« Entrevista de D. Duarte | Entrada | Pio XII e os judeus »

fevereiro 10, 2005

"Assim falou Zaratustra"

A obra de Nietzsche inspirou o grande Richard Strauss na composição do famoso poema sinfónico com o mesmo nome (famoso sobretudo pela abertura, que Kubrick utilizou no seu "2001 Odisseia no Espaço").
Esta magnífica obra é hoje interpretada pela Orquestra Sinfónica Portuguesa no Grande Auditório do Centro Cultural de Belém, a par de "Vers une Symphonie Fleuve IV" (estreia em Portugal) de Wolfgang Rihm, compositor alemão contemporâneo (nascido em 1952), a quem a OSP está a dedicar um mini-ciclo.
Como ainda há bilhetes (estranhamente, a OSP, apesar do seu elevado nível artístico, não consegue atrair um grande número de fiéis), convido os meus leitores que residam na grande Lisboa a juntarem-se a mim e a deslocarem-se ao CCB.
Aos outros, a Antena 2 mais uma vez possibilitará a audição em directo do concerto, a partir das 20h55.

Nota: os mais melómanos não deixarão de visitar este excelente site, dedicado ao grande artista, onde, além das informações habituais (biografia, obras, etc.), podem ver fotografias e filmes de Strauss, em família, na direcção, ao piano...

Strauss, Rehearsal with the Vienna Philharmonic,.jpg
(Rehearsal with the Vienna Philharmonic, Vienna Musikverein, 1944.)

Curiosamente, o site não se alonga muito sobre a posição de Richard Strauss em relação ao regime nazi: «In 1933 the Nazi regime appointed Strauss, Germany’s leading musician, as President of the Reichsmusikkammer (Reich Chamber of Musicians). Politically naive, Strauss accepted, but by 1935 he had fallen out of favour and resigned. Family reasons (his son Franz had been married to a Jew since 1924) and the financial necessity of having his works performed in Germany prevented him from breaking with the Nazi regime.»

Publicado por FG Santos às fevereiro 10, 2005 05:22 PM