12 de outubro, 2003

merda às colheres

em notícia publicada ontem, dá-se conta do interesse do estado sobre os jovens portugueses para o serviço militar. lê-se que na falta de obrigatoriedade do serviço militar, outros países têm um dia da defesa nacional em que se obrigam os jovens a um dia de propaganda nacionalista e militarista. e, assim, aqui se cumprirá o mesmo, obrigando jovens de Lisboa a um dia no Alfeite a levar com propaganda.

talvez falte esclarecer o estado que, tal como surge no artigo, ainda existe serviço militar obrigatório, que ainda se gasta demasiado dinheiro com questões que não alimentam o dia-a-dia de muitos portugueses famintos.

escreveu o Prazer_Inculto que o Paulinho das Feiras quer ver os jovens desfilar para lhes tomar as medidas, não deixando de discordar, questiono ao estado o que nos interessa um serviço militar? e em segundo plano, o que nos interessa um serviço militar constituído por pessoas com vontade zero de a ele pertencer?

com o país numa situação económica degradada, vemos alguns, a la americana, correr para empregos militares, mesmo assim, não parece haver motivação monetária suficiente para que muitos possam, de facto, ingressar.

os que ingressarem ficaram à mama.. e quando houver guerra e forem forçados a partir, os pais irão chorar os mortos como heróis e pedir prémios....

mil vezes uma multa do que um dia a ingerir alimentos psicológicos de duvidoso interesse.

leu-se no Público de ontem a seguinte notícia:

Defesa "Obriga" Jovens a Tornarem-se Voluntários nas Forças Armadas
Por HELENA PEREIRA
Sábado, 11 de Outubro de 2003

Vários milhares de jovens da zona de Lisboa, que completaram os 18 anos, começaram a receber em casa, nos últimos dias, uma carta do Ministério da Defesa Nacional (MDN) a convocá-los para participar no Dia da Defesa Nacional. O convite para o próximo dia 20, contudo, não é facultativo e obriga a passar um dia na Base Naval de Lisboa, no Alfeite. Quem faltar, sujeita-se a uma penalização.

É a primeira vez que se realiza esta iniciativa, apesar de ter sido desenhada pelo anterior Governo do PS, que nunca a pôs em prática. De acordo com a lei do serviço militar - que determina o fim do serviço militar obrigatório em Novembro de 2004 -, é criado o Dia da Defesa Nacional com uma vertente destinada a captar novos recrutas, à semelhança do que sucede noutros países.

Na carta, datada de 2 de Outubro, que seguiu nos últimos dias para vários milhares de jovens, a direcção-geral de pessoal e recrutamento militar do MDN lembra que "o processo de profissionalização das Forças Armadas, iniciado no final dos anos 90, e a extinção do serviço militar obrigatório, em Novembro de 2004, constituem um marco histórico na evolução do serviço militar em Portugal e um desafio profundo e exigente para o país".

O programa intensivo, na Base Naval de Lisboa, é constituído pelo visionamento de um filme, debates, visita às instalações militares, observação de meios da Marinha, Exército e Força Aérea, uma palestra e um inquérito. Por ser a primeira vez, trata-se de uma experiência-piloto. O transporte até lá é assegurado pela Câmara de Lisboa.

"A sua participação nas várias acções de informação e divulgação vai proporcionar-lhe a oportunidade de conhecer mais e melhor as nossas Forças Armadas e partilhar a larga experiência de profissionais da área da Defesa Nacional. Ficará a saber como se tem garantido e continuará a garantir a segurança e a protecção do nosso país. Este será, certamente, um dia diferente e marcante para a sua formação como cidadão", lê-se ainda na carta.

Segundo o Governo esta iniciativa, é "um dever militar de cada cidadão português e constitui, ao mesmo tempo, um contributo profundo e exigente para o país". Isto também quer dizer que os jovens (que se recensearam no ano em curso) que faltarem ao Dia da Defesa Nacional ficam sujeitos, segundo a mesmo lei do serviço militar, a uma contra-ordenação punível com coima e não escapam a ter que frequentar as acções do Dia da Defesa Nacional noutra ocasião a fixar pelo MDN.

"A impossibilidade de comparência da sua parte, por impedimento de força maior, deverá ser comunicada através de carta registada com aviso de recepção no prazo de três dias úteis após a recepção desta convocatória", escreve o director-geral de pessoal, Alberto Coelho, que assina a carta, a qual informa ainda que o MDN justificará a falta ao trabalho nesse dia.

a mim não me interessa este país. interessam-me todas as pessoas. as fronteiras determinadas por um grupo de gente que não vi e desconheço são vãs para a mente e prisões para o corpo.

este é um tempo de fechamento que vivemos neste rectângulo obtuso.

Escrito por jm às 01h52...




Comentários

Então não te lamentes e vota para pôr no Governo quem defende as tuas ideias...

Escrito aqui por Alexandre Monteiro em 12 de outubro, 2003 às 19h34

Alexandre,

não sabes nada sobre mim ou sobre os meus actos para além do que aqui exponho.

Implicares o que quer que seja, em tom de acusação ou outro, é no mínimo evasivo.

Digo que este post não é um lamento é uma apreciação minha dos factos. Quanto ao resto podes meter a viola no saco.

Escrito aqui por jm em 13 de outubro, 2003 às 14h11

Bem, para mim isso é apenas uma desculpa para que Paulo Portas tenha figurantes à borlix nos seus pavoneios constantes.
Se bem me recordo Hitler fez isso com a Juventude hitleriana, não??

Escrito aqui por Rui em 13 de outubro, 2003 às 16h44

Tens toda a razao Jm... k s lix os militares... esses sacanas andam a encher a barriga ah custa dos contribuintees portugueses...
Abaixo a Armada... Viva os bombeiros! ( trokadilho... lol )

Escrito aqui por Joao em 3 de fevereiro, 2004 às 21h54

Efectivamente fico "estúpido" com as opiniões que aqui leio. Toda a opinião me merece respeito mas não posso de me insurgir contra aquilo que me deixa parvo! É o que acontece com muitos comentários que aqui estão que revelam apenas IGNORÂNCIA de quem escreve sobre o que escreve. Para opinar é antes de mais necessário conhecer o assunto e depois reflectir sobre ele e por fim, então, opinar. Frases como "Se bem me recordo Hitler fez isso com a Juventude hitleriana, não??" são atentados à inteligência! Se estudassem em vez de ir a concertos não se ouviam estas bácoras!!!

Escrito aqui por playerone em 11 de fevereiro, 2004 às 14h04