18 de junho, 2003

Artistas Unidos, ao serviço do público

No último dia da 73ª Feira do Livro de Lisboa, o último conto da série O Nariz e outros contos, foi lido pela Joana Bárcia no auditório. Como sempre, Jorge Silva Melo, o director dos Artistas Unidos, esteve presente.Artistas Unidos
Jorge Silva Melo
Uma amiga minha levou o livro Deixar a Vida, uma antologia de crónicas e apontamentos de Silva Melo, para o autografar. Esperamos que Jorge Silva Melo se despedisse de várias pessoas, que o ajudaram e geriam o auditório durante as leituras. Dirigimo-nos a ele, e pedimos que partilhasse um pouco do seu tempo connosco. Autografou o livro e perguntei: "como estão os A.U.?" - pergunta um pouco retórica, mas que resolveu bem o quebrar do gelo entre três espectadores assíduos dos A.U. e o director do grupo.

A resposta foi simples: "Mal! Muito mal!". Ficamos a saber que o grupo se está a desagregar por falta de objectivos comuns. Senti-me triste e pensei na fúria com que o público d'A Capital rejubilava o seu aplauso no fim de cada peça. Como Baal foi recebido no S. Luís. E, como cada encontro com Jorge Silva Melo, na rua, me fazia dizer-lhe "Olá!".

Ficamos a saber de reuniões com elementos da hierarquia da câmara, cujas datas não são respeitadas... reuniões que nunca chegam a acontecer... sem que seja dada qualquer justificação. Disse-nos Jorge Silva Melo que a ida para o Teatro Taborda acabou por ser uma farsa, ofereceram um mês - Silva Melo apresentou um projecto de dois anos. Aguardava, para segunda-feira, dia 16, um contrato, cujo conteúdo não conhecia... terá recebido o contrato?

No primeiro dia da feira, Silva Melo cruzou-se com Santana Lopes, presidente da edilidade lisboeta, Santana Lopes pareceu irritado e aborrecido quando confirmou com Silva Melo a inexistência de soluções postas em prática. Ali mesmo, se dirigiu a uma Vereadora e à administração do Teatro Taborda, exigindo um resolução. Do Teatro Taborda soube-se que existem compromissos que não podem ser alterados... "Quero os Artistas Unidos no Teatro Taborda!", afirmou o presidente: a ver vamos. Fica no ar a dúvida de quem está a impedir a boa resolução do assunto na câmara de Lisboa: Santana Lopes está a ser pressionado por figuras próximas do PSD, ligadas à cultura. Mas as hierarquias intermédias, espelho duma função pública horrenda e burocrata parece ser a certeza da incerteza deste grupo.

Perguntei: "e as ligações internacionais?". "Ainda esta semana perdemos mais uma!" Jorge Silva Melo sorri com a ironia da vida, porque não vale a pena chorar.

Escrito por jm às 22h22...




Comentários