19 de setembro, 2003

celibato genital

[entrevista à Antena 1, hoje] D. José Policarpo afirma manter a opinião de que os homossexuais não devem ser padres.

Kama Sutra, Jeanne Carbonetti (watercolor)A jornalista faz a questão inversa, ao que o cardeal responde que a expressão da heterossexualidade e da homossexualidade não se reduzem ao genital, pelo que o celibato heterossexual é aceite.

Tendo o celibato sido descoberto após a confirmação da vocação dos primeiros cristãos, o celibato advém da disponibilidade total para o deus e para os seus desígnios e não de uma conduta não sexual.

Assim, e em bom jeito, a jornalista questiona as escapadelas sexuais/genitais de alguns padres, quebrando os votos. Replica D. José que também existem casados que quebram os votos. A jornalista, constatando a aceitação simpática da fuga à fidelidade do clero, questiona e se a fuga for por um amor homossexual? Não aceite.

"Por mais simpáticos que queiramos ser para com os homossexuais" eles são contra-natura.


--o meu comentário: dentro de alguns anos teremos alguma mudança, não total ou completa em relação à homossexualidade, mas pelos menos, face à falta de vocações e necessidade de manutenção da espiritualidade do povo, em relação ao fim do celibato.

Escrito por jm às 10h47...




Comentários

Prova esta informação e comentário anexo de jm (pertinente), que há coisas que ainda faltam clarificar, "despreconceituar" e resolver na nossa sociedade. Agora há uma questão: que não se demore muito mais tempo sob pena de nos anularmos e intolerarmos ainda mais como seres humanos.

Sandra

Escrito aqui por Sandra em 20 de setembro, 2003 às 20h37

É curioso como a Igreja que tanto apregoa "A Paz" e o "Amor ao Próximo" consegue ser tão cruel com um grupo minoritário da sociedade...

Escrito aqui por Casal Gay em 24 de outubro, 2003 às 20h04

É cruel! Com o grupo homossexual, por não se rever nele?

A Igreja é relevante para a mudança cultural da sociedade... mas a falta de vocações de que tem sofrido tem significado... observemos! :)

Escrito aqui por jm em 24 de outubro, 2003 às 20h33