abril 05, 2004

Liberdade, Onde Estás? Quem Te Demora

Liberdade, Onde Estás? Quem Te Demora

Liberdade, onde estás? Quem te demora?
Quem faz que o teu influxo em nós não Caia?
Porque (triste de mim!) porque não raia
Já na esfera de Lísia a tua aurora?

Da santa redenção é vinda a hora
A esta parte do mundo que desmaia.
Oh! Venha... Oh! Venha, e trémulo descaia
Despotismo feroz, que nos devora!

Eia! Acode ao mortal, que, frio e mudo,
Oculta o pátrio amor, torce a vontade,
E em fingir, por temor, empenha estudo.

Movam nossos grilhões tua piedade;
Nosso númen tu és, e glória, e tudo,
Mãe do génio e prazer, oh Liberdade!

.
Copyright ©Manuel Maria Barbosa do Bocage
Posted by Titilador at 03:41 PM | Comments (0) | TrackBack

Autobiografia

Autobiografia

De cerúleo gabão não bem coberto,
Passeia em Santarém chuchado moço,
Mantido, às vezes, de sucinto almoço,
De ceia casual, jantar incerto;

Dos esbrugados peitos quase aberto,
Versos impinge por miúde e grosso;
E do que em frase vil chamam caroço,
Se o que, é vox clamantis in deserto;

Pede às moças ternura, e dão-lhe motes;
Que, tendo um coração como estalage,
Vão nele acomodando a mil peixotes.

Sabes, leitor, quem sofre tanto ultraje,
Cercado de um tropel de franchinotes?
- É o autor do soneto: - é o Bocage.

.
Copyright ©Manuel Maria Barbosa do Bocage
Posted by Titilador at 03:35 PM | Comments (0) | TrackBack