13 de janeiro, 2004

por Angola, pela amizade, por um futuro livre

por uma Angola livre e não humilhada. numa Angola que não será liderada por José Eduardo dos Santos e o seu séquito. contra os portugueses que continuam a insistir em partilhar a mesma mesa com homens de Angola; homens que vilependeiam Angola e a destróiem.

José Eduardo Agualusa escreveu na Pública de ontem, a seguinte crónica:

«A POLÍTICA REAL DOS CASAMENTOS
Domingo, 11 de Janeiro de 2004

Na generalidade dos países a classe política divide-se entre o governo, os apoiantes do governo e a oposição. Em Angola não existem apoiantes do governo. Aliás, a bem dizer, nem sequer existe um governo. Todo o mundo está na oposição. A oposição critica os ministros e o Presidente. Os ministros criticam-se uns aos outros publicamente e, em privado, criticam o Presidente. O Presidente critica a oposição, critica os governadores, critica os ministros todos. Também não há aquilo a que noutros países se chama Estado. Num gesto de extraordinária clarividência política José Eduardo dos Santos tratou, ao longo destes últimos anos, de extinguir o Estado. Em lugar das instituições do Estado existem hoje uma série de prósperas empresas privadas, nas áreas da educação, higiene, comunicação, saúde e segurança, ligadas ao Presidente, à família presidencial, designadamente à Primeira Filha, ou a pessoas da sua maior confiança. Não havendo Estado fica o país protegido desse mal tão comum a sul do equador - os Golpes de Estado. Foi, estou em crer, um golpe de génio.

Li atentamente alguns dos artigos que apareceram na imprensa portuguesa criticando, ou apoiando, o primeiro-ministro Durão Barroso por ter aceite abrilhantar, em Luanda, o casamento de uma das filhas de José Eduardo dos Santos. Vários articulistas manifestaram a sua indignação pelo facto de um presidente de esquerda desperdiçar tanto dinheiro numa cerimónia de casamento, quando, em Angola, milhares de pessoas sofrem com fome. Este qualificativo, "de esquerda", há-de ter irritado Eduardo dos Santos mais do que a fome alheia. Caramba!, ele deu-se ao trabalho de organizar aquele faustoso casamento, trazendo de Lisboa todo o jet-set português (seja lá o que isso for) precisamente para se demarcar da esquerda. Erros da juventude. O primeiro-ministro Durão Barroso sabe bem do que falo. É verdade que a bandeira angolana, ainda em vigor, apesar do parlamento ter já aprovado uma outra, exibe símbolos, digamos, comunistas. Mas isso é puramente uma questão de amor à moda, é fashion - soviet chic. Também se diz que se a nova bandeira ainda não tremula ao vento, nos edifícios públicos, é porque se torna cada vez mais difícil distinguir os edifícios públicos dos privados.

Já o director do Expresso, José António Saraiva, entendeu apoiar o primeiro-ministro português. Na opinião de Saraiva o importante é que Portugal mantenha boas relações com Angola, país com o qual terá muito a lucrar num futuro próximo, e a forte amizade que liga Durão Barroso a José Eduardo dos Santos é a melhor garantia de que esse futuro de bons negócios está assegurado. O director do Expresso só lamenta que o Presidente angolano não tenha mais filhas em idade de casar - e já agora, acrescento eu, dispostas a unirem-se a cidadãos portugueses. É todo um original projecto político que aqui está desenhado. George Bush, por exemplo, teria feito melhor em casar a sua filha com um dos filhos de Saddam Hussein. Evitava-se o derramamento de sangue, bem como todos os custos políticos e económicos resultantes de uma guerra em larga escala, e assegurava-se na mesma o acesso ao petróleo iraquiano.

