« Vazio | Entrada | O mar »

setembro 20, 2007

Fábrica de estrelas

Meus amigos, sejam bem-vindos
À nova fábrica de estrelas!
Aqui se fazem cometas e astros lindos
Para depois serem adorados como deuses!

Entro na linha de produção,
E constato a existência de proporcionalidade inversa;
Quanto mais estrelas se fazem,
Menos luz elas nos dão.

Por todo o lado há holofotes
E câmaras de gravação;
Dali saem estrelas feitas de luz,
Cada vez mais parecidas com a escuridão.

E assim se manufacturam
As estrelas dos nossos dias.
O transporte e a venda, esses,
Estão a cargo de um objecto
Bem nosso conhecido:
A boa e velha televisão.

Publicado por tptw às setembro 20, 2007 08:48 PM

Comentários

Um poema á pim com a parte matemática mas com a verdade sub-entendida de que tudo o que fazemos em excesso pode ter maus resultados.
Continua a escrever...

Publicado por: Alguém às setembro 20, 2007 08:59 PM

Adorei! Oh pinela! Es um homem cheio de talento pah!

Sou tua fa! hahahah


Adorei Adorei Adorei!


mesmo poemas à pim.pim.nela!

Recheados de matematica deliciosa! hahaha


Beijoo!

Publicado por: -duda às setembro 20, 2007 09:04 PM

Amei o poema.. a serio... tens bastante jeitoo.. a serio... =) Parabens ao meu writer preferido :D

Bjuu

Publicado por: CVR0L às setembro 20, 2007 09:14 PM

Fantástico... ADOREI... Estrelas astros... MATEMATICA... e td mais... td junto num universo de verdades que tdx nos sabemx k existem... fantastico mais uma ves...
The BEST...
:P

Publicado por: Goldalsky às setembro 21, 2007 05:02 PM

Ai pimpas! aqi uma legião de fãs!

:p

Publicado por: -duda às setembro 23, 2007 09:02 PM

Comente




Recordar-me?