junho 30, 2005

PORQUE AMO JOSÉ LUIS RODRÍGUEZ ZAPATERO

«No estamos legislando, Señorías, para gentes remotas y extrañas. Estamos ampliando las oportunidades de felicidad para nuestros vecinos, para nuestros compañeros de trabajo, para nuestros amigos y para nuestros familiares, y a la vez estamos construyendo un país más decente, porque una sociedad decente es aquella que no humilla a sus miembros.»

Clique para ouvir. Ficheiro original da Cadena SER, via El País. Obrigado pela dica aar ;) Discurso completo na Tele 5, via OTQC.

Boss

Publicado por renaseveados em 11:46 PM | Comentários (8)

CASAMENTO HOMOSSEXUAL: É A HORA! (ACTUALIZAÇÃO)

A campanha do R'n'V/Random Precision foi lançada há apenas 2 dias, e hoje celebra-se aqui ao lado aquilo que pretendemos para o nosso país. Também no Canadá estamos a poucos dias de ver legalizado em todo o seu território o casamento homossexual, depois deste ter sido legalizado em quase todas as suas províncias e territórios através de processos judiciais em tudo semelhante ao que promovemos. Também foi assim no Massachusetts, e o mesmo está a ser tentado por 15 casais em Israel.

Nestas primeiras 48 horas o balanço só pode ser considerado altamente positivo. Jornalistas, juristas e várias pessoas homossexuais têm-nos contactado em busca de mais informações. Mas o melhor de tudo, e essencial para que o projecto avance, é que já há 2 casais "interessados", embora ainda não comprometidos. Face às várias perguntas e curiosidades que nos têm chegado importa então fazer alguns esclarecimentos públicos:

1) O papel do renas. O renas funciona aqui sobretudo como o relações públicas do projecto para a população homossexual, um meio privilegiado para passar a informação a quem mais interessa, e claro, um veículo para angariar novas colaborações. No entanto a iniciativa e trabalho principal será sempre do dr. Luís Grave Rodrigues, e se assim o preferirem podem contacta-lo directamente. Ele é o cérebro e a cara do projecto.

2) Como colaborar? Neste momento o principal é conseguir ter alguns casais que se disponham a entrar com o processo. Era bom conseguir um número simpático, até para que a carga mediática possa ser partilhada por várias pessoas. Um casal que queira colaborar não está de forma alguma obrigado a dar entrevistas etc, embora seja muito conveniente que pelo menos um a isso se disponha. Naturalmente é impossível garantir sigilo, já que o casamento é por natureza uma coisa pública, e não temos controlo sobre a curiosidade jornalística. Mas estamos convencidos que é possível participar nisto, sem sofrer grande exposição mediática.

3) Quando se chegará ao final do processo? A justiça é lenta, e tal é muito difícil prever. O processo tem também como objectivo empurrar a acção política, ou seja, o facto do processo estar a decorrer faz com que o tema se mantenha em debate e pressione a classe política a tomar posição. Eventualmente, a legalização poderá dar-se antes mesmo do final do processo.

4) Quem paga tudo isto? O trabalho do advogado é voluntário, mas existem ainda as despesas processuais. Dependendo dos valores em causa, poder-se-á eventualmente organizar uma recolha de fundos através dos blogs por exemplo. No entanto estes valores não são preocupantes, e não será isso a impedir o andamento do projecto.

5) Outras formas de colaborar. Se não tens noiv@, ou disponibilidade para participar, contacta todas as pessoas que conheças e que eventualmente estarão interessadas. Repito, não é fundamental dar a cara no jornal das 8h para se poder participar. Pessoas da área do Direito que acham que também podem dar algum contributo, podem contactar directamente o Luís.

Finalmente aproveito para agradecer publicamente desde já a todos os blogs que têm ajudado à divulgação deste projecto: Assumidamente, Co-Myx-Tura, Coroas de Pinho, Farpas & Bitaites, Linha Turva, M & M, O Ano da Orquídea, O Melhor Anjo, O meu País Azul, O Urso e a Cidade, Os Tempos que correm, Pandora's Box, Para lá de Bagdade e Sexo +.

Boss

Publicado por renaseveados em 10:09 PM | Comentários (16)

Rosie's Fam

Aren't they cute?
Ohhhh

Em jeito de comemoração pelas recentes redefinições do conceito de casamento, presenteio-vos com algumas imagens da família de Rosie O'Donnell. Foram retiradas do seu photolog pessoal. Não esquecer que a Rosie tem uma Fundação para as crianças that provides financial support to nonprofit programs serving economically disadvantaged and at-risk children and their families and a travel company focused toward gay and lesbian families. Os seus 4 filhos adoptados são lindos e parecem tão felizes! Adoro esta família!

Drocas

Publicado por renaseveados em 07:13 PM | Comentários (3)

PLENA IGUALDADE

span-798963.JPG
MVA ©

Nem menos, nem mais, derechos iguales! E nem é terceiro, nem quarto, como bem explica o Miguel, Espanha é mesmo o primeiro estado a garantir igualdade legal plena entre os seus cidadãos homo e heterossexuais. Olé!, mil vezes, olé! Parabéns a tod@s, muito especialmente a Zapatero. O político-herói dos nossos tempos.

Boss

Publicado por renaseveados em 02:38 PM | Comentários (23)

SOLTA A RAÍNHA QUE HÁ EM TI

poster_600.jpg

Estreia hoje, aparentemente apenas em Lisboa e no Porto. É pena, já que é uma comédia ligeira perfeita para ser vista em família. Longe de ser uma obra-prima, é um filme imperdível e obrigatório no dia em que a ficção passa a realidade. O Miguel já o tinha visto e comentado. E eu que o pude ver em ante-estreia, repito o que escrevi antes mesmo de o ter visto: «nada como uma comédia ligeira para "desdramatizar" o tema». Uma curiosidade que foi um prazer, rever José Luis García-Pérez, o "Pedro" de Cachorro, ainda mais giro!

Boss

Publicado por renaseveados em 05:24 AM | Comentários (8)

OS ABORTOS, O PRESIDENTE E O CANDIDATO A PRESIDENTE QUE AINDA NÃO O É

Pelos vistos a temática da despenalização da IVG é uma «coisa» tão íntima que o Presidente da República acha que ninguém tem legitimidade para invocar o seu pensamento sobre esta temática.

Já Cavaco Silva, o candidato que afinal ainda não é, desfaz-se em comentários sobre o estado das finanças portuguesas. Disse para as câmaras de televisão que o tema do aborto é realmente uma coisa secundária: o que interessa aos portugueses é a competitividade da nossa economia. A sua candidatura a primeiro-ministro, oops!! à Presidência da República, vai de vento em popa.

Tá visto, o referendo à despenalização da IVG é «coisa» íntima e secundária: para além dos caramelos e da gasolina, também nisto continuará a ser rentável, por muitos anos, dar uma saltada a Badajoz (claro, para quem pode)!

Hetero_doxo

Publicado por renaseveados em 01:10 AM | Comentários (9)

BIG DAY

Hoje é o dia em que o Congresso Espanhol irá aprovar a legalização do matrimónio entre pessoas do mesmo sexo, mesmo com as movimentações da fachalhada toda, agora a requerer, inclusivamente, um referendo sobre o assunto. Onde está JP2 nestas alturas para auxiliar os pobres de espírito!

A primeira derrota para o Foro da Família (com que direito se arroga esta gente a falar em nome de todas as famílias!) foi já ontem, com a aprovação de uma nova lei sobre o divórcio, sem necessidade de separação prévia, já que esta era outra das suas reivindicações.

Hetero_doxo

Publicado por renaseveados em 12:38 AM | Comentários (4)

junho 29, 2005

O Sizzla e o Capleton não hádem cantar mais

The Garance Reggae Festival de Paris, agendado para 2 de Julho, foi finalmente cancelado depois de múltiplas queixas apresentadas por várias organizações, nomeadamente LGBT, contra o carácter explicitamente racista e homofóbico das letras de um dos participantes: Sizzla. Ainda este mês, uma outra exportação racista e homofóbica da Jamaica, Capleton, foi proibido de actuar no Zénith. Nos dois casos, temia-se que o tom claramente provocatório de Sizzla e Capleton catalisasse distúrbios violentos.

As canções destes dois jamaicanos são de uma violência extrema, eu diria mesmo criminosa e impensável nos dias de hoje, incluindo passagens como "burn the men who have sex with men”. Mas não é só em palco que estes senhores dão voz ao seu ódio irracional. Em entrevista também não se inibem de revelar o seu racismo primário, fazendo afirmações como “burn all the white men in Jamaica” (uma fixaçãozinha com o fogo adivinha-se), recusando-se mais tarde a apresentar um pedido de desculpas.

Ironicamente, Sizzla tinha já assinado um acordo com a organização LGBT britânica OutRage, para assim poder actuar no UK. Mas de nada lhe valeu, porque a sua entrada no país foi mesmo assim recusada, após mais uma valente crise de diarreia verbal.

Waltz

Publicado por renaseveados em 05:50 PM | Comentários (1)

Cannabis é que faz falta!

cannabis2.jpg

Acho que é disto que a sociedade precisava. Cannabis na água, para andar tudo sorridente. Abandona o ginásio, larga os teus cultos californianos do self. Embrace the joint!

Pagan

Publicado por renaseveados em 04:41 PM | Comentários (17)

SEM PALAVRAS

Aqui fica um pequeno resumé do novo compêndio que sistematiza a doutrina católica e que foi organizado sob os auspícios do antigo prefeito da Congregação para a Doutrina da Fé (convém sempre lembrar que é a sucessora da Santa Inquisição) e actual papa, o bentinho Ratzinger, para João Paulo II (o papa que está já na auto-estrada da santidade):

"Na realidade, reitera tudo o que diz o Catecismo, nomeadamente que o casamento se realiza apenas entre um homem e uma mulher, condena o aborto e a eutanásia, exige a protecção do embrião, e contempla a desobediência civil quando as leis se opõem à ordem moral. Considera como comportamento imoral "toda a iniciativa como a esterilização ou contracepção, que impedem a procriação", e recorda que os católicos divorciados e que se voltaram a casar não podem receber a comunhão. Dividido em quatro partes, o Compêndio do Catecismo não faz concessões em matéria de castidade, família, eutanásia, fertilização medicamente assistida - consideradas "imorais porque se dissociam do acto de procriação -, adultério, masturbação, pornografia, prostituição, actos homossexuais. A guerra pode ser um meio justo, se moralmente justificado, e na ausência de alternativas pacíficas. Na vida social, é condenada a evasão fiscal, a corrupção e as fraudes".

Tanta pérola junta, deixa-me sem palavras.

P.S. Vá-lha-nos a última frase do resumo! O que fazia mesmo falta, por cá, era um milagrezinho na economia nacional. Não se arranja nada JPII?

Hetero_doxo

Publicado por renaseveados em 02:27 PM | Comentários (2)

Jorge Palma

Ontem, o Jorge Palma looked like he always does: stoned as hell! Nem sei como é que alguém se aguenta nas pernas com uma moca daquelas, much less sing or play. He's sweet, though. Gosto de algumas das músicas e das letras, em geral. Some of the songs had a really hard rock sound sort of like British punk, too noisy and disturbing. Not cool and definitely passé!


Jorge Palma com um ar fuck - knows - I - try - hard - to - look - close - to - presentable - once - in - while - so - they - give - some - cash - for - the - hash - ... - cause - if - it - weren't - for - the - hash - baby - I'd - be - fucking - 6 - feet - under!

O que é isto aqui em baixo? A branding try, perhaps! Ao longo da carreira este jovel tem tirado inúmeras vezes fotos promocionais com as mãos na rosto e no cabelo. Don't try this at home! Como diria a minha irmã, vê-se mesmo que nunca tiveste Microbiologia! Mãos são aquelas partes do corpo que não tocam em nenhuma outra, excepto quando extremamente necessário. Os microorganismos que se associam às mãos passam imediatamente para a cara quando lhe tocamos e causam irritação, manchas vermelhas, comichão e quem sabe infecções graves, borbulhas, envelhecimento precoce e todas essas mazelas desnecessárias. Para além de que, a acção mecânica sobre a pele provoca a produção de gordura e não há nada mais triste que sair à rua com ar de quem tomou banho num lagar de azeite.


Don't do this!!

Aqui sim, parece-se consigo mesmo. A imagem que passa ao público é muito mais daquele tipo de gajo I try to save this rotten world with my silly songs + sing them sometimes + treat myself (my body included) like the worst piece of shit that ever crossed my way. Há algo romântico nestas pessoas. Quando não estão imoladas no êxtase político they can be very kind and polite. A sério, juro!


Jorge Palma looking like himself.

Drocas

Publicado por renaseveados em 12:45 PM | Comentários (7)

É DA MANEIRA QUE SE REDUZ O DÉFICE DA SAÚDE

A propósito da recusa dos testemunhas de jeová em receberem transfusões sanguíneas, o Conselho Nacional de Ética para as Ciências da Vida (CNECV) deliberou o seguinte: «O respeito pela vontade do doente - que deve demonstrar ao médico que tem consciência dos riscos que corre - deve permanecer mesmo quando há risco de vida para o paciente.» Apesar de Ramos Azevedo do CNECV o negar, este é sem dúvida um passo mais a caminho da legalização da eutanásia. O tratamento médico passa a ser claramente um direito, e não um dever do paciente. O direito a morrer é para mim isso mesmo, um direito, que deve ser garantido a tod@s, e por isso aplaudo esta decisão do CNECV.

Já as reacções dos testemunhas de jeová são chocantes, para não dizer bárbaras. A Associação das Famílias de Testemunhas de Jeová (AFTJ) discorda do parecer, por este não conceder o direito aos pais de rejeitarem o tratamento dos filhos menores. Tal como com o direito ao voto, o direito a morrer só deverá ser concedido depois da maioridade, e só o próprio o poderá exercer. Se um pai ou mãe impede que o seu filho menor seja tratado, levando à morte deste, deve ser condenado por homicídio por negligência, premeditada ainda por cima.

Eu admiro a coragem das testemunhas de jeová em negarem o tratamento para si próprios, por causa da sua fé. Acho aliás esta posição muito mais coerente que a dos católicos, que sempre se opõem à investigação científica que visa melhorar a medicina (no passado protestavam contra as autópsias, agora contra o uso de células estaminais), mas na hora da doença esquecem o "todo poderoso" (pois...) e correm para os hospitais. Mas a coerência das testemunhas não pode ser premiada com o direito ao infanticídio. E só essa reclamação retira-lhes toda a legitimidade para falarem contra a IVG, grande lata! E mais preocupado fico em saber que o responsável do gabinete dos assuntos públicos da AFTJ, é ele próprio médico. Não tarda reclama o direito de impôr a sua fé aos pacientes... livra!

Boss

Publicado por renaseveados em 03:51 AM | Comentários (2)

A trupe do costume

Os bispos portugueses querem as escolas com uma educação sexual controlada. Em nota, a Conferência Episcopal defende o direito de os pais intervirem na definição dos programas e na selecção dos professores que leccionem a disciplina, insurgindo-se contra as metodologias pedagógicas "que excitam a imaginação e exploram sensações de forma manipulatória".

E já agora, porque não, pelos srs. Bispos? Reputadissimos especialistas em educação sexual! Não era bom escolherem os professores e os programas?

Pois, pois havia de ser bonito... e já agora o nome da área a ensinar deveria passar a "Castidade e Repressão" em vez de educação sexual. Já agora...

Pagan

Publicado por renaseveados em 03:22 AM | Comentários (5)

CASAMENTO HOMOSSEXUAL EM TODO O CANADÁ!

CEM_WEB_A.gifA 10 de Dezembro último escrevi: «Canadá à beira de tirar o bronze à Espanha», sobre a possibilidade do Canadá legalizar a nível nacional o casamento homossexual antes da nossa vizinha Espanha. E não é que tal acontece exactamente na véspera de Espanha avançar? Pois é, a lei passou mesmo ontem no parlamento canadiano (já dia 29 em Portugal, foi só há alguns minutos), tornando-se assim no 3º país do mundo a legalizar o casamento entre pessoas do mesmo sexo em todo o seu território. Recordo que o casamento homossexual já era legal na maior parte do país, graças a vários processos judiciais semelhantes ao que o renas está a promover juntamente com o Random Precision. A legalização dos casamentos homossexuais deve avançar de novo já amanhã, desta feita em Espanha.

Correcção: Afinal a lei terá ainda que ser aprovada no senado canadiano, pelo que a Espanha deverá concluir o processo legislativo antes do Canadá. Mais informações no Correio da Manhã. Obrigado F.P..

Boss

Publicado por renaseveados em 03:04 AM | Comentários (9)

The Boss Effect

Apresentei uma amiga militante do CDS/PP ao Boss no Arraial. Aqueles dois beijinhos fizeram milagres: fui obrigado/arrastado por ela para a festa do Seixal ver Jorge Palma, calculem! Oh deer... no meio de muito bigodaço farfalhudo, muito cabelito à Futre, muita permanente estragada, desfrisada e seca com franjinha ripada e mini-poupa de laca, lá dei uns beijos e uns abraços saborosos. Quais as reacções? Não sei, I wasn't looking.

Drocas

Publicado por renaseveados em 02:43 AM | Comentários (2)

A MINHA MARCHA

Marcha30.jpg
I'm no lady ©

Finalmente encontro algum tempo para poder descrever a minha primeira participação numa Marcha do Orgulho LGBT. Resumindo, amei participar. Antes desta acção, já há muito que tinha uma opinião vincadamente pró-marcha, mas nada como passar à prática para consolidar opiniões.

Ora tudo começa, as usual, atrasado. Estava algo nervoso às 17h com o cenário ainda vazio do Marquês, e com o rebuliço da imprensa. Mas quando a marcha começa finalmente a rolar, lá pelas 18h, rapidamente entro no espírito. A percepção que se tem da dita quando dela se faz parte é mesmo muito diferente da que nos é dada pelos média. Basta comparar as fotografias da imprensa (artigos reunidos no Igualdade no Casamento) com as foto-reportagens das I'm no lady ou Panteras Rosa. Em nada me incomoda o "destaque trans" preferido pela imprensa, só lamento que não passem também algumas imagens, por exemplo, das crianças que participam na marcha acompanhada pelos pais e/ou mães. Até para que a imagem seja mais realista, e logo rigorosa. Em todo o caso parece-me que a cobertura mediática deste ano terá sido a melhor de sempre, já que a reivindicação principal da marcha, o casamento civil, teve também grande destaque. Destaque até internacional, El Mundo e Le Monde.

Mas voltemos ao meu prazer pessoal de gritar no meio da rua os slogans que diariamente "grito" no blog. Amig@s, blogar não tem 1/1000 da piada. Acção política versus teoria política, resultado óbvio. Libertação, orgulho, alegria, e tudo e tudo e tudo.

Depois disto tornam-se ainda mais absurdas para mim, as críticas dos próprios LGBT's à marcha e ao conceito do Orgulho Gay. Vejam, por exemplo, a caixa de comentários deste post. Desde sempre aliás, que me habituei a ouvir as críticas mais violentas à marcha da boca de gays, e não de heteros. E isso é assunto que dava horas de conversa, mas não me apetece.

Resumindo, os preconceitos contra L's, G's, B's e T's têm todos a mesma raíz, e devem por isso ser combatidos de forma conjunta. Só no dia em que tod@s possamos passear na rua sem esconder o que somos, as marchas deixarão de ser necessárias. Mas também tenho a certeza que quando esse dia chegar, já a marcha será uma tradição completamente aceite e entranhada, e não causará polémica alguma. Tal qual o Carnaval, muito mais "exibicionista" ou whatever, e totalmente aceite porque existe desde sempre... Água mole em pedra dura... Mas nessa altura, se ainda estiver vivo, serei eu a não curtir a marcha. No politics, no fun!

É precisamente por isso que prefiro mil vezes a marcha ao arraial (estou contigo Major Tom). Embora este também tenha uma vertente política, eu perdi-a, pois dar com o Calhau não é exactamente fácil, mesmo para os lisboetas que me guiavam. E assim não pude ouvir os discursos da noite. De resto o Arraial é como a Queima, a grande vantagem para mim é a sua gayness, mas de gozo limitado, dado o meu actual estado marital... coff coff.

Resta-me agradecer a hospitalidade do meu deer Pagan and you know who. E a agradabilíssima companhia de viagem, marcha e arraial, proporcionada pela minha amada señora dot (ah, e cama também hehehe). Para a próxima espero ter mais tempo e energia (sim, que no arraial já dormia de pé quase) para falar com os bloggers (e não só), conhecidos nesse dia. Foi um prazer!

Boss

PS: No arraial alguns bloggers apoiaram a ideia da blogayesfera ter a sua própria barraquinha no próximo ano. E que tal antes uma faixa na marcha? We deserve it!

Publicado por renaseveados em 01:56 AM | Comentários (6)

O SILÊNCIO É DE OURO E DE LÁGRIMAS

Quando escrevi este post recebi dois géneros de acusações: de sensacionalismo (à moda da TVI) e de querer (porque sim) denegrir a classe médica.

Pois bem, ainda ontem, no Jornal da Tarde da RTP1 (suponho que a reportagem repetiu à noite), o Bastonário da Ordem dos Médicos (o Dr. Pedro Nunes), a propósito desta notícia, afirmava que a «ética médica» devia evitar o aborto mesmo quando uma mulher é vítima de violação, ou seja, esta deve concluír a gravidez e dar para adopção o resultado do crime que lhe foi cometido!

Mais, o Dr. Nunes, a propósito da «objecção de consciência» dos médicos em relação à prática do aborto legal, no Serviço Público, adianta que o mesmo problema se colocará nas Clínicas Privadas. De facto, com a legislação em vigor, a única «objecção» advirá do medo! Medo de não cumprir a legislação à risca e, logo, de ver o seu ganha-pão fechado, assegurado que está na clandestinidade através de outros medos (e vergonhas), aqueles que afectam as mulheres que são as principais vítimas de tudo isto!

Não é pois de estranhar que Fernanda Câncio comece por referir, numa reportagem sobre aborto clandestino em Portugal, que a doutrina oficial da Ordem dos Médicos é mais conservadora do que a própria lei vigente! Nesta reportagem, conhecemos uma indústria subterrênea próspera e que não é mais um exclusivo das «abortadeiras caseiras». Há clínicas especializadas na «coisa», cuja única «ética» é a do dinheiro e a da confidencialidade, ou por outra, a do silêncio.

Entretanto, nos hospitais públicos ficamos a saber que existem enormes discrepâncias nos critérios a aplicar em relação pedidos de aborto legal. As mal-formações, por exemplo, são analizadas por Comissões de Certificação de Interrupção da Gravidez. Uma médica lisboeta presente na reunião [entre as referidas Comissões e que teve lugar em 2003] comentou ao DN que "havia comissões que faziam gala em não aceitar quase nada". A interrupção da gravidez devido à ausência de membros do feto, por exemplo, só merecia consentimento de 64% das comissões.. Acresce ainda que muitas instituições não dão quaisquer informações sobre abortos (legais ou ilegais) nela praticados, agravando-se essa mesma ignorância em relação às unidades hospitalares das regiões autónomas. Traduzindo por miúdos, parece ser que as regras variam e muitas situações nem sequer passam por qualquer Comissão, são resolvidas segundo cada profissional: no caso que dei conta aqui ao casal mencionado sairam dois monstros nesta lotaria «ética».

A hipocrisia e conservadorismo (parece que uma e outra palavras andam sempre juntas), criam, de facto, situações de um imenso dramatismo (aquelas que se passam na clandestinidade e nos serviços públicos) e só quem nunca passou por elas ou nem sequer ouviu falar é que acha que é puro sensacionalismo! E o interesse é mesmo que não se fale, o silêncio aqui é de ouro para uns, que ganham uns bons cobres, e de lágrimas para outros, que resolvem a sua situação à custa de muito sofrimento, mas eliminando a vergonha que a legislação em vigor e a própria mentalidade da Ordem dos Médicos fazem tudo para preservar.

Hetero_doxo

Publicado por renaseveados em 01:34 AM | Comentários (0)

Mal se fala em patriarcado...

Mal tinha acabado de escrever o post anterior, eis que passo pelo blog de meu noivo querido e suas trutas partners, vejo o rabo de fora do patriarcado. O bastonário da Ordem dos Médicos diz que eticamente uma violação não é justificação para uma IVG, porque "a criança que vai nascer não tem culpa que o pai seja um criminoso" [sic].. Foi isto que @ Manel o ouviu dizer. Este discurso é revelador do patriarcado que esta sociedade é. Ou seja, a "criança" não tem culpa da mãe ter sido violada, o pai é criminoso e a mulher que se desenrasque. Violada ou não, venha a "vidinha". Sem escolha, sem projecto, sem desejo, sem nada. Importa é que venha e as mulheres que se lixem.

Ora, bem, das instâncias dirigentes da classe médica (não tomar estas instâncias pela classe médica como um todo), relembramo-nos tod@s da vergonha que foi o discurso das quotas para a medicina. E ainda ninguém se esquece da vergonha que é o aborto neste país. Isto vai mais longe. Esta posição contesta a actual legislação do aborto, que o permite em casos de violação. Ainda que o bastonário da ordem dos médicos ache que isso não é ético.

Pagan

P.S.: O "Patriarcado de Lisboa" é que podia emprestar a placa à ordem dos médicos.

Publicado por renaseveados em 01:00 AM | Comentários (0)

Tom Zé: Estudando o pagode- na opereta segregamulher e amor

Agora ando a ouvir,Tom Zé, o mal amado do Tropicalismo, recuperado para a world music pela Luaka Bop, que lançou novo album em Março deste ano. Mais que um álbum, aliás uma opereta, Estudando o pagode- na opereta segregamulher e amor. Baseada nesse material musical, considerado dos pobres e bregas do Brasil: o pagode. A opereta tem 3 actos: Mulheres de apenas, Latifundiários do prazer e Amor ampliado para o Teatro e para o País, o mote é feminista e Tom Zé dedica-se a analisar a condição feminina através da história e as humilhações e indignidades que o patriarcado votou as mulheres.

Musicalmente é o pagode que dá o ritmo, mas as influências em Tom Zé, notórias ao longo de todo o album, fazem pensar na imensa amplitude das culturas musicais brasileiras e no melting pot admirável que é esse país. Se procuram serenar e sossegar aos ritmos da tropicália, não é adequado, porque inquieta temática e musicalmente muito mais do que os agora tíbios Gilberto Gil e Caetano Veloso. Tom Zé, ao contrário, é política total, compara a posição da mulher à escravatura (O macho pela vida/Se valida/A molestar a mulher/Se diverte(...) Vendo ele transar uma boneca de pau,/Com seu incubado,/Calado, colado, pirado pavor/Do segredo sagrado//Por isto existe no mundo/Um escravo chamado/Mulher), face aos Estados (nomeadamente os que não lhe permitem o seu direito à auto-determinação), aos Deuses múltiplos e aos homens que as vilipendiaram colectivamente. Passando por uma série de referências clássicas que vão desde a Nora (da Casa das Bonecas de Ibsen), à Medeia a matar os filhos, por raiva e amor de Jasão e à Ofélia, chorando o seu primeiro amor. Da Canção de Nora, que me deixou completamente absorvido, deixo aqui a letra para deleite poético-político. Recomendadíssimo!

