« Estranhos prazeres | Entrada | Por agora »

May 05, 2005

Uma puta dor de barriga

Almocei com o Sousa. O Sousa é o chefe da contabilidade, o parolo por excelência, sempre de fatinho aos quadrados verde-vómito, mas eu precisava de lhe perguntar umas coisas sobre a pré-reforma. Particularmente. Convidei-o para almoçar numa esplanada onde ninguém me conhece.

Ainda nas azeitonas e afinal a minha dúvida ficou logo esclarecida. Tive de gramar com o Sousa nas lulas, o Sousa no doce da casa, o Sousa no café e o Sousa no palito. E o Sousa só fala em gajas. Contou-me então, o cabrão de merda, que anda a comer a tipinha que dá entrada do correio. A puta, hã? Podia carimbar as cartas com os bicos das mamas e de longe, e anda-me aquela vaca com o caralho do Sousa. Deve ser mesmo só com o caralho do Sousa, que o resto e mais os dentes palitados, não vejo como.

Só sei é que me fartei de torcer na cadeira. De manhã, meti pó de talco nos colhões e aquela merda colou-se toda com o calor. E não sei se foi do molho das lulas, estou de caganeira. Já disse à minha mulher que me vai sair a hemorróida e a cabra respondeu mete um dedo e enfia para dentro. Se calhar até gostas, querido...

Não sei o que faça. Talvez vá amanhã almoçar com o Sousa outra vez para saber como é que ele faz.

Publicado por men às May 5, 2005 01:17 AM

Comentários

Comente




Recordar-me?