29 de março, 2003

as coisas irritam...

as coisas irritam e, por vezes, prefiro silenciar a minha irritação do que colocar por escrito, aqui ou noutro sítio, o que quer que seja. mas, hoje, escrevo algo... vazio:

a guerra que se assiste daqui e que muitos vivem, é um exemplo crasso de apropriação de emoções e de renascimento da ideia ter pena de.... neste caso, particular, ter pena de quem sofre os males do mundo governado por um déspota e ter pena da possibilidade desse déspota atingir o outro mundo. depois, há que ter pena de nós mesmos, cabisbaixos ministros de Deus, que sofrem as agruras das cruzadas. cruzadas lideradas por déspotas modernos, que se resguardam por trás de democracias reais, mas moldáveis às necessidades...

a nossa democracia, recente... pura... virgem... mas que nem o diabo procura, segue cega. segue todos.. ou todos seguem a moda que lhes diz mais, que lhes diz qualquer coisa mais próxima dos corações... as emoções apelativas das figuras tão maternas da pintura...

num chorrilho de idiotices, que aqui assumo enquanto minhas e apenas minhas... seria mais prometedor afagar os corpos sumptuosos dessas ninfas maiores e lindas.


Rembrandt - Bathsheba at Her Bath (Bathsheba with King David's Letter) - 1654 (120 Kb); Oil on canvas, 142 x 142 cm (56 x 56

Escrito por jm às 23h25...




Comentários