Pagan

7. CANÇÃO DE NORA (CASA DE BONECAS)
Tom Zé

Homem do Gênesis:
Sobre o abismo pairava Deus:
O homem era um dos aliados
Seus.
Era de se ver,
Era de se ver.

Mas Nora ignora os poderes
Reais,
O chicote, a espada e suas leis
Morais.
Era de se ver,
Era de se ver.

E quando decide escrever
O seu próprio roteiro,
Quebrar as correntes
Do secular cativeiro,

Então ela pede
Às forças do sangue
Valia
E logo a sala se torna,
Da sua pessoa,
Vazia.

Coro de Ibsen:

Na hora em que Nora
Sai, bate a porta
Abre-se um vão
O céu quase aborta
A lei que era morta
Cai no porão.

Publicado por renaseveados em 12:19 AM | Comentários (0)

junho 28, 2005

CASAMENTO HOMOSSEXUAL: É A HORA!

E que melhor maneira de celebrar o 28 de Junho que iniciar uma nova revolução? Há alguns dias atrás fomos contactados pelo Luís Grave Rodrigues, advogado e autor do famoso Random Precision, que nos lançou um desafio irrecusável. Colaborar na organização de uma acção judicial (e também mediática) que visa a legalização do casamento entre pessoas do mesmo sexo em Portugal.

O tema do casamento homossexual já foi tratado no blog do Luís, recordemos o essencial das suas palavras:


O artigo 1.577º do Código Civil Português define o casamento da seguinte forma:


ARTIGO 1577º

(Noção de casamento)

Casamento é o contrato celebrado entre duas pessoas de sexo diferente que pretendem constituir família mediante uma plena comunhão de vida, nos termos das disposições deste Código.


Ou seja, o casamento não é mais do que um simples contrato, de natureza meramente civil, cuja celebração é posta à disposição das pessoas que tencionem constituir família mediante uma plena comunhão de vida.

Como é óbvio, este contrato tem, para as pessoas que o celebram, determinadas consequências quer de ordem patrimonial quer de ordem pessoal. Mas sempre consequências de natureza exclusivamente civil.

Assim sendo, a pergunta que parece óbvia é esta: Se o casamento é um contrato de natureza exclusivamente civil e de consequências exclusivamente civis, porque motivo a lei civil restringe a sua celebração a pessoas de sexo diferente?

É que o artigo 13º da Constituição da República Portuguesa estabelece de forma perfeitamente clara o princípio da igualdade entre todos os cidadãos e a absoluta interdição de qualquer forma de distinção em resultado da sua orientação sexual.


Artigo 13.º
(Princípio da igualdade)

1. Todos os cidadãos têm a mesma dignidade social e são iguais perante a lei.

2. Ninguém pode ser privilegiado, beneficiado, prejudicado, privado de qualquer direito ou isento de qualquer dever em razão de ascendência, sexo, raça, língua, território de origem, religião, convicções políticas ou ideológicas, instrução, situação económica, condição social ou orientação sexual.


Então, a conclusão só pode ser uma:

A expressão «de sexo diferente» contida no corpo do artigo 1.577º do Código Civil é, absoluta e inequivocamente INCONSTITUCIONAL!

Deste modo, o projecto entre o Random Precision e o Renas e Veados consiste precisamente no acompanhamento – jurídico e pessoal – de alguns casais homossexuais que conjuntamente se irão apresentar perante um Conservador do Registo Civil, solicitando a abertura de um processo de casamento.

Se tal processo foi indeferido pelo Conservador, com a justificação de que o artigo 1.577º do Código Civil não permite a celebração de um contrato de casamento entre duas pessoas do mesmo sexo, de imediato será interposto recurso da sua decisão.

Primeiro para o Tribunal da Relação e, se for caso disso, daqui para o Supremo Tribunal de Justiça e depois para o Tribunal Constitucional.

A inconstitucionalidade da norma do Código Civil é tão óbvia, que a decisão jurisdicional que vier a decidir sobre o caso só poderá ser uma!

É chegada a hora de alcançar a plena cidadania e igualdade, se já tens noiv@ e só não casas porque tem o mesmo sexo que tu, contacta-nos já e faz com que a tua estória de amor entre para a História deste país!

Renas e Veados

Publicado por renaseveados em 11:59 PM | Comentários (22)

Um banco com eles no sítio

The Co-operative Bank de Manchester deu um prazo de 30 dias à organização Christian Voice para fechar as suas contas. Na base desta decisão, que eu pessoalmente aplaudo de pé, estão as conhecidas posições extremamente homofóbicas deste movimento evangélico. Entre outras barbaridades, a organização Christian Voice arrota:

“Polícias homossexuais são intrinsecamente corruptos, não tendo credibilidade moral para efectuar qualquer investigação” (via BBC Radio 4).

The Co-op Bank orgulha-se dos seus valores morais de defesa da diversidade e da dignidade do seu pessoal, clientes e accionistas, lutando sempre contra qualquer tipo de discriminação.

The Christian Voice argumenta que são eles os pobres perseguidos, as vítimas inocentes de uma discriminação religiosa. Esquecem-se porém de que foram eles quem promoveu a marginalização com base na diferença in the first place.

Já antes the Christian Voice tinha vergonhosamente pressionado Maggie’s Centres, uma instituição de caridade dedicada à luta contra o câncro, a devolver um donativo da produção do musical Jerry Springer – The Opera. Neste espectáculo, classificado de blasfemo e imoral, jesus e deus aparecem como convidados do reality show. Blasfemia é negar um acto genuíno de compaixão, caridade e ajuda a doentes com câncro, através de argumentos tortuosos do tempo da Inquisição.

Por isso toca lá a pegar no dinheirinho sujo e a metê-lo debaixo do colchão, se faz favor.

Waltz

Publicado por renaseveados em 04:15 PM | Comentários (2)

ODISSEIA PRIDE

Hoje o canal Odisseia apresenta dois interessantes documentários a propósito do 28 de Junho, dia do Orgulho Gay. Assuntos de Família às 20h, com repetições amanhã às 4h e 13h, é um documentário israelita sobre as realidades familiares não heterossexuais. E Viver Perigosamente, que passa às 21h, com repetição amanhã às 5h e 12h, retrata a vida de pessoas cuja sobrevivência está sempre em risco, em virtude da sua homossexualidade. A não perder, para quem tenha cabo claro...

Boss

Publicado por renaseveados em 01:41 PM | Comentários (4)

O Palácio de Belém cheira a mofo

O site da Presidência da República ainda não actualizou na sua página sobre a Constituição da República a célebre alteração ao Art.º 13º que adicionou ao 'Princípio da igualdade' nele definido a orientação sexual como razão de não discriminação. Para além de ser uma vergonha que uma página oficial do mais alto órgão de soberania tenha publicada uma versão desactualizada do texto legal constituinte que define os seus poderes, esta negligência pode muito bem ser obra de poderes fáticos que se instalam muitas vezes na sede dos poderes institucionais...
Esperemos que a correcção seja breve.

veado_

Publicado por renaseveados em 06:38 AM | Comentários (5)

FACHO FIJI

A igreja metodista da ilhas Fiji decidiu fazer uma curiosa manifestação contra os casamentos homossexuais, que juntou cerca de 200 pessoas nas ruas de Nausori. A manifestação é curiosa dado que o casamento homossexual não é facilmente imaginável no arquipélago onde ainda há pouco tempo um um turista australiano foi condenado a 2 anos de prisão por ter tido sexo consentido com outro adulto do mesmo sexo.

É aliás aqui que tudo começa, com todas as pressões internacionais para que as Fiji mudem a sua lei criminalizadora da homossexualidade, a igreja sentiu-se obrigada a agir. Cobardemente não assumiu a sua verdadeira posição, favorável à perseguição e punição dos homossexuais, optando por fazer uma manif contra os casamentos - completamente descontextualizada ali.

Mas não se pense que o caso é assim tão diferente da manif de Madrid. Nesta estavam as mesmas pessoas que se manifestaram em 1981 contra o divórcio, e que nunca na vida moveram uma palha contra as leis criminalizadoras da homossexualidade. Leis que ainda existem em vários países ditos católicos, nomeadamente nos PALOP. Enfim, só com uma boa dose de ingenuidade e ignorância (ou puro reaccionarismo) se pode alinhar na ideia de que a manif de Madrid não era, tal como nas Fiji, de fachos.

Boss

Publicado por renaseveados em 04:47 AM | Comentários (0)

GALIZA PRIDE

freegaliza.png
aduaneiros sem fronteiras ©

Estou cheio de orgulho de s tod@s!

Boss

Publicado por renaseveados em 01:47 AM | Comentários (6)

BOTARAM-NO!

obey_fraga.png
aduaneiros sem fronteiras ©

Agora sim o franquismo está morto. Depois das primeiras andorinhas terem aparecido a semana passada, começa definitivamente a Primavera galega. Nasceu um país novo!

Boss

Publicado por renaseveados em 01:44 AM | Comentários (0)

Algo a desejar, nada a arrepender

Não querendo contrariar o optimismo que penso que se gerou com os eventos 'Pride' de Sábado, acho que continua a faltar à Marcha massa humana. A participação até pode ter sido maior que em anos anteriores mas na contabilidade inútil do confronto entre números da policia e dos organizadores, não se percebe que o que importa não é chegar-se a um número redondo mas a impressão que fica do que se vê ou deixa ver. A cobertura mediática foi discreta dando no entanto espaço para que a agenda reivindicativa fosse conhecida e um passo significativo que nestas lutas foi dado - a de que estas manifestações não são um evento que interesse só a LGBTs mas também a Heteros - fosse evidenciado. Mas fiquei com a ideia de uma participação ainda reduzida, aquém das expectativas que transpareciam pelo menos na blogayesfera, criadas talvez com o élan que a visibilidade crescente que estas questões têm ganho na sociedade portuguesa (de que a própria blogayesfera é um exemplo) parecia anunciar. Ao mesmo tempo, a Marcha foi um espelho do peso que ainda tem a homofobia reinante e um bom indício de que o movimento LGBT em Portugal está mais empenhado numa estratégia politicamente mais definida e eficaz.

O Arraial foi decerto mais participado, o que no contexto actual deixa um irreprimível sabor a vitória. Apesar dos esforços da Câmara em ostracizar o evento remetendo-o para um local fora de portas, isso não demoveu as pessoas de participar fazendo do Arraial um sucesso, ou seja uma festa, com um ambiente muito agradável entre uma feira e uma rave, tendo-se sabido aproveitar bem as virtudes do local.

Apesar de alguma decepção como referi, fiquei com o desejo de para o ano voltar e participar mais na Marcha.

veado_

Publicado por renaseveados em 01:40 AM | Comentários (9)

junho 27, 2005

Malta que não se manca

Pró-vida, amigo, os Monty Phyton já te deram a resposta há tanto tempo, mas ainda não te mancaste?

There are Jews in the world, there are Buddists,
There are Hindus and Mormons and then
There are those that follow Mohammad, but
I've never been one of them.

I'm a Roman Catholic,
And have been since before I was born,
And the one thing they say about Catholics is
They'll take you as soon as you're warm.

You don't have to be a six footer,
You don't have to have a great brain,
You don't have to have any clothes on,
You're a Catholic the moment Dad came, because

Every sperm is sacred,
Every sperm is great,
If a sperm is wasted,
God gets quite irate.

Monty Phyton: The meaning of life. Sic Radical. Hoje. Mas deve repetir.

mp.jpg

Por isso, meninos e meninas, não desperdicem o vosso esperma e acorram a ver os Monty.

Pagan

Every sperm is sacred,
Every sperm is great,
If a sperm is wasted,
God gets quite irate.

Let the heathen spill theirs,
On the dusty ground,
God shall make them pay for
Each sperm that can't be found.

Every sperm is wanted,
Every sperm is good,
Every sperm is needed,
In your neighborhood.

Hindu, Taoist, Morman,
Spill theirs just anywhere,
But God loves those who treat their
Semen with more care.

Every sperm is sacred,
Every sperm is great,
If a sperm is wasted,
God gets quite irate.

Every sperm is sacred,
Every sperm is good,
Every sperm is needed,
In your neighborhood.

Every sperm is useful,
Every sperm is fine,
God needs everybody's,
Mine, and mine, and mine.

Let the pagans spill theirs,
O'er mountain, hill and plain.
God shall strike them down for
Each sperm that's spilt in vain.

Every sperm is sacred,
Every sperm is good,
Every sperm is needed,
In your neighborhood.

Every sperm is sacred,
Every sperm is great,
If a sperm is wasted,
God gets quite irate.

Publicado por renaseveados em 11:43 PM | Comentários (2)

Termómetro da homofobia

kiss.h35.jpg
Na imagem Axel e Eigil Axgil

Até que ponto é que não vivemos tod@s em Viseu's? Até que ponto é que a homofobia não é generalizada a todo um país, mesmo a uma capital que se quer cosmopolita? Para tirar os nabos da púcara, as Panteras Rosas, promovem uma acção destinada a averiguar, até que ponto casais de pessoas do mesmo sexo podem manifestar o seu carinho publicamente. O encontro é pelas 12.30h no Rossio em Lisboa, e está tudo convidado. Mais detalhes, aqui.

Pagan

Publicado por renaseveados em 07:44 PM | Comentários (13)

UM PAÍS MELHOR

zapatero_zero.jpg

A Revista espanhola Zero (de temática LGBT) dedica as páginas centrais do seu número de julho ao matrimónio homossexual e José Luis Rodríguez Zapatero (Presidente do Governo Espanhol), para além de aparecer na capa, assina um artigo com o título feliz de «Un país Mejor».

A propósito da lei sobre o matrimónio entre homossexuais, que será aprovada no Congresso Espanhol (o Parlamento) no próximo dia 30 de Junho, Zapatero escreve algumas preciosidades:
-"Esta ley nos hace mejores como país porque dignifica a quienes no han sido justamente tratados durante muchos años. No sólo no va contra nadie, sino que va a beneficiar a toda la sociedad porque suma sin restar".
-"A partir de ahora existirá un antes y un después, una fecha que pasará a la historia como el día en el que lesbianas y gays se vieron reconocidos y alcanzaron la igualdad formal".

Estas duas declarações são muito importantes, para mais, vindas de um dos representantes máximos de um país.

A primeira porque arrasa por completo qualquer género de contra-informação sobre a criação de um direito especial concedido a uma população especial: o direito ao matrimónio deve ser aberto a todos (independentemente da sua sexualidade) e isso não é tirar (restar, em catelhano) esse mesmo direito a quem já o tinha, mas ampliá-lo ao todo da população. É que "a democracia ou é para todos e todas ou não é democracia" (Obrigado Manuel).

A segunda, porque marca o início da construção de uma nova sociedade. Pode parecer pedante esta afirmação, mas o que está em causa é, de tal modo, uma questão cultural (e económica) de base, que essa afirmação tem todo o sentido, para mais numa sociedade, como a espanhola, habituada a manifestar-se constantemente.

É que o matrimónio homossexual (e a adopção de crianças), não é um fim em si mesmo e muito menos o fim da luta da comunidade LGBT: ela é um meio privilegiado para o debate. Aliás, a legalização do casamento homossexual sem discussão não teria metade dos benefícios. Por exemplo, a manifestação, como a que se assistiu no passado dia 18 em Madrid, teve o condão de mostrar, de forma ainda mais clara, a hipocrisia dos sectores conservadores da sociedade espanhola.

De modo que o matrimónio homossexual não é, per se, a «santa mézinha» para o fim da homofobia. Em Portugal, a legalização das Uniões de Facto entre homossexuais, teve tão pouca repercussão que posso garantir que a homofobia regrediu mesmo muito pouco à sua custa (deu direitos a quem não os tinha mas os medo lá ficaram). Aliás a ICAR e a direita portuguesas sabem que é através da linguagem quotidiana e do senso-comum (como mostrou o Pagan aqui em baixo) que se mantém/modifica a mentalidade «tuga» (ao contrário do caso espanhol, que se metamorfoseia nas ruas).

Mas voltando ao caso espanhol e para finalizar: a partir do dia 30 deste mês, a Espanha reforçará a sua democracia, diminuirá a homofobia e o machismo e reforçará, também, o papel das mulheres na sociedade espanhola (a ICAR espanhola também já produziu mais contra-informação, afirmando que o «fim do mundo» se inicia com o facto de, legalmente, deixar de haver «marido e mulher» para haver «cônjuges». É, de facto, um novo mundo, Icarísticos senhores, um mundo em que não haverá subalternização das mulheres em relação aos maridos). Não quero traçar uma imagem cor-de-rosa de Espanha, nem a idealização deste país como o paraíso na terra (que está ainda longe de o ser), mas ali travar-se-ão, de certeza, alguns dos confrontos mais importantes deste início de século e milénio.

Hetero_doxo

Publicado por renaseveados em 05:15 PM | Comentários (7)

Atenção, atenção...

... que a ICAR quer travar o combate pela hegemonia da linguagem. A Red Feminista denuncia as tentativas torpes da ICARada de hegemonizarem a linguagem para influirem os debates internacionais, no seio da ONU e de outras organizações. Criaram um "Lexicon" para "traduzir" os termos usados pelas organizações menos conformes às ICARADAS e denunciar que "se pretende manipular a la opinión pública, ocultando aspectos desagradables o chocantes de la realidad o de la verdad". Y agregó que lo que se busca es "camuflar políticas antivida".

Alguns exemplos:

  Sexo seguro: El sexo seguro del que hablan los medios de comunicación se basa, en realidad, en el encubrimiento deliberado de verdades científicas reconocidas. En la mejor de las hipótesis, la fiabilidad del preservativo es tan reducida que el riesgo de fallo se calcula en torno al 10%. (...) Incitando al consumo heterosexual y homosexual, el preservativo, con su elevado índice de fallo, aumenta en realidad, la probabilidad de contagio.

Homosexualidad: Corresponde a una tendencia sexual que se inicia durante el desarrollo afectivo de la persona y se organiza sobre la base de un conflicto psíquico no resuelto. La homosexualidad es un fenómeno que interesaría al tres o cuatro por ciento de la población. Pero la reivindicación homosexual se amplió a partir de los años 60.

Género: Normalmente, cuando se habla de género, se hace referencia bien al masculino, bien al femenino.En la actualidad (...) se habla de una noción de género de la que se evita dar una definición clara. Según esta acepción, el término "sexo" se refiere a determinaciones naturales (como, según sus impulsores, la homosexualidad).

Derechos sexuales. «Son definidos en términos de poder y recursos: el poder de tomar decisiones informadas sobre la propia fertilidad, la procreación y cuidado de los niños, la salud ginecológica y la actividad sexual, así como los recursos para poder llevar a cabo esas decisiones de modo seguro y efectivo . Dos claves conceptuales acompañan estos derechos: su vinculación a la elección, entendida como esencia de la libertad, lo que ya apunta al contexto ideológico liberal-radical, y su vinculación con la salud y el bienestar de la mujer, lo que los vincula con la lógica feminista» (José Antonio Peris).

«Matrimonio» de homosexuales. «Si se reconoce en los homosexuales el derecho de unirse en matrimonio, es porque el legislador no ha examinado con el necesario cuidado ni la identidad, ni la naturaleza, ni las circunstancias de esas personas, como tampoco del matrimonio con el que aquella unión se equipara» (Aquilino Polaino-Lorente). O autor deste último excerto é o mesmo que acha que gays são filhos de alcoólicos.

A tentativa é incluir os próprios preconceitos na linguagem, tentando usar um discurso pseudo científico (e em vários casos, mentiroso e não apenas meramente ideológico sacristão), que os torne promotores de um modelo de verdade e não apenas, de um discurso confessional. O jogo é pois fingir que isto é informação neutra e objectiva. Mas, é claro que sabemos que tudo isto assenta na imposição de um modelo do mundo às/aos outr@s, e que vem lutar para que se percam direitos, já adquiridos, em muitos países . Esta tentativa ainda trôpega, de elefante a entrar em loja de porcelana, revela contudo o esforço e a atenção que a Igreja quer dar à linguagem, criando um léxico próprio que nos force a tomá-los como referente normativo, quando falamos sobre este tipo de debates. Claro que ninguém minimamente sério vai olhar para isto, sem se rir da tentativa trôpega e torpe. Mas lembrem-se do que eles conseguiram fazer com o conceito de vida: inquinaram-lhe de tal modo o significado, que vida se tornou mais sinónimo de feto ou embrião, do que de vida de mulher. Por isso, é bom estarmos atent@s.

Pagan

Publicado por renaseveados em 01:57 PM | Comentários (5)

Juntos na mesma luta: aqui e acolá

Num país onde 45% da população se diz chocada por manifestações ou desfiles homossexuais, la marche des fiertés reuniu mais de meio milhão (!!!) de pessoas nas ruas de Paris: 700 000 manifestantes marcharam desde Montparnasse até à Praça da Bastilha. Na marcha participaram activamente Bertrand Delanoë (presidente da Câmara de Paris), organizações sindicais, deputados e dirigentes partidários, nomeadamente do partido socialista e dos verdes. (Para quando uma participação igualmente activa da classe política portuguesa nas causas LGBT?)

Em Lisboa poderemos ter sido menos (“the royal we”), mas as reivindicações foram as mesmas: o direito ao casamento na sua plenitude, e à homoparentalidade. Exigências partilhadas universalmente por LGBT, aos quais junto também os H (como fez o hetero_doxo ali em baixo), que por esse mundo fora lutam contra a homofobia. Esta sintonia que nos une em torno de um direito que nos é devido dá-nos ainda mais força. Juntos afirmamos que uma união de facto, um PACS, uma lei contra a homofobia não chegam. Juntos não cedemos a diferenciações inconstitucionais entre uniões classe gold e classe silver (para isso já nos chegam os cartões de crédito), a distinções entre cidadãos de primeira e de segunda. Hoje, assim como sempre, somos todos iguais, e por isso juntos exigimos todos os mesmos direitos.

Waltz

Publicado por renaseveados em 03:23 AM | Comentários (4)

junho 26, 2005

Democracia nas ruas

pride_flag.gif

Regressando às lides dos blogs, há que comentar o sucesso das iniciativas que marcam a reivindicação da igualdade de direitos para LGBT's. Se por um lado, a marcha foi um momento político, com cobertura na imprensa, com uma comunidade reivindicativa e unida sob uma série de bandeiras e causas, por outro, o Arraial foi uma celebração da diversidade, da festa e da alegria em estarmos juntos. Verdadeiramente uma festa cosmopolita. Sem armários.

Da marcha, ficam os hinos, as palavras de ordem, as bandeiras. E claro, mais uma vez, momento de reencontro de pessoas de quem se gosta. O meu noivo, lá estava, lindo como sempre. E interventivo como sempre, também! Lá andámos de bandeira em punho, efusivos, e a ver se víamos uma caipirinha solitária, a pedir-nos companhia na Avenida da Liberdade. Debalde! Esta marcha tem algo de curioso, visto que quem a vê, não se apercebe que há imensa gente nas laterais da avenida, para assim evitar o risco de exposição pública. O que já nos diz algumas coisas sobre a homofobia reinante e comprova a necessidade de uma luta colectiva contra o heterossexismo e a homofobia. E que não deveria partir apenas dos colectivos LGBT, mas da sociedade em geral e dos poderes públicos em particular. Quando teremos, a marchar connosco, o presidente da República, deputados e deputadas, ministros e ministras, os poderes locais? E os partidos políticos com representação parlamentar (exceptuando honrosamente o BE, os Verdes, a JS, que me constou estarem lá, eu não vi, mas constou-me...)? A falha neste contexto deve ser atribuída à falta de consciência geral, face às problemáticas da desigualdade. A falta de atenção dada por parte dos poderes públicos a estas questões, mostram a ponta do iceberg: é que o discurso sobre a igualdade permanece no plano abstracto, mas não interfere no plano das práticas. E esta falta de reconhecimento público de uma causa que deveria ser de todas e todos, permite a permanência de práticas homofóbicas que se sentem legitimadas, pela falta de interesse votada a esta questão. Por isso, acordem e comecem a pôr a democracia em prática. Como disse lapidarmente o meu Manel da Truta: "A democracia ou é para todos e todas ou não é democracia".

Quanto à marcha, pulando os detalhes mais íntimos e interpessoais, porque lá também se encontram amigos e pessoas de quem gostamos, e a essas não se mencionam, porque são nossas, a noite estava bem divertida e bem regada. Fotos comprometedoras andam em circuito interno. Andaram por lá umas Renas, vindas umas de longe, outras de perto, mas é sempre bom estarmos junt@s. Quanto ao Arraial, um comentário: detesto aquela localização. É longe de tudo, é num ermo no meio do mato e se quisessemos experiências zoo-botânicas iamos para o Jardim Zoológico ou para a Estufa Fria. Mais uma vez os poderes camarários enviam a malta para o meio do mato. E que tal assim uma daquelas docas onde se dão concertos e festas, em vez daquele ermo medonho? Ouvi também umas bocas de gangs, mas não sei. Pode ser efeito de sugestão... É importante a integração do Arraial nas festas da cidade, porque se trata de uma festa aberta a todos e todas, não de um clube privé onde se mostre o cartão do sindicato. Mas, não nos mandem para o meio do mato. E senhoras e senhores representantes dos poderes públicos, apareçam que a malta não morde!

Pagan

P.S.: Os meus parabéns e agradecimentos a todas as pessoas e colectivos que tornaram o dia de ontem possível!

P.P.S.: E claro, não poderia deixar de agradecer a presença e companhia da nossa conviva galega, señora Dot. Absolutely fabulous.

Publicado por renaseveados em 10:51 PM | Comentários (9)

Is that a Gun in your Pants?

Image hosted by Photobucket.com

Primeiro foi o Wonderbra, que entrou em cena em 1994 a prometer um decote extasiante e "cleavage from here to Mexico". Que, diga-se de passagem, foi o responsável pelo facto de os gajos da minha idade serem "boobs-man" (não confundir com man-boobs). O pior é que os modelitos eram/são feios como tudo, assim uma mistura Dallas + Novela Mexicana + Striptease. Depois foram os body's modeladores, que prometiam o efeito de uns bons quilos a menos e as cuecas push-up para realçar/levantar os rabos menos afortunados. O centro das atenções passou a ser o rabo (JLO anyone?). A seguir, os collants mágicos hidratantes reafirmantes com aloe vera.
Mas agora! Behold! Agora a parte do corpo a evidenciar é outra. E, grassadeuj, é masculina. Estas cuecas têm um efeito lift-and-separate que levanta/ projecta/ evidencia o material do utilizador o que (segundo os fabricantes) tem efeitos óbvios na moral. Não existem ainda estudos sobre o efeito na taxa de sucesso dos engates. Modelitos desde os $15 até $79. (Quem é que dá 15 contos por umas cuecas? Está tudo maluco? Em caso de manifesta ausência, uma meia nos boxers sai sempre mais em conta.)

miss detective

PS: Prometo um post decente sobre o Arraial para mais logo.