Se José António Saraiva lesse o Expresso saberia que existe em Luanda uma aguerrida imprensa independente. Se lesse essa imprensa saberia que o casamento da filha de José Eduardo dos Santos foi muito mal recebido pela generalidade dos angolanos. Acreditará José António Saraiva que é possível a Portugal manter boas relações com Angola, a longo prazo, desrespeitando e humilhando os angolanos?

Mais tarde ou mais cedo haverá eleições em Angola. O partido no poder não tem já forças para contrariar o processo de democratização. Enfrenta, por um lado, o renascimento da sociedade civil. Confronta-se, por outro, com as correntes renovadoras dentro do seu próprio seio, e se é certo que estas ainda se mostram muito frágeis, também me parece óbvio que começam a perder o medo. Até lá - às eleições - muita coisa pode ainda acontecer. Em democracia nada é certo. Os amigos de Durão Barroso, por exemplo, podem perder o poder.

Salvo uma ou outra honrosa excepção os dirigentes políticos portugueses não gozam em Angola de grande respeito. Nunca souberam dar-se ao respeito. A impressão que os angolanos têm, e que artigos como os de José António Saraiva reforçam, é que os dirigentes e empresários portugueses estão apenas interessados em bons negócios. A isso não se chama amizade.»

Escrito por jm às 10h33...




Comentários

O senhor que escreveu este artigo nao tem o minimo conhecimento da realidade Angolana, palavra pos palavra da para sentir a falta de conhecimento escandalosamente latente.

E engracado que qualquer jornalista ou cidadao comum escreve algo sobre Angola sem o minimo conhecimento do que e que se esta a fazer! ao inves de criticarem com tanta bravura, pq nao abracar a causa e ir para o terreno tentar fazer algo por quem esta a sofrer.

E de lamentar mas se angola nao fosse um pais de enormes riquezas naturais como o e!!, provavelmente ninguem saberia se Angola pertence ao continente Asiatico, Americano ou Africano,quanto mais saber se o povo angolano passa fome ou nao.

Eu como Portugues falo, deixem Angola em paz de vez, nao comentem o que se passa em Angola como se o pais ainda fosse colonia portuguesa, pq aquando da nossa presenca, so soubemos explorar, maltratar e analfabetizar (uma infima % da populacao tinha acesso a escolaridade,dificultada pelo colonizador) o povo ao maximo para que nunca tivessem acesso a informacao.

Deixem Angola crescer e o Governo governar em pleno pq se refletirmos um pouco este governo ainda nao teve a oportunidade de mostrar o que sabe faber, estando este anos a gerir um conflito que consumia todo o orcamento de estado.

Ao inves de falarmos sobre os problemas dos outros vamos e resolver os nossos proprios problemas pq se assim nao for ainda vemos Angola ultrapassarnos.

Queria deixar uma questao para reflexao!!

"Porque e que nao se fala tanto de Mocambique, Guine, etc afinal la tambem ha um povo que passa fome e esta a sofrer.........", porque?

