« Dresden, 60 anos depois | Entrada | Morte de Hariri »

fevereiro 14, 2005

O que ele foi dizer!

Mais um incauto que falou no que “não se pode”: o iconoclasta mayor de Londres, Ken Livingstone, perante a insistência de um jornalista em o entrevistar, perguntou-lhe se ela era um criminoso de guerra alemão. Ainda por cima, o jornalista em causa era judeu!
Obviamente que a pergunta foi de mau gosto mas a repercussão que estes ditos têm na imprensa e no meio político é desmesurada.
O “Board of Deputies of British Jews” (!) depositou uma queixa junto da Comissão de Padrões de Vida Pública. Se julgado culpado de conduta imprópria, o mayor arrisca-se a uma pena de exclusão de cargos públicos de um a cinco anos. É para aprender.

Publicado por FG Santos às fevereiro 14, 2005 02:38 PM

Comentários

Mais um para o desemprego!
Ainda por cima foi mal agradecido!
Isso é pergunta que se faça a um judeu?
Desemprego - já!

Publicado por: Nonas em fevereiro 14, 2005 04:24 PM

O contrário também é verdadeiro pois,por-dizer-simplesmente-algo-sobre-aquela-coisa-que-terá-acontecido-na-II-Guerra-Mundial-a-quem-nós-sabemos-mas-nem-podemos-dizer-porque-nos-cai-em-cima-a-Suástica-e-o-Fascio-e-o-Mein Kampf.

Sim, senhor.

Publicado por: Nelson Buiça em fevereiro 14, 2005 04:36 PM

'Comissão de Padrões de Vida Pública'?? Tem a certeza de que a tradução está bem feita? Essa merda existe em Inglaterra?
Ora ainda bem, quero denunciar todas as inglesas que fizeram as delícias da minha juventude e a dos meus conterrâneos de idade similar à minha! É que inglesa, nos anos 70, era mesmo uma coisa... pública!!

PS- Perante o que o FG Santos revelou só dá para gozar, que é para não chorar.

Publicado por: clark59 em fevereiro 15, 2005 01:13 AM