Publicado por renaseveados em 09:45 PM | Comentários (2)

Stars

Foi uma noite cheia de estrelas, esta noite de Arraial. Milhares e milhares de pessoas no Parque do Calhau em Lisboa para o maior festarol do ano. Muitos amigos, muito som, muita vida, muitos gajos bons e uma mata à mão. Foi prometido entre bloggers [1, 2, 3, 4] - haverá barraquinha de Blogues no Arraial Pride 2006! Também queremos facturar!!

Year Long Stars

As associações, naturalmente! Uma estrela especial para a Associação ILGA Portugal a quem pertence a iniciativa Arraial Pride e que organizou esta noitxi márávilhósá!

Marketing Stars

As meninas dos cartazes e do vídeo promocional marcaram presença, desta vez com alguma roupa.

Late Night Star


Finding someone that cares for you, and I
I dress my songs because I care for you, cause I
I'll take my time driving you slow

Luna, fantástica como sempre, mas com uma presença muito muito tardia. Foi a sensação da noite, sem dúvida! A única que fez correr ao palco a multidão que restava para muitos aplausos e muitas fotos! Podemos vê-la a horas decentes no SS Bar e no Margem Sul Bar.

Drocas

Publicado por renaseveados em 04:16 PM | Comentários (12)

Frases Soltas

Qualquer dia uma pessoa quer um homem e não tem! - Dona de casa quarentona/cinquentona que passava ao lado da Marcha.

Vê lá se largas um bocadinho o osso que eu também sou cão. - Arrumador de carros, camisa aberta e pança de fora, dirigindo-se a um casal de rapazes abraçados, no Arraial.

Isto parece a margem sul, kórrore! - Jovem de vinte e poucos anos à entrada do parque do Calhau.

Zun

Publicado por renaseveados em 03:10 PM | Comentários (2)

OBRIGADO

Fui das poucas renas que não pôde estar presente na Marcha de hoje (esqueçam, portanto, o boato de que o Hetero_doxo andava por lá, privat joke, LOL) Fiquei no Portugal «desquecido e ostracizado» a roer as unhas por aqueles que foram lutar pela igualdade de direitos (dos meus também).

Enquanto alguém com idoneidade para fazer o relato da Marcha e do Arraial não o faz (alguém que amanhã estará ainda demasiado cansado para dar ao dedo), falo daquilo que percepcionei do lado de cá.

Vi apenas a cobertura do evento na RTP1. Para além dos depoimentos habituais dos transformistas (que continuam a ser um alvo preferencial dos jornalistas e das câmaras), viu-se também a declaração oficial da Marcha (que se centrava este ano, como sabem, na questão do matrimónio), o desfile propriamente dito (com declarações, para mim, emocionantes dos Madrinhos (ou Padrinhas) Rui Zink e Inês Pedrosa), pequenas entrevistas a participantes (uns mascarados outros não), uma reportagem em directo do recinto do Arraial e uma entrevista a um dos promotores do evento.

Cá de fora não deu, pois, para cansar (grrrrrr...., nunca pensei invejar pés doridos) e muito menos para ter a percepção de quem lá estava (obrigado Fernanda Câncio!).

Para quem não entende o porquê do nome da Marcha (do Orgulho LGBT e H, o H junto-lhe eu), o sentido do mesmo está nas centenas de pessoas que esta tarde deram, mais uma vez, um pontapé no medo e na homofobia. Não foram os 300 000 de Berlim (que hoje também celebrou a sua marcha), é certo, nem contaram com políticos, nem muitos conhecidos a encabeçá-la (já me esquecia do Alexandre Frota, que também lá esteve), mas isso só redobra o sentido com que a palavra «Orgulho» é utilizada neste caso (nada tem a ver com supremacias, tem a ver com igualdades!!!)

Só tenho mais uma coisa a dizer: obrigado a todos!

Hetero_doxo

Publicado por renaseveados em 12:22 AM | Comentários (4)

junho 25, 2005

ORGULHO GAY: TAMBÉM É PARA HETEROS

marcha_2005.png

As marchas do orgulho gay que invadem as ruas de muitas cidades de todo o mundo durante o mês de Junho têm três objectivos principais: visibilidade, reivindicação e celebração.

A marcha, ou seja, a caminhada em grupo, pelo meio da rua, à luz do dia, mostra aquilo que é continuamente atirado para "debaixo do tapete". Que há mais formas de amor que as que nos ensinam na catequese, que existe desejo sexual para além do exibido nas novelas mexicanas, e que as noções de género não são tão straight, as "they" told us. Visibilidade, por um dia as pessoas que vão na rua não são todas supostamente hetero. We're here, we're queer: get used to it!

Mas o lado político da marcha é mais nítido nas reivindicações da mesma. E este ano para a marcha de Lisboa a reivindicação é clara: casamento para tod@s já! E a mensagem passou para os média. O nosso primeiro-ministro já não poderá dizer, como disse antes de ser eleito, que "ninguém na nossa sociedade reclama isso de uma forma significativa" (sic), a marcha de amanhã é também uma manifestação pelo casamento homossexual.

Finalmente a marcha deve ser também uma festa. Celebração, da diversidade sexual, da diversidade do amor, por um mundo mais cor-de-rosa. Não há espaço para caras carrancudas na marcha, o bom humor impera!

Na última marcha gay de São Paulo, juntaram-se nas ruas da metrópole brasileira cerca de 2 milhões de pessoas. Segundo um inquérito realizado na Avenida Paulista, quase 50% das mesmas eram heterossexuais. O nome de todas estas marchas world wide sempre foi muito contestado. O gay pride é muitas vezes encarado como o "orgulho em se ser gay", um simplismo que de tão redutor se torna falso.

O orgulho gay não é só para LGBT's, e nem o é para tod@s @s LGBT's. O orgulho gay é o que sente qualquer pessoa que faça algo para combater a homofobia ainda dominante. Se um heterossexual sai de casa num sábado à tarde para participar numa manifestação em defesa dos direitos civis, tem mais é que orgulhar-se disso. Sempre que alguém quebra a apatia, a preguiça, o conformismo ou o medo, para contribuir, por pouco que seja, para a construção de uma sociedade mais justa e igualitária, o sentimento só pode ser positivo. É isso o orgulho, é isso este orgulho. Tanto maior quanto menor é o ganho pessoal, e maior a dávida ou esforço.

É por isso que agora repito e reforço o convite, que também é um desafio, para que todos os leitores e leitoras heterossexuais deste blog, compareçam hoje pelas 17 horas, na Marcha do Orgulho LGBT de Lisboa. O orgulho será de tod@s.

Boss

PS: Ah, e para quem ainda não sabe @s madrinh@s da marcha são a Inês Pedrosa e o Rui Zink.

Publicado por renaseveados em 12:37 PM | Comentários (16)

Elogio da Dialéctica

A injustiça avança hoje a passo firme
Os tiranos fazem planos para dez mil anos
O poder apregoa: as coisas continuarão a ser como são
Nenhuma voz além da dos que mandam
E em todos os mercados proclama a exploração;
isto é apenas o meu começo

Mas entre os oprimidos muitos há que agora dizem
Aquilo que nós queremos nunca mais o alcançaremos

Quem ainda está vivo não diga: nunca
O que é seguro não é seguro
As coisas não continuarão a ser como são
Depois de falarem os dominantes
Falarão os dominados
Quem pois ousa dizer: nunca
De quem depende que a opressão prossiga? De nós
De quem depende que ela acabe? Também de nós
O que é esmagado que se levante!
O que está perdido, lute!
O que sabe ao que se chegou, que há aì que o retenha
E nunca será: ainda hoje
Porque os vencidos de hoje são os vencedores de amanhã.

Bertolt Brecht

Drocas

Publicado por renaseveados em 04:44 AM | Comentários (0)

SERÁ CULPA DO PAI ALCOÓLICO?

«(...) se a corrupção existe nesta Casa, quem a pratica, o homossexual ativo, é o presidente Lula. Temos de começar um movimento para desbancar o Presidente da República. Não queremos homossexual passivo, nem ativo, neste Governo.»

Palavras de Jair Bolsonaro, deputado federal em Brasília. Este é o mesmo deputado que no passado defendeu o fuzilamento de Fernando Henrique Cardoso. E numa entrevista confessou que o seu pai era briguento e alcoólico. Ora de acordo com um "especialista" espanhol, isso significaria que Jair nunca poderia ser presidente do Brasil, de acordo com as suas próprias regras...

Boss

Publicado por renaseveados em 12:36 AM | Comentários (1)

junho 24, 2005

JÁ A ORIENTE

«Jerusalem authorities have said they are banning a gay pride parade planned for next week, saying the event would be "provocative" and set off unrest.» [As autoridades de Jerusalém comunicaram que proibem a marcha do orgulho gay planeada para a próxima semana, dizendo que o evento seria "provacativo" e motivo de desordem.]

Entre muitas outras coisas, poder participar numa marcha LGBT é ainda um privilégio a nível global. Não o desperdicemos, amanhã às 17, Marquês, Lx.

Actualização: «Autorizan marcha del Orgullo Gay en Jerusalén» Esta autorização é do governo israelita, e contraria o primeiro parecer negativo da autarquia local. Assim, vai mesmo haver marcha em Jerusalém! :)

Boss

Publicado por renaseveados em 09:11 PM | Comentários (1)

CUMPRIR A CONSTITUIÇÃO: HOMOFOBIA NÃO!

«Os paneleiros hádem morrer todos». A frase é de um dos elementos de uma milícia organizada que em Viseu decidiu perseguir, ameaçar e atacar homens gay. Esta foi uma expressão mais violenta e visível de uma homofobia doentia que é afinal bem mais generalizada do que os erros gramaticais dariam a entender: no campo, na cidade, na escola, na família, no trabalho, nos jornais, na televisão, no café, no dia-a-dia, a homofobia está no meio de nós.

À homofobia que nos remete para a vergonha do armário respondemos hoje, mais uma vez, e sempre, com o orgulho de a recusarmos. Somos lésbicas, somos gays, somos bissexuais, somos transgénero, somos cidadãs e cidadãos da República Portuguesa e a nossa Constituição já diz não à discriminação. Portugal é, neste momento, o único país da Europa cuja Constituição proíbe explicitamente a discriminação com base na orientação sexual – é tempo de “Cumprir a Constituição” e de dizer “Homofobia não!” .

Depois de uma campanha eleitoral marcada por tentativas de exploração da homofobia, exigimos do novo Governo e da nova maioria medidas concretas de combate ao preconceito homófobo e o fim da discriminação na lei. Precisamos de novas medidas legislativas e da responsabilização do Estado na promoção da educação anti-homofobia – para além da aplicação efectiva de leis já existentes. Precisamos que o Estado dialogue com o movimento LGBT (Lésbico, Gay, Bissexual e Transgénero) na identificação das discriminações sistemáticas praticadas pelos próprios organismos públicos, desde o impedimento da doação de sangue por homens homossexuais às barreiras no acesso às Forças Armadas.

No entanto, no mesmo ano em que o Tribunal Constitucional declarou a inconstitucionalidade do artigo 175º do Código Penal (uma reivindicação histórica do movimento LGBT), apresentamos outra reivindicação clara no sentido do cumprimento do princípio constitucional que garante a igualdade de direitos e deveres: tal como em Espanha, queremos a revisão do Código Civil para que passe a permitir o igual acesso de casais de gays ou de lésbicas ao casamento civil.

Enquanto que casais de pessoas de sexos diferentes têm actualmente acesso ao casamento civil e à união de facto, para os casais de gays ou de lésbicas existe apenas a união de facto. Isso significa que há muitos direitos associados ao casamento civil aos quais gays e lésbicas não têm acesso: do registo às heranças, passando pelos regimes de propriedade até aos inúmeros aspectos da vida quotidiana em que o estado civil é relevante. Estas limitações afectam as relações e as vidas de muitos gays e lésbicas e contradizem o texto da Constituição – que é a nossa Lei Fundamental.

Não queremos um país em que haja cidadãs e cidadãos de segunda por causa do amor. Queremos, pelo contrário, uma equiparação legal das relações hetero- e homossexuais. Não aceitamos menos do que a dignidade e o respeito que as nossas relações merecem e recusamos todos os atributos negativos com que a homofobia tenta menorizá-las. Exigimos, pelo contrário, ser igualmente valorizad@s pela sociedade que integramos e sobretudo pelo Estado para o qual tod@s contribuímos.

O fim da exclusão dos casais de gays ou de lésbicas no acesso ao casamento civil promoverá simultaneamente a liberdade e a igualdade. Qualquer objecção a esta medida terá por isso uma única fonte: a homofobia. Enquanto o casamento civil não for alargado aos casais de pessoas do mesmo sexo, é o Estado que endossa e glorifica na lei essa mesma homofobia e é o próprio Estado que classifica as nossas relações de indignas e é o próprio Estado que, sem erros gramaticais, nos insulta. É afinal o Estado que continua a chamar-nos “fufas” e “paneleiros”.

Com a razão, o coração e a Constituição do nosso lado, e com o apoio de todas as pessoas que se preocupam com os valores da democracia e com os direitos civis, dizemos por isso ao poder político e também às pessoas homófobas deste mundo: recusamos o insulto e a despromoção; temos o direito a viver e temos o direito a amar. E não, não havemos de casar tod@s, mas havemos tod@s de poder fazê-lo. O igual acesso ao casamento civil é a nossa reivindicação clara, a nossa exigência democrática, o nosso grito pela liberdade e pela igualdade.

Manifesto da MARCHA DO ORGULHO LGBT 2005, organizada pelo Clube Safo, ILGA Portugal, Não te Prives e Panteras Rosa. Se concordas com isto, vemo-nos amanhã no Marquês, capital do rectângulo, pelas 17 horas, certo?

Boss

Publicado por renaseveados em 07:17 PM | Comentários (1)

TOP SÃO JOÃO

saoj_jn.JPG

+++ A carrinha que dava cerejas do Fundão a quem passava. Que ricas cerejas! Publicidade assim agradece-se, e que tal amanhã fazerem a mesma coisa na marcha de Lisboa?

++ O fogo de vista, apesar de ser dinheiro público a arder à nossa frente, é sempre espectacular. Este ano o Porto bateu Gaia - dizem, que quase só vi o segundo...

+ A polícia, que não me multou o carro, pela primeira vez desde que conduzo, várias horas estacionado ilegalmente.

+/- As marteladas, o "mais" ou "menos" depende de quem a dava...

- A quadra vencedora do concurso do Jornal de Notícias, buuuuh! Nem a puseram na edição on-line de tão má... nem para secção de poesia da revista Maria! O prémio devia ter ido para a que ficou em 2º lugar.

-- O Filipe Menezes que acha que tem o rei na barriga, e atropela tudo e todos, I mean literally. Depois daquele roça-roça forçado em Miragaia tive que ir tomar banho em alcool etílico... yuuck! E não sr. presidente, terem-lhe assaltado o carro não justifica esse tipo de comportamento..

--- Para o fogo de vista na Figueira da Foz. Que se queime dinheiro público é uma coisa, que se firam 50 contribuintes com a brincadeira é outra bem diferente...

Boss

Publicado por renaseveados em 04:28 PM | Comentários (2)

Visões desejadas

A reportagem da Visão nº368 intitulada "O que mudou no país gay?" e que referenciámos há algum tempo, tinha provocado indignação entre alguns habituais leitores da publicação, a julgar pelas cartas de leitor publicadas duas semanas depois (que o Músicólogo transcreveu). No número desta semana foram publicadas cartas de resposta a essas outras:

Venho manifestar o meu total apoio aos responsáveis pela reportagem sobre a homossexualidade (V638) e o meu repúdio às manifestações obscurantistas que se sucederam. É fundamental que, numa sociedade que ainda está a aprender o que é a democracia, os media espelhem a diversidade das realidades sociais.

Os senhores que se sentiram ofendidos com a reportagem fizeram-me lembrar a avestruz que esconde a cabeça na areia: se a realidade não é do seu agrado, é melhor não saber acerca dela. Eu também não gosto do teor de certas reportagens, nomeadamente a ocorrência de crimes ambientais em Portugal (V640), mas regozijo-me por haver revistas que me trazem a informação.

As críticas de leitores demonstram a retrógrada mentalidade que persiste nalguns portugueses. Suspiram pelo nível de vida da Holanda, Dinamarca ou Espanha, mas falta-lhes a cultura da tolerância e a frontalidade dos que admitem e resolvem as realidades sociais. Assim, estaremos sempre na cauda da Europa, e não só.

Zun

Publicado por renaseveados em 01:46 PM | Comentários (2)

Isto não deveria ser crime?

O Crime

Hoje de manhã quando me dirigi ao quiosque habitual para comprar tabaco deparei-me com a capa deste semanário sensacionalista de cariz criminal e fiquei francamente enojado. Na parangona central consegue confundir homossexualidade com promiscuidade, prostituição e pedofilia, tudo sob o signo da criminalidade agora cristalizado no termo 'arrastão' (devidamente acautelado sob umas auspiciosas aspas não fosse alguém não perceber que se tratava de uma metáfora), tentando capitalizar os efeitos mediáticos que o termo ganhou ao entrar no vocabulário jornalístico e popular com os acontecimentos da passada semana.

No interior consegue ser ainda mais rasteiro. Num estilo aparentemente descritivo de reportagem, o autor da peça lá vai tecendo considerações moralizantes e tirando conclusões pseudo-sociológicas a partir da mera observação do que lá viu, salientando-se que não andou apenas de cabeça erguida, mas cabisbaixa de olhos postos no areal: tendo encontrado um bilhete de metro num dos carreiros da mata, conclui, quem sabe acertadamente, que ele "revela que muitos dos frequentadores do circuito do 'engate' vêm de longe. O engodo é forte".

Não vale a pena desmontar aturadamente os estratagemas de um artigo cujos propósitos sensacionalistas são óbvios, saído num jornal que nem tem qualquer credibilidade. Mas a verdade é que num país de índices elevados de iliteracia como o nosso estas mensagens passam para a opinião pública, ajudando a fomentar a homofobia. Fica o registo de mais um exemplo do péssimo jornalismo que temos.

veado_

Publicado por renaseveados em 02:11 AM | Comentários (15)

B16, O BOMBEIRO DE DEUS

b16.jpg

A «devota» jornalista Áurea Miguel, aquela que acompanha os papas até na sua ida ao W.C., estava ontem no programa «Praça da Alegria» (da RTP1) a propagandear as virtudes do novo sucessor de Pedro. O senhora tenta «angelizar» a figura de um papa que tem tudo menos figura de anjo. Os velhinhos que vêem o programa devem enternecer-se em saber que o Papa até tem sentido de humor e, imagine-se o cúmulo da humanidade, até conta anedotas e toca piano (ao invés de JP2 que mandou fazer uma piscina).

A jornalista já não se lembrava da anedota mas metia um judeu, um muçulmano e um cristão que tinham morrido e íam para o céu onde tinham um diálogo com São Pedro. Sentido de humor mesmo era se os três tivessem morrido e os aguardasse Maomé à entrada do Paraíso celestial.

Um Papa que, também num programa transmitido na TV de Deus (vulgo RTP) dizia que a Inquisição tinha que ser lida como uma tentativa de justiça contextualizada (perfeitamente justificável portanto), só engana mesmo velhinhos em programas matinais, feitos para chantageá-los com uma entrada fulgurante no reino dos céus.

Cá, neste mundo, B16 vai ter muitos fogos que apagar e não são necessariamente em florestas de madeira!

Hetero_doxo

Publicado por renaseveados em 02:01 AM | Comentários (5)

junho 23, 2005

BOA NOITE DE SÃO JOÃO

carava10joao.jpg
Decapitação de São João Baptista, Caravaggio ©

Divirtam-se, mas não percam a cabeça! Juízinho...

Boss

Publicado por renaseveados em 08:21 PM | Comentários (4)

QUE TAL UMAS INOVAÇÕES AQUI SENHOR PRESIDENTE?

Se já não há referendo à Constituição Europeia, porque não aproveitar para fazer o referendo ao aborto? É uma pergunta que continua sem resposta por parte de nenhum governante deste país. Como o motivo para a não realização do referendo à despenalização da IVG era o calor do Verão, a nova «presidência aberta» de Jorge Sampaio (dedicada à inovação e competividade) deve ser encarada como uma silly thing estival? Ao lado da história de horror, que passarei a contar, a resposta só pode ser afirmativa.

Um casal amigo esperava o seu segundo filho (ela estava grávida de 3 meses) quando o médico de família os informou, depois de exames de rotina, que o feto se encontrava morto. Ficaram obviamente de rastos, não só pela pérdida em si, mas porque, embora não se note nalgumas mulheres, a minha amiga já tinha uma barriga visível e alvo de todas as perguntas/felicitações de amigos e vizinhos.

Infelizmente, este foi só o início de um longo processo de sofrimento (iniciou-se em setembro do ano passado e ainda continua). O médico de família enviou-a para um Hospital público do Algarve (a história é algarvia, mas deve ser normal por todo o país) a fim de se proceder à remoção do feto. No dito Hospital, o médico que os atendeu disse-lhes que era preferível que o feto saísse «naturalmente», ou seja, receitou-lhe uns medicamentos (supostamente abortivos) e mandou-a para casa: «se ao final de duas semanas nada acontecer regresse ao hospital». Mas que raio de médico aconselha uma mulher (mesmo que seja pela sua saúde física) a ir abortar para casa e esperar o tempo que seja necessário até que o embrião morto saia por livre iniciativa? Que género de criminoso (para não lhe chamar monstro) existe num hospital e não se dá conta das consequências psicológicas devastadoras daquilo que acaba de dizer? Não basta ter que conviver com a ideia de que perdeu um filho, ainda tem que conviver com essa «esperança» morta dentro de si diante dos olhos e das preguntas, embora não necessariamente voluntárias mas sempre cruéis, de amigos e vizinhos, e, para cúmulo, ter ela própria de enfrentar a dor física e mental de fazer um aborto em casa, em completo estado de abandono?

Não houve outro remédio que seguir a prescrição do médico, embora tivesse passado pela ideia do casal ir a Espanha fazer a operação. Decidiram seguir a lei e fazer tudo pelos conformes. Mas, mais uma vez, a sorte não esteve do seu lado: o feto não saíu, embora a rapariga tivesse sangrado imenso. Tiveram mesmo que regressar ao Hospital, onde as coisas se complicaram ainda mais: um outro monstro decidiu fazer-lhe uma raspagem a sangue-frio (tendo naturalmente sofrido horrores) e para cúmulo, no final foi-lhe colocado o feto à sua vista, sem qualquer género de preocupação. A dada altura a rapariga pensou: que está esta médica a fazer-me, será que pensa que matei o meu filho de propósito e está a fazer-me sofrer por isso?

Resultado, o colo do útero ficou completamente destroçado, tendo o casal que deslocar-se a um especialista em Lisboa que esteve a tratá-la até há pouco tempo (a nada mais, nada menos, que 30 contos por consulta) e a rapariga entrou em estado de depressão profunda, da qual ainda não saiu (entre outras, a degradação da sua imagem física contribuiu decisivamente para o agravamento das coisas já que engordar, embora não aconteça em todas as ocasiões, é uma das consequências frequentes da medicação anti-depressiva). O casal pensou em processar os médicos que os atenderam mas, embora vários colegas tenham sido peremptórios na censura a esses monstros, nenhum teve coragem de ajudar o casal com o seu testemunho neste processo.

Não se deve generalizar a actuação destes médicos-monstro ao todo do Serviço Nacional de Saúde: a interrupção voluntária ou involuntária deveria ser feita SEMPRE nos hospitais públicos. O que está em causa é a total impreparação destes técnicos para enfrentar este tipo de situações, o que, na minha opinião, se deve ao facto de a IVG não ser uma prática legalizada e logo não haver qualquer formação específica no atendimento a estes casos. Não que um médico não saiba os procedimentos a ter, mas porque lhes falta uma essencial componente humanizadora; contrasta com a lei ainda em vigor no nosso país que torna a gravidez em algo «sagrado», o que, face ao exemplo exposto, só pode ser hipócrita.

Não estava sequer em causa uma Interrupção Voluntária da Gravidez: a interrupção da gravidez deu-se, neste caso, a motivos completamente alheios à vontade dos pais (foi portanto involuntária), mas mesmo assim a mulher em causa sentiu-se uma criminosa, perante a total insensibilidade com que o seu caso foi tratado, sobretudo pelo sofrimento, desnecessário, por que passou.

Para quando, Senhor Presidente, uma tomada de posição sua sobre a IVG, já que não tem qualquer problema em tomá-la sobre todo e qualquer assunto, até em alturas em que supostamente o tuga deixou de pensar e foi a banhos?

Hetero_doxo

Publicado por renaseveados em 05:48 PM | Comentários (7)

Family Portrait

Image hosted by Photobucket.com

Já repararam que somos 8? Esta imagética waltdisney-esque vem mesmo a calhar. Eu sou a Branca de Neve, of course. Ou melhor, estou iconografada ao centro. Agora, dos 7 anões quem é quem?

miss detective

Publicado por renaseveados em 05:05 AM | Comentários (26)

Let's be ... Queer!

Darlings, Babes, and other Queens of Glitter:

Entrámos em countdown para a Marcha e para o Arraial. Teremos todo o gosto em vê-l@s por lá. Por isso e em vez de deixarem as plumas, os couros, as boas, as fardas, ou qualquer outra coisa, a mofar em casa, tragam-nas para a rua and let's make a fuss!

E à noite, claro, Arraial. Music makes the people come together and all that.

Os paneleiros (e as fufas) não hádem morrer todos. Pelo contrário, a cidade é delas e deles. Ou seja, nossa. Estou a afiar a garra, foaming in antecipation.

Pagan

Publicado por renaseveados em 01:07 AM | Comentários (2)

Alergias de Verão

A única coisa que gosto à direita são os zeros.

miss detective

Publicado por renaseveados em 12:31 AM | Comentários (5)

junho 22, 2005

O CALOR PÕE-ME ASSIM

Zits250505.gif
Zits©

Boss

Publicado por renaseveados em 06:48 PM | Comentários (2)

And now... for something completely different

Image hosted by Photobucket.com

Image hosted by Photobucket.com

Uma das minhas primeiras descobertas via Renas foi o Michalak. Depois disso, lá passei umas horinhas jeitosas na companhia de um amigo, gay, of course a ver os deuses do estádio. Mas que tipo monumental. Ao que parece, não fui só eu que reparei e o homem lá apareceu numa campanha da Levi's muito gay vague (sujeito a discussão claro, porque a estética gay parece-me óbvia) - mais um piscar de olhos ao pink money? Mais fotos dele e da campanha aqui.

miss detective

Publicado por renaseveados em 05:17 AM | Comentários (24)

Correctores...