Escrito aqui por Sergio Nobre em 10 de fevereiro, 2004 às 18h56

Como portuguesa e como angolana, discordo com o artigo. Ha' muita gente em Angola a apoiar o Eng. Jose Eduardo dos Santos, e por acaso e' a maioria, e' um homem como poucos em Africa. Educado, bem falante, e um pacifista acima de tudo. Ajudou o pais a conquistar a paz que hoje se vive, ate'chegou a apertar a mao ao Savimbi depois de tantos anos de atrocidades que este tinha cometido. Nunca mandou matar ninguem, ao contrario de muitos lideres africanos.
Vamos resolver os problemas de Portugal que nao sao poucos. Angola tem uma divida com Portugal,E o Dr Durao Barroso faz muito bem em aprofundar os contactos com o governo angolano. Mas sinceramente, como e' as ex-colonias sao vistas pelos portugueses (especialmente Angola e o Brasil)?
Ou como paises que representam uma oportunidade de ganhar dinheiro, ou como paises onde muitos portugueses perderam tudo, com a perda dos quais portugal perdeu a oportunidade de se tornar uma grande potencia mundial.
Pois e', agora e' tarde demais para chorar pelo leite derramado. Mas como em portugal ha' um espirito forte de nao fazer nem deixar fazer, e' natural que a imprensa saia por ai a criticar o governo de Angola, e 'a procura dos pedofiolos nacionais. Sera' que o povo portugues e' tao negativo assim?
Sera' que nao acontecem coisas boas em Portugal, ou em Africa? Se o Jose' Eduardo dos Santos fosse tao mau,o seu partrido nao teria ganho as eleicoes contra todas as expectativas. Se o Durao Barroso fosse tao inexperiente, nao tinha chegado a Primeiro Ministro. Na minha opniao o Dr Durao Barroso e' dos homens mais visionarios que Portugal ja teve. E podera' levar Portugal a bom porto se o deixarem governar sem intrigas. E nao e' em vao que ele tem boas relacoes com o presidente Eduardo dos Santos. Sao dois homens que a humanidade deve estimar.

Escrito aqui por Maria Bravo em 10 de fevereiro, 2004 às 20h51

Eu acho que a filha do presidente angolano, tal como a filha do Dr Ferro Rodrigues, ou do Dr Jorge Sampaio ou George Bush, tem todo o direito de fazer negocios nos seus respectivos paises, e enriquecerem, tal como outros jovens com talento, muitos ate' de familias pobres, sem terem que carregar a cruz da carreira politica dos pais. E podem organizar banquetes, ate' festivais usando os seus proprios rendimentos, o que nao e' proibido em nenhum pais democratico.
O Jornalista que escreveu esse artigo foi muito infeliz em fazer uma associacao da carreira como empresaria da filha do presidente, e o estado. Como diz ele, uma das filhas. Que culpa temos nos dele ter escolhido a carreira de jornalista ao inves de homem de negocios? quem sabe, se tivesse talento para os negocios, o ilustre jornalista que escreveu o artigo estaria em Angola a essa altura a facturar milhoes, ou em Portugal, ou no mercado de accoes de Nova York.
Tenha a Santa Paciencia...Dedique-se a fundamentar os seus argumentos com provas, pois por enquanto nao passam de conceitos ou opnioes emitidos por si, nao sabemos baseados em que dados concretos. Assim podemos passar a crer que realmente ha uma campanha de difamacao contra o governo de Angola.
Pelo amor de Deus, sejamos jornalistas responsaveis.

Escrito aqui por Tamara em 10 de fevereiro, 2004 às 21h13

Nao concordo na generalidade com as indignacoes aqui presentes. Sobretudo, sou da opiniao de que o presidente actual de Angola e' tao pacificador quanto foi o seu mais conhecido rival. Mais informo que estes testemunhos parecem ignorar que Jose' Eduardo Agualusa, o autor do artigo, e' escritor e jornalista ANGOLANO.

Escrito aqui por jm em 10 de fevereiro, 2004 às 21h58

Depois de saber que o jornalita Jose Agualusa e' Angolano, ainda fico mais indignado em saber que este senhor ao inves de estar em Angola a contribuir no local (O que seria mais proveitoso certamente) esta a distancia a viver confortavelmente, quando ele mesmo critica o facto de alguns Angolanos viverem tao bem e outros tao mal.
Provavelmente este jornalista e' Angolano apenas de nascenca, e vai a Angola esporadicamente.

Este jornalista deveria documentar (provar com documentos o que escreve) senao cai na descrenca tal e qual como o proprio governo que ele critica,
porque desta forma parece uma guerra de interesses, (lobby politico)....

Escrito aqui por Francisco da Silva em 20 de fevereiro, 2004 às 23h34

E o Senhor não se sentiria mais confortável a falar se ao menos tivesse um mínimo conhecimento de causa?

