manera, pero esa historia no es la suya. Aunque nadie quiera saberlo.

por Almudena Grandes

Publicado por [Renegade] às 10:54 PM | Comentários (2)

abril 16, 2005

Enjoy cunnilingus

shauna.jpg

Publicado por [Rick Dangerous] às 03:32 PM | Comentários (6)

abril 15, 2005

A leste do paradiso

A PSP entrou hoje pelas oito da manhã no Paradiso ocupado, fazendo-se representar por algumas dezenas de agentes do corpo de intervenção, uma brigada especial de passa-montanhas na cara, e alguns agentes da Polícia Judiciária.
Surpreenderam os habitantes nas suas camas, alguns deles acordados pelo cassetete. Dezassete pessoas que se encontravam no interior do espaço foram detidas durante toda a manhã na esquadra do terreiro do paço, estando algumas delas ainda a prestar declarações.
Esperam-se mais notícias e desenvolvimentos do caso. A festa e restantes actividades programadas para hoje não terão lugar. A casa está a ser toda emparedada por ordens do proprietário, que apresentou queixa contra os ocupantes.
O partido da ordem volta a marcar pontos. O paradiso acabou. Pedimos desculpa pela interrupção, o inferno continua dentro de momentos.

Publicado por [Rick Dangerous] às 03:20 PM | Comentários (7)

abril 13, 2005

Daquilo que nos espera


Publicado por [Rick Dangerous] às 03:39 PM | Comentários (1)

Somos tod@s salgueiro maia

Lisboa continua uma cidade morta. Continua encerrada sobre si própria e disputada entre uma herança arquitectónica, social e existencial dos longos anos do fascismo e um carácter supostamente novo, cosmopolita e sofisticado, representado tanto pelo afluxo massiço de turistas, erasmus, etc, como por uma nova classe urbana que se assume representante de vanguardas financeiras e/ou culturais importadas do estrangeiro. Continua fechada porque as ruas parecem estar codificadas num labirinto que se esvazia fora dos horários úteis, feito de prédios feios de portas fechadas a sete chaves por pessoas apavoradas porque ouviram na televisão da boca de um otário qualquer que a cidade estava entregue aos lobos. Continua aborrecida porque nunca há nada para fazer para além de trabalhar e de beber copos num sitío onde já és parte da mobilia da casa. Continua parada porque está submergida e limitada pela ideologia mediática, porque não consegue propor a si própria mais possibilidades do que as veiculadas e sugeridas pelos partidos politicos, pelos programas das velhinhas ou pelos magazines culturais da SIC Noticias, porque não percebe nem nunca imaginou que a sua riqueza e liberdade podem ultrapassar largamente a de uma oferta mais diversificada de meras mercadorias, culturais, politicas ou fisicas.

No dia 24 de Abril, domingo pela tarde, a cidade será invadida pelas pessoas, num arraial pelas ruas fora. A ideia, simples, é a de fazer uma festa na rua, uma festa que ande, que tenha música, carnavalices e que festeje a rua, a primavera, os abris. Mas é ainda uma festa que reinvidica o rejuvenescimento da cidade de Lisboa, que exige menos carros, menos casas abandonadas, menos tristeza e pobreza. É uma festa contra a lógica imposta de um quotidiano que oscila entre o trabalho, o consumo, e o isolamento. É uma festa contra a degradação dos bairros da cidade e de um centro que se esvazia de habitantes e se preenche de Bancos&Lojas, contra a segregação das minorias étnicas e sociais em guetos geográficos e culturais, contra a deriva securitária que invade a europa. É em suma uma festa contra este progresso, este eterno movimento para lado nenhum. Queremos não fazer nada e fazer tudo mas com outro referencial, que não o do dinheiro e do sucesso.


Publicado por [Rick Dangerous] às 03:33 PM | Comentários (2)

Coisas doces sem açucar

ultimafestafoeweb.jpg

Publicado por [Rick Dangerous] às 03:10 PM

abril 11, 2005

O aviador

"Em 1948, com o filme A Cortina de Ferro, a Fox lançou o filme antivermelho, destinado a servir a guerra fria. Ao mesmo tempo, esta propraganada desenvolveu-se largamente na imprensa, rádio, televisão,etc. A Cortina de Ferro, filme sem nenhuma qualidade artística, provocou na América e no estrangeiro vivos protestos e não teve nenhum êxito comercial. Tal revés não impediu Hollywood de produzir, durante sete ou oito anos, numerosos filmes antivermelhos. com um insucesso semelhante. Para a Fox, a M.G.M., a Warner, a R.K.O., a Paramount...esta série saldou-se, por certo, com um deficit que atingiu vários milhões de dólares. Mas o esforço dos cinco grandes foi só aparentemente desinteressado. Estas grandes firmas estavam, com efeito, orgânicamente ligadas aos interesses Morgan e Rockfeller, às grandes empresas de armamentos, aos fornecimentos militares ou de armas atómicas, que gravitam à volta das firmas

