29 de outubro, 2003

Llosa vs Gauguin 2

Para acerto da verdade, duma certa realidade, enfim, para que se saiba, Nelson de Matos, além de ter vindo até este blog responder no post anterior, enviou uma breve missiva ao Público, em resposta à carta da bisneta de Gauguin.

Esta missiva responde em pleno às questões levantadas ontem. Transcrevo o texto publicado no jornal:

«"O Paraíso na Outra Esquina"
Quarta-feira, 29 de Outubro de 2003

Permitam-me que comente a carta de Mette Gauguin publicada na edição de 28 de Outubro. A Dom Quixote, ao saber que uma bisneta de Paul Gauguin residia em Portugal, teve o cuidado de a contactar convidando-a a estar presente num almoço com o escritor Mário Vargas Llosa, autor do livro "O Paraíso na Outra Esquina", recentemente publicado, e de que tivemos também a atenção de lhe oferecer um exemplar. Recusou Mette Gauguin este convite, declarando-se ofendida e chocada com o conteúdo do livro, nomeadamente no que diz respeito às referências sobre opções sexuais do pintor e de Flora Tristan. Insiste agora, de novo, neste tema, na carta endereçada ao PÚBLICO, referindo-se ao livro de Vargas Llosa como biográfico. Ora o livro de Vargas Llosa não é, nem pretende ser, uma biografia de Paul Gauguin. É um romance, uma obra literária, um texto de ficção, com todas as liberdades criativas e imaginativas que isso implica. Lamento que Mette Gauguin não entenda esta distinção, que lhe foi explicada, continuando a declarar-se ofendida com a publicação do livro.

Nélson de Matos

editor»

Escrito por jm às 19h29...




Comentários

Na ânsia de promover surpresas e encontros inesperados alguns esquecem-se do mais importante, a opinião das pessoas. Não interesserá tanto o carácter (ou não) biográfico do romance, mas opiniões são para respeitar.

Escrito aqui por Katz em 29 de outubro, 2003 às 21h35

Penso que a Dom Quixote deverá ter convidado a sra. apenas. E depois, terá recebido a resposta.

Eu não convido as pessoas depois de lhe perguntar a opinião sobre o assunto do convite: simplesmente aguardo resposta, ou sim ou não!

Compreendo o ponto de vista que quer demonstrar, mas... quem foi acusador nesta situação foi a sra., não a Dom Quixote!

Escrito aqui por jm em 29 de outubro, 2003 às 22h37