29 de novembro, 2004

natureza morta

o rio vermelho em posição parado imóvel metafísica da imobilidade que nada está imóvel se não de facto o rio vermelho que já não é rio e segundo muitos nunca foi mas agora é apenas um fio de água sem crianças à beira sem a alegria dos namorados nem a vertigem do caminho em direcção ao futuro que é já a seguir

o rio vermelho continua morrendo por este leito de agonia

Escrito por jm às 16h57...




Comentários

o rio não deixa de ser rio nem desaparece pela perda dos anexos...o que faz do rio um rio nunca desaparecerá... viverá para sempre nem q seja apenas na lembrança: "era uma vez um lindo rio...que para sempre o será"...

Escrito aqui por hemiliene em 30 de novembro, 2004 às 03h33

jm, só para dizer que é bom ler o que escreves e saber que escreves. ;)
e esta "natureza morta", no meu sentir, é bem o quadro das naturezas (as humanas também) que têm vindo a desfalecer pelo mundo.

Escrito aqui por margem em 3 de dezembro, 2004 às 12h34