Kodak, Dupont de Neumours, General Motors, General Electric, etc. Os filmes antivermelhos tinham contribuido para criar na opinião púbica o pãnico da guerra fria;portanto determinar encomendas militares, atómicas ou outras, muito rendosas(...)
Estes laços que unem Hollywood e os grandes negócios foram notavelmente demonstrados pela pitoresca personalidade de Howard Hughes. Nascido em 1905,este filho de milionário californiano interessou-se cedo pelo cinema. Desde os 25 anos, financiou e realizou, por vezes pessoalmente, filmes em que a aviação tinha um papel importante. Ocupou assim um lugar crescente na produção(...)
Em 1948, Howard Hughes comprou por vários milhões de dólares, aos interesses Rockfeller, a R. K. O.,um dos grandes de Hollywood. Durante sete anos, a sociedade esteve aparentemente deficitária e, em 1955, Howard Hughes tornou a vendê-la a um consórcio formado por alguns industriais de borracha. Pretendeu-se, então, que a R.K.O. fora para ele apeas uma fantasia de milionário, que se apaixonava com os records aéreos e os encantos das "estrelas."
Mas o semanário Time recordava, em 17 de Outubro de 1955, donde provinham os milhões de H.H. Esta fonte é insuspeita, visto que a grande revista americana se encontra na esfera dos interesses Morgan e publica, com estas revelações, duas páginas de publicidade pagas por H.H.
Segundo este número da Time, H. H. é um dos dez maiores fornecedores de guerra americanos. No orçamento de guerra dos Estados Unidos, à Howard Hughes Aircraft Co. (cujas fábricas ocupam 30 ha na Califórnia e no Arizona)correspondem, por ano, 200 milhões de dólares, só para produção de explosivos teleguiados, que fabrica uma das suas filiais, a C.S.T.I. Howard Hughes é senhor. além destas duas sociedades, da Hughes Tool Co. e da T.W.A., a mais importante das linhas aéreas americanas internacionais. Estas quatro firmas empregam um total de 50 000 pessoas. A cifra dos seus negócios actuais atinge 700milhões de dólares(..)
Durante todo o tempo em que foi propriedade privada de H. H., a R.K.O. multiplicou os filmes antivermelhos e os filmes de guerra passados na Coreia e noutros sítios. A aviação tinha, nestas produções, um papel de primeiro plano. O balanço global pode ter sido deficitário, mas a propaganda contribuiu para um estado de facto que a Time resumia assim: "Os Estados Unidos, a partir de então, tinham passado todas as suas encomendas de material antiaéreo para o mesmo grupo financeiro e tinham posto todos os seus ovos no cesto pertencente ao Sr. Howard Hughes."

SADOUL, George, As Maravilhas do Cinema

Publicado por [Operation Wolf] às 08:01 AM

abril 08, 2005

Chicago School

Eis um copy / paste que certamente alguns irão apreciar:


The Gift of the Dying:
The Tragedy of AIDS and
the Welfare of Future African Generations

Alwyn Young
Graduate School of Business
University of Chicago
This Draft: November 2004

Abstract
This paper simulates the impact of the AIDS epidemic on future living standards in South Africa. I emphasize two competing effects. On the one hand, the epidemic is likely to have a detrimental impact on the human capital accumulation of orphaned children. On the other hand, widespread community infection lowers fertility, both directly, through a reduction in the willingness to engage in unprotected sexual activity, and indirectly, by increasing the scarcity of
labour and the value of a woman’s time. I find that even with the most pessimistic assumptions concerning reductions in educational attainment, the fertility effect dominates. The AIDS epidemic,
on net, enhances the future per capita consumption possibilities of the South African economy.