Muito me ri com um post lido em subterrâneas leituras, motivado por links côncavos, que me fizeram entreluzir uma realidade desconhecida. O fabuloso mundo dos correctores with a speech impediment. Nomeadamente, aqueles blogues que pensam que falar português é falar à medievo. Mas ainda mais medievo do que Fernão Lopes e mais, posso dizer, rocambolesco do que um Gil Vicente. Aqui trata-se de corrigir um outro blog (o Renas), usando citações de Maria Filomena Mónica para nos refutar. Ora, o blog que citarei a posteriori (perdoem-me os leitores, mas faço um esforço de adequação ao nível de linguagem da autora, para que não haja viés ou simulacro), afirma mesmo que pretende corrigir o Renas no uso e menção das palavras de tão douta SENHORA. E sendo senhora, não é passível de ser tida como alvo da crítica?

Para além de ser senhora, a professora Maria Filomena Mónica é académica e decerto refutaria ser tratada dessa maneira como intelectualmente inimputável, pois a qualidade de se ser ou não ser senhora não iliba ninguém da crítica intelectual honesta. Sendo ainda por cima, Filomena Mónica, uma académica, i.e., pessoa que produz conhecimento e cujo conhecimento é validado em interacção com os pares e receptores dos seus textos. Por isso, a démarche da autora do blog é tão somente descabida. Para além disso, a própria citação que menciona é descontextualizada. Porque veja-se que ainda recentemente Maria Filomena Mónica, por mais que uma vez e em textos e entrevistas, deplora a condição deste país. Mas para se ver a têmpera de Filomena, é recomendável o texto que escreveu sobre Boaventura de Sousa Santos. Ou um outro, em que assegura que os transexuais são aberrações da natureza. Mas claro que para quem prefere o medievo e as senhoras, o pensar, o debater e o criticar devem ser algo que está fora do contrato civil. O que conta são as correcções. E se o que conta são as correcções, vamos a elas, sem mais delongas.

Cara Senhora Dona SGC, lamento expô-la, desta maneira ao opróbrio, mas de acordo com o dicionário de português, igualitar deve ser fruto da sua imaginação. Igualizar (como em, tornar igual) ainda vá, mas igualitar?? Mas há pior que os meros neologismos! Veja-se bem que alma tão correctora usa a expressão "terminiologia". Quando se quer corrigir os outros, que se faça sem erros. Não lhe ensinou outro tanto a Senhora Dona Maria Filomena? É que "terminiologia" não será um erro da palavra "terminologia"? Ah, pois é! Olha que assim a Dona Filomena ainda lhe fala dos erros dos incivilizados portugueses. Mas ainda há mais. É que não se "despolota" uma peleja (a cara amiga tem dificuldade em resistir ao Fernão Lopes, não tem? Mas o Fernão Lopes nunca deve ter despolotado), "despoleta-se" a liça. E para além disso, "blogesfera" não tem sentido, na sua tão acintosa língua, o português. No máximo seria blogoesfera ou blogayesfera. Mas perdoamos-lhe essa. Na medieva linguagem, a internet estava de fora. Quanto ao esgare, não se canse a pôr o "e" no fim, bastar-lhe-ia "esgar" e tod@s ficávamos satisfeit@s.

Por isso, cara Senhora, com os meus penhorados respeitos, por si e pela Senhora Dona Filomena, quando corrigir e impedir o erro de outros blogs, atente ao modo como o faz. É que se calhar poupava-lhe apoquentações. Cuide a forma, e depois critique - seria, decerto, um conselho avisado da senhora D. Maria Filomena.

Pagan

P.S.: Vê como até a lemos? Ainda que na marginalidade que se auto-imputa?

Publicado por renaseveados em 02:58 AM | Comentários (10)

ONE MORE TIME

Esta nouvelle vague de comentários homofóbicos e racistas e intolerantes mostra outra vez que há pessoas que não percebem.
Simplificando e procurando não cair na repetição, se essas associações são nacionalistas e quem a elas pertence tem muito orgulho em ser Português (assim com maiúscula) podiam fazer um upgrade e passar a ter orgulho em respeitar aquela coisa chamada Constituição da República Portuguesa, que diz o seguinte:

Artigo 1.º
(República Portuguesa)

Portugal é uma República soberana, baseada na dignidade da pessoa humana e na vontade popular e empenhada na construção de uma sociedade livre, justa e solidária.

Artigo 2.º
(Estado de direito democrático)

A República Portuguesa é um Estado de direito democrático, baseado na soberania popular, no pluralismo de expressão e organização política democráticas, no respeito e na garantia de efectivação dos direitos e liberdades fundamentais e na separação e interdependência de poderes, visando a realização da democracia económica, social e cultural e o aprofundamento da democracia participativa.

Artigo 13.º
(Princípio da igualdade)

1. Todos os cidadãos têm a mesma dignidade social e são iguais perante a lei.
2. Ninguém pode ser privilegiado, beneficiado, prejudicado, privado de qualquer direito ou isento de qualquer dever em razão de ascendência, sexo, raça, língua, território de origem, religião, convicções políticas ou ideológicas, instrução, situação económica, condição social ou orientação sexual.

Artigo 46.º
(Liberdade de associação)

1. Os cidadãos têm o direito de, livremente e sem dependência de qualquer autorização, constituir associações, desde que estas não se destinem a promover a violência e os respectivos fins não sejam contrários à lei penal.
(...)
4. Não são consentidas associações armadas nem de tipo militar, militarizadas ou paramilitares, nem organizações racistas ou que perfilhem a ideologia fascista.

miss detective

Publicado por renaseveados em 12:16 AM | Comentários (19)

junho 21, 2005

ACTIVISMO SMS

prideweek.JPG
MVA©

Um leitor do R'n'V deu-nos conta de uma forma original de promover o activismo LGBT, usando o serviço de mensagens do Gaydar. Nada como juntar o útil ao agradável e marcar um encontro na marcha, ou vários... Esperamos em breve apresentar mais resultados sobre esta acção individual. Outra ideia é simplesmente promover a marcha através de SMS's para amigos e conhecidos, como foi feito em Espanha para o Carnaval Carlinhos Brown. Com o resultadão que se conhece, o dobro das pessoas no carnaval em relação às da manif anti-gay! Até Sábado há ainda muito tempo para fazer activismo individualizado, força nisso!

Boss

Publicado por renaseveados em 07:53 PM | Comentários (1)

TIRAR A AREIA DOS OUVIDOS

Para quem ainda não percebeu, em Portugal também se discute o casamento homossexual. É só dar uma saltada aos blogues do Miguel Vale de Almeida e das Panteras Rosa.

Hetero_doxo

Publicado por renaseveados em 04:55 PM | Comentários (1)

IDIOTA INÚTIL

Na sequência da notícia que o Boss deu conta aqui em baixo, vários membros do PP distanciaram-se das declarações do Catedrático (?) Aquilino Polaino que, perante a Comissão de Justiça do Senado Espanhol (Comissão Proposta pelo Partido Popular Espanhol), afirmou que «as pessoas com conducta homossexual padecem de uma psicopatologia».

Perante estas afirmações, vários PP's vieram a público distanciar-se das afirmações do Professor da Complutense, inclusivé Alberto Ruiz-Gallardón (alcaide de Madrid) e Ana Pastor (antiga membro do Governo), tendo esta, no entanto, participado (com muitos outros membros do PP) na manifestação anti-casamento gay do passado sábado.

O assunto incomodou de tal maneira que foi necessário Ruiz-Gallardón afirmar que «quando um partido convoca «experts» para uma comissão no Senado ou no Congresso fá-lo porque tem interesse em ouvir as suas opiniões e acrescentou que isso não significa que o partido tenha essas mesmas opiniões». É caso para perguntar: então porque é que os convidam e com que interesse?

A mim parece-me óbvio que Polaino falou mais do que devia, ou seja, não se conteve nas opiniões que andam nos subterrâneos da «coisa» e foi isso que irritou os PP's: ele falou aquilo que toda essa gente pensa (excepto claro, os PP's gay, que estão encalacrados num partido que não os defende), mas que, por motivos políticos (Madrid, por exemplo, tem uma enorme comunidade gay a que convém manter «feliz») não deveria sair cá para fora. Fez-me lembrar os Padres que, cá em Portugal, falam aquilo que a ICAR realmente pensa e que a própria hierarquia acaba por abafar, para não afastar crentes/clientes.

O presidente do Foro de la Familia ao menos não diz nada. Num fórum proposto pelo El Mundo Benigno Blanco consegue a proeza de não dar um único argumento para a não legalização do matrimónio e adopção por homossexuais. Vai repetindo o não-argumento de que o matrimónio gay é atentar contra o matrimónio entre homens e mulheres. Antes assim senhor Blanco do que dizer que uma grande parte dos casamentos hetero se fazem a descontento de algum dos parceiros. Que bom seria ter outro idiota inútil à frente deste Foro Facho da Hipocrisia.

Hetero_doxo

P.S. Benigno Blanco, afinal, é vice-presidente do Foro Facho.

Publicado por renaseveados em 04:27 PM | Comentários (19)

O MEU PAI É PACÍFICO E ABSTÉMIO, SEREI HETERO?

«Un experto invitado por el PP al Senado dice que los gays son hijos de padres 'hostiles' y 'alcohólicos'»

Boss

Publicado por renaseveados em 02:16 AM | Comentários (14)

EU CASAVA-ME COM ESTE SENHOR

javiersarda1.jpg

Chama-se Javier Sardà e é apresentador do programa Crónicas Marcianas da Telecinco (canal espanhol). Hoje discutia-se a manifestação facha do fim-de-semana (a espanhola claro) e tinha, como sempre, um painel de comentadores a favor e contra a dita manifestação. A dada altura uma comentadora pró-fachos dizia que «se todos fossem homossexuais a nação acabava, porque não se podem reproduzir», ao que Sardá responde «se todos fossem sacerdotes, aí sim, é q a nação acabava». Olé!!!!

Hetero_doxo

Publicado por renaseveados em 01:28 AM | Comentários (22)

EVERY SPERM IS SACRED

oslo_sperm.JPG

O Luís indicou-nos o link do fantástico anúncio do EuroPride de Oslo, que o Daniel Skråmestø já havia comentado. Curiosamente o Towleroad encontrou uma notícia bem a propósito: «Scientists in Britain have shown that stem cells extracted from human embryos can develop in the laboratory into the early forms of cells that become eggs or sperm» [cientistas britânicos demonstraram que as células estaminais retiradas de embriões humanos podem ser desenvolvidas em laboratório para se transformarem nas células percursoras de óvulos ou espermatozóides]. Ou seja, cada vez está mais perto o dia em que casais homossexuais poderão ter filhos biológicos de ambos @s parceir@s! Talvez seja da maneira que a ICAR muda a sua posição em relação à IVG...

Boss

Publicado por renaseveados em 01:18 AM | Comentários (10)

AFINAL HAVIA OUTRA

warsowhomof.jpg

Não foi só em Madrid que católicos fanáticos decidiram fazer do último sábado o dia do ódio anti-gay. Também em Varsóvia, na Polónia, cerca de 800 manifestantes protestaram contra a Marcha pela Igualdade, que decorreu recentemente na cidade. Mas se essa não foi autorizada pelo autarca local, já a so called "Marcha pela normalidade" contou com a autorização e apoio do fascista que governa a capital polaca. Mais sobre a sombria carreira política de Kaczynski aqui. Renovados parabéns ao movimento LGBT polaco, que mesmo ilegalmente conseguiu juntar mais pessoas, foram 2.500.

Boss

Publicado por renaseveados em 12:48 AM | Comentários (3)

junho 20, 2005

QUEM É QUE DISSE QUE NÃO GOSTA DE FUTEBOL?

Ora repete lá o que disseste s.f.f....

Boss

Publicado por renaseveados em 05:47 PM | Comentários (4)

DESPERATE HOUSE GARDNER

061905_jessejewlery.jpg

Jesse Metcalfe, o jardineiro desesperado que tod@s queríamos a aparar a alcatifa dos nossos quartos ou a adubar os lençóis, descobriu que há mais adereços para além dos corta-relvas. Pelos vistos o menino aderiu em pleno à chamada Gay Vague. Yummy! [via Towleroad]

Boss

Publicado por renaseveados em 05:18 PM | Comentários (6)

Oh Bill, mas o Hitler já tinha pensado nisso antes

Nem sei se devia escrever sobre isto. É tão absurdo e triste, que francamente, ainda me questionei se valia a pena “desperdiçar” assim um post, correndo ainda riscos de atrair uma catrufada de comentários homofóbicos. No entanto, talvez seja importante percebermos a que ponto chega a homofobia e o ridículo de algumas opiniões. Prometo porém não fazer links, porque não me apetece contribuir para o número de visitas às lixeiras cibernéticas espalhadas pela world wide web.

O reverendo Bill Banuchi, chefão da Christian Coallition de New York, disse:
“Colocamos etiquetas nos maços de cigarros avisando que o tabaco mata, porque sabemos que fumar reduz a esperança de vida média de um a dois anos. No entanto, celebramos [Ai sim? Quem exactamente?] um estilo de vida [a homossexualidade] que sabemos espalhar todo o tipo de doenças sexualmente transmissíveis, e que subtrai um mínimo de 20 anos à esperança de vida média, de acordo com a conceituada [coff, coff] revista científica Psychological Reports”
(tradução minha, mais ou menos exacta, com comentários também meus).

Falta acrescentar que o estudo referido foi encomendado pelo Family Research Institute, uma instituição americana altamente homofóbica, e publicado numa revista americana polémica (“conceituada” uma ova!), cujas publicações são frequentemente postas em causa.

É impressão minha ou estará este senhor a propôr a reutilização dos triângulos rosa do tempo dos nazis?
A mim aborrece-me profundamente ler estas barbaridades. Provavelmente devia passar por cima e não pensar mais no assunto. Infelizmente desespero e vou aos arames ao saber que se pode arrotar criminosamente este tipo de despautérios e permanecer impune.

É por isso que sou a favor da criação de uma alta autoridade contra a discriminação e pela igualdade , semelhante à francesa. Não é remédio para todos os males, bem sei, mas pelo menos já me sossegava um bocadinho saber que o Bill levaria com um processo em cima, tal como o Christian Vanneste, por ter classificado a homossexualidade como uma ameaça para a sobrevivência da humanidade. E então se a mesma legislação nos livrasse de estopadas tipo “Levanta-te e Ri” (ou lá como é que aquela treta se chama), aí sim, era a loucura total.

Waltz

Publicado por renaseveados em 03:03 PM | Comentários (6)

Back to reality-apontamento I

O arrastão que se seguiu

Já passou uma semana desde o tão propalado 'arrastão' na praia de Carcavelos e eu continuo sem saber ao certo o que realmente se passou naquele dia, naquela praia, àquela hora, para alinhar no alarido que entretanto se gerou em torno do acontecimento. As televisões não estavam lá, chegaram atrasadas e as fotografias que serviram de material de reportagem das notícias televisivas obtidas por um veraneante mereciam um especial cuidado na sua divulgação uma vez que não mostravam o que se queria fazer ver. É muito diverso serem 50 ou 500, pois seriam fenómenos diferentes. E depois como é que se chega a estes números? No meio da confusão alguém se dedica a tentar contabilizar o número de delinquentes? Ou será que a cor da pele retira às pessoas qualquer individualidade e as torna automaticamente estereótipos de um grupo social? Há até leituras divergentes do que se passou realmente naquela praia, mais verosímeis pelo que nos foi dado a ver pelas imagens.

E assim a partir de uma pseudo-notícia (mau jornalismo) pretende criar-se um acontecimento social de proporções inusitadas apenas para se relançar o tema político da criminalidade e insegurança (ideologia encapotada). Para explorar este filão mediático e compensar a ausência de cobertura noticiosa dos incidentes na praia, outras notícias se seguiram ao longo da semana para tentar sustentar a actualidade e oportunidade desse tema. No noticiário da SIC de 4ª-feira mostraram-se imagens dos sistemas de vigilância dos comboios da linha de Sintra, em que se viam diversos assaltos dentro das carruagens perpetrados por jovens indivíduos de raça negra, quer individualmente quer em grupo, havendo mesmo um caso em que a presença de um segurança (de uma empresa de segurança privada) em nada ajudou a impedir o assalto, tendo mesmo virado costas aos apelos de uma das vítimas do mesmo. Pode-se argumentar que tudo isto não passa de fait-divers mas a verdade é que estes fait-divers são facilmente reconhecíveis pelas pessoas fazendo de experiências individuais fenómenos colectivos e assim o não-acontecimento de domingo passou de um lugar a outro apenas para ganhar credibilidade jornalística e mostrar que os média têm sempre razão. Com esta deslocação uma coisa não foi conseguida - a de mostrar que nalguns casos não se consegue dissociar problemas como o da criminalidade, do racismo e da segregação social e que reduzi-los a uma actuação sectorial apenas leva a satisfazer preconceitos e convicções ideológicas de uma parte da população ou a boa consciência dos agentes políticos. A reportagem centra-se em situações de criminalidade perpetradas por indivíduos de determinada raça em localizados espaços públicos. Reduzindo um problema social complexo a determinados acontecimentos localizados e facilmente verificáveis, faz crer que esses acontecimentos é que são um problema e não um aspecto da conflitualidade social, condicionando leituras sem fazer interpretações. Vivemos de facto num mundo perigoso e parte desse perigo está na forma como os órgãos de comunicação social pretendem intervir na realidade.

Mas se não se sabe ao certo o que se passou em Carcavelos, já lhe conhecemos os seus efeitos: o acicatar do racismo latente tão característico dum país de brandos costumes como o nosso, o ressurgimento da xenofobia promovida por organizações políticas e para-políticas de extrema-direita que tenta ganhar visibilidade e adesão popular com tudo isto. No imediato algo já foi feito para contrariar esses efeitos, desde as críticas na blogoesfera e nalguma imprensa em artigos de opinião, ao alarmismo e racismo subjacente com que o assunto foi tratado nos mesmos meios, até à visita do Presidente da República ao bairro da Cova da Moura no mesmo dia em que decorreu a manifestação xenófoba em Lisboa. Mas duvido que esses efeitos não tenham sequelas. Estamos em ano de eleições autárquicas e duvido que o tema da criminalidade e insegurança não seja aproveitado na campanha pelo menos nos concelhos mais problemáticos quanto a estes aspectos- os média já deram o mote e o ensejo. Veremos como se comportam em relação a eles candidatos com pergaminhos firmados na execução de programas de erradicação de situações de exclusão social...

veado_

Publicado por renaseveados em 03:32 AM | Comentários (14)

instantaneos

Dois cegos (1 e 2) um de nascença e outro por via de um acidente:

1) O que é cor-de-rosa?
2) Estás a ver gelado de morango? Cor de rosa é assim.

miss detective

Publicado por renaseveados em 02:40 AM | Comentários (3)

A meio caminho

Uma tarde bem passada na Fonte da Telha a meio caminho da 19, em muito boa companhia!


A companhia a fazer chap chap...

Drocas

Publicado por renaseveados em 12:33 AM | Comentários (3)

junho 19, 2005

UFFFFFFFFFFFFFFFFFFFF! (PS: +/-)

Por um triz, mas foi! O próximo governo galego será progressista, PSdeG/PSOE coligado com o BNG. Bom trabalho!

Boss

Publicado por renaseveados em 10:26 PM | Comentários (8)

Offline-online

Por causa de um 'apagão' originado na cozinha de consequências imprevisíveis fiquei sem computador e sem acesso à net por quase três semanas. Quando a exclusão cibernética é desejada, não ter acesso a um computador é um alívio. Quando ela é forçada por estes acidentes tecnológicos torna-se uma fonte de ansiedade e lá acabei por arranjar uma solução alternativa mas anacrónica que se não me permite postar com a fluência desejável - onde estavam as passwords e os bookmarks de acesso a diversos sites e páginas, os programas que habitualmente uso, etc? - neste computador obsoleto que agora estou a usar, pelo menos não me impede de estar online. Bom, isto e alguma preguiça que de mim se apoderou com a chegada do calor do verão ;-) levou a que já não postasse há cerca de um mês! Mas a última semana foi preenchida por tantos acontecimentos, desde as mortes de Cunhal e Eugénio a 'arrastões', greves e manif's que resolvi vencer a preguiça e recuperar de vez os meios necessários para poder postar. Tive que recomeçar quase do zero mas eis-me regressado às postas. :-)

veado_

P.S.- E já não posso ver fios à frente. Wireless e plug and play rules!

Publicado por renaseveados em 09:04 PM | Comentários (1)

NASCEU UM PAÍS NOVO

A Primavera galega começa hoxe.

Boss

PS: Resultados oficiais e em tempo real em www.eleccions2005.com.

Publicado por renaseveados em 07:23 PM | Comentários (0)

Conheço o amor de ouvir falar

Sugestão para Domingo

Exposição de Ana Vidigal no Convento dos Capuchos no Monte da Caparica. "Conheço o Amor de Ouvir Falar" é o título desta exposição que se inspira no último romance de Dulce Maria Cardoso, "Os Meus Sentimentos". É composta por um conjunto de fotografias e uma instalação.

De 16-06-2005 a 28-08-2005.
Quarta a Domingo das 10h30 às 18h30.
Entrada Livre.


Ana Vidigal
Amor I Love You, 2000
colagem sobre tela, 160 x 175 cm

Drocas

Publicado por renaseveados em 01:00 PM | Comentários (3)

ESPERTA GALIZA!

nuncamais.png
Imagem de Fragagá

Boss

Publicado por renaseveados em 12:32 PM | Comentários (1)

Um passo no bom caminho

No dia 2 de Junho os deputados brasileiros aprovaram por unanimidade o fim das patentes multinacionais relativas a moléculas e medicamentos anti-SIDA. Em termos práticos este resultado permitirá à indústria farmacêutica brasileira produzir genéricos anti-HIV, sem pagar as somas exorbitantes exigidas pelos laboratórios estrangeiros detentores das patentes. Desta forma o Brasil poderá continuar o seu programa progressista e eficaz de combate à SIDA, distribuindo gratuitamente cocktails anti-víricos a todos os doentes.

O projecto de lei terá ainda de ser submetido ao senado, onde uma reacção do lobby farmacêutico é esperada. A indústria farmacêutica teme que aprovada, a lei não só diminuirá o investimento estrangeiro na investigação brasileira, como impedirá o acesso do país a novas moléculas entretanto desenvolvidas por laboratórios multinacionais estrangeiros.

O liberalismo às vezes é mesmo uma coisa lixada...

Waltz

Publicado por renaseveados em 01:53 AM | Comentários (1)

MANIFS.es

manifsantiago.jpg
Manif pró-casamento homossexual, Obradoiro, Compostela

Dia farto em manifestações o de ontem, concentremo-nos nas de Espanha. Ao contrário do que foi dito no Telejornal da RTP1, a manifestação anti-gay convocada pela igreja católica de Espanha (convocatória não assumida, mas bastante óbvia), e apoiada pelo Partido Popular e muitas outras associações de cariz mais ou menos explicitamente fascista (entre as quais 3 portuguesas, a Associação de Famílias de Portugal, a Associação Portuguesa de Famílias Numerosas e o Fórum da Família de Portugal), não contou com 1 milhão de participantes, mas apenas com 166.000 - números da polícia. Um rotundo fracasso face aos 500.000 previstos. Mas numa coisa a RTP tinha razão, a maior parte dos manifestantes vinha de fora de Madrid, com despesas pagas pela organização - dinheiro não falta para isto!

Outro erro do Telejornal foi afirmar que o Carnaval Carlinhos Brown havia sido organizado por associações LGBT espanholas. Na verdade o evento foi organizado e patrocinado pela Movistar, uma empresa de comunicações móveis. O que acontece é que nos últimos dias circulavam várias mensagens móveis precisamente, a dizer isto: «Por la libertad. Ven el sábado al Carnaval de Carlinhos con tu bandera arco iris. Pásalo». Ou seja, vários gays e lésbicas de forma espontânea decidiram tentar transformar a festa do samba numa contra-manifestação pacífica e alegre, em oposição à manifestação do ódio católico anti-gay. E conseguiram! O El Mundo titula que o Carnaval estava salpicado de bandeiras arco-íris. Tal como na outra manifestação a organização reclama 1 milhão de participantes, mas a polícia contou apenas 300.000. Ou seja, sensivelmente o dobro da manif fascista. A carga política que esta manifestação musical ganhou nos últimos dias é inegável, Carlinhos Brown até almoçou com Zapatero antes do concerto.

Mas não foi a única manifestação progressista do dia. 3.000 pessoas em Barcelona e mais de 100 em Santiago. Porventura outras cidades tiveram também manifestações igualmente convocadas por SMS durante os últimos dias. Tudo isto reforça a ideia de fiasco da manif facho-católica. Meses de preparação, rios de dinheiro, transportes gratuitos de todos os pontos do país, a mais ampla cobertura da imprensa, e não conseguem chegar a metade do seu objectivo inicial de meio milhão de pessoas.

obispos.jpg
Bispos católicos na manif anti-gay de Madrid

A ICAR.es é cada vez mais vista como uma seita de meia dúzia de alucinados e fanáticos, e politicamente situada na extrema-direita. O epíteto "católico" não é visto como sinónimo de pertença à organização icariana. E o catolicismo é encarado sobretudo como uma tradição ou folclore nacional, e não um modelo de sociedade que se quer impôr aos outros. Espanha é hoje definitivamente um país progressista e livre. Que o seja ainda mais depois de contados os votos na Galiza esta noite!

Boss

Publicado por renaseveados em 01:45 AM | Comentários (5)

junho 18, 2005

MITOS

O 100norte escreveu que «a questão do orgulho [rácico] é perfeitamente transponível para aquilo por que se luta por aqui. Não se organizam manifestações, desfiles, paradas pelo orgulho de ser gay? Então porque censurariam quem fizesse o mesmo pelo orgulho de ser branco? Compreendo que vos revolte a intenção da manifestação, só lamento o facto de não entenderem que também lutam pela vossa afirmação. É errado que se lute pelo que se acredita, pelas convicções que se defendem? Eu não acho».

Este comentário encerra uma série de argumentos que merecem ser rebatidos. Em primeiro lugar não seria de todo mau que se voltasse a reler este post. Nele, o Boss dá uma leitura clara de como se deve entender este blogue no contexto LGBT: não somos porta-voz de qualquer associação LGBT; somos, neste momento, oito pessoas que escrevem sobre todo e quaisquer assuntos, entre eles, e é certo que com grande relevância, sobre temáticas LGBT. Isto quer dizer, que a responsabilidade pelos conteúdos de cada post é exclusiva de quem a assina.

Mas esta ideia de que somos um conjunto coeso, que age como um bloco e que luta pelos mesmos objectivos é uma coisa que não se passa só aqui no Renas. Quando se fala de comunidade LGBT, fala-se também, e só, de um conjunto de pessoas que não é heterossexual. Isto é, dentro dessa mesma comunidade há LGBTs que pensam de maneiras muito diferentes (há mesmo LGBTs que desprezam a luta pelo direito ao casamento civil entre homossexuais e a possibilidade de adopção de crianças por parte destes). O preconceito está mesmo em achar que somos todos iguais, tal como é preconceituoso achar que todos os heterossexuais pensam da mesma maneira.

