25 de novembro, 2002

apontamento:

um dia, caminhando devagar por entre os transeuntes aflitos com o tempo, encontrei uma pedra azul. uma pedra azul, um azul azul como não se vê nos dias de hoje pela fabricação dos homens. um azul azul como nas manchas das asas numa borboleta esvoaçando com a nossa presença. uma pedra azul, que apanhei e levei comigo, no bolso, para onde eu ia.

Escrito por jm às 13h32...




Comentários