Publicado por [Saboteur] às 01:49 PM | Comentários (2)

abril 07, 2005

“Pela Produção Nacional – defesa do Sector Têxtil”

O PCP assumindo prontamente os seus compromissos para com os trabalhadores em defesa da produção nacional e do emprego, lançou uma campanha “Pela Produção Nacional – defesa do Sector Têxtil” dirigida a exigir a adopção das medidas indispensáveis à salvaguarda da industria têxtil, designadamente a activação da clausula de salvaguarda.
No âmbito desta campanha a promover em Abril e Maio, suportado na base da edição de materiais de propaganda designadamente um cartaz MUPI, está em curso um abaixo-assinado dirigido aos trabalhadores do sector.

A cláusula de salvaguarda que aqui se pede permite a restrição temporária das importações de produtos têxteis e de vestuário, como se o problema do emprego no sector fosse temporário, ou se, por milagre, durante esse período a produção nacional pudesse vir a fazer face à concorrência asiática, assente na exploração do mais baixo salário.
E existe mercado onde existam restrições à importação sem haver à exportação? E pode haver sector têxtil sem exportações?
E cadê do internacionalismo proletário?


Publicado por [Operation Wolf] às 11:27 PM | Comentários (1)

abril 06, 2005

VENDE-SE

papamovel.jpg

Carrinha mercedes, como nova. 40Km máximo. Vidros grandes, ideal para a venda de gelados e pipocas.

Publicado por [Saboteur] às 08:20 PM | Comentários (8)

Até te aleijas

ah pois é...

Publicado por [Rick Dangerous] às 03:25 PM | Comentários (2)

abril 05, 2005

Ainda há quem diga que os católicos não são gente para a luta!

peregrinos.jpg

Cerca de 300 pessoas, que pretendiam viajar para Roma onde vão prestar uma última homenagem ao Papa João Paulo II, bloquearam hoje uma linha ferroviária no sul de Itália por não terem conseguido lugar num comboio para a capital.

Publicado por [Paradise Café] às 02:51 PM

Ou será o brilhantinas da India?

ivan dias.jpg


Cardeal com larga experiência diplomática em países asiáticos e africanos e promotor do diálogo entre católicos e hindus, foi núncio apostólico na Coreia e na Albânia.

Publicado por [Paradise Café] às 02:22 AM

abril 04, 2005

O falcão do Policarpo

bordalo.jpg

O cardeal-patriarca de Lisboa, D. José Policarpo, voa terça-feira de manhã para Roma num "Falcon" cedido pelo Estado português, revelou hoje fonte do Patriarcado.

Publicado por [Paradise Café] às 11:51 PM | Comentários (1)

Ser jovem, ser do bloco (2) sem pudores...

"Temos noção, pela experiência que temos do movimento, bem como pelo impacto que o Bloco tem na juventude, cada vez mais os sectores oprimidos nos verão (ao Bloco) como a referência organizadora da resistência estudantil, pelo que, onde não sobrem correntes combativas, além dos activistas do Bloco, não devemos ter pudor de assumir a intervenção académica e sindical a partir do Bloco. Os Núcleos de Jovens que tenham intervenção no superior serão seguramente, em muitas universidades, os únicos na defesa do intransigente pelo ensino superior público, gratuito e de qualidade, pelo que, nessa circunstância, devemos organizar a resistência e o combate a partir dos próprios núcleos do Bloco. Defender esta estratégia, está longe de defender listas e movimentos tipo “jotinhas” dos anos 80, onde se via essas estruturas apenas como os porta-vozes do partido."

Por uma universidade pública e um movimento estudantil combativo!, Renato Teixeira, Documentos da III conferência de Jovens do Bloco

Publicado por [Rick Dangerous] às 02:54 PM | Comentários (2)

Ser jovem, ser do bloco (1) todos os vícios...

"@s jovens do BE têm que ter mais iniciativa na definição de campanhas e trabalho a realizar entre os sectores da juventude. Mas não queremos uma jota. É fundamental que @s jovens contribuam para a construção do BE em conjunto com o resto dos militantes, sem se encerrarem numa estrutura própria com todos os vícios das juventudes partidárias.[...]
Queremos @s jovens do Bloco a incomodar todos aqueles que são responsáveis pela injustiça e pela desigualdade. Para isso propomos:
[...] Funcionamento dos núcleos apoiado por mais profissionais ou semi-profissionais jovens. Ser capaz de garantir até ao final do mandato, pelo menos três semi-profissionais para a juventude, nas regionais com maior potencial de desenvolvimento: Lisboa, Porto, Coimbra. De referir que com crescimento eleitoral das regiões de Setúbal, Braga, Santarém e Faro, surge uma oportunidade muito séria de explosão militante. Com a nova lei dos partidos e com a falta de militantes a ameaçar o Bloco, envolver estes novos simpatizantes na nossa actividade política deve ser a mais séria das tarefas.
- Garantir condições materiais à militância em cada capital de distrito e em cada núcleo da juventude organizado. Uma sede própria por cada um desses locais e dotada de possibilidades físicas, com o máximo de equipamento possível: telefone, computador e capacidade de impressão."

