21 de junho, 2003

O meu umbigo é bonito, digo eu e gostos não se discutem.

Para os mais desprevenidos anuncio-vos que coisas como este Rain Song, blogues, são, neste momento, tema jornalístico - claro que o Rain Song enquanto coisa blogue individual não é mencionado. Ora sendo tema jornalístico, a coisa blogue, é-o porque, para além da festa da Casa Pia, com João Pedro Pais e o Grupo Novo Rock no estádio do Restelo, existem os blogues e a blogosfera - dois neologismos fixados por José Pacheco Pereira, em blogue e em jornal.

JPP é o senhor que veio dar credibilidade - porque as coisas não mudam e não se acredita em formigas - ao viveiro que se tem materializado na internet escrita e livre feita por portugueses - é absolutamente necessário que se distinga a nacionalidade do local geográfico de edição de um blogue. Mais, falo de nacionalidade pela utilização da língua portuguesa e não considero um erro falar em nacionalidade em vez de internet escrita e livre feita em língua portuguesa, apenas porque a dimensão é rídicula e quase só portugueses escrevem português na internet. [Não, não considero que o português do Brasil seja português (estrito), o motivo é: eu percebo o que um brasileiro diz - excepto algumas interjeições - e raramente sou percebido por eles... a relação é mesma que com os castelhanos.]

Retomando, agradeço a JPP a dimensão cultural que permitiu à blogosfera. MAS, terei, antes, que agradecer aos que a ele fizeram com que tivesse vontade de espreitar e participar na blogosfera. Pessoas como Pedro Mexia, poeta, e, talvez, José Mario Silva, jornalista, e grupos de pessoas como os que fazem a Janela Indiscreta. Por mim, vi com gosto aparecerem a Janela Indiscreta, o Possidónio. Outros vão aparecendo e eu tomo-lhes, ou não, a medida do umbigo.

JPP tem descoberto verdadeiros blogues, os quais menciona graciosamente no seu blogue e acusa muitos, que não aqueles, de umbiguistas... chovem comentários e apreciações várias apoiando-o, mas o que é um blogue umbiguista realmente? Posso reconhecer um, mas difícil será explicá-lo em abstracto. Parece-me a mim que um blogue, ao contrário do puro jornalismo, tem características próprias do seu autor - quando individual - ou do colectivo. Deixemos quem lê interpretar o umbigo do outro.

Como esclarecimento, não estou a acusar JPP de nada:

  • primeiro, porque existe umbiguismo
  • segundo, porque o umbiguismo é um retrato claro do ser humano

    Contudo, JPP executa uma função de triagem e de facilitismo aos mais preguiçosos, que acedem por convicção ou por amor à causa comum de JPP ou, tão só, a JPP, e, pela fórmula preparada, compreendem imediatamente o que é um blogue umbiguista, apesar de nunca terem visto mais do que uma meia dúzia... e, talvez, porque nem se dão ao trabalho de investigar os apontadores de blogues.

    (JPP, caso venha a tomar conhecimento deste post, tenha a certeza de que nem por sombras estarei a pretender compará-lo a MRS. Sim, eu também acompanho a Os Meus Livros.)

    Existem umbiguismos repugnantes na blogosfera, umbiguismos que recaem sobre os outros como forma de se esquecer quem constrói a opinião veiculada - não, não vou deixar link. Existem umbigos de amor que descem um pouco mais baixo para quem tiver dois palmos de testa! Existem umbigos descaradamente belos. Existem blogues umbiguistas porque escrevem sobre os temas próprios do autor ou autora: um arquitecto que dedique um blogue à arquitectura, como meio difusor de uma mensagem que considere importante e educativa e cultural... é umbiguista! Mas pode ser muito bom!

    Eu não sei qual o umbigo que gosto mais, afinal gostos não se discutem... tão só discuta-se o porquê dos gostos.

    Aproveito para saudar todos os novos bloggers de uma forma entusiasmada.

    Escrito por jm às 00h53...




  • Comentários