Informe-se melhor sobre o José Eduardo Agualusa: quem é, o que faz, onde vive, onde viveu, o que escreve, etc... e depois sim, diga de sua justiça. É que Agualusa tem provas mais que dadas do que conhece de Angola. É mostra de muita, muita ignorância tentar mostrar uma tão grande preocupação com Angola e não conhecer um dos nomes que mais faz por dar a conhecer Angola ao mundo - a Angola verdadeira, e não a Angola que só as minorias de dinheiro e exploradoras de riqueza conhecem. E o sr.? Que provas tem dadas? Quais são os seus contributos? Que sabe o senhor além daquilo que é lhe mais cómodo engolir sem nunca abrir os olhos?

Ignorância aliada à arrogância é uma receita muito má e abona muito pouco em favor de quem assim fala.

Já agora, podia também aprender a escrever...

Escrito aqui por dolphin.s em 23 de fevereiro, 2004 às 16h57

Em resposta ao comentario acima feito,
Ignorante e' aquele que acredita naquilo que os outros dizem sem provas. Quando o senhor Agualusa mostrar documentos que de facto provam aquilo que escreve nos seus artigos, documentos estes que deverao e deveriam ser anexados as suas acusacoes (ou pelo menos um excerto destes documentos), eu respeitarei as suas criticas. Por enquanto nao passam de opinioes, tao validas quanto as minhas.
Mais e digo-lhe com todo o respeito que tenho conhecimento de causa...E em qualquer democracia, porque Angola e' uma democracia, tal como Portugal tambem o e', as opnioes divergem. E nao ha nada que proiba o Dr. Agualusa de ter as suas opnioes. Mas digo que sao opnioes tendenciosas, e afirmo que ha'outras opinioes...

Escrito aqui por Francisco da Silva em 25 de fevereiro, 2004 às 18h39

as suas opiniões também me parecem tendenciosas.... tendem de um lugar muito confortável.

Escrito aqui por dolphin.s em 26 de fevereiro, 2004 às 10h16

Nao tende de um lugar confortavel, mas sim de um lugar que esta' saturado de ouvir falar sempre do mesmo assunto quando alguem se refere a Angola, (alguem tem que dizer que nao esta satisfeito com o vosso tipo de jornalismo, constantemente depreciativo).

Uma vez que e' jornalista, porque nao pensar na possibilidade de atraves das suas cronicas falar uma mas uma so vez bem sobre angola, sim porque Angola tambem tem coisas boas, de forma a cativar os jovens que estao fora do pais a voltarem e exercerem la as suas actividades profissionais trazendo quadros qualificados que o pais tanto necessita (e que tanto investe atraves de bolsas dadas pela Sonangol e empresas privadas)

Pense nisso o pais agradece.....

Escrito aqui por Francisco da silva em 26 de fevereiro, 2004 às 18h22

E porque não pensar em abrir os olhos e olhar para a realidade do país e para a realidade dos seus governantes?
Ou parece-lhe natural num país com tanta miséria e tanta fome, o principal governante viver num luxo ostensivo e ofensivo?
E também acha natural o governante de um país ser um assassino? - tão assassino como Savimbi foi!
Ou o facto de estar no poder é o critério que distingue os assassinos dos que matam porque é necessário?
Acaso fosse Eduardo dos Santos o morto e Savimbi no poder, seriam invertidos os adjectivos?

Escrito aqui por dolphin.s em 27 de fevereiro, 2004 às 09h58

José Eduardo dos Santos é um líder tal como muitos outros que governam países africanos: é corrupto e assassino. Desvia riqueza do país para as suas contas pessoais e mata quem lhe faz frente. Lá porque, como diz Maria Bravo, JES é educado e bem falante (pacifista!!!!!NUNCA), não deixa de ter as mãos sujas de sangue.

Escrito aqui por sr Joao em 27 de fevereiro, 2004 às 11h15

A realidade do pais e a realidade apos 30 anos de guerra, qualquer pais, qualquer governante, em quaisquer circunstancias era incapaz de fazer algo melhor.
A guerra acabou em 2002 ainda nao passaram 2 anos, nao acha que esta a ser precipitado??