As nossas tarefas, por Flor Neves, Sadik Habib, Jorge Fontes, André Pestana, João Baía, Documentos da III conferência de Jovens do Bloco


Publicado por [Rick Dangerous] às 02:41 PM | Comentários (4)

Outro óbito esperado

udp.gif

A UDP, formação marxista-leninista, depois de muitos anos de agonia, morreu.

Esta organização, criada em 1974 como frente eleitoral do CARP, do CCR e da UR, elegeu em 1975, 1979 e 1980, nas suas próprias listas, um deputado ao Parlamento. Depois dessa data e até 1991, concorreu às eleições integrada nas listas do PCP. Em seguida a estratégia mudou e a integração no BE foi a táctica que os levou à auto-dissolução.

Uma geração inteira de luso-albaneses chora hoje a sua morte prematura.

Publicado por [Paradise Café] às 01:03 PM

Estudassem!

torneiraazul.gif

As faculdades da cidade universítária não têm água devido a uma ruptura identificada no Sábado, no entanto, esta segunda-feira o problema mantém-se, porque as "tubagens e equipamentos da rede" são antigos e "a EPAL não tem ferramentas nem peças sobresselentes para reparar a avaria". Esta situação está a afectar o normal funcionamento das diversas faculdades da Cidade Universitária. A de Letras resolveu mesmo fechar.


Publicado por [Paradise Café] às 12:54 PM

abril 03, 2005

Como o velho filho-da-puta teria gostado

filhodaputa.bmp

A Fundação Champalimaud, na pessoa da sua presidenta - Leonor Beleza - anda à procura de um sítio para construir a sua sede.

Esta semana, chegou a notícia de que já se tinham decidido: Cascais, Guincho, zona protegida.

Não é permitido? Money talks, bull-shit walks...

Publicado por [Saboteur] às 10:10 AM | Comentários (2)

A angústia de um jornalista à espera de uma grande notícia para dar

Afinal, nos últimos 3 dias, quantas vezes anunciaram a morte do Papa? Ganhou ao Arafat?

Publicado por [Saboteur] às 10:06 AM | Comentários (1)

E agora algo de realmente importante

"Homem-Aranha: «GASP» Suas mãos...frias como gelo...
...Duras como mármore!

H-A: «GASP» Lápide, detesto ter que te dar esta notícia...
...mas acho que você não é mais humano!

LÁPIDE: Eu sei! Sou melhor! «BAM»

HA: AAAAH! Minha mão...

L.: "Frio como gelo, duro como mármore..."

L.: Gostei disso, aracnídeo! Obrigado! Eu sempre me senti uma aberração! Que outro nome você daria a um albino? «WHAM»
Um homem negro preso numa pele de branco?
As pessoas me olhavam e viam um monstro!
Mas eu era só um Homem!
Agora eu sou um monstro e estou adorando! É..."frio como gelo, duro como mármore"...de que outro jeito você descreveria uma lápide?

H-A: Bem, pra começar, que tal "louco de dar nó"?

L.: Ei! «THAM» Não tente brincar comigo, cretino! «KRAK»

H-A: De jeito nenhum, Lápide! Mas já que não posso bater em você...sem machucar minha mão...vou ter que te prender com a teia até a polícia chegar!

L.: Você tá se iludindo, Homem-Aranha! Jogue quanta teia quiser...você só vai conseguir me atrasar...

H-A: Oh-oh!"

"O Homem-Aranha", n.º 130, Série Marvel Comics (edição brasileira da Abril Jovem), pp. 66-68.
A capa de revista ilustra um combate entre o Herói e o seu arqui-inimigo Dr. Octopus. Não consegui pescar uma capa com o Lápide.

Publicado por [Renegade] às 01:00 AM | Comentários (1)

Juan Cipriani Thorne - Será?

opus.jpg


Primeiro cardeal do Opus Dei, tentou resolver a crise da ocupação da embaixada japonesa em Lima. Era jogador federado de basquete antes de entrar na vida do sacerdócio.