Contudo, e como vivemos numa sociedade heterossexista e machista, os heterossexuais não têm que se preocupar em dizer que são individuos, com ideias próprias (mesmo que sejam idiotas). Já os LGBTs são tratados como conjunto; mais, como um conjunto que não tem idoneidade para pensar por si próprio.

Embora, não creia que tenha sido esse o propósito do 100norte, o que a sua afirmação deixa no ar é uma coisa que passa pela cabeça de muita gente (mesmo aqueles que se dizem «não homofóbicos» ou até mesmo de muitos LGBTs): que, por alguns de nós (supostamente todos) reivindicármos igualdade de direitos e deveres perante a sociedade devemos ser mais «tolerantes» com outras minorias, neste caso, inclusivamente com as causas de racistas (felizmente uma micro-minoria!!). Mas não só, temos que ser «tolerantes» com as ideias homofóbicas veiculadas por organizações políticas e religiosas que, por sinal, dominam o nosso país (estou, claro, a referir-me à ICAR). Por sermos uma minoria enxovalhada (inclusivamente por racistas) devemos ser «tolerantes» com um conjunto de alarves, que querem diminuir os direitos de cidadãos do seu país, simplesmente pela quantidade de «arianismo» que supostamente lhes corre nas veias. Em suma: por sermos uma minoria não temos o direito a ter sentido crítico na sociedade em que nos inserimos. NOT! NOT AND NOT!!!

É fundamental acabar, de uma vez por todas, com alguns mitos:
1) à excepção de associações ou outros colectivos LGBTs (do qual o Renas não faz parte), que podem falar pelo conjunto dos seus associados (não do todo LGBT), não se podem tomar as atitudes e as opiniões de alguns pelo todo da comunidade em que se inserem. É precisamente do interesse dos homofóbicos e dos conservadores que se leia LGBT como um todo, porque é mais fácil atacar as contradições.

2) a agenda LGBT que anda no ar é uma agenda progressista, onde nem toda a comunidade se revê (sobretudo aquela que se diz «católica»). Palavras como matrimónio homossexual ou adopção de crianças, são as lutas que estão na mesa e aquelas de que todos (LGBTs e Heteros) beneficiarão um dia, se forem implementadas, pelo seu extraordinário poder de dissolução de preconceitos e de fobias (precisamente por combates como aqueles que estão agora a dar-se em Espanha).

3) que a diversidade de opiniões dentro da comunidade LGBT é saudável e não-fracturante (como muitos tentam passar a ideia). Ela põe a nu quem é quem dentro dessa mesma comunidade (ou julgarão que não há homofobia dentro dela própria?) e quem verdadeiramente luta pelo fim da homofobia latente na sociedade e pela igualdade de direitos e deveres dessa mesma comunidade perante o resto dos seus pares.

4) o «orgulho gay» não parte de permissas de supremacia sexual, antes de igualitarismo. Ao marchármos em conjunto reivindicamos o fim do medo e da vergonha (porque somos muitos e juntos dominamos esse medo) que uma sociedade homofóbica nos impõe diariamente. O orgulho é pela coragem que isto implica.

5) antes de sermos gays, lésbicas, transsexuais e bissexuais somos seres humanos, indivíduos como quaisquer outros, que devem ter os mesmos direitos e deveres de qualquer cidadão do seu país.

Hetero_doxo

Publicado por renaseveados em 09:48 PM | Comentários (6)

Perguntitas

1. Como é que é permitida uma manifestação em que se proclama "Portugal aos portugueses”? E de Minho a Timor, já agora!

2. Como é que alguém tem a distinta lata de dizer isto: "O nosso país está tomado a saque e os brancos cada vez mais são um alvo dos ataques das outras minorias", salientou o dirigente da Frente Nacional, sublinhando que "esta não é uma manifestação racista" mas apenas uma forma de demonstrar "orgulho na raça e no povo português".?

3. Como é que uma manifestação convocada por 3 cidadãos e autorizada, tem por detrás uma organização intitulada Frente Nacional?

Esta manifestação estava destinada a promover tumulto e agressão, e de facto isso aconteceu. Curioso é a imprensa acentuar que foi de parte a parte. Não, mais uma vez as coisas não são simétricas. Tratam-se de skins e afins, que fazem uma manifestação racista e anti-imigrantes, a clamarem pela rídicula raça portuguesa (não há sequer a noção de que tal não existe e mesmo se alguma vez tivesse existido, com contactos que o felizmente defunto império português manteve com todo o mundo, com os escravos que trouxe e com toda a malta que cá esteve, seria no mínimo uma "raça" melting pot. Isso se a raça existisse, mas não passa de uma efabulação do século XIX, devidamente aproveitada por nazis e quejandos).

Viram-nos na televisão? Toda a ressabiada gente que vê ameaça em toda em parte e os skins reaças a dizerem as barbaridades que disseram? E como é se pode ter o discurso dos "tadinhos deles, estavam a exercer os seus direitos"? O direito de insultar, achincalhar e aviltar os outros? É esse o direito que eles têm? Isso chama-se ódio racial e é crime. Não é direito! E a nossa Constituição, no plano das associações racistas e fascistas, é clarissíma no artigo 46 -4. "Não são consentidas associações armadas nem de tipo militar, militarizadas ou paramilitares, nem organizações racistas ou que perfilhem a ideologia fascista." . Pena não terem aplicado ainda o preceito constitucional a associações que promovem este tipo de discursos.

Pagan

P.S.: É claro que aqui no Renas, qualquer comentário incitador ao ódio racial é imediatamente apagado, logo que detectado. Sem qualquer problema de consciência da nossa parte...

Publicado por renaseveados em 07:10 PM | Comentários (7)

A IGNORÂNCIA SAIU À RUA NUM DIA ASSIM

daddyandpapa.jpg
Imagem retirada daqui.

A homofobia e o racismo estão na rua. Esta gente que hoje se manifesta, beneficiando de um sistema - o democrático - que, por sua vontade, nunca seria o seu, deve ser combatida SEMPRE.

Porque continuamos a um pequeno passo de outros Holocaustos, aqui fica mais um apelo à luta contra o fascismo.

Hetero_doxo

Publicado por renaseveados em 05:10 PM | Comentários (0)

Ashtanga

A quem não tem paciência para manifs e se sente triste por não estar tempo de praia, sugiro Ashtanga. Esta é uma das sequências que faço diariamente. Enjoy!

Drocas

Publicado por renaseveados em 04:06 PM | Comentários (0)

FACHO PRIDE

cruzes.JPG

Facho, amigo, hoje é o teu dia, agarra uma cruz (a que queiras, tanto faz) e vai para a rua! Por uma vez podes sair do esgoto, aproveita!

Lisboa, Praça do Martim Moniz às 14 horas.

Madrid, Plaza de Cibeles às 18 horas.

Boss

Publicado por renaseveados em 02:39 AM | Comentários (19)

RUAS DO PROGRESSO

Carlinhos-Brown.jpg
Carlinhos Brown

Mas ruas felizmente há muitas, e assim há programas alternativos para quem não se identifique com o ideal neo-fascista:

Kola San Jon, na Cova da Moura, festa todo o dia.

Homofobia nunca mais!, no Obradoiro em Santiago de Compostela, logo às 11:45 da manhã.

Carnaval Movistar Carlinhos Brown, começa na Plaza de Castilla em Madrid, às 19 horas.

Divirtam-se!

Boss

Publicado por renaseveados em 02:38 AM | Comentários (1)

OS CONSELHOS DAS ENTRELINHAS

Interessante a comparação feita no El Mundo entre os conselhos dados pelos organizadores das duas manifestações do dia em Madrid, o Carnaval Carlinhos Brown e a Manif anti-gay. Concentremo-nos na última:

# Recordad: una persona-una pancarta. Traed pancartas y banderas: ¡que se nos vea!

Uma pessoa, uma bandeira, a ver se parecemos mais que a meia dúzia de gatos pingados que seremos.

# Gorras, abanicos, sombreros e identificación personal. Entregad un papel a cada persona para que escriba los datos de la familia y que lo guarde en el bolsillo.

Que obsessão com a família, livra!

# A los niños menores de 5 años escribidles un teléfono de contacto en el brazo para localizar a sus padres.

Tanto cuidado com as crianças, e têm que lhes marcar o braço para não as perderem de vista? Para não falar do mau gosto, parece que estão a gozar com as marcações que faziam (entre outros) aos homossexuais nos campos de concentração nazis.

# Banderas de España en cualquier variedad: De tela, pines, cintas, etcétera.

E umas fotografias de Franco ficam sempre bem!

# Sombrillas. Un caramelo puede ser una buena ayuda para evitar lipotimias.

Sim, trazei de casa que não vos damos nada.

# Radio con cascos. La COPE retransmitirá todo el evento. 999 en AM y 100.7 en FM

Assim como quando ides à bola, sempre com o relato colado ao ouvido, apesar do jogo estar mesmo à vossa frente. Ah, mas desta vez não deixeis a mulher no carro! Trazei-a, trazei-a.

# Agua. No obstante se han preparado una serie de depósitos a lo largo del trayecto para repartir entre los manifestantes.

Pois.. vamos ter água, mas trazei também, que é para o caso de não termos...

# Teléfono móvil. Batería llena. Y a ser posible pasad el número a los vecinos de asiento.

Porque isto vai ser uma seca e vai.. lembra-te que vais estar com a tua família o dia todo!

# Ropa: Amplia, cómoda, que no apriete.

Nada de lycra, suas desavergonhas!!!

# Seguridad: Como en todas las aglomeraciones, hay 'otros intereses' que no hay que descartar. No conviene llevar joyas, ni abundante dinero. Ah, y tened la cartera controlada. No se puede dejar nada en el bus en Madrid.

Amigos, já sabeis, isto aqui entre nós é tudo uma família mas... até padres vão estar cá, por isso todos os olhos são poucos, não confies em ninguém, e o melhor é mesmo ter o dinheiro nas cuecas!

Boss

Publicado por renaseveados em 02:38 AM | Comentários (2)

junho 17, 2005

FINALMENTE SAMPAIO!

É a primeira intervenção de Jorge Sampaio, em meses, que merece o meu aplauso. Amanhã o presidente da república marcará presença na festa do Kola San Jon, na Cova da Moura. Mais informações no Barnabé.

Boss

Publicado por renaseveados em 11:13 PM | Comentários (0)

5x2 (2004)

5x2_affba.jpg
Valeria Bruni-Tedeschi & Stéphane Freiss

Continuando a série movies for the Summer, recomendamos agora 5x2 (aka Cinq fois Deux) de François Ozone. Filme perfeito para quem ache que se o Eurovisão marca o ritmo da Primavera, o Verão pertence ao Festival di San Remo - ou seja, uma banda sonora divina, com direito a revisitar o hit Saturday Night e tudo. A estória é belíssima, a lembrar a nossa primeira sugestão, Presque Rien, mas ao contrário. Trailer aqui.

Aliás, uma maratona cinematográfica com os dois filmes pode ser um excelente programa para as noites quentes que correm. Comece-se com Presque Rien, para que a noite seja de Verão a começar e a acabar a sessão, com um Inverno pelo meio, para não esquecer como é... Um excelente Verão!

5x2_08.jpg
Saudades dos postais de férias dos 80's?

Boss

Publicado por renaseveados em 10:30 PM | Comentários (2)

junho 16, 2005

Marxismos #1

"Marcos is gay in San Francisco, black in South Africa, an Asian in Europe, a Chicano in San Ysidro, an anarchist in Spain, a Palestinian in Israel, a Mayan Indian in the streets of San Cristobal, a gang member in Neza, a rocker in the National University, a Jew in Germany, an ombudsman in the Defense Ministry, a communist in the post-Cold War era, an artist without gallery or portfolio.... A pacifist in Bosnia, a housewife alone on Saturday night in any neighborhood in any city in Mexico, a striker in the CTM, a reporter writing filler stories for the back pages, a single woman on the metro at 10 pm, a peasant without land, an unemployed worker... an unhappy student, a dissident amid free market economics, a writer without books or readers, and, of course, a Zapatista in the mountains of southeast Mexico. So Marcos is a human being, any human being, in this world. Marcos is all the exploited, marginalized and oppressed minorities, resisting and saying, 'Enough'!"

Sub-comandante Marcos, do Exército Zapatista de Libertação Nacional

Pagan

Publicado por renaseveados em 11:54 PM | Comentários (7)

A ignorância cansa

O dia tinha começado mal. Por isso decidi parar, esquecer o trabalhinho por uns minutos (tarefa sobre-humana nos dias que correm), acalmar os ânimos, esquecer as frustrações e visitar o Renas.
Surpresa do tamanho do Mundo! O Renas estava inundado de comentários homófobos, racistas, e de um fascismo primário e repugnante. Comentários de gentinha que se infiltra em qualquer post, para nos impingir a mesma lenga-lenga, vezes e vezes sem conta. É sempre o mesmo paleio: ignorância, pura ignorância verbalizada.
Gentinha que nunca saiu de Portugal, ou então se o fez foi para ir comprar Torrão de Alicante a Badajoz, aproveitando para insultar os espanhóis pelo caminho. Gente que só conhece o estrangeiro dos telejornais medíocres que lhes entram pelos olhinhos dentro. Gente que nunca experimentou na pele um comentário racista, xenófobo, ou apenas menos politicamente correcto. Gente que arrota as maiores barbaridades sem pensar, sem mesmo perceber as implicações do que diz.

Saí de Portugal com vinte e poucos anos. Não por ver em Portugal um paizinho de treta do qual é preciso fugir a sete pés, mas antes porque as circuntâncias me guiaram nesse sentido. E ainda bem, porque aprendi muito durantes estes anos...
Parti numa situação privilegiada, confesso. A família que me calhou na rifa, em tempos abastada mas agora em decadência, teve os meios suficientes para me mimar durante a infância e juventude. Tive sorte, eu sei. Não me posso de todo queixar. Parti por isso de cabeça erguida, orgulhoso e confiante. Nada me podia deitar por terra: there was no mountain high enough, no valley low enough, no river wide enough (as the song goes). Era senhor do Mundo... mas não por muito tempo, porém.
Cedo fui bombardeado com comentários do tipo:
- You’re not white, you’ve got olive skin. (Olive skin? Olive skin? WTF? Nunca tinha ouvido tal).
- Have you got computers back in Portugal? Come, come along and I’ll show you one (só faltava acrescentar: “I might even let you touch it, if you’re a good boy”).
- How come you don’t wear a moustache?
- Oh, so you’re telling me there’s public water supply in every Portuguese city, then? I’d never imagine.

E muitos outros, que me fizeram entender que a imagem que faziam de Portugal, do meu país, era idêntica àquela que a Maria Filoménica Mónica pintou um dia do Minho, num momento de loucura. Mas acima de tudo, mais marcante do que a percepção de que vinha de um país tido como atrasado e “rústico”, era o facto de me sentir diferente, e de ser apontado como tal. Era um estranho numa terra que definitivamente não era a minha. Em que os costumes pouco me diziam, e dos quais eu era somehow excluído. Talvez na altura fosse hiper-sensível a estas pequeníssimas bofetadas (incomparáveis com problemas imensamente mais graves que emigrantes sofrem por esse mundo fora). Mas aprendi com elas. Ensinaram-me a ver a outra face do espelho. Fizeram-me mais humilde. Mais tolerante. Colocaram-me em perspectiva. Permitiram-me abraçar, admirar e celebrar a diversidade. E acima de tudo, esclarecer de uma vez por todas que não se é racista, xenófobo, sexista, homófobo, ou lá que porra se pode ser, por esta ou por aquela ideologia, por esta ou por aquela razão, mas porque se é simplesmente ignorante. Porque se vive num cocoon irrealista, limitado ao pouquíssimo que se conhece, onde ainda assim se criam fronteiras, barreiras e distinções infundadas e preconceituosas. Onde ser diferente é sinónimo de anormal, e não motivo de celebração.

Waltz

Publicado por renaseveados em 06:21 PM | Comentários (19)

PAGAM TODOS POR ARRASTÃO

«Reino Unido: emigrantes portugueses sofrem represálias pela morte de Hayley Richards»

Uma notícia a ler com particular atenção pelos meninos que andam a organizar a manif fascista do próximo Sábado em Lisboa.

Boss

Publicado por renaseveados em 06:17 PM | Comentários (6)

Quere vostede farcerme o puñeteiro favor de liscar de aquí e...

Resposta de Manuel Fraga ao seu secretário geral para as relações com os meios de comunicação, Alfonso Cabaleiro, por este sugerir que Iribarne vestisse adequadamente o seu casaco, antes de uma entrevista à Antena 3. Ouch! Fraga dá pena e pelos vistos repetiu hoje a cena na Tele5. Vídeo da primeira aqui.

Boss

PS: A senhora dot chama a atenção para o perigo destas gaffes, patetadas e mesmo senilidades, que Fraga tem coleccionado ao longo da campanha, o poderem beneficiar. As últimas eleições americanas exemplificam na perfeição o perigo, e esta gente está disposta a tudo. São fascistas, e destes nunca devemos ter pena. Fica a correcção.

Publicado por renaseveados em 04:51 PM | Comentários (1)

ARMÁRIO PÓSTUMO

«É impressão minha ou não há um jornal ou televisão que faça referência à homossexualidade de Eugénio de Andrade?» Impressão totalmente partilhada por mim. Com tão poucas figuras públicas abertamente homossexuais no nosso país, ainda querem meter no armário depois de morto, quem o recusou em vida... [isto não é novo, passou-se algo semelhante aquando da morte de Susa Sontag nos EUA]. Quando nesta altura o que se devia estar a fazer era exactamente o contrário, retirar do armário as figuras da nossa História, cuja morte tenha sido há tempo suficiente para não ferir susceptibilidades de familiares, um século talvez...

Mas por falar no Eugénio, no próximo dia 25 sai com o Jornal de Notícias um livro infantil da sua autoria, a não perder.

Boss

PS: Sobre este tema ler ainda as crónicas de Eduardo Pitta, «Eugénio e os áulicos» e «O Mestre da Elipse».

Publicado por renaseveados em 04:23 PM | Comentários (9)

PUBLICIDADE FORA DO ARMÁRIO

sabonete_parada.JPG
Publicidade à 9ª Parada Gay de São Paulo, da agência Ogilvy & Mather - Ouro no Festival Internacional de Publicidade em Lingua Portuguesa

Graças a um comentário do Luís descubro esta fantástica e bem humorada campanha publicitária no The Hidden Persuader. Daí fui parar à Aventura Paulista, onde pude ainda descobrir o outdoor que segue abaixo, juntamente com os restantes da mesma campanha. Publicidade assim é de aplaudir, e prova o que diz o Miguel: «E já é altura de se perceber que, hoje, o mercado pode tanto ser "local" de alienação como "local" de emancipação.»

olla.JPG
Campanha da marca de preservativos Olla

Que mal fica este post a seguir à A Internacional, mas não dá para resistir a estes outdoors... Muito mais publicidade gay no Commercial Closet.

Boss

Publicado por renaseveados em 01:49 AM | Comentários (6)

junho 15, 2005

A Internacional

De pé, ó vítimas da fome!
De pé, famélicos da terra!
Da ideia a chama já consome
A crosta bruta que a soterra.
Cortai o mal bem pelo fundo!
De pé, de pé, não mais senhores!
Se nada somos neste mundo,
Sejamos tudo, oh produtores!

Refrão
Bem unidos façamos,
Nesta luta final,
Duma Terra sem amos }bis
A Internacional.

Messias, Deus, chefes supremos,
Nada esperemos de nenhum!
Sejamos nós quem conquistemos
A Terra-Mãe livre e comum!
Para não ter protestos vãos,
Para sair deste antro estreito,
Façamos nós por nossas mãos,
Tudo o que a nós diz respeito!

Pagan

Publicado por renaseveados em 10:54 PM | Comentários (18)

LUNÍTICOS

lunis.jpg

Há tempos, a série de televisão espanhola Los Lunis era alvo de críticas por ter transmitido um episódio em que retratava uma série de casamentos «alternativos», entre eles o de dois homossexuais.

Dada a polémica que esta «bonecada» levantou deve ter sido um alívio para muitos (católicos, já compraram o bilhete?), que os 25 000 Lunis que aterraram em Madrid tivessem sido declarados «falsos», não fosse passar pela cabeça dos felpudos, ainda para mais «programados» na China, fazer uma contra-manifestação pró-casamento gay.

Hetero_doxo

Publicado por renaseveados em 06:47 PM | Comentários (1)

ARRUFOS DE AMOR

Lobo: Querida, eu sou católico, tradicionalista e patriótico... mas não sou Salazarista, pois não?
Coelha: Não querido, de todo! Tu és é monárquico! Vá, meu pançudo, não te armes em intelectual e dá-me umas dentadinhas que eu até gosto!

Hetero_doxo

Publicado por renaseveados em 04:00 PM | Comentários (0)

Retrato Ardente

No teu peito
é que o pólen do fogo
se junta à nascente,
alastra na sombra.

Nos teus flancos
é que a fonte começa
a ser rio de abelhas,
rumor de tigre.

Da cintura aos joelhos
é que a areia queima,
o sol é secreto,
cego o silêncio.

Deita-te comigo.
Ilumina meus vidros.
Entre lábios e lábios
toda a música é minha.

Eugénio de Andrade

Pagan

P.S.: contributos para uma descoberta. Ontem passei o dia todo a pensar no halo das searas...

Publicado por renaseveados em 02:40 PM | Comentários (1)

O LUTO POR CUNHAL É VERMELHO

O Tiago tem razão. E aquele cinza já me estava a irritar.. Red it is!

Boss

Publicado por renaseveados em 02:35 AM | Comentários (9)

HOJE NUMA REPARTIÇÃO PÚBLICA PORTUGUESA UMA FUNCIONÁRIA GRITAVA A PLENOS PULMÕES QUE NÃO ACEITAVA NOTAS DE 100€ COMO PAGAMENTO

Não se tratava sequer do problema do troco, mas apenas a desconfiança da funcionária em relação a essas notas, e pronto. Em Espanha há quem queira legalizar algo semelhante, mas não em relação a notas, mas pessoas. Ora vejam: «El Senado incorpora una enmienda para regular la objeción de conciencia frente a las bodas gays». Bom a senhora da repartição pública sempre tem a desculpa de ter que arcar com o prejuízo caso lhe passe alguma nota falsa...

Boss

Publicado por renaseveados em 02:00 AM | Comentários (0)

junho 14, 2005

Manifs de fachos

Na espanha, uma contra o casamento entre pessoas do mesmo sexo. Em Lisboa, uma manif de skins, a propósito do Arrastão. Tudo dia 18 de Junho.

E tudo o que é bicho facho sairá do covil. Dia 18 de Junho, Madrid e Lisboa andarão inquinadas de bichos. O melhor é irmos de fim de semana... e regressarmos quando semelhantes seres regressarem às tocas.

Pagan

Publicado por renaseveados em 11:14 PM | Comentários (39)

Alinhamentos neo-conservadores

Hoje tomei um pequeno almoço tardio e ao ler ao Público, quase tive que parar de comer, porme ter feito o estômago andar às voltas. E, porquê? Pelo tratamento tipo lavagem ao cérebro anti-cunhal. O neo-con'ismo é tal, que é preciso preparar os leitores e impedir o contágio de ideias vermelhas. Red Scare, já te vi começar por menos. Então, e o que é que foi utilizado?

a) um texto de José Manuel Fernandes, sobre a teimosia de Cunhal em ser comunista e não se ter convertido aos novos tempos. JMF decerto pretende que tod@s façam como ele, atirem o maoismo para debaixo da mesa, e passem a defender a invasão do Iraque. Janota, janota, é adaptar-se aos tempos (e será mesmo só aos tempos?) e mudar de lado, rápida e eficazmente. Nem que para isso a mudança implique transformar-se em defensor do Bush!

b) um texto de Vasco Pulido Valente, sobre o seu paizinho e a sua mãezinha. Nada a comentar.

c) um excerto de entrevista a Mário Soares intitulado: "A História nunca lhe dará razão", que agora se presta a figurar ao lado destas pessoas!

d) um texto de Francisco Martins Rodrigues, chamado "Progressista de vistas curtas"

e) uma entrevista a Pacheco Pereira aquando do lançamento do 1º volume a sua biografia de Cunhal (por sinal, um dos menos enviesados) e um texto inédito do mesmo autor de mais um volume da biografia de Cunhal a ser lançado.

f) memórias de comunistas da geração de Cunhal e de mulheres comunistas que o apoiaram

g) um texto de Urbano Tavares Rodrigues, amigo de Cunhal

h) as opiniões dos Renovadores, de pessoas que sairam do PCP (e que foram justos na sua análise) e da ex-camarada Zita (a furiosa militante cristã do PSD).

e depois, mandado lá muito para o meio, um texto óptimo, mas muito bem escondido de São José Almeida, que coloca bem o dedo na ferida:

"A questão é a de saber quais os critérios que levam a decretar três dias de luto nacional por uma freira, a quem alguns reconhecem dons de "vidente". Um dia pelo líder histórico do PCP, dirigente político fulcral em democracia e na ditadura fascista. E nenhum dia por um primeiro-ministro com o papel histórico marcante numa época conturbada da história de Portugal e marcante na construção da democracia - uma figura que por muito que se discorde dele do ponto de vista ideológico, há que reconhecer que é o único verdadeiro líder revolucionário do pós-25 de Abril e que tem uma grandeza humana, uma generosidade e noção de solidariedade social ímpares em Portugal." (in Público.pt edição paga)

E outro bonito texto de Adelino Gomes, "CHAMAR-TE ESSE NOME SÓ NOSSO, CAMARADA", sobre as reacções d@s comunistas a esta morte.

Como convirão, o que o Público esteve a fazer foi propaganda. Porquê? Alinhou os convites com as posições pessoais do director neo-conservador que tem, associou o PCP e Álvaro Cunhal a pessoas da sua geração e fora da vida política activa (que obviamente deveriam ser entrevistadas, mas que as reacções não se limitassem apenas a estas pessoas), sem sequer mencionar actuais intervenientes do PCP e da esquerda portuguesa. Tratou de acantonar a imagem do PCP a um partido morto e pronto para ser enterrado com Cunhal. Mas que curiosamente ultrapassou o CDS-PP nas últimas eleições legislativas. E se tornou no terceiro partido nacional. Por muito que custe.

Por isso, quando jornais ditos de referência recorrem a semelhante propaganda, e salvo as excepções mencionadas, estão mais interessados em vender neo-con'ismos do que em analisar uma figura na sua história e contexto, deviam merecer deixar de ser de referência. O único problema é não termos nada decente que nos faça deixar de ler este novo bastião de neo-cons.

Pagan

P.S.: Quando morreu JP II, a cobertura era toda em tom laudatório, Porque será? Por ter sido um papa importante e bonzinho ou por ter sido ferozmente conservador?