Como e que sabe que o principal governante do pais vive num luxo ostensivo e ofensivo? por acaso ja teve algum contacto com o estilo de vida deste governante (ja jantou la em casa, e amigo ou tem amigos deste senhor que lhe contam o que vem), da a entender que sim!!

Se JES e assasino ou nao, nao sei a unica coisa que lhe posso garantir e que desde o preciso momento que Savimbi morreu a paz renasceu em Angola...Agora tire as suas ilacoes??

Se estivesse Savimbi no poder talvez mudassem os adjectivos usados por muita gente que anda a fazer guerra ao pais atraves da comunicacao social, estes senhores nao sao amigos de angola mas sim dos seus proprios interesses.

Escrito aqui por Francisco da Silva em 27 de fevereiro, 2004 às 20h08

Para o Sr Joao, se o presidente JES fosse o assassino que diz, nao existiria o Semanario Angolense, o Actual, o Director do Publico, etc...
A imprensa independente angolana nao gozaria da liberdade que goza, nem existiriam Jose' Eduardos Agualusas por ai a dizer mal, pois se este Presidente fosse um assassino(como outros dos quais reza a Historia)...com as barbaridades e muitas mentiras que se dizem por ai sobre ele, e sem provas... nao sei se estes Jornalistas e partidos da oposicao existiriam...Um verdadeiro ditador ja' teria perdido a cabeca, nao acham?

Ha' aqui algumas inconsistencias. O homem nao pode ser tao mau assim.
Nem em Portugal os politicos permitem tal liberdade 'a imprensa. A liberdade de caluniar, difamar, insultar e agredir funcionarios publicos sem nenhuma prova concreta.
Talvez se Angola fosse um pais de primeiro mundo, os Politicos percebessem a importancia de dar resposta 'as barbaridades que sao ditas a seu respeito, e as agressoes diretas 'a soberania do pais. Pois quando se chama assasino ou ladrao a um presidente da republica, tem que se ter provas factuais. Documentos.
Com certeza esses mesmos jornalistas nao ousariam fazer o mesmo com George Bush, ou Tony Blair. E' tudo uma questao de respeito. Estao na Europa e na America. No Ocidente. Olhamos para eles de baixo para cima.
Agora, Africa e tudo abaixo do equador...Viva o desrespeito! O publico em geral ja' nao e' tao ignorate assim. Os jornalistas deviam comecar a perceber isso...
O JES tem direito a ser inocente ate' que se prove o contrario. Tal como tinha o Savimbi. Mas infelizmente no ultimo caso provou-se o contrario, pois preferiu morrer em combate ao invez de ocupar o seu devido acento no parlamento e fazer uma oposicao a altura. Provavelmente desta forma o seu partido teria tido muito mais votos.
Com certeza havera' pessoas partido do ultimo com um perfil diferente. E e' o que Angola precisa.
Maria Bravo

Escrito aqui por Maria Bravo em 28 de fevereiro, 2004 às 00h43

"Como e que sabe que o principal governante do pais vive num luxo ostensivo e ofensivo?"

LOL!!!!
Esta é para rir, certo?
Jantar lá em casa? Deixo isso para si que nem vendo quer ver. Eu tenho olhos e vejo - vejo a ofensa para o povo angolano de cada vez que ele pavoneia a sua riqueza e a esfrega nos olhos esbugalhados dos que têm fome. Os mesmos que ficam a olhar enquanto ele oferece festas de luxo a gente tão miserável e sem vergonha como ele.

Fique com a sua cegueira triste. Feche-se dentro de casa com a sua ignorância. Esqueça que o mundo exista. Será melhor deixar mesmo de interagir com ele. A ignorância maldosa é ofensiva.
Não são as bestas as únicas a usarem palas nos olhos... OU serão?