Publicado por [Paradise Café] às 12:50 AM

Santa paciência

luto.jpg

O Vaticano e o Governo português vão unir esforços para promover o negócio dos têxteis negros. O mercado não está bom e por isso decidiram dar uma mãozinha aos industriais:

Foi decretado luto nestes dois estados para os próximos três dias.

Publicado por [Paradise Café] às 12:15 AM

abril 02, 2005

ajuste.jpg

O que não fez e devia ter feito:

- Casamento de sacerdotes;
- Ordenação de mulheres;
- Mudança de principios no que respeita à contracepção (MILHARES DE MORTOS PELA SIDA À SUA PALA);
- Manutenção da condenção de mulheres que abortam;
- Manutenção e ampliação dos altos investimentos do Vaticano no capital especulativo;

O que fez e não devia ter feito:

- Campanhas ultramontanas contra os gays;
- Pôr na gaveta todos os sinais positivos e progressistas do concílio Vaticano II;
- Apadrinhas a luta contra os ideais comunistas
- TER NASCIDO

Publicado por [Paradise Café] às 09:55 PM | Comentários (6)

Papa morre em prime time

papa.jpg


O vaticano anunciou a morte do papa às 20h30, mesmo em cima dos telejornais.
Nuno Rogeiro diz na sic: "Toda a sua vida se pautou pela luta contra o mal (comunismo) que presenciou desde criança. Esta é uma das suas grandes guerras sem dúvida ganhas";

(...)

"Ele sempre teve mão nos padres aderentes à teologia da libertação"...

MORRES MAS NÃO TE ESQUEÇEMOS! (snif)

Socrates fala à nação às 22h

Publicado por [Paradise Café] às 09:40 PM | Comentários (9)

abril 01, 2005

Antagonismo difuso (para milu, lulu, spirou e mobutu)

Já me começa a chatear o pessoal a perguntar-me "Mas afinal de contas o que é que tu és agora, anarquista, esquerdista, situacionista, ou quê?"
A resposta mais óbvia e fácil é a de que eu não sou nada disso porque sou muito mais do que isso. Mas já que essa não responde a grande coisa e o pessoal não se convence de que seja verdade, vou dar umas curtas dicas.

Era uma vez... Após muitos anos de lutas operárias em itália, os patrões perceberam, ali um pouco como em todo o "ocidente", que já não era possível o tipo de utilização da força de trabalho típica do período fordista, com as grandes fábricas onde se concentrava todo o processo de fabrico dos bens de consumo de massas, com milhares de pessoas na linha de montagem a trabalhar a ritmos pesados.
Esse pessoal pura e simplesmente fartou-se e começou a fazer toda a merda possível dentro e fora das fábricas, coisas de outros tempos que não se podem repetir, classe operária altamente concentrada e homogeneizada, farta de ser explorada, com raiva aos patrões e à polícia, capaz de fazer parar tudo quando queria.
Então começaram a dividir e deslocalizar a produção, despediram o pessoal mais combativo, ficaram apenas com o mínimo indispensável e com o controlo sobre um processo produtivo doravante espalhado pelo globo.
(Aqui a coisa foi um bocado a mesma, só que com revolução e MFA, nacionalizações, controle operário e fuga de capitais e capitalistas para o estrangeiro)

E depois... O pessoal fodidíssimo e os seus filhos, netos e respectivos amigos, começaram a compreender que uma alteração estava a decorrer, num ambiente de crise económica e luta social muito agudas, que transformava a produção e a sociedade e a luta social. As lutas operárias haviam forçado os capitalistas a destruir a fábrica integrada verticalmente e a difundir a produção, complexificar as suas diversas fases, criar uma nova divisão mundial do trabalho e precarizar a relação entre capital e trabalho à escala global.
Criava-se aquilo a que os antigos teóricos da autonomia operária (que desde os anos 60 estudavam aquilo a que chamavam "composição política da classe operária" e a sua centralidade no modo de produção capitalista) vieram a denominar de fábrica social - a produção flexível, a valorização do trabalho imaterial e cognitivo e a desvalorização do trabalho classicamente denominado "produtivo".