Publicado por renaseveados em 10:45 PM | Comentários (29)

Antípodas

Mais uma vez a Espanha surpreende, ao dar uma forte golpada no machismo obsoleto do sul da Europa. Segundo a nova proposta de lei a partilha de tarefas domésticas passará a fazer parte da lista das obrigações matrimoniais.
Toca de partilhar a esfregona e o passe-vite!

Enquanto isso, do outro lado do Mundo, a linha telefónica de ajuda a mulheres vítimas de violência doméstica, lançada pelo governo australiano deixa muito a desejar. “Vestir roupa mais grossa” foi o conselho dado a uma mulher que testava o serviço por conta da associação NSW Refuge Movement.
Porque não mesmo usar um capacete?

Waltz

Publicado por renaseveados em 10:09 PM | Comentários (4)

DESTE LADO DA TRINCHEIRA

Depois da notícia de ontem, Mariano Rajoy, presidente do PP espanhol, ainda não revelou se comparecerá pessoalmente à manifestação anti-casamento gay do dia 18 em Madrid.

O mais espantoso nesta notícia é o seguinte trecho: «La decisión del PP ha sido muy criticada desde la Plataforma Popular Gay, integrada por militantes homosexuales del partido de Rajoy. Este colectivo ha exigido a la dirección nacional del partido que se desmarque de la manifestación y amenaza con dar los nombres de los dirigentes del PP homosexuales».

Não consegui encontrar nenhum site oficial da «Plataforma Popular Gay», mas segundo apurei até há pouco tempo (senão ainda) é uma organização que não é sequer reconhecida pelo próprio partido a que pretende filiar-se (o PP, claro está). O presidente Carlos Alberto Biendicho, antigo seminarista, tem pautado a sua actividade com ameaças ao clero e ao poder político, nomeadamente com «outings». Este é obviamente o deplorável caminho da parte da comunidade LGBT que, julgando encontrar na direita e na ICAR os seus companheiros de luta, mais não pode fazer do que lutar com as armas que estes têm usado desde sempre: o insulto e a ameaça.

Para mim, e creio que para qualquer LGBT com cinco centímetros de testa, é óbvio que a luta pela igualdade de direitos (e deveres) é eminentemente uma luta política que só tem cabimento na esquerda progressista e fora da ICAR. Não é possível ser-se coelho na toca do lobo; aquele acabará, mais cedo ou mais tarde, por ser devorado pelo lobo, só depende da fome e do momento.

E para acabar de vez com qualquer utilização abusiva das minhas palavras: sou ateu e anti-clerical (desejo mesmo o fim de qualquer organização religiosa, porque ela é incompatível com a liberdade, mesmo a liberdade de pensar deus). Não sou contra a fé individual de ninguém, desde que essa fé não se converta num partido político.

Hetero_doxo

Publicado por renaseveados em 05:09 PM | Comentários (7)

Novo blog

As Panteras Rosa estão em acção... agora em blog! Sejam muito bem vind@s, que fazem cá falta, os vossos rugidos!

Pagan

Publicado por renaseveados em 01:29 PM | Comentários (3)

junho 13, 2005

ICARPP

O Partido Popular espanhol apoia a manifestação anti-casamento gay, que se realizará em Madrid no próximo dia 18. Aliás outra coisa não seria de esperar, já que o Partido Popular representa o espectro político onde a ICAR se revê e é fiel depositário, entre outros, da asquerosa herança franquista. Cúmulo do cinismo é o porta-voz do PP dizer, que apoia a manifestação mas não tem nada contra os homossexuais... ah, pois não.

Hetero_doxo

Publicado por renaseveados em 11:34 PM | Comentários (7)

Tragédia romana

A Itália referendou ontem e hoje quatro artigos da “Lei 40” sobre bioética e fecundação assistida. A lei aprovada no ano passado, com forte apoio da ICAR, proibe:
1. a reprodução heteróloga, na qual se recorre a um dador externo de esperma ou de oócitos;
2. a investigação científica em embriões e em células estaminais;
3. a criação de mais do que três embriões por tratamento, obrigando à implantação simultânea dos mesmos sem diagnóstico pré-implante.

É uma lei impensada e totalmente irresponsável. Uma lei que discrimina casais com problemas de fertilidade e que ignora as potencialidades reais da reprodução medicamente assistida, fruto de uma investigação séria e continuada. Uma investigação que não tem de todo o objectivo hitleriano de produzir super-homens em laboratório, como nos querem fazer pensar os opositores do referendo. É triste, quando a falta de argumentos válidos nos leva a cair no ridículo.

Uma participação superior a 50% seria necessária para a consultação ter valor.
Com todas sondagens prevendo uma esmagadora vitória do “sim”, papa, cardeais, bispos e padrecos decidiram “não brincar mais”, e gritar “rebenta a bolha”, como putos birrentos e mimados de escola, apelando a uma abstenção consciente. Cobardes! Fazendo campanha pelo eterno vencedor dos referendos (a abstenção), a ICAR conseguiu assim reduzir a participação eleitoral a 25%, invalidando este referendo de forma traiçoeira e irresponsável.

But then again, always look on the bright side of things. Nunca as relações estado-igreja estiveram tão tensas em Itália. Esta é provavelmente a maior crise religiosa, a maior divisão estado-igreja, desde a discussão do aborto e do divórcio nos anos 70 (ih ih ih).

Waltz

Publicado por renaseveados em 10:26 PM | Comentários (7)

Notas para um obituário subjectivo

Espanto e pesar. Nunca esperei que Álvaro Cunhal morresse. Bem sei que era humano. Bem sei que estava velho. Mas Cunhal era mais que um homem, era uma época, era um partido. E era uma ideologia. Bem sei, que para a ideologia do PCP, partido que imediatamente e orgulhosamente identifico com Cunhal (e pela positiva), um líder nem sequer faz sentido, porque é o colectivo que toma as decisões e as coloca em prática.

Sinto-me em perda. Continuo a ver no Partido Comunista, uma força com a qual me identifico, apesar de não ser o meu partido. E Cunhal era marxista, portanto da minha família política alargada. De Álvaro, pouco mais há para dizer. Pura e simplesmente, perdemos o símbolo maior da resistência anti-fascista, e um dos principais nomes da história portuguesa do século XX. Perdemos um intelectual, um escritor e um político brilhante.

Dele, retenho a histórica tese de licenciatura, defendida em 1940, sobre o aborto em Portugal, defendendo a sua despenalização. Morreu e viveu comunista. Aos 91 anos. E já se sente a falta da clareza das suas posições. A mim e a muit@s faz-nos falta.

Até amanhã, camarada!

Pagan

P.S.: A melhor homenagem que lhe posso fazer é pôr orgulhosamente, a bandeira do seu partido.

Publicado por renaseveados em 10:06 PM | Comentários (28)

A Dança de Pedra do Camaleão - Os Escolhidos

A Dança de Pedra do Camaleão - Os EscolhidosEste é o primeiro livro da trilogia d'A Dança de Pedra do Camaleão, da autoria de Ricardo Pinto.

Suth Carnelian é um dos Escolhidos, um Mestre, mas cresceu longe de Osrakum, a moradia dos outros que, como ele, ocupam posições de poder no Equilíbrio. Os acontecimentos levam-no e ao seu pai até Osrakum, onde irá decorrer a Eleição e onde vai descobrir mais sobre si e os outros Mestres.

Este livro enche-me de contradições. Está bem escrito e a tradução é boa, a história tem algum interesse e o mundo criado é fabuloso e imenso, sem dúvida original. O estilo de fantasia é diferente daquele que me é mais querido, pois a magia não está presente como num Harry Potter nem num Senhor dos Anéis, aliás, nem se fala em magia no livro. Isto faz com que as situações na história não possam ser resolvidas de forma simples, enquanto noutras histórias parece que tudo se resume a encontrar a arma mágica mais forte e apontá-la ao inimigo. Tenho de reconhecer o mérito do autor no que toca à criação deste mundo. A parte da escrita é mais controversa. O estilo é bom, está cheio de imagens muito bem conseguidas e o ambiente da história é coerente e até envolvente. Os períodos de descrição, mesmo sendo algo longos e constantes, visto que tudo é tão imenso e novo para o leitor, não são chatos. Não me aborreci, mas há sem dúvida um conflito pouco equilibrado entre história e descrição. Dei por mim a meio do livro e era capaz de resumir o essencial da história numa ou duas frases. Sem dúvida havia pedaços que podiam perfeitamente ter sido omitidos, descrições simplificadas ou mesmo retiradas, e quem sabe um pouco mais de pormenores introduzidos na história em si, para bem da acção.

Vejo esta história com uns contornos “orientais”. Tem um ritmo lento mas belo, há necessidade do silêncio e da demora para podermos desfrutar do que estamos a ler. Imaginei-a diversas vezes não como um filme com actores de carne e osso, onde acho que teria grandes hipóteses de ser desvirtuado, mas como uma animação em estilo japonês.

Sinto alguma desilusão no sentido em que a intriga, que tão bem se presta ao ambiente e ritmo da história, não é tão profunda nem tão bem orquestrada como podia ser. As personagens dão mostras de requinte, de inteligência e de esquemas cuidadosamente planeados, mas não chegam ao raiar da genialidade dos que vi nos livros da série Dune, de Frank Herbert. Sim, estas são metas muito altas, mas acho que talvez fossem apropriadas para esta obra. A linguagem das mãos, toda a hierarquia e complexidade das castas parecem prometer tanto, há ali tanto potencial para que estes Escolhidos sejam verdadeiras máquinas de teias políticas, mas no fim toda a intriga parece algo mesquinha e simples.

Zun

Publicado por renaseveados em 09:20 PM | Comentários (6)

ME, MYSELF AND I

Sinto na ponta dos dedos a pressão de escrever o primeiro post. It’s my very own writer’s block, I reckon.

Foram meses de viagem pelo blog, guiado pelas renas. Lá fora, ao longe, passava o nosso país e a nossa gente. Umas vezes ria com o que via; outras desesperava, fumegava de tal maneira que chegava a trepar pelas paredes (coisa que aliás faço muito bem, trepar pelas paredes – qual super homem). O R’n’V é uma das minhas janelinhas abertas para Portugal, um dos meus pontos de vigia por onde espreito regularmente.

Subitamente, no meio da viagem, atravesso a fronteira da Lapónia. Roubam-me o passaporte, o visto, o inter-rail, os traveller’s checks, o diccionário de bolso de lapão, os cartões de cédito... Estou perdido, só e sem saber para onde ir, o que fazer, como sobreviver no meio de tanta neve (e logo eu que não vi o “Touching the Void” que o meu chefe tanto recomendava... Ora bolas!). Salvaram-me as renas. Por isso aqui estou, a abrir a minha janelita, indiscreta ou nem por isso. Umas vezes mais aberta do que outras. Aliás, dado estar carregado de trabalho, com uma dose valente de stress e no meio de uma (early)-mid-life crisis (disse early, certo?), chamemos-lhe antes postigo por enquanto.

To set the record straight e para não arrastar as apresentações ideológicas por posts sem fim, aqui vai:

Sim ao casamento homossexual, à adopção por casais do mesmo sexo, à despenalização do aborto, à clonagem, à investigação em células estaminais, à eutanásia, à União Europeia (com ou sem constituição), ao laicismo, ao protocolo de Kyoto, à educação sexual, à entrada da Turquia na UE, aos organismos geneticamente modificados, à distribuição gratuita de preservativos pelos quatro cantos do Mundo, ao eurostar, aos genéricos, à libertação da Florence e do Hussein... Sim à liberdade, sempre.

Não à homofobia, ao racismo, aos fanatismos, à pena de morte, à importância dada a quem é medíocre, aos tablóides, à emigração por quotas, aos salários obscenos dos jogadores de futebol, à privatização do sistema de saúde, à monarquia (incluindo a da Madeira; e não me tentem convencer com o William ou o Harry, argh...), ao fox hunting, ao dia da criança por nascer (ou lá que treta é que nos querem impingir), a quem mastiga pastilha elástica de boca aberta, à falta de pontualidade. E tantas outras coisas...

E para acabar. Evito conflitos, discutir religião, política, investigação animal e futebol (neste último caso porque não percebo népia do assunto). Misturo descaradamente português, inglês e francês, não só por puro pedantismo, mas porque o meu vocabulário luso está cada vez mais reduzido. Construir uma frase com mais de 10 palavras torna-se rapidamente uma tarefa herculiana. Por isso, se nada disto fizer sentido... a culpa é do espaço Schengen.

Waltz

Publicado por renaseveados em 08:27 PM | Comentários (13)

BIENVENU, MONSIEUR WALTZ!

Haiku

Uma rena nova
Na neve
É um gato

Fujitso Strøm, samurai-astrólogo-poeta lapão do séc. V

Boss

Publicado por renaseveados em 08:23 PM | Comentários (5)

PESCADINHA DE RABO NA BOCA

«Syphilis Rates Drop in Countries with Gay Marriage Laws» [Taxas de sífilis baixam em países onde há casamento homossexual]

A relação não é directa. O que acontece é que nos países onde o casamento homossexual foi legalizado, a homofobia é naturalmente muito menor que em países onde as uniões homossexuais não têm qualquer estatuto legal, e incomparavelmente menor que nos países onde a homossexualidade ainda é criminalizada. Ora é essa mesma homofobia que faz com que não haja campanhas específicas para homossexuais sobre as doenças sexualmente transmissíveis, que está aliada a mais mil e um tabus que resultam na inexistência de educação sexual nas escolas, e que faz com que seja quase impossível viver relacionamentos de forma aberta e relaxada.

Embora o engate anónimo seja uma forma totalmente legítima de viver a sexualidade, em muitos destes países ele acaba por funcionar como a única hipótese de se ter uma vida sexual. O anonimato aliado à desinformação acaba por resultar inevitavelmente num meio propício à propagação de DST's. Assim se prova, mais uma vez, como é mais saudável uma sociedade não-homófoba, não apenas pela inexistência dessa doença que é a homofobia it self, como as outras que traz por arrasto...

Boss

Publicado por renaseveados em 08:19 PM | Comentários (1)

ATÉ AMANHÃ CAMARADA!

Alvaro_Cunhal.jpg

Álvaro Cunhal (1913 - 2005)

Boss

Publicado por renaseveados em 12:31 PM | Comentários (29)

EUGÉNIO DE ANDRADE

eugenio.andrade.jpg

1923 - 2005

As palavras que te envio são interditas
até, meu amor, pelo halo das searas;
se alguma regressasse, nem já reconhecia
o teu nome nas suas curvas claras.

Dói-me esta água, este ar que se respira,
dói-me esta solidão de pedra escura,
estas mãos nocturnas onde aperto
os meus dias quebrados na cintura.

E a noite cresce apaixonadamente.
Nas suas margens nuas, desoladas,
cada homem tem apenas para dar
um horizonte de cidades bombardeadas.

Eugénio

Boss

Publicado por renaseveados em 12:28 PM | Comentários (5)

Drawing Restraint 9


(imagem disponível em bjork.com/unity)

Matthew Barney e Björk conceptualizaram um novo filme, dirigido por Barney e com banda sonora composta (e parte dela, cantada) por Björk. Quando li isto, quase colapsei. Barney e Björk? Uma obra dos dois, para além de serem um casal (wonder couple, for sure!)? Isto pertence ao mundo onírico dos meus sonhos molhados. No dia 1 de Julho é lançado o filme, no Japão e no dia 25 de Julho prevê-se o lançamento do cd com a banda sonora. Eu já ouvi excertitos, appetizers, e para quem gostou de Medúlla, Drawing Restraint 9, oferece momentos perfeitamente mágicos. Curioso do que li e do que vi, é que os universos destes dois estão ambos presentes, sem se perderem de vista. Até porque se tocam.

Mas há mais. O filme é protagonizado por Barney e por Björk, the Guests, e tem por cenário a cultura japonesa. Bem, não digo mais nada. Espreitem aqui e aguardemos pacientemente. Quando chegará a Portugal?

Pagan

P.S.: Um excelente motivo para regressar como Pagan!

Publicado por renaseveados em 01:17 AM | Comentários (4)

RACISMO POR ARRASTO, NÃO!

Já se estava a advinhar. Apesar de uma boa parte (a maior?) das vítimas do "arrastão" de sexta-feira na praia de Carcavelos terem sido negros, já pude ouvir mil e um impropérios racistas sobre o assalto colectivo. Aliás é curioso como a habitual "falta de notícias" de Junho faz com que da noite para o dia todo o país fale em "arrastões", como se o termo sempre tivesse feito parte do nosso vocabulário com este significado. Pior ainda, o exagerado (provinciano?) alarmismo dos jornalistas portugueses fez com que rapidamente a notícia se espalhasse pelo mundo, com os óbvios prejuízos para a indústria do turismo que isso acarreta...

Se há um assalto, a nossa preocupação deve centrar-se nesse acontecimento e não na cor da pele dos seus executores. É que esta em nada atenua ou agrava o acto. E é o acto que deve ser prevenido, e se acontece, devidamente punido claro está.

Que tentem usar este tipo de assaltos para justificarem e propagarem teorias racistas não é, infelizmente, nada de novo. É sobretudo importante não cair em ingenuidades ou raciocínios simplistas. Um blog, como o referido no post anterior, cria-se em menos de 5 minutos. Qualquer pessoa com acesso a internet é capaz de o fazer. Neste caso a sua origem neo-nazi e branca é bastante óbvia. Ora reparem:

1) No primeiro post do blog todos os comentários inaugurais são de neo-nazis. Então é o blog da "irmandade negra" e só os fascistas brancos o conhecem?

2) No post mais recente é negada qualquer ligação à extrema-direita, dizendo que o blog existe desde Maio. Uau, fantástico, dado ser um blog com 5 posts!!! E as datas dos mesmos poderem ser livremente alteradas...

3) Nesse mesmo post são insultados os anti-fascistas! Mais que os fascistas.. I rest my case.

Boss

Publicado por renaseveados em 01:15 AM | Comentários (8)

The Book of Revelations

Bem, após aturada reflexão e reacções, resolvo pôr a claro meu disfarce como Kollontai. É incrivelmente diferente a perspectiva de blogar no feminino. Não porque ache que as mulheres e os homens (oh criaturas de ficção) sejam assim tão diferentes, mas porque as reacções dos comentadores e comentadoras assim o determinam. Assim inventei a minha Kollontai, espírito de outros tempos, mas das mesmas lutas. Curiosamente e já escrevo neste blog há algum tempo, nunca as reacções à minha escrita foram assim tão agressivas. A experiência só me faz valorizar mais ainda as mulheres que têm a coragem de escrever num blog, mundo que é tão masculinizado, que basta ser mulher para levar com uma série de filmes, que sendo homem, nunca me aconteceram.

Penso com esta pequenina experiência, ter vivido parcialmente e parcelarmente do outro lado do género e ter verificado como pode ser duro tomarem-se posições em contraciclo e ainda por cima invocando nomes, que hoje são banidos da esfera pública, por vergonha. Constatei também que ser feminista e comportar-se como tal é muito complicado, nomeadamente para as mulheres. E que facilmente se envereda por caminhos ínvios.

A Kollontai que criei era féerica e furiosa, enfrentando tudo na hora. E isso agrada-me nela. Precisamente por ser pouco assim e por basicamente usar outro tipo de estratégias face a gente que não gosto ou em quem não estou interessado.

Digamos que foi uma performance subversiva de género. E que me agradou imenso. Se desagradou aos outros, so sorry. Na maioria dos assuntos concordo com a Kollontai, noutros seria mais moderado. Ou melhor ignoraria mais vezes, ainda que tivesse vontade de fazer o mesmo que ela.

E pronto, bye bye Kollontai, Pagan is finally back!

Pagan

Publicado por renaseveados em 12:16 AM | Comentários (15)

Genealogia Pagã para iniciad@s

Pagan
|
|
|
João O
|
|
|
Kollontai
|
|
|
Pagan

Pagan

Publicado por renaseveados em 12:06 AM | Comentários (4)

junho 12, 2005

SOBRE ELEITORES INDECISOS E SONDAGENS

«Si a una mujer le preguntan con cuántos hombres se acuesta, no suele dar una respuesta absolutamente certera. Y en política pasa lo mismo» - Fraga Iribarne 11/06/2005

Desta vez porém, pediu desculpas. Já aos "asquerosos gays", algum funcionário seu pediu "desculpas" num fórum on-line. Fraga dá pena. E o Fragagá está genial, parabéns!

Boss

Publicado por renaseveados em 02:10 PM | Comentários (0)

2500 EM VARSÓVIA

Apesar da proibição pelo presidente da câmara da cidade, o ultra-conservador Kaczynski, e candidato a presidente da Polónia, os homossexuais marcharam ontem em Varsóvia. Foram cerca de 2500, e contaram com a companhia de cerca de 300 contra-manifestantes. 10 pessoas acabaram detidas. Mais informações aqui. A manifestação contou com a presença de alguns políticos estrangeiros, nomeadamente alemães, o que certamente contribuiu para que a polícia a protegesse dos contra-manifestantes, acção que enfureceu Kaczynski. Esta aberração manifestação é um passo histórico para a luta pelo fim da so-called brutal discriminação existente no país.

Boss

Publicado por renaseveados em 04:17 AM | Comentários (5)

junho 11, 2005

Muralha de aço?

Morreu hoje Vasco Gonçalves.

kollontai

Publicado por renaseveados em 08:50 PM | Comentários (6)

MADRID A LA CALLE

madrid_ciclistas.jpg
Ciclistas nus em protesto por mais vias para bicicletas [via Público]

Hoje foi assim. E daqui a uma semana repetem esta:

divorcio_madrid.jpg
Manifestação católica contra a lei do divórcio, aprovada em Espanha em 1981 [via Escolar.net]

Boss

Publicado por renaseveados em 08:09 PM | Comentários (3)

ESCLARECIMENTO BLOGAYESFÉRICO

Como já devem ter reparado, há já muito tempo que o nosso banner da Blogayesfera linka o PortugalPride.org e não o site original na Blogspot. A ideia da Blogayesfera, um directório de blogs LGBT, pertence à Anabela Rocha, e foi imediatamente apoiada e acarinhada por vários bloggers. No entanto, destes, apenas três trabalharam activamente na construção e manutenção do site, o Casal Gay, o Ghost e eu próprio (Ok, ok, por uma ou duas vezes o Drocas e o Pagan deram uma mãozinha). Com o tempo todos nos acabamos por desligar/cansar/desinteressar do projecto, e o mesmo foi abandonado. É por isso que há muito tempo também, o site da Blogspot linka o do PortugalPride.org. No entanto a perspectiva de um directório de blogs LGBT criado e gerido pelos próprios bloggers sempre me pareceu mais interessante, foi por essa razão que passei há já algumas semanas as "chaves da casa" ao Eu, que mostrou disponibilidade para arregaçar as mangas. Esperamos assim ter novidades pelo Verão...

Boss

Publicado por renaseveados em 08:02 PM | Comentários (1)

MAKING POVERTY HISTORY

«G8 anula dívida dos países pobres mais endividados do Mundo»

Boss

Publicado por renaseveados em 04:24 PM | Comentários (7)

RESCALDO DO 10 DE JUNHO

arrastao.JPG

Na praia de Carcavelos cerca de 500 assaltantes invadiram o areal, roubando quem lá estava. Perante este cenário de violência descontrolada a preocupação do presidente da câmara local foi garantir que "os assaltantes não eram do concelho". Na TV várias testemunhas garantiam que os mesmos "não eram portugueses" (sic). Sim, e depois? Já a nacionalidade das vítimas não mereceu "investigação" por parte dos jornalistas...

Em Lisboa foi assim: «"Contra o fascismo, ofensiva popular", gritou repetidamente o grupo antifascista, de rosto coberto, enquanto empunhava bandeiras negras e arremessava pedras em direcção ao Largo Camões. "Portugal, Portugal, Portugal", replicavam os nacionalistas, alguns fazendo saudações nazis.» Mas não eram as manifs nazis ilegais neste país? A polícia preferiu perseguir os manifestantes anti-nazis...

«Julieta Lima, 66 anos, filha de antifascistas e mãe de antifascistas, não faltou ao encontro. Aliás, diz que está em todos. "O meu filho queria vir, mas está na Holanda. Pediu que eu o representasse na marcha", disse ao JN, enquanto relatava para ele, via SMS, o desenrolar dos acontecimentos.» Um beijo para a Julieta! :)

Já em Guimarães, perante a opulência em tempos de crise das comemorações do 10 de Junho, surgiram panfletos anónimos que denunciavam isso mesmo. Adão Mendes da União de Sindicatos de Braga, afirmou ao Público: «Isso é obra de movimentos homossexuais, lésbicas e anarquistas, ligados ao BE e ao MRPP.» - [obrigado a.pacheco]. Para dirigente sindical, Adão está com um vocabulário muito católico. Não surpreende, dada a sua preocupação com a diminuição de casamentos e aumento de divórcios em Guimarães. E que tal focar-se nos números de desemprego, e na denúncia do esbanjamento dos dinheiros públicos senhor Adão?

Já Jorge Sampaio, o motor do esbanjamento de ontem em Guimarães, afirmou que "há vida para além do défice". Não sabemos se para justificar a opulência das celebrações, se para justificar a sua isenção do fim das subvenções vitalícias. O presidente que passou meses a apelar ao "sacrifício nacional" não parece disposto a dar o exemplo. Imagino o que dirá Sampaio dos jornalistas que têm denunciado a hipocrisia presidencial...

Boss

Publicado por renaseveados em 03:42 PM | Comentários (14)

junho 10, 2005

VISÕES INDESEJADAS

visaoserg.jpg
Foto roubada ao Farpas & Bitaites

Pelos vistos a reportagem da revista Visão de que aqui fizemos referência e que está parcialmente no site da revista, incomodou muita gente. O Musicólogo mostra algumas cartas de leitores indignados, e recomenda uma acção que subscrevemos inteiramente, escrever e-mails de apoio à reportagem para visao@edimpresa.pt. Quanto aos leitores indignados deviam procurar outra revista mais ao seu estilo, haverá alguma publicação chamada Às cegas ou Obscurantismo Lusitano?

Boss

Publicado por renaseveados em 06:40 PM | Comentários (16)

SEXY US 1006

Portugal foi um dos países europeus que mais cedo conheceu o turismo sexual. Lisboa na altura dos descobrimentos, a Madeira no tempo das navegações e dos ingleses, Estoril e a Figueira da Foz nos anos 40, a Caparica e o Algarve nos anos 60... Não foram só o sol, a praia ou o mar que projectaram o turismo português, foram sobretudo o encanto e a disponibilidade convivencial dos jovens portugueses que o conseguiram. Esse património funcionou como um recurso de sobrevivência para nós - Fernando Dacosta.

Somos um povo do corpo, da sensualidade - Natália Correia.

Somo um país imoral, um país depravado, um país pornográfico, às ocultas. Foi isso, no entanto, que nos salvou de mergulhar nas sombras horrendas do puritanismo. Se alguma coisa há que deve ser sagrada, é o prazer sexual entre pessoas mutuamente concordantes em dá-lo e recebê-lo, ou negociá-lo - Jorge de Sena.