Escrito aqui por dolphin.s em 1 de março, 2004 às 11h02

Curioso. Eu penso exactamente o mesmo de si...e' bonita a reciprocidade dos nossos sentimentos!!!

A ideia que eu tenho do presidente Angolano nao e' essa, ele e' uma pessoa que tem tentado tirar o pais da miseria ha' muitos anos. Durante os primeiros anos teve como obstaculo a guerra, e agora tem pessoas como o sr Dolphins a denegrir a sua imagem com calunias, e delirios como o que acabei de ler acima.

Certos jornalistas, tais como os que escrevem os artigos que voce le, nao os deveriam escrever sem se basearem em fontes, provas reais, e nao baseadas em delirios dos jornalistas ou escritores em questao.
Se os jornalistas quizerem emitir opinioes pessoais e fazer politica, entao que mudem de profissao, sejam politicos (que nem estes tem o direito de difamar alguem), olhe que isso e crime!! pena que o JES nao perca tempo a processar jornalistas ridiculos e pouco profissionais como os que inventam estas estorias...

O jornalismo e' feito de factos, so' factos e nada mais do que isso, nao podendo por em causa o bom nome da classe (os jornalistas). Para opinar ja existem os leitores, estes sim deverao comparar os factos (todos eles documentados) e tirar as suas conclusoes.

Os jornalista que escreveu este artigo devia ver o programa "clube dos jornalistas" passado aos 29/2/2004(domingo)'as 19:00H na RTP2, onde foi debatido o papel dos jornalistas, e o momento vergonhoso que o jornalismo portugues esta a passar, por causa de certos jornalistas irresponsaveis e mercenarios que inventam e alimentam estorias, ou se deixam levar pelos seus inventores, para atigirem fins especificos- seja vender jornais ou fins politicos.

Ouvi dizer que o Jornalista Jose'Eduardo Agualusa e'amigo do medico do falecido Savimbi. Nao querendo pressupor afinidades politicas com o partido do ultimo, devo dizer: Que linda coincidencia...

Escrito aqui por Farncisco da Silva em 1 de março, 2004 às 20h35

Os dirigentes que querem enriquecer à conta da miséria dos outros esses sim, deviam mudar de profissão. De escroques, abusadores, exploradores, assassinos, miseráveis, está o mundo cheio e saturado - e Africa com uma quota bem alargada.
Mas claro, enquanto existir quem os apoie com as palas que o senhor usa, e no conforto do lugar onde o senhor está, os miseráveis, ladrões, e assassinos, terão sempre lugar a chupar na miséria de quem nada pode.

E o senhor parece amigo de Eduardo dos Santos.. pelo menos faz parte do clube de fans e da clube da elite, logo as suas opiniões são bem mais facciosas do que as de um jornalista, escritor e ser humano que merece muito mais respeito do que um assassino.... ou um cego, daqueles que olham para o lado e torcem o nariz com asco quando a miséria lhes passa demasiado perto.

Escrito aqui por dolphin.s em 2 de março, 2004 às 10h16

Para ja nao faco parte do partido do Jes, e vivo uma vida longe de ser confortavel, apenas acho que se voce fizesse criticas construtivas ai talvez tivesse tb um clube de fans tao grande como o do Jose Eduardo Dos Santos, ate eu me tornaria seu fa se disse-se exactamente o que tem que ser feito para mudar a realidade do pais, uma vez que e tao bom a dizer mal tambem deve ser igualmente bom a fazer, sim! porque parto do pressoposto que so critica quem sabe fazer melhor.
Em minha casa falta-me agua e luz ao contrario da sua que e em Portugal longe da realidade Angolana, criticando no conforto.

Ja agora tente debater de forma respeituosa pois ate agora so demonstrou a sua falta de etica, a minha pessoa nao tem que ser insultada por defender as minhas proprias opinoes bem como as opinioes de muita gente. Afinal estamos numa democracia nao estamos? Fico sem perceber quem tem mente de ditador se e o Jose Eduardo dos Santos ou o Jose Eduardo Agualusa??