Então... Sobre os cadáveres do sindicalismo, da social-democracia e do estado social, das formas de integração social e de controlo da reprodução da força de trabalho típicas do período keynesiano e fordista (que para além de caras, se demonstravam incapazes de criar a paz social), começou então a tomar forma este novo modelo de produção e de organização da sociedade. Antigas identidades foram pulverizadas através de uma magnifíca engenharia social repressiva. A cidade foi transformada para se tornar um espaço de permanente valorização do capital, com a sociabilidade, a circulação, a habitação, o trabalho e o lazer perfeitamente integradas e controladas num modo de vida e numa mundividência permanentemente anestesiadas. A esquerda clássica ficou a ver navios, a extrema-esquerda converteu-se à cidadania
E o proletariado, esse velho fantasma sobre o qual tantos falaram mas que sempre teve de partir alguma coisa para se fazer ouvir, foi dissecado e fragmentado em mil condições de trabalho diferentes (os que não ficaram na prisão ou no desemprego, claro). Dizem mesmo que deixou de existir, despedido pelos patrões ou convertido à classe média. De todo o mundo vieram emigrantes para fazer o seu trabalho. Para todo o mundo emigraram as linhas de montagem que outrora havia ocupado. E agora somos milhões, em todo o mundo, a fazer sorrir os acionistas.

E este pessoal fixe, que da esquerda leninista extraparlamentar passou à autonomia operária, e ao qual se foi juntando mais pessoal, começou a pensar nas novas formas e condições da luta de classes e a propôr novas categorias, descobrir novos problemas e identidades, a conceber um novo imaginário de conflito social que não seja apenas a ghettização ou a repetição de velhas palavras de ordem ou a conversão a modas ou a defesa à outrance do estado social.
Antagonismo difuso, auto-redução de preços, ocupação de casas e espaços, comunicação alternativa/tactical media, hacking, anti-copyright, estética queer, precariado metropolitano, luta contra as fronteiras, crítica das prisões e do controlo social.

Mil experiências e ideias que transportam uma vontade de libertação inadiável. Um partido informal (mas não o suficiente) contra o trabalho, que não viva de representações ou da miséria habitual dos pequenos grupos de militantes de extrema-esquerda. Que recusa a separação entre partido e movimento, entre movimento e movimento, entre o que quer que seja. E que, assim como assim, transportam um olhar lúcido, cínico e hedonista, sobre o mundo em que vivemos, bem como um terrível mau feitio e pouca vontade de negociar com o inimigo.
Pessoal do meu lado da barricada. Pessoal que quer tudo.

Publicado por [Rick Dangerous] às 06:42 PM | Comentários (3)

Reflexões sobre a violência

A. é um jovem de Lisboa. Ontem foi espancado pela bófia no bairro alto, levado para a esquadra acorrentado a mais uns quantos amigos e novamente espancado. Está no hospital de S. José, com uma perna e a cabeça partidas, um golpe fundo acima do olho, a tromba toda fodida. Era o único preto do grupo. Tinha ido buscar chito.
A polícia de proximidade só o quis ajudar. Não lhe deram um tiro nem lhe cortaram a cabeça. Só uns sopapos para ele levar mais a sério o estado de direito e o seu monopólio do uso da violência. Um cocktail de áfrica do sul e palestina para acalmar os ânimos. Um correctivo exemplar. Episódios de um conflito de baixa intensidade. Incidentes nos territórios ocupados.
Quem colherá a tempestade que eles semeiam? Quem aproveitará o medo que que deste modo se exorciza? Quem organizará a violência contra a violência organizada?


Publicado por [Rick Dangerous] às 06:16 PM

Fumo branco

Publicado por [Rick Dangerous] às 06:12 PM | Comentários (5)

O senhor o chamou. Paz à sua alma.

Neste dia triste, marcado pela dor impressionante de milhões de cristãos católicos, deixo aqui os meus respeitos a esta figura impressionante de um século XX não menos impressionante. Nós, ateus esquerdalhos, também estamos impressionados.

Publicado por [Renegade] às 12:58 AM | Comentários (4)

Na mouche

You scored as atheism. You are... an atheist, though you probably already knew this. Also, you probably have several people praying daily for your soul.

Instead of simply being "nonreligious," atheists strongly believe in the lack of existence of a higher being, or God.

atheism

79%

agnosticism

71%

Buddhism

63%

Satanism

63%

Paganism

46%

Christianity

33%

Judaism

25%

Islam

25%

Hinduism

8%

Which religion is the right one for you? (new version)
created with QuizFarm.com

Publicado por [Renegade] às 12:56 AM | Comentários (4)