2 de setembro, 2002

Carta a Santana Lopes


Assunto: Artistas Unidos - www.artistasunidos.pt

Exmo. Sr. Presidente da Câmara Municipal de Lisboa Pedro Santana Lopes

Não me parece de todo interessante silenciar actos pelos quais sinto repúdio!

O Teatro Paulo Claro, A Capital, sede da companhia de teatro Artistas Unidos e outras, foi encerrado pela polícia após um parecer dos bombeiros, salvaguardando a segurança do público, e por ordem da CM Lisboa. Foi encerrado sem aviso prévio, para desnorte da companhia! Foi encerrado ao mesmo tempo que o director da companhia estava em reunião com a CML, talvez para gozo e risada de alguns.

Agora, eu manifesto-me - talvez insuficientemente - e não vou calar a barbárie de atentar contra um dos pólos culturais mais importantes deste país. Se me chamarem anarca - acho que chamaram -, penso que deverá ser por a CML estar a ter um padrão interessante de actuação: primeiro os Okupas depois os Artistas Unidos.

A não preparação e não negociação atempada de espaços pode levar à extinção dos AU. Nunca mais me esqueci duma entrevista de Jorge Silva Melo, em que revela que caso perdesse esta companhia e fosse impossibilitado de trabalhar, deixaria o teatro para sempre. Certamente, tudo se resolverá, mas não calarei o tempo em que a cultura é limitada por marchas populares e festas nas docas: faz-me lembrar descrições dum tempo que felizmente não vivi nem quero viver, nem deixarei que se instale sem berrar bem alto: ESTÃO A LIXAR-ME! ESTÃO A FODER-ME! E TANTOS AÍ QUE OS DEIXAM E ATÉ GOSTAM!

O sr. Presidente da CML fez muitos amigos durante a sua Secretaria de Estado da Cultura, fez os amigos certos diria eu: os que fornecem a cultura básica que agrada a careados e aos que lêem a Caras! E veneram a pink e as derivações dela! Essa cultura básica agrada à maioria, mas sabe o sr. Presidente que a cultura de um país se reduz a isso quando está orgulhosamente só!

O sr. Presidente quer renovar e garantir a segurança do público! Eu aceito tal como bom juízo, mas... o melhor é esvaziar os prédios em volta d'A Capital, porque são muitos e com menos portas!

Sr. Presidente, espero que a CML tenha a boa vontade de sair desta situação com o agrado dos que querem trabalhar para uma Lisboa - e um país - culturalmente melhor. Por mim, espero que da CML haja respeito também pelos contribuintes, pois os AU são patrocinados por nós... e gostaríamos de ver esse dinheiro emprege... e não simplesmente perdido.

Ah! E sr. Presidente, até lá eu vou continuar a berrar, para já: URGÊNCIA NA NEGOCIAÇÃO COM OS ARTISTAS UNIDOS! A CULTURA NÃO ESPERA!

Os meus melhores cumprimentos,

Escrito por jm às 15h56...




Comentários