Escrito aqui por Francisco Da Silva em 2 de março, 2004 às 16h47

Politicamente correcta? Não, obrigada! Deixo isso para os hipócritas.

Criticas construtivas? Sobre quem apenas destroi e quem aplaude aquele que mata?

deixo-as para si, o cego voluntário, o cúmplice do que mata.

Escrito aqui por dolphin.s em 3 de março, 2004 às 11h09

Por favor, os dois senhores em debate, candidatem-se a presidencia angolana (caso sejam os dois angolanos), Angola precisa de parlamentares desses. Que bonita a democracia! Cada um com um ponto de vista diferente. Podem cuidar um pouco mais a linguagem e poupar nos insultos. Mas encontram-se no bom caminho. Aplausos para os dois. Agora falta irem dar o seu contributo "in loco"

Escrito aqui por Maria Bravo em 3 de março, 2004 às 13h24

Por favor, os dois senhores em debate, candidatem-se a presidencia angolana (caso sejam os dois angolanos), Angola precisa de parlamentares desses. Que bonita a democracia! Cada um com um ponto de vista diferente. Podem cuidar um pouco mais a linguagem e poupar nos insultos. Mas encontram-se no bom caminho. Aplausos para os dois. Agora falta irem dar o seu contributo "in loco"

Escrito aqui por Maria Bravo em 3 de março, 2004 às 13h25

Por favor, os dois senhores em debate, candidatem-se a presidencia angolana (caso sejam os dois angolanos), Angola precisa de parlamentares desses. Que bonita a democracia! Cada um com um ponto de vista diferente. Podem cuidar um pouco mais a linguagem e poupar nos insultos. Mas encontram-se no bom caminho. Aplausos para os dois. Agora falta irem dar o seu contributo "in loco"

Escrito aqui por Maria Bravo em 3 de março, 2004 às 13h27

O Sr Dolphins parece um disco quebrado... Devo admitir que o Francisco Silva saiu-se melhor que o Dolphins nas ultimas rondas do debate...

Escrito aqui por Ju Mendes em 3 de março, 2004 às 13h31

Ja vi que nao tenho adversario a altura. Eu mostro-lhe as coisas como sao e o senhor esta sempre a falar do mesmo, da a sensacao que estou a falar com um disco riscado, como foi dito anteriormente.

Ja agora veja o programa de Domingo a noite "clube dos jornalistas", nao se esqueca!!

Escrito aqui por FRANCISCO dA SILVA em 3 de março, 2004 às 16h14

Ja agora o que e que ganha em dizer mal??
Gostaria que me respondesse concretamente a esta pergunta.

Escrito aqui por francisco da silva em 3 de março, 2004 às 16h18

falar da realidade não é dizer mal!

se eu falar do Diabo a uma testemunha de Jeová e lhe explicar o meu ponto de vista face à prática religiosa das testemunhas de jeová, ela vai dizer-me que eu estou a dizer mal.

quando de facto, sendo eu agnóstico estou apenas a contar uma história ao contrário da dela... o inverso.

as pessoas têm medo da realidade. chamam mal à realidade. o José Eduardo dos Santos é um ditador que disfarçou uma autocracia de democracia. Coisas que se vêem de longe ou de perto para quem anda de olhos abertos.

eu conheço pessoas cegas que têm um sentimento da realidade melhor que muitos que vêem.

o José Eduardo dos Santos, JES para os amigos, é um assassino e merece a sorte do seu inimigo de armas e amigo de jogos de destruição de um país.

as opiniões divergentes só servem para chegar a consensos.

E quando se defende quem mata, não há consenso.

Obrigado. Bem hajam e boa viagem.

Escrito aqui por jm em 3 de março, 2004 às 16h31