Nos anos 60, fogosos visitantes precipitavam-se, mal desembarcavam na Portela, em direcção aos pescadores da Caparica, da Nazaré, da Póvoa, de Tavira. Previamente avisados, os mais jovens ficavam em terra, frequentemente eram as próprias mulheres e mães que os ofereciam. Ganhavam mais numa tarde assim, que em dois meses de faina - António Almor Caeiro.


Pescadores de Olhão nos anos 60. Retirado do Museu Fotográfico de Olhão.

Drocas

Publicado por renaseveados em 06:40 PM | Comentários (4)

JÁ VIRAM O SPOT DO ARRAIAL DESTE ANO?

arraialpride05g.jpg

Está fantástico e pode ser visto aqui. Mais explicações sobre a campanha em torno do Arraial 2005 aqui. Parabéns a quem a fez, clap clap ;)

Boss

Publicado por renaseveados em 04:07 PM | Comentários (8)

Madonna on Religion

To me, the definition of religion is not asking questions. In England, soccer is the religion. In America, Christianity is the religion. It's really just what a group of people tends to do because everybody else does it. . . If you want to talk about corruption and violence and pain, let's talk about the Catholic Church. Let's talk about the Crusades, when they annihilated anyone who wouldn't convert to Christianity. That's religion, but that's not what I'm interested in.

[Para mim, a definição de religião é não fazer perguntas. Em Inglaterra, o futebol é a religião. Na América, o Cristianismo é a religião. Não é mais do que fazer o que toda a gente faz... se quisermos abordar a violência, a corrupção e a dor, falemos da ICAR. Falemos das Cruzadas, onde se matavam todos aqueles que não se convertiam ao Cristianismo. A religião é isto, e não é o que me interessa.]

Drocas

Publicado por renaseveados em 01:42 PM | Comentários (0)

MANIFESTO

«Está em curso uma campanha a partir de uma notícia publicada em 14/5/05 pelo jornal “Expresso”, sobre pretensos manuais escolares que serviriam de suporte a um programa de educação sexual implementado nas escolas portuguesas, em parceria com a Associação para o Planeamento da Família. Tais manuais conteriam imagens, actividades e instruções chocantes e atentatórias ao bem estar das crianças, jovens e suas famílias.

Ora esta campanha está baseada numa notícia que é falsa. Como confirma a nota do próprio Ministério da Educação, não existe qualquer programa de educação sexual em curso nas escolas (oficial ou não oficial); não existem manuais ou textos de apoio de suporte a este (inexistente) programa; nem existe qualquer aplicação experimental dos manuais referidos. Não existe portanto, em bom rigor, notícia.

Em democracia, o confronto de valores é sempre legítimo e desejável. Mas confundir ou criar factos por medida, a propósito de uma evidência inexistente (!) tendo em vista fins delatórios, é uma manipulação perversa da opinião pública e um atentado aos princípios básicos da cidadania.

A forma como são apresentadas as actividades referidas na notícia constitui uma deturpação grosseira dos objectivos, conteúdos e metodologias de educação sexual prosseguidos pela APF e por outras instituições envolvidas na promoção da educação sexual nas escolas.

Lembremos que os promotores desta campanha são cidadãos e grupos pertencentes a sectores que sempre se opuseram à educação sexual nas escolas, empenhados em importar e impor, neste domínio, um modelo educativo único com uma forte carga moralista, confessional e uniformizadora dos valores e dos comportamentos em matéria de sexualidade. A campanha está também a ser apoiada pelos grupos de extrema direita existentes em Portugal. Ora a legitimidade que possuem na defesa destes valores não se pode confundir com a inaceitável reconstrução falsa que fazem da realidade.

O objectivo é afinal desacreditar a APF, destruir os tímidos avanços já conseguidos, amedrontar e confundir as famílias, as escolas e os profissionais que estão ou pretendam estar envolvidos na promoção da educação sexual.

Não está, pois, só em causa a APF. Está em causa a continuidade do que, tão dificilmente, já se conseguiu alcançar em matéria de educação sexual no nosso país. Está em causa o direito de as crianças, os jovens, e as suas famílias terem acesso a informação credível e actualizada, a uma educação sexual cientificamente consistente, dada por profissionais e assente em princípios humanistas - entre os quais se destaca a ideia de que a construção da identidade sexual é um processo interior e diferente de pessoa para pessoa, e que por isso todas as crianças e jovens devem ser respeitadas na sua intimidade (a qual não pode ser objecto de qualquer tratamento ou exposição públicos). Está em causa a pluralidade dos valores da sociedade portuguesa, a qual afinal se pretende condicionar de forma eticamente inaceitável.

Neste contexto, os abaixo assinados:

1. Repudiam a campanha mentirosa e alarmista que está em curso contra a educação sexual nas escolas e a APF.

2. Sugerem ao Ministério da Educação e à Assembleia da República que avaliem a aplicação da legislação existente em matéria de educação sexual – Lei 3/84, da Lei 120/99 e do DL 259/2000 – e façam um balanço do que tem sido já realizado e o que está ainda por realizar.

3. Sugerem ao Ministério da Educação que promova iniciativas urgentes para a generalização da educação sexual nas escolas, continuando o processo iniciado em 2000 e que foi posteriormente interrompido.

4. Sugerem ao Ministério da Educação a reorganização urgente das estruturas de promoção da saúde nas escolas a nível central, regional e local, as quais estão paralisadas desde o início de 2003.

5. Reconhecem o papel fundamental e pioneiro que a APF tem tido nas últimas décadas como espaço de reflexão, estudo, proposta e formação de professores e outros profissionais para uma intervenção adequada em educação sexual.

6. Reconhecem o papel da APF no apoio directo aos jovens portugueses e no apoio a milhares de famílias na promoção da educação sexual dos seus filhos.»

Assina-se aqui.

Boss

Publicado por renaseveados em 12:31 PM | Comentários (0)

junho 09, 2005

CATÓLIC@S: TOD@S A MADRID

«La Conferencia Episcopal ha hecho un llamamiento a todos los ciudadanos, "en particular a los católicos", para que secunden la marcha convocada por el Foro Español de la Familia contra los matrimonios homosexuales el próximo día 18 en Madrid, ya que, a juicio de los obispos, se trata de una "causa justa"»

Notar que outras "causas justas" no entender da ICAR, como a luta contra a fome ou contra a guerra do Iraque, só para dar dois exemplos, nunca mereceram tanto empenho por parte do clero católico. Tanto o Vaticano, como a conferência episcopal espanhola (e já agora a portuguesa) NUNCA incentivaram a participação de católicos nas manifestações contra a guerra no Iraque. Como dizia o Gato Fedorento, entre a visão de dois homens a casarem e a de dois homens a matarem-se, a ICAR prefere a segunda.

Boss

PS: Apesar desta posição da ICAR, mantenho a minha profunda convicção de que o direito ao casamento deve estar ao alcance dos católicos, subscrevendo na íntegra o manifesto divulgado pelo Miguel (em castelhano) e pelo Plattdorf (em galego).

Publicado por renaseveados em 11:44 PM | Comentários (1)

CASAMENTOS DE SANTO ANTÓNIO PARA TOD@S

Excelente a notícia que nos dá o Miguel. «O vereador comunista da Câmara de Lisboa António Abreu vê com bons olhos que os tradicionais casamentos de Sto. António integrem num futuro próximo casais homossexuais.» Sim, já sei o que me vão dizer, «mas o santo António era um machista execrável!». Não há como o negar. Mas tal como o natal ou a páscoa, os santos populares são hoje em dia sobretudo bons pretextos para fazer festas engraçadas com família e amigos, e o seu significado político-religioso foi já quase totalmente esvaziado, excepto no cada vez mais acentuado cariz capitalista.

Anyway, estes casamentos são promovidos pela Câmara Municipal de Lisboa, e estão abertos a todos os casais heterossexuais, incluindo casais laicos e ateus. E na prática resultam num precioso apoio financeiro aos jovens casais em início de vida conjunta. Assim é de saudar a posição de António Abreu, (sorrio cada vez que lembro que votei neste homem para presidente da república). Só discordo do ponto «Para que tal seja possível, a legislação em vigor tem de mudar.» Não vejo razão para isso, o próximo executivo autárquico pode ser mais ousado e abrir a iniciativa a casais homossexuais que queiram celebrar a sua união de facto, já que mais a lei não permite. Seria um excelente sinal da câmara da capital ao governo do país.

Boss

Publicado por renaseveados em 10:53 PM | Comentários (2)

Ide, ide e rezai...

o que é que fazem aqui? Correi, correi, pegai no vosso terço e rezai...rezai sempre...rezai fervorosamente... rezai desenfreadamente, porque já começou a Campanha de Terços a favor da Vida em Portugal. O Diário Ateísta é que deu por ela e reza assim o fervoroso texto:

«Ajude Nossa senhora a que a liberalização do aborto não passe em Portugal.
Ofereça no mínimo um terço diário só por esta intenção até ao dia do referendo.
Escreva aqui o nome e no dia do referendo estas listas serão entregues na Capelinha das Aparições a Nossa Senhora de Fátima. [sic]
Ofereçamos milhares de Terços por dia com esta intenção.
Convide os seus irmãos a colaborar nesta campanha de Terços.»

Ok, isto são várias actividades (estratégia polvo, again!):

Tarefa 1- Ajudar a senhora d. maria de fátima a que a liberalização (mas... mas... SENHORES e SENHORAS, o que se debate é a despenalização, não é a liberalização!) do aborto não passe em Portugal. Mas desculpem, a senhora d. maria de fátima não é toda poderosa? Então porque não faz um milagre de fraude eleitoral ou manda raios em cima do cocoruto dos que votam sim? Se é poderosa, para que precisa de ajuda? Hum?

Tarefa 2 - Um terço diário rezado para isso. São cerca de 63 avé-marias, 6 pais-deles e 6 glórias ao pai, tirando jaculatórias (o que eu adoro esta palavra: jaculatória!!!), invocações de santos e salvés-rainhas.
Como este blog, é um espaço de informação, aqui fica a descrição do terço, passo por passo, nada que enganar. Isto deve demorar para aí 15 segundos por cada Avé Maria, mas se for bem meditado meio-minuto. Meia hora para as avé marias de carreirinha, mais um minuto para cada pai nosso (6 minutos) e mais 10 segundos para cada Glória. E média, vá uns 37 minutos... a estenderem-se por uma hora, se se meditar bastante.

Tarefa 3 - Escrever o nome no abaixo assinado a ser entregue à senhora d. maria de fátima. Então, mas é ela que manda agora? Façam vários abaixos assinados para que ela se sinta com forças para fazer o que querem. Ajudem-na. Tadinha deve ser uma daquelas mulheres com imensos problemas na conciliação trabalho família. Tudo a chamar por ela, a toda a hora.

Tarefa 4- Oferecer milhares de terços. Aqui é mais complicado. Ou quer dizer rezar, ou então é o maior estímulo de sempre ao comércio religioso. "Olhe, D.ª Maria, aqui tem não um, não dois, nem mesmo três. Aqui tem um milhar de terços."

Tarefa 5- Convide os seus irmãos. É a fase de recrutamento de mais manos, para rezarem um terço por dia, darem um mãozinha à sô dona maria de fátima , escrever os seus nomes, oferecer milhares de terço (eu vou investir numa loja de terços: Terços Kollontai: o terço da foice e do martelo -o que é que estás a dizer, rapariga?-vermelho), recrutar mais manos (não é por nada que eles querem ter famílias numerosas, é manos em barda e sempre fica tudo a rezar em casa).

É a grande campanha de terços pela vida. Numa Igreja perto de si. Não perca!

kollontai

P.S.: A sorte é que com tanta actividade terciária se esqueçam de ir votar...

P.P.S.: Em cima de grãos de milho, o terço não vale mais? Reze 1, como se fossem dois.

Agora ide, ide,

...e rezai com os terços kollontai!

Publicado por renaseveados em 09:10 PM | Comentários (3)

Your labels are not for me

Até a mais pequena tentativa de impor uniformidade ao caos criativo da vida das mulheres é repugnante - Laura Brown, psicóloga clínica e feminista afirma-se, in a kollontai fashion, contra as identidades sexuais e os seus modelos patéticos de desenvolvimento. As mulheres jovens, independentemente da sua orientação sexual, revelam com frequência momentos de atracção sexual pelo mesmo sexo, questionam a sua identidade, rejeitam todos os rótulos de identidade ou têm identidades múltiplas, e ainda alteram os seus rótulos ao longo da vida. Confesso-me fascinado pelo final anunciado das identidades sexuais. Ainda ontem referia-se em conversa: Daqui a 10 anos já não há gays.

Drocas

Publicado por renaseveados em 12:57 PM | Comentários (2)

Here's looking at you, Frank

Image hosted by Photobucket.com

De tempos a tempos, o Google muda de logotipo para assinalar/homenagear datas/pessoas importantes. Este é dedicado a Frank Lloyd Wright. Gosto.

"Toleration and liberty are the foundations of a great republic" - FLW

miss detective

Publicado por renaseveados em 03:46 AM | Comentários (1)

Sex=Bad ^ Music\Sacred Music=Bad <=> Sex+(Music\Sacred Music)=Very Bad

O atraso da santa madre igreja em seguir a evolução das gentes pode-se verificar em vários campos. Mas, depois de em 2001 ter criticado a música rock, todos esperamos pela altura em que Ratzinger criticará o Hip Hop. Será em 2035? Aguardemos...
Senão, vejamos o teor de algumas letras, do mais antigo para o mais moderno:

"Nice and hard
Safe sexin it, flexin it, gettin that affectionate
Chewin it, oohin it, all while we're doin it" LL Cool J - 1995

Valha-me Beauvoir! Será que se falou de preservativos aqui em cima??
Seguem-se mais ordinarices anárquicas em baixo:

I'll take you to the candy shop, I'll let you lick the lollipop, come on girl don't you stop, keep going till you hit the spot"
"She likes it from behind, so seductive"
"Clothes off, face down, ass up, c'mon" 50 Cent - 2005

Image hosted by Photobucket.com

miss detective

Publicado por renaseveados em 03:26 AM | Comentários (2)

ASSOCIAÇÃO DE PAIS DOS POSSUÍDOS E POSSUÍDAS DE PORTUGAL

exorcista.jpg

É verdade, ele existe mesmo. O demo anda por aí e foi constituida prontamente uma associação de pais com filhos possuídos.

A associação pretende, entre outras exigências, que o Estado financie as famílias dos possuídos na compra de camas com amarras especiais para exorcismo, nas despesas de deslocação de padres ao domicílio (não confundir com ghost busters), na construção de escadas e vãos dimensionados para circulação «de quatro» ou levitação, na insonorização de divisões (devido aos ruídos diabólicos dos possuídos), na compra de dicionários de latim e grego, na compra de cremes para o acne, etc.

P.S É evidente que se trata de uma falsa notícia. Mas com a prontidão com que nascem associações de pais defendendo todo o género de estupidez (então agora com a campanha de desinformação sobre educação sexual nas escolas iniciada nas páginas do Expresso), nem era assim uma notícia tão descabida neste país. Aliás, o mais divertido (para não dizer triste) é que a notícia até parece mesmo verdadeira.

Hetero_doxo

Publicado por renaseveados em 01:59 AM | Comentários (3)

GAY WATCH 2

Rádio nova-iorquina pede desculpas a Tom Cruise por ter posto no ar insinuações de que seria homossexual e revista britânica faz exactamente o mesmo em relação a Robbie Williams. Como se vê, até no so called meio artístico, referências a possíveis homossexualidades são encaradas como ofensas, e prejudiciais à carreira.. um longo caminho ainda até à indiferença.

Na Noruega cristãos e muçulmanos juntam esforços contra o casamento homossexual. A homofobia soma e segue na pacificação de religiosos outrora e sempre desavindos...

Governador do Texas diz que os homossexuais veteranos de guerra (regressados do Iraque) que não concordem com a proibição do casamento homossexual no estado, devem mudar-se para outro estado. Não muito diferente dos cristãos ortodoxos que gritavam há dias em Bucareste «sonhamos com um mundo mais são, sem homossexuais».

A bandeira arco-íris foi proibida no centro de Londres (incluindo o Soho), mas site oficial do turismo britânico insiste em usa-la. Já em St. Augustine, Florida, serão 49 as bandeiras arco-íris ao vento nos próximos 6 dias, conquista esta conseguida depois de 3 anos de batalhas judiciais. Em A Corunha esteve hasteada por pouco tempo, mas que bonita era.. No renas estará sempre.

h5c2fd.jpg
Orzán, A Corunha - via As Crónicas Prussianas

Boss

Publicado por renaseveados em 01:45 AM | Comentários (6)

os anti-sexo

Há para aí, espalhados como cogumelos, uma série de bons cristãos e túberculos afins que se intitulam pró-vida. Para eles e elas (Até há mulheres que engolem zurrapas deste tipo, valha-me de Beauvoir!) a vida começa com a concepção, nesse momento sagrado de realização em que o espermatozóide penetra o receptivo óvulo e shplang! uma vida! Efervescente e ululante, começa assim a grande viagem. Ora para os pró-vida, nada deve interferir com esse processo. Este movimento, tipo mafia dos costumes e do útero das outras, é tentacular como qualquer polvo. E as suas iniciativas expandem-se como uma multinacional hipócrita, à custa da tacanhez das pessoas.

Ora, fiquei recentemente a par, de que a administração BUSH (yuck! ptuá! ptuá!) subsidia uma série de programas destinados a jovens para evitarem manter relações antes do casamento, conhecido como o movimento da abstinência. E subsidia-os de forma sumptuosa, para que convençam os teens a adiarem as suas experiências sexuais. Ora num documentário sobre isto, passado na SIC(K) Notícias, aparecia então uma professora (ou monitora, tinha mais pinta de monitora), contratada por esse movimento da aliança de prata (símbolo da manutenção da virgindade até ao casamento) que lhe era proibido falar das taxas de sucesso dos contraceptivos, inclusivamente do preservativo. Só podia falar da taxa de insucesso e não podia explicar o modo de os usar.

Engraçado era um estudo que aparecia referido, que mostrava que mais de 80% destes jovens se borrifam nestas ideias, ano e meio depois, e iniciam as suas vidas sexuais. A parte má é que as iniciam sem se prevenirem nem de gravidezes, nem de doenças sexualmente transmíssiveis. Graças a quem? A estas idiotices que lhes são inculcadas. Espero bem, que à semelhança de vários cidadãos e cidadãs terem ganho processos à indústria tabaqueira, estes jovens, peçam indemnizações a quem tão mal os ensinou, em caso de doença sexualmente transmíssivel ou de gravidez indesejada. Sue them all!

kollontai

P.S.: Pensando bem, e que tal, se cada vez que alguém tivesse uma gravidez indesejada ou uma DST, processasse esta gente por publicidade enganosa e ocultação de informação?

Publicado por renaseveados em 12:20 AM | Comentários (3)

junho 08, 2005

Piada do dia II

E eu que pensava que estava a exagerar quando chamava fascista ao Bush...

kollontai

Publicado por renaseveados em 04:33 AM | Comentários (7)

Graçola do dia

Pensar que estar fora do armário é ser ASSUMIDA, é o mesmo que achar que o Ratzinger é gay friendly.

kollontai

Breaking news update: A minha mãe sempre me disse que eu iria ser alguém na vida. Hoje até sou manchete num blog! Way to go, girl!

E para que a coisa não fique escondida, aqui fica o link. Ide ver. It's Kollontai Aberration Time!!!! Weeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeee

Publicado por renaseveados em 02:09 AM | Comentários (12)

SE CONDUZIR, NÃO... SEJA GAY?

Na Sicília a polícia achou por bem retirar a carta de condução a Danilo G., ao descobrir que este tinha sido dispensado do exército por ser gay. O caso foi a tribunal, e o juíz restituiu-lhe a carta dizendo que "a homossexualidade não pode ser considerada uma verdadeira doença, mas antes um distúrbio de personalidade", e por isso Danilo pode continuar a conduzir. Desgraçada Itália... Mas não se pense que por cá as coisas são muito melhores...

Boss

Publicado por renaseveados em 01:26 AM | Comentários (2)

junho 07, 2005

PENSAMENTO DO DIA

Um LGBT católico não tem a mínima idoneidade para falar de homofobia, machismo, xenofobia... Devia limitar-se a rezar para que deus lhe perdoe a sua pseudo-vida.

Hetero_doxo

Publicado por renaseveados em 08:18 PM | Comentários (29)

SILLY SEASON IS ON

Ó pá, então podemos todos andar a chamar "filhos-da-puta" a quem nos apeteça? É que se sim, não falta a quem...

Boss

Publicado por renaseveados em 07:31 PM | Comentários (3)

PRESQUE RIEN (2000)

presque_rien.JPG

Já que estamos in the mood for Summer, aqui vai uma sugestão cinematográfica condizente, e com o alto patrocínio da señora dot. Presque Rien (também conhecido por Come Undone) é um belíssimo filme de Sébastien Lifshitz, sobre o primeiro amor, e que tem o seu quê de La Vie rêvée des anges - quem gostou de um, amará o outro. Mais difícil poderá ser encontra-lo em Portugal, valha-nos a internet - o Tiago garante que está à venda nas FNACs, mas no site não se acha. Um bom filme seja por que via for.

Boss

Publicado por renaseveados em 07:15 PM | Comentários (11)

As guerras dos sexos

Quando é que as pessoas começam a entender que a guerra dos sexos é uma ilusão para diabolizar as mulheres e homens? Quando é que se percebe que o inimigo principal não é a pila, nem o seu detentor, mas sim o patriarcado? O género não é um atributo individual, é um esquema social que nos divide e compartimenta. O feminismo não é querer que as mulheres ganhem a luta, é exigir igualdade de direitos e de oportunidades para todas e todos...

É que tanto alguns homens como algumas mulheres lucram com o patriarcado... o problema é que a maioria desses dividendos vai para homens brancos ocidentais heterossexuais e heterossexistas, enquanto que o resto é explorado para lhes servir os interesses. O feminismo não é querer esses privilégios para as mulheres, é exigir o fim desses privilégios para que tornem direitos para todas e todos. Independentemente do sexo, etnicidade, orientação sexual, cultura, etc, etc...

kollontai

P.S.: é claro que enquanto a questão se manter como arma de arremesso, só se dá espaço às forças conservadoras para minarem tudo... mas eventualmente até há quem queira que isso aconteça, por afinidades electivas...

Publicado por renaseveados em 06:34 PM | Comentários (7)

FEMININA COMÉDIA

biljana_djurdjevic.jpg

Biljana Djurdjevic (Belgrado, 1973), Gluttony-Crucifixação (2003/04)

Hetero_doxo

Publicado por renaseveados em 04:34 PM | Comentários (0)

Mulheres, Orgasmos e Evolução

Elisabeth Lloyd, filósofa da Biologia, publicou recentemente um livro intitulado The Case of the Female Orgasm. Nesta obra, ela destrói 21 teorias evolucionistas sobre o orgasmo feminino com base na falta de lógica e no facto destas não considererem informação científica relevante. O seu estudo, já observado como o mais aprofundado e sério sobre o tema, rejeita a ideia que o orgasmo feminino serve propósitos evolutivos. Lloyd considera o orgasmo feminino como puro prazer, ou seja, entende-o como um fenómeno separado da capacidade de gerar filhos. Colocando a questão de outra forma, como é possível considerar o orgasmo feminino como facilitador da reprodução se apenas 1/4 das mulheres atingem o orgasmo durante a penetração?

O orgasmo feminino assemelha-se, neste aspecto, ao prazer sexual que alguns homens sentem nos mamilos. Ambos os fenómenos colocam sérias questões à forma como os evolucionistas têm olhado a sexualidade. É um erro considerar a sexualidade humana como serva da reprodução, uma vez que 99,99% dos comportamentos sexuais humanos não estão associados à criação de descendência. Não me refiro apenas aos comportamentos homossexuais, mas à larga maioria dos comportamentos heterossexuais e à forma mais comum de manifestação sexual: a masturbação.

Drocas

Publicado por renaseveados em 11:41 AM | Comentários (9)

junho 06, 2005

FOGO

Em vez nos acusarem de queimar soutiens... Quando é que puxamos fogo ao patriarcado?

Estamos fartas que nos digam o que devemos fazer e que tentem regular-nos de acordo com os valores patriarcais. Quando uma mulher é humilhada por toda uma sociedade, quando não lhe concedem sequer possibilidade de decidir sobre o seu corpo, e a levam a tribunal quando o faz, isso não vos envergonha? Quando têm que mentir sobre o sexo da vossa parceira ou do vosso parceiro, ou omiti-lo, isso não vos retira a dignidade? Quando se ouve nas ruas que se é anti-natural, e fufa e paneleiro, e coitadinhas das criancinhas, isso não vos dá vontade de lhes cuspir na cara?

... e porque é que está tudo tão quietinho? Como se nada fosse, enquanto nos/vos humilham sistematicamente e andamos todas e todos em grupos de auto-ajuda para que não tenhamos vergonha de nós próprios? Ou, pior ainda, a fingir que a nós não nos acontece, e só se passa com os outros?

E porque é que olham para o lado? Problemas em aceitar a realidade, de que a sociedade em geral nos/vos vê como um sub-cidadãs/cidadãos, na clandestinidade de uma meia-democracia? Ou simplesmente, rezam e esperam que passe?

Afinal, quando é que queimamos os preconceitos?

kollontai

P.S. : Dizia a outra Kollontai,a da letra grande, quando termina a revolução de 1917 e se instala o governo bolchevique: But after all[152] there was still the unfinished task, women's liberation. Women, of course, had received all rights but in practice, of course, they still lived under the old yoke: without authority in family life, enslaved by a thousand menial household chores, bearing the whole burden of maternity, even the material cares, because many women now found life alone as a result of the war and other circumstances.
Mudou tudo assim tanto?

P. P. S.: Que as referências à URSS não queimem os olhos a ninguém...

Publicado por renaseveados em 09:20 PM | Comentários (17)

CALDEROLI SOMA E SEGUE

Esqueçam Buttiglione, o político do momento em Itália é definitivamente Roberto Calderoli. O ministro das reformas italiano que no passado sábado disse que Milão assistiu ao mais baixo e nojento momento da sua história, por causa da participação de crianças ma marcha LGBT da cidade, vem agora tentar empurrar a economia da Zona Euro para o seu mínimo histórico propondo a introdução da lira indexada ao dólar.

Isto é o que dá não se terem tomado as mesmas medidas relativamente à Itália, que se tomaram em relação à Áustria, aquando da subida da extrema-direita ao governo dos dois países. Já agora também dava jeito que os histéricos da Comissão Europeia se acalmassem, engolissem o "non" e o "nee", e tratassem de calar estes fascistas que querem, eles sim, dar cabo da Europa, ao contrário dos "nees" e "nons" da esquerda.

Boss

Publicado por renaseveados em 04:45 PM | Comentários (1)

URGE DEMOCRATIZAR A POLÓNIA

O artigo «Anti-Gay Panic Sweeps Poland - Catholic nationalists attack in the streets, the press, universities, and parliament.» tem quase um ano, mas infelizmente permanece actual. A Polónia é muito provavelmente o mais violentamente homofóbico país da União Europeia. Este ano, pela segunda vez consecutiva, a Marcha pela Igualdade de Varsóvia - Parady Równości foi proibida. Isto viola os princípios básicos da democracia, o direito à livre expressão e livre reunião de pessoas. O retrato que Tomek Kitlinski nos dá do país é assustador, mas contra a violência católico-nacionalista (que causou vários feridos na marcha de Cracóvia p.ex.) nunca ouviremos uma palavra de condenação por parte do Vaticano, micro-estado totalitário com uma influência fortíssima no país. Aliás, esse é o motor da violência... A esta distância pouco podemos fazer, mas assinar esta petição demora menos de 1 minuto, e é uma forma de expressar a nossa repulsa pelo que está a acontecer na Polónia. Por vezes mostrar que estas situações dão uma péssima imagem exterior de um país, e indigna pessoas de todo o mundo, é a maneira mais eficaz de mudar as mentalidades desse mesmo país. Assina já!

Boss

Publicado por renaseveados em 03:11 PM | Comentários (4)

A biologia da nossa diferença

Confesso que cada vez que me tentam engrupir com a diferenciação biológica entre homens e mulheres como base para diferenciações comportamentais, fico com a clara sensação de que me estão a inferiorizar com base num destino. Que para ser mulher completa, devia ser mãe, ter família, gostar de gajos. Que raio! Porque é que as diferenças enbtre homens e mulheres vão sempre no sentido da ideologia dominante?

Em 1926, na Autobiografia de uma mulher comunista sexualmente liberta, já dizia a outra Kollontai:

For it is not her specific feminine virtue that gives her a place of honor in human society, but the worth of the useful mission accomplished by her, [4a] the worth of her personality as human being, as citizen, [4b] as thinker, as fighter. Subconsciously this motive was the leading force of my whole life and activity. To go my way, to work, to struggle, to create side by side with men, and to strive for the attainment of a universal human goal [4c] (for nearly thirty years, indeed, I have belonged to the [4d] Communists) but, at the same time, to shape my personal, intimate life as a woman according to my own will and according to the given laws of my nature. [4e] It was this that conditioned my line of vision.[4f] And [4g] in fact I have [4h] succeeded in structuring my intimate life according to my own standards and I make no secret of my love experiences [4i] anymore than does a man.[4k]

E ainda hoje me/nos querem aprisionar aos grilhões de um destino, se não divino, pelo menos biológico? E onde está a nossa livre vontade? E qual é o espaço para sermos diferentes e abraçar a luta contra todas as formas de opressão? É por isso que só me envergonho quando vejo comparações entre humanos e moscas da fruta, e fico agoniada quando me solidificam numa experiência exclusivamente feminina ou lésbica. Como se não fossemos muito mais do que isso tudo!

A justificação ideológica destas diferenças naturais serve os interesses de quem nos quer manter oprimidas e oprimidos. Pela lei, pelos costumes, pela prisão a papéis. Somos muito mais do que isso, experiência humana a ser oprimida pela pertença a um grupo. De igual modo, a justificação da sociliazação, serve objectivos políticos e interesses económicos, de nos manterem "curáveis", mesmo que toda a investigação evidencie o contrário. É por isso que a hipótese de uma escolha, de uma opção revolucionária me parece adequada, para exprimir politicamente o nosso direito a existir. Não é a escolha do nosso comportamento sexual, é a escolha de fazermos dessa construção, algo politicamente marcado e evidenciar o nosso orgulho face ao inimigo principal (como diria a Christine Delphy): o patriarcado hetero-(s)-sexista que nos oprime. Contra ele e a todas as duas formas políticas, económicas, simbólicas, religiosas, devemos ter as nossas vozes (a nossa principal arma) apontadas. E se a biologia é política por outros meios, que tal sermos mais atent@s a ela e desconstruirmos, em vez de a aceitar passivamente como um destino que nos é imposto?

kollontai

Publicado por renaseveados em 03:02 PM | Comentários (0)

On Genetics

... então quando quero justificar algo com argumentos genéticos tenho que enquadrar com explicações ambientais, certo?

Errado! QUALQUER explicação genética já inclui a interacção com o ambiente. Os genes não se expressam no vazio. A sua expressão é SEMPRE resultado da interacção com o ambiente. Dois gémeos verdadeiros têm exactamente o mesmo material genético e têm impressões digitais diferentes. Essa característica básica resulta da expressão de vários genes em interacção com o líquido amniótico (meio químico) e com a parede do útero (influências mecânicas). E esta é uma característica física sem relevância para o funcionamento do organismo. Agora, imagina as influências sobre a sexualidade, que é uma característica tão mais infinitamente complexa. Qual é o peso genético? Ninguém sabe e também ele é 100% irrelevante para a defesa de direitos humanos ou civis.

Drocas

Publicado por renaseveados em 12:31 PM | Comentários (4)

The Time is Now

Algumas pessoas preferem o Natal, outras aquela data especial, outras ainda o conforto dos lençois ao som da chuva lá fora. A minha época de eleição é esta. A altura do ano em que substituímos a roupa de Inverno pela de Verão, em que o calor abrasador não cansa, em que podemos usar cremes em excesso, em que nos desnudamos frente a toda a gente, em que as praias não estão infestadas de crianças ou cães... enfim! O início do Verão! Sensação de liberdade infinita!


Roy Lichtenstein. Girl with Ball. 1961. Oil and synthetic polymer paint on canvas, 153 x 91.9 cm.
On view @ MoMA.

Drocas

Publicado por renaseveados em 11:23 AM | Comentários (4)

NY Mess

Peixaria em China Town
Ground Zero
7th Ave
Guggenheim

Drocas

Publicado por renaseveados em 11:06 AM | Comentários (2)

Kollontai

As apresentações estão feitas. Resolvi pegar numa feminista soviética revolucionária, para ser uma espécie de "padroeira vermelha" (antes 1/2 kollontai que mil senhoras de fátima) destas minhas intervenções. A figura de Alexandra Kollontai é incontornável nos feminismos e marxismos, quer pelos textos, quer pela sua acção política. Enquanto comissária dos assuntos sociais do primeiro governo bolchevique e revolucionária e como autora, espantou e amotinou mulheres e homens dos seus tempos. Aqui e pegando nela como exemplo, quero sacudir esta blogayesfera, que está muito parada. E precisa de se amotinar!

kollontai

Publicado por renaseveados em 02:40 AM | Comentários (23)

SIM, CONTRATAMO-LA

kollontai.jpg

Bem vinda sejas camarada Kollontai :)

Boss

Publicado por renaseveados em 02:01 AM | Comentários (0)

junho 05, 2005

ANIMAÇÃO NO PINGUIM

Gatoelualow.gif

O fantástico Ciclo de Cinema LGBT que decorreu em Maio no Bar Pinguim, fruto duma colaboração do GRIP com o Cinema Invisível já terminou. Mas o Cinema Invisível continua a sua mostra de filmes, e este mês é dedicado à animação portuguesa. Cada fim de semana é dedicado a um estúdio diferente. Neste primeiro fim de semana o estúdio em destaque é o Animanostra, a primeira sessão foi sexta-feira, mas tem repetição hoje à noite. O filme que ilustra o post é do Filmógrafo, e passa no último fim de semana do mês. Mais informações no Cinema Invisível.

Boss

Publicado por renaseveados em 05:52 PM | Comentários (4)

A PEDIDO DE VÁRIAS FAMÍLIAS (DUAS, PELO MENOS)

af04zz.jpg

Mais um "Farpas" patrocinado pela Under Gear. Um bom domingo.

Boss

Publicado por renaseveados em 04:30 AM | Comentários (8)

GAY WATCH

omnimilano63237220406193547_big.jpg
A Itália simbolicamente amarrada pelos guardas suíços do Vaticano

Em Milão a marcha LGBT juntou ontem 100.000 pessoas. Nichi Vendola, presidente regional da Puglia, e mais importante político (abertamente) gay de Itália, reclamou uma efectiva separação entre Estado e igreja no país, e ainda a legislação das PACS - possivelmente o facto de Vendola também reclamar para si o rótulo de "católico", o inibiu a reclamar a plena igualdade entre homo e heterossexuais, ou seja, o casamento. De qualquer modo os católicos propriamente ditos não ficaram nada satisfeitos com a marcha, e o ministro Roberto Calderoli afirmou mesmo: «Milão já viu de tudo na sua história, de bom e de mau, mas a nojeira de usarem crianças inocentes para apoiarem as vossas perversões, como aconteceu na marcha de hoje, bateu realmente no fundo» - referindo-se nomeadamente às várias crianças filhas de lésbicas presentes na marcha. E continuando em seguida a apelar ao boicote ao referendo sobre reprodução medicamente assistida que decorrerá no próximo dia 12. Com políticos destes não admira que um dos cartazes vistos na marcha dissesse: «Zapatero santo subito».

omnimilano63.jpg
As crianças que enojaram Calderoli, e cujo rosto o La Repubblica decidiu esconder

Em Portugal deu que falar a notícia sobre o "gene da orientação sexual". O sensacionalismo do Público quase parece sóbrio quando comparado com o "heterocentrismo" da SIC, onde a notícia foi dada nestes termos: «Poderá ter sido descoberta a explicação para a homossexualidade». O Correio da Manhã, as usual, leva o prémio de mau pior "jornalismo": «Explicando por outras palavras (com recurso ao que foi observado na experiência realizada): os machos que tiveram o tal gene manipulado ‘soltaram a borboleta’, por assim dizer, e começaram a cortejar outros machos, que não devem ter achado grande piada à brincadeira.»

O Expresso de ontem também trazia duas notícias sobre homossexualidade - obrigado Tiago - uma entrevista a Pedro Russo, a vítima da homofobia viseense que deu a cara, e uma reportagem sobre a explosão das receitas com o turismo LGBT no Rio de Janeiro. Mas o que me chamou a atenção foi uma crónica com duas semanas já, nesse mesmo jornal, da autoria do já aqui falado João Pereira Coutinho. Nem vou tentar desmontar as suas homofobias, apenas corrigir as mentiras. O mote da manifestação em Viseu não era o "orgulho gay", mas sim "stop homofobia" - sendo uma manifestação aberta a tod@s (como o pride de resto, mas que é só este mês e em Lisboa). O número de marginais violentamente homófobos em Viseu não é 7 ou 8, mas mais de 40, segundo os próprios - e foi precisamente pelo facto da polícia não actuar que se fez a manif. Finalmente, e isto não é bem uma mentira é mesmo desconhecimento da língua em que se "escreve", a associação que serviu de título à crónica é a Panteras Rosa, sim, ROSA - sem "s" no fim.

Na Suíça referenda-se hoje a lei das uniões de facto para homossexuais, as sondagens auguram uma vitória confortável do "sim". A discriminação light é sempre muito popular...

Para acabar, e para enojar ainda mais o ministro Calderoli, a Suécia autoriza a partir de agora o recurso à inseminação artificial e à fecundação in vitro por parte das lésbicas que desejem engravidar - possibilidade até agora limitada a mulheres casadas com homens. Uma excelente notícia.

Actualização: no referendo suíço o sim às PACS passou com 58% dos votos. Também a entrada da Confederação Helvética no espaço Schengen foi aprovada, com 54,6% - via Le Monde.

Boss

Publicado por renaseveados em 03:01 AM | Comentários (2)

junho 04, 2005

CIAO

Na sequência de um novo projecto, vou sair deste espaço. Gostei muito. Foi uma experiência muito gira. Mas neste momento, apetecem-me coisas mais radicais. Por isso, vemo-nos em breve.

João O

P.S.: Isto não é nem um fim (é mais um princípio), nem uma guerra interna. É uma radicalização do discurso.

Publicado por renaseveados em 03:22 AM | Comentários (15)

junho 03, 2005

PARABÉNS!

af24zz.jpg

Ao Farpas...


... e ao Bitaites.

af80zz.jpg

Por um ano cheio de posts refrescantes :)

Boss

Publicado por renaseveados em 11:40 PM | Comentários (10)

A Sociopatologia do Homem Heterossexual

Em 1995, R. Connell publicou um modelo que defende que a masculinidade hegemónica tem um papel importante nas atitudes anti-gay dos homens heterossexuais. Um estudo mais recente não confirma nem desmente esta hipótese, mas sugere fortemente que a relação que existe entre as crenças que estão associadas aos papeis de masculinidade e as atitudes anti-gay, deriva do medo do homem heterossexual parecer feminino e não da preocupação com o seu estatuto de "macho".

Estava a pensar... se, a esta fobia, adicionarmos a opressão e o abuso sobre os outros (homens femininos), será possível que a patologia tenha uma palavra a dizer sobre esta versão do homem heterossexual.

Drocas

Publicado por renaseveados em 12:40 PM | Comentários (6)

junho 02, 2005

ÓDIO SAI À RUA EM MADRID NO DIA 18

Apartir de um link do Miguel fui saltitando de página católica em página fascista, podendo assim constantar que a extrema-direita espanhola está melhor organizada que a nossa. Não irei linkar nenhum desses sítios porque não me apetece estar a ajuda-los na sua "visibilidade googliana", mas cito-os.

Num jornal digital católico lê-se que mesmo o abuso sexual feito por homens contra crianças do sexo femino é culpa dos gays: «Además, los buscadores de lolitas suelen ser varones poco viriles por no decir tocados de la cabeza. Un varón normal no desea mantener relaciones sexuales con una chiquilla.» Noutra página, de uma organização de extrema-direita onde os links para páginas católicas são mais que muitos, o alargamento do casamento a casais do mesmo sexo é referido como «reforma antifamiliar del Gobierno de Zapatero». E ainda sobre o famoso programa Los Lunnis, onde entre outros foi mostrado um casamento homossexual, perguntam: «¿Ésta es la que nos anuncian como la “Televisión de todos”?» - tipo, duuuuuh!

bucareste_nazi.jpg
Foto da contra-manif anti-gay em Bucareste, Roménia

Mas voltando ao princípio, não causa espanto que na notícia linkada pelo Miguel, de uma agência católica, se estejam desde já a culpar os homossexuais pela provável violência de dia 18 nas ruas madrilenas: «Foros homosexuales en Internet incitan a la violencia ante manifestación del 18-J». Se a mentira "colar" nem se preocupam mais em tentar evitar o vandalismo na manif, culpam-se os gays e pronto. Mas qualquer pessoa sabe que surpreendente será uma concentração de alguns milhares de neo-nazis (e as suas avózinhas beatas) não descambar em violência. Afinal o que os move é apenas e precisamente o ódio.

Boss

PS: Se alguém da Ecclesia lê o comentário deixado pelo nosso amigo sexohomem, não tarda temos uma notícia igual em português.. 'tadinhas das famílias.

Publicado por renaseveados em 10:55 PM | Comentários (1)

CAMBALHOTAS

pc.gif

cp.gif

Basta navegar um pouco por blogues e sítios da extrema-direita portuguesa para encontrar estes, e outros símbolos, aqui reproduzidos.

Há pouco, Miguel Vale de Almeida alertava para um fenómeno que tende a contaminar a linguagem quotidiana (ocorra ela no Parlamento ou numa qualquer mesa de café).

Lembro-me, quando comecei a visitar blogues, de uma polémica lamentável num local, para mim, insuspeito (o blogue de esquerda), em que pela primeira vez tomei conhecimento de uma nova utilização para a expressão «politicamente correcto». O «politicamente correcto» e a «vaca sagrada» (outra expressão, na altura, usada no mesmo sentido) em causa eram o direito à dignidade «mental» dos transsexuais. Eis o texto em que essa dignidade era atacada.

As cambalhotas linguísticas (como lhe chamou MVA) não são, portanto, um exclusivo da direita portuguesa, se bem que mais primárias nestas e mais sofisticadas na esquerda (muita dela tão ou mais conservadora do que a direita). Assim, ao abrigo destas inversões de sentido é possível dar-se um ar de modernidade, e mesmo fundamento, a discursos transfóbicos, homofóbicos, xenófobos ou machistas, já que quem defende as causas «politicamente correctas» e as «vacas sagradas» são uns chatos, hipócritas e sobretudo um bando de mancumunados que tentam impingir objectivos obscuros.

Outra cambalhota linguísta especialmente detestável é chamar-se a um indivíduo «pseudo-intelectual». O intuito não é mais descortinar num indivíduo qualquer a falta de argumentos, encoberta por uma capa de citações de grandes autores, a ideia é atingir o «intelectual» (já de si um substantivo carregado de sentidos negativos, só compreensíveis num país de retrógrados e acéfalos). A própria ICAR tem vindo a fazer a sua luta contra os intelectuais a favor dos simples (assumidamente pobres) de espírito.

Estas cambalhotas também se dão a um outro nível, o visual, como é possível ver na segunda imagem aqui reproduzida: a fitinha é agora também um símbolo homofóbico confundível com qualquer luta pela igualdade das mulheres ou da luta contra a SIDA.

Hetero_doxo

Publicado por renaseveados em 05:34 PM | Comentários (3)

HISTÓRIA DO PRIMEIRO CASAMENTO HOMOSSEXUAL EM ESPANHA

CASAMENTO_CORUNHA_1901.jpgEnganam-se os que pensam que vou escrever sobre algo recente, da era Zapatero. O primeiro casamento homossexual da Península Ibérica da Era Moderna foi a 8 de Junho de 1901 em A Corunha, Galiza. Marcela Gracia e Elisa Sánchez casaram-se na paróquia de San Jorge. Não que o pároco fosse um progressista ferrenho, o segredo foi Elisa fazer passar-se por Mário. Ambas conheceram-se na Escuela Normal de Maestras de A Coruña, e durante anos viveram juntas sem que isso lhes causasse problemas - ninguém imaginaria a sua relação. A dada altura porém Elisa começa a travestir-se, e para conseguir mudar de identidade diz ao padre ter sido criada por um pai ateu, e este prontifica-se a baptiza-la. Dias depois dá-se o casamento, com direito a noite de núpcias na pensão Corcubión.

Mas o escândalo não tarda a rebentar, e o jornal La Voz de Galicia faz manchete com: «Um casamento sem homem». Os relatos da época mais que insultuosos, são quase inacreditáveis lidos nos dias de hoje, e chegam a ser hilariantes. Claro que na altura a situação foi tudo menos hilariante para as duas mulheres, que se viram obrigadas a fugir. As informações são vagas e contraditórias, mas ao que parece terão fugido para a Argentina tendo passado antes por Vigo e pelo Porto. Nos dias de hoje o colectivo LGBT corunhês Mil Homes instituiu um prémio em sua honra, e pretende ainda que uma rua da cidade seja baptizada com o nome de ambas. Resgatar estas histórias do esquecimento é um trabalho importantíssimo, e que também deve ser feito ao Sul do Minho. O aniversário da "ousadia" de Marcela e Elisa é já na próxima semana. Mais pormenores e citações da época no El Mundo e no site do Mil Homes. Obrigado ao Martin Pawley por me dar a conhecer tudo isto.

Boss

Publicado por renaseveados em 02:52 PM | Comentários (3)

RETRATO DE UM "PRÓ-VIDA"

es_das_neves.JPG
Cartoon de Bandeira

Boss

Publicado por renaseveados em 01:57 PM | Comentários (5)

Dúvidas Existenciais

Costa, Meco, Tróia... Costa, Meco, Tróia... Costa, Meco, Tróia...
...Meco!

Just updating the iPod!

Drocas

Publicado por renaseveados em 09:27 AM | Comentários (6)

BEATICES E EXTREMA DIREITA

É ainda recente o "artigo" do Expresso sobre a educação sexual e que recorrendo a um ponto de vista anti-escolha, profundamente reacionário e claro informado pela ideologia da ICAR, ataca a Associação para o Planeamento da Família (APF), que como qualquer pessoa informada deveria saber, é a instituição , que por excelência tem formado muita gente deste país para as questões da sexualidade, de um ponto de vista sério, científico e informado pela legislação sobre direitos sexuais e reprodutivos. Ultimamente, foi permitdo e assinado um protocolo (no consulado Barroso) com associações pró-vida, para darem educação something nas escolas. Sexual não seria de certeza, seria talvez confessional ou religiosa.

Adiante, que isto cheira a podre de tanto maniqueismo e influência da Santa Madre ICAR e sequazes (PP's, PNR's e ala conserva do PSD). Ora estamos na fase em que se estão renegociar protocolos para a educação sexual nas escolas. E é justamente nesta fase, que todo este obscurantismo se junta para tentar intoxicar a opinião pública contra a APF. Vejam-se estes exemplos.

Num deles, o padre Serras Pereira (alguém ainda se lembra dele? Deixem-me refrescar-vos a memória). Sim, esse mesmo, aqueles que até os outros padres viram como fanático. Escreve que a a APF promove o seguinte: “as relações sexuais sem risco para as lésbicas compreendem: o uso de protecção dentária de borracha para a estimulação oro-vaginal e oro-anal [...], o uso de luvas cirúrgicas para meter os dedos na vagina ou no recto da companheira ... e todas as outras coisas maravilhosas que as lésbicas fazem”[26], pois “não esperamos que as pessoas se ajustem a um modelo determinado - que sejam heterossexuais, homossexuais ou bissexuais [...] seria aborrecido se as pessoas fossem todas semelhantes”[27]. Aliás, os que se opõem a tais práticas, assim como ao “incesto entre irmãos e irmãs e ao contacto sexual com animais[28] [...] são antiquados e desmancha prazeres”[29]. .

Quanto ao exemplo de sexo seguro lésbico, só se poderão compreender as objecções do padre e da literatura facciosa anti.escolha que usa por pura homofobia. Mas isso já é uma recorrência entre esta gente. E também já sabemos que homofob@s os há em toda a parte, até pessoas LGBT's. Curiosamente, em Portugal, muito destes LGBT's homofób@s são católic@s, alguns/mas de direita reacionária e anti-escolha. Esta gente também ilustra que o movimento lgbt é diverso e até gente com estas características tem. É de esperar que estes fanáticos como Serras Pereira ainda o sejam mais. A segunda parte do excerto mostra já a total irracionalidade desta crença cega, porque já entram em acusações dignas de tribunal, envolvendo a APF na promoção do incesto e da zoofilia. Só mostra como para as santas alminhas tudo vale...

O segundo exemplo que tenho para vos mostrar, revela ainda como os anti-escolha se encontram em sectores muito curiosos da vida política portuguesa como o PNR. Bastará o seguir este link (que me recuso a tornar activo por opção ética http://coimbra-nacional.blogspot.com/2005/05/m-o-v-e.html) e abstenho-me de mais comentários, mas que fique a ideia de que a ligação é clara. Nomeadamente até no site do PNR. Por aqui se vê os caminhos dos anti-escolha. Beatices e extrema direita, portanto. É bom saber!

João O

P.S.: Triste, patético e rídiculo é ver como há LBGT's que caem nestes engodos e papam hóstias destas.

Publicado por renaseveados em 01:33 AM | Comentários (17)

junho 01, 2005

PRIMAVERA GALEGA

fraganonquerequevotes.jpg
Roubada ao senhor Plattdorf

Fraga bem pode gastar 2 milhões em "boas notícias", pagos com dinheiros públicos. Os bispos galegos bem podem fazer campanha pelo ex-ministro franquista (como já fizeram por Franco it self). Pois nada travará a Primavera Galega que se anuncia. Tem razão o senhor Pawley, e o senhor Cesare já o sente. Desta não escapa, hai que botalo!

Boss

Publicado por renaseveados em 07:40 PM | Comentários (3)

ADOPÇÃO POR CASAIS HOMOSSEXUAIS DEVERÁ SER LEGALIZADA NA BÉLGICA

Parece finalmente haver consenso político na Bélgica para que seja legalizada a adopção de crianças por casais de gays e lésbicas. Este país é o único onde o casamento está legislado mas a adopção não. Sendo que em vários países e regiões (Suécia, Catalunha etc.) existe a possibilidade da adopção, mas ainda não a do casamento. Muito em breve a Bélgica juntar-se-á ao grupo.

Boss

Publicado por renaseveados em 07:02 PM | Comentários (0)

QUEM TEM MEDO DOS BOICOTES HOMÓFOBOS?

ford.jpgUma associação norte-americana, a American Family Association (semelhante à portuguesa Associação das Famílias Numerosas), está a promover um boicote à construtora automóvel Ford, pelas suas políticas gay-friendly. Estas políticas passam pelo patrocínio de eventos gay, publicidade em publicações LGBT e garantia de direitos aos casais homossexuais que lá trabalham equivalentes aos casais hetero.

Curiosamente esta mesma associação terminou recentemente um boicote à Disney, defendido pelos mesmos motivos, já que durante os 9 anos de boicote os lucros da empresa não pararam de aumentar. Um dos eventos que originou este boicote à Disney é o Gay Day que celebra agora 15 anos, e começa já amanhã em Orlando, Florida.

Há algumas semanas atrás também a Microsoft "sofreu" ameaças de boicotes por parte de organizações homófobas. No entanto, e ao contrário da Disney e Ford, rapidamente a empresa de Bill Gates cedeu aos grupos evangélicos alterando a sua política gay-friendly. No entanto em poucos dias a Microsoft percebeu que os seus lucros seriam muito mais afectados por se colocar ao lado dos homófobos, do que colocando-se ao lado dos homossexuais. E como o dinheiro comanda a vida das multinacionais, a Microsoft tornou-se novamente gay-friendly. Pink money rulez!

Boss

Publicado por renaseveados em 01:28 PM | Comentários (1)

Untitled #1

Deixem-me só respirar...

... Antony and the Johnsons....

...rapture é a única palavra de que me lembro...

...como se dirá em português?...

...who gives a fuck?...

...Acho que vou dormir!

João O who is a bird now

P.S.: Por agora, deixo apenas My Lady Story... E só de ouvir eriçam-se os pêlos, again and again...

My Lady Story

My lady story
My lady story

My lady story
Is one of annihilation
My lady story
Is one of breast amputation

My lady story
My lady story

I'm a hole in love
I'm a bride on fire
I am twisted
Into a starve of wire

My lady story
My lady story

Lie in road for you
And I've been your slave
My womb's an ocean full of
Grief and rage

My lady story
My lady story
My lady story
My lady story

And still you're coaxing me
To come on out and live
Well I'm a crippled dog
I've got nothing to give

My lady story
My lady story
My lady story
My lady story

I'm so broken babe
But I want to see
Some shining eye
Some of my beauty
My lostest beauty
My lostest beauty

Publicado por renaseveados em 01:42 AM | Comentários (5)

SEMÂNTICA ECONOMICAMENTE CORRECTA

Os gurus da Economia e Finanças têm todo o interesse em englobar numa única palavra - privilégios - aquilo que está bem (direitos) e mal (regalias injustas) na Administração Pública: a ideia é tornar um Estado solidário num Estado misericordioso.

Hetero_doxo

Publicado por renaseveados em 12:57 AM | Comentários